Hoquéi em Patins Masculino - Época 2023/2024 - CAMPEÕES EUROPEUS

Continuo com a minha. Acabar com a equipa profissional disto e deixar só para os sócios que queiram representar o clube.

Internacionalmente é um desporto irrelevante. Bem se tentou em ´92 nos JOs em Barcelona mas foi um fracasso.

Não se arranja vídeo do atropelo ao Nolito?

Na primeira parte, nos primeiros 10 minutos os cães vermelhos já deviam ter dois cartões azuis e consequentemente dois livres directos contra. Um deles, junto à tabela, um dos nossos é intencionalmente empurrado contra, e mandam as recomendações que se puna o infractor com livre directo e cartão azul. Nada foi feito. Ao contrato, os corruptos do apito não hesitam em assinalar falta contra nós.
Estava 6-2 em faltas, e em dois minutos inventaram 4 faltas, sendo duas muito duvidosas, para equilibrar. Depois estão mais de 20 minutos à bica com 9 faltas. Se alguém acha isto normal, eu que acompanho hóquei há vários anos, acho bem sinistro.
A modalidade vai acabar por se auto extinguir, não porque não tenha beleza, sendo bem jogada, é entusiasmaste é espetacular, quem manda naquilo é que permite a bagunceira e o “cada um que faça como entender” esteja implementado.
Houvesse organização e uniformidade de critérios e não regras ambíguas que permitem aos árbitros apitarem conforme lhes dá jeito, talvez não houvesse este clima de desconfiança e descrença, mesmo por parte de quem sempre gostou ou está ligado à modalidade.

1 Curtiu

Completamente. Eu adorava esta modalidade desde miúda, nós não tínhamos quando eu comecei a ver, hoje em dia até evito ver os jogos. É triste.

Foto João Pedro Morais

GRANDE SEGUNDA PARTE NÃO CHEGOU PARA VENCER A ELITE CUP

Por Sporting CP
17 Set, 2023

HÓQUEI EM PATINS

Leões viraram de 0-2 para 2-3, mas perderam dérbi por 4-3

A equipa de hóquei em patins do Sporting Clube de Portugal perdeu, este domingo, a final da Elite Cup, torneio que abre a temporada, com um desaire por 4-3 frente ao SL Benfica, em Tomar.

Um desaire bastante amargo e injusto, uma vez que o conjunto Leonino assinou uma magnífica segunda parte, na qual recuperou de uma desvantagem de 2-0 que levava do intervalo, em primeiros 25 minutos difíceis para a equipa verde e branca, que teve quatro cartões azuis (exclusões de dois minutos a hoquistas Leoninos) e sofreu dois golos de bola parada, ambos de livre directo, um marcado por Lucas Ordoñez e outro por Carlos Nicolía - este último a 36 segundos para o final dos primeiros 25 minutos.

Desses primeiros 25 minutos ficou um jogo em que o Sporting CP teve mais dificuldades em chegar à baliza adversária, com uma atitude mais de expectativa e sem conseguir furar a defesa benfiquista. No entanto, alguns cartões azuis a hoquistas Leoninos pareceram excessivos e também acabaram por explicar o desfecho que se registava, com Ângelo Girão a cotar-se, até então, como o melhor jogador do emblema de Alvalade, com várias defesas de elevado nível.

Na segunda parte, a história foi totalmente diferente e o Sporting CP assinou uma magnífica exibição. Muito mais capaz de ganhar bolas em zona alta e de explorar o contra-ataque, com diversas jogadas de perigo a antecederem os golos marcados em menos de um minuto, à entrada dos primeiros cinco. Primeiro, numa ‘stickada’ de longa distância de Matías Platero, em grande golo e, depois, num contra-ataque muito bem conduzido por Gonzalo Romero e finalizado por Rafael Bessa, na cara de Pedro Henriques, em perfeita execução do avançado.

A reviravolta aconteceu pouco depois, num livre directo magistralmente convertido por João Souto, numa ‘picadinha’ em grande execução. Estava por cima o Sporting CP no jogo, mas uma grande penalidade contra os Leões começou por precipitar outra história. Um lance em que Rafael Bessa viu ser assinalada uma infracção, em que deu a nítida ideia de ter sido fora da área e que mesmo depois de revisto pelo VAR, teve a decisão de castigo máximo. Nicolía concretizou na recarga e empatou, com Gonçalo Pinto a dar nova vantagem às águias, minutos depois.

O Sporting CP tudo tentou para novo empate, com Facundo Bridge a ter uma boa oportunidade na cara de Pedro Henriques, entre outras boas jogadas, às quais faltou melhor finalização, mas tudo ficou ainda mais difícil perto do final, quando Rafael Besa viu um cartão azul. Girão defendeu a tentativa de transformação de livre directo de um jogador do SL Benfica, com os encarnados ainda a cometerem a décima falta que levou Gonzalo Romero para um livre directo, defendido por Pedro Henriques, que na recarga travou Romero, para uma grande penalidade a favor dos Leões. O remate e a recarga de Henrique Magalhães foram defendidos e a Elite Cup fugiu ao Sporting CP, o que não apaga uma segunda parte de enorme nível da equipa Leonina, que no fim de semana de 30 e 1 de Outubro começa o Campeonato na casa da Juventude Pacense.

O ano passado tinha prometido a mim mesmo não voltar a ver hóquei. Cumpri e vou continuar a cumprir.

Para quê? Seria como chamar ladrões e filmá-los a roubar a minha casa. É uma modalidade que está decidida antes dos jogos começarem.

Não quero que o Sporting acabe com ela, nem com nenhuma, mas acho que é um desporto em clara extinção. Qual é que é a criança que ao ver isto diz aos pais que quer ser hoquista? As audiências já são cada vez mais decadentes. Na Catalunha e em Itália já poucos ligam a isto. Dentro de uns anos será um desporto praticamente amador.

Concordo inteiramente. É a paixão pela modalidade que faz com que veja bastantes jogos de hóquei. Vejo jogos da liga espanhola, masculinos e femininos, e alguns até de ligas argentinas, escalões jovens e se puder dos seniores. Nem sempre há acessibilidade aos jogos de seniores, mas sempre que posso, assisto.
Por outro lado, compreendo a frustração de quem vê o hóquei como mais uma modalidade, e não se revê nesta podridão. É impossível gostar-se de algo que vai contra princípios que possamos ter. A mim, passaram-me certos valores, um dos quais, e talvez o mais importante, é a rectidão, a honestidade. Não consigo estar a ver um espetáculo que visivelmente está viciado.
Há quem goste de chafurdar neste lamaçal, à cabeça as toupeiras e os fruteiros.
Não é isto que se deseja para o desporto. Esses dois clubes não deviam ter permissão para participar em prova nenhuma. São falsos, trapaceiros, rasteiros.
Isso não é desporto.

2 Curtiram

Vi o futebol feminino e não vejo esta modalidade de ladrões!
Já me mandaram a imagem e o Vanalgas mais uma vez não vai dizer nada!
Deixem-nos a jogar sozinhos e gastem o dinheiro onde haja verdade desportiva!

Continuo na minha, o problema não está na modalidade, está em quem tem o poder de decisão. As regras são ambíguas, de interpretação subjectiva, e é a isso que estes corruptos se agarram.
Criem regras mais objectivas e as pessoas voltam aos pavilhões.

2 Curtiram

Alguém no seu perfeito juízo vai apostar numa modalidade que está viciada desde o princípio e que mexa com poucas pessoas?

Epa eu bem quero que o nosso Sporting seja eclético mas há quantos anos levamos com isto?

Btw eu também não vi o jogo. Vi o resultado, vi a marcha do marcador e vi as imagens da roubalheira.

1 Curtiu

ALEJANDRO DOMÍNGUEZ: “A SEGUNDA PARTE FOI MUITO BOA”

Por Sporting CP
17 Set, 2023

HÓQUEI EM PATINS

Técnico aborda resultado “difícil de digerir”

Depois da derrota da equipa de hóquei em patins do Sporting Clube de Portugal na final da Elite Cup, o treinador Alejandro Domínguez lamentou o desaire, do qual retira importa tirar lições para o futuro e para analisar pelo grupo que orienta.

“Na época passada estivemos em duas finais, da Taça de Portugal e do Campeonato Nacional, nesta começámos com uma final e caímos nas três. Esse é um dado objectivo, não é difícil de entender, o difícil é encaixar, porque o Sporting CP é um clube e uma equipa que trabalham muito para conseguir êxitos, que tem uma massa associativa que está por trás de nós, que nos apoia e merece alegrias. É difícil digerir, mas, por outro lado, chegamos às fases finais, a essas decisões com ferramentas para o conseguir”, começou por dizer aos jornalistas.

O técnico Leonino prefere focar-se naquilo que a equipa controla e tem nas mãos para melhorar, lembrando que também há factores que não dependem exclusivamente da equipa. “No desporto, nem sempre se ganha, neste caso estamos a perder demasiadas vezes. O desporto é assim, temos de o assumir como parte do trabalho e depois fazer uma valoração objectiva, que não posso fazê-la agora, para poder encontrar um remédio para as coisas que nós podemos controlar. Há coisas que nós não podemos controlar, mas as que podemos controlar, temos de as resolver, porque quando um resolve algo que não se está a fazer bem, a ideia é que não se volte a repetir [a falha]. Melhoramos os processos e já não se pode voltar atrás, porque senão estamos outra vez perto de falhar. Está claro que para nós ganharmos um título temos de roçar a perfeição, porque senão é muito difícil consegui-lo. Temos de jogar muito bem. Hoje não jogámos ao nosso nível numa parte do jogo. A segunda parte foi muito, muito boa, a primeira parte não, por mérito do rival, mas também por demérito nosso. Isso temos de mudar. O SL Benfica aproveitou bem as bolas paradas e, sobretudo na primeira parte, defendeu bem”, considerou, em análise ao jogo, o treinador da equipa de hóquei em patins do Sporting CP.

Eu nem gosto do presidente, sempre o admiti e já por várias vezes demonstrei a minha opinião em relação a ele. No entanto, não tem de ser ele permanentemente a falar sobre prejuízos que as diversas equipas do Sporting são vítimas. A verdade é que ele nunca ou raramente fala, mas cada seção tem, ou deveria ter, um responsável para nestas situações dar um murro na mesa. Quero lá saber se os cães raivosos adversários depois nós chama calimeros, eles sim, cada vez que se acham prejudicados, cai o Carmo e a trindade. Calimeros são eles, quebpor dá cá aquela palha, rosnam, barafustam, disparam em todas as direções.
Eu pergunto, que ■■■■■■■ faz o Pauls no Sporting? Já nem vou falar do conas do Dominguez, mas o Pauls tem de ir à conferência de imprensa e demonstrar todo o desagrado. Se não nos respeitamos a nós próprios, não podemos estar à espera que clubes porcos, sujos, batoteiros para quem ganhar, seja lá de que forma for, é que importa, nos venha dar razão.

Repito mais uma vez: era ter acabado quando o Sporting estava com o caneco de campeão Nacional e Campeão Europeu (Bicampeão Europeu).
Sair com o estatuto de melhor equipa do mundo na altura!

Isto porque vi as nossas conquistas e sei o que custaram!
Uma vitória na luz com dezenas de cartões azuis, jogamos quase sempre com menos 1, e ainda tivemos jogadores agredidos pelo público vermelho! Sem qualquer castigo para eles.

A minha única pena em acabar com esta modalidade “subvertida” é pelo Nolito ser Leão, pela idade.
Pois Gil estava a acabar, Girão, Platero etc têm muitos anos já.

Não acabámos quando estávamos no topo, vamos acabar por sair mal disto.
Com os roubos escandalosos e ainda por cima agora com VAR para multiplicar os roubos, pois vão ver e mesmo que uma coisa seja fora da área, querem lá saber, inventam bué!
Até um dos nossos ir contra uma baliza (empurrado) já se inventou cartão azul para LD e jogar com menos 1!!!
Porcolia ainda vai cair mais, mergulhar mais. Vão ao VAR e validam tudo!
Ainda vai voltar a repetir o lance mais sujo da história deste desporto: agarrar no braço do adversário e dar um pequeno soco a si próprio, fazendo de imediato o gesto de ter levado um ganda soco, gritando e caindo para o chão!
Portanto é impossível alguma equipa ganhar alguma coisa sem ser o slb e fcp, nádegas!

Ja andam a dizer isso desde os anos 90, pelo menos. E o hoquei ainda cá está. É um desporto nosso e muito enraizado no nosso país, com milhares de praticantes. Longe do fulgor de outros tempos, porque o futebol é um eucalipto, mas acredito que a seguir ao futebol é o que leva mais pessoas aos pavilhoes de norte a sul de portugal. Ate a madeira tem 3 ou 4 clubes.

Sempre houve, sempre haverao artistas do apito.
A soluçao nao é desistir da modalidade, é os clubes exigirem aos arbitros que expliquem as suas decisoes, que muitas vezes ninguem percebe, dentro e fora do campo.

Acho que os atletas e dirigentes e adeptos tambem tem de se saber comportar para dar o exemplo aos mais novos. Isso é que estraga a modalidade.
O meu puto joga hoquei e eu vejo as figuras tristes que os pais por vezes fazem nos jogos, insultam, arranjam confusao entre pais, etc.
O hoquei nao é isso. Quem devia dar o exemplo, às vezes tambem nao dá. Mas isto nao acontece só no hoquei, é transversal a todos os desportos.

1 Curtiu

Apareceu-me o lance do penalti que foi uma falta fora de área clara.

Foram ao VAR e nem assim revem. Ontem o treinador da Oliveirense falou da pressão nos tuneis. Já o ano passado isso tinha sido alertado que havia dentro dos tuneis no pavilhao da luz , muita pressao para com os arbitros.

Para que continuar com isto de pé? Uma modalidade que começa e acaba em Portugal e se gastam milhões. Apostem em modalidades sobre alçada de organizações credíveis.

Estou cada vez mais como o danix aqui.

Modalidade cada vez mais ridícula e obsoleta.

Tenho acompanhado cada vez menos isto.

SL

Haja paciência e decoro!

Viu-se claramente o “penalty” bem fora da área!
A área até tem outra cor!

Com os árbitros a olharem cerca de 1 minuto para as imagens que qualquer criança viu e percebeu, marcar penalty é um roubo. Ridículo até!

E depois na marcação o Girão defende e a recarga parece-me com o stick acima da altura permitida, mas pronto!

Eu quando digo Varandas, refiro-me a alguém da estrutura que represente o SCP, agora que alguém tenha que falar e necessário e que a Sporting TV de eco aos assuntos!

Disse esta frase o treinador:

“Está claro que para nós ganharmos um título temos de roçar a perfeição, porque senão é muito difícil consegui-lo.”