Hóquei em Patins - Séniores Masculinos - Época 2021/2022

O pior para mim foi - jogo espectacular, Portugal marca o décimo golo e faltam 14 segundos.
O Cabestany devia ter tirado o redes e tentado o empate (mas n quis atacar e preferiu perder apenas por 1) imperdoável o calculismo num jogo tão épico, o jogo com a França começou a ser preparado aí.

Para quem escrevia q íamos ter problemas de balneário, o Gonçalo Alves já chamou palhaço aos colegas q estiveram presentes nesse jogo.

Podia concordar contigo se os espanhois não tivessem falhado propositadamente um livre direto, o que até resultou num cartão azul para o jogador que marcou o livre por conduta anti desportiva.

Se é completamente aceitável que não se preocupassem muito em golear, uma situação destas vai muito para além disso e só pode ser considerado manipulação de resultado, o que obviamente vai contra todos os valores do desporto.

Mantenho a convicção de que esta situação vai criar instabilidade em muito clubes, Sporting incluído.

Epá a Espanha vai á final com um empate com a Italia, uma derrota com Portugal e com um jogo combinado. Dps disto não me venham dizer q isto é normal e justificar isto com as mas exibições de Portugal. Isto é mau carater, mau profissionalismo, é matar a modalidade e acima de tudo é NOJENTO. Mas vindo daquele treinador espanhol acho que era obvio o que ia acontecer.

E achas que os Portugueses na mesma situação não faziam o mesmo?

Quanto ao balneário isto acaba logo no fim do europeu, títulos há todos os anos. E provocações destas acabam sempre por acontecer, mas o tempo limpa isso.

1 Curtiu

Espanha a ser Espanha… Nada de novo!!

Irrelevante o que os portugueses fariam…

São achismos e não retiro conclusões baseadas nisso.
O que aconteceu foi vergonhoso independentemente de ser protagonizado por espanhois, portugueses ou mongols.

Aceito que não tenham de andar a fazer grandes esforços se já estão apurados. Mas se te surge uma oportunidade flagrante para marcar é tua obrigação tentar marcar.

Ou então não é desporto.

3 Curtiram

Eles até podiam ter passado á mesma, mas ao menos não faziam aquelas figuras. Tudo bem que nós deveríamos ter feito melhor, é verdade. Mas os valores do fair play foram completamente ignorados neste europeu. Aliás o formato não tem pés nem cabeça…

1 Curtiu

O poetico e q os sapos franceses andaram no cambalacho e depois foderam-se ,isso sim foi lindo

Ontem, por casualidade, vi no Masterchef uma concorrente com 20 aninhos, Ana Agulhas que, para além de ser do Montijo, é nossa judoca.

Não ficou apurada, mas falou-se no e viram-se imagens do nosso Clube.

Gostei!

2 Curtiram

Sporting ‘ganha’ protestos

Nov 25, 2021

O Sporting regressará ao campeonato a cinco pontos da liderança, com 19 pontos em oito jogos. Seis dos pontos foram ‘protestados’ por Braga e Marinhense, mas a decisão do CD sorriu em ambos os casos aos leões.

image

É com cinco pontos de atraso do Sporting para o líder Porto que regressa o Campeonato Nacional da I Divisão no próximo fim-de-semana. Dragões e leões jogam domingo, com a equipa de Ricardo Ares a receber o Valongo e a equipa de Paulo Freitas a deslocar-se a Paço de Arcos sabendo já que não poderá contar com Henrique Magalhães, positivo a CoViD-19.

Na primeira fase do campeonato, até à interrupção, o Sporting somou seis vitórias em oito jogos, sendo que duas foram alvo de protesto.

JOÃO ALMEIDA

Pese a decisão do Conselho de Justiça sobre a inscrição de João Almeida, o Braga jogou no João Rocha sobre protesto pela utilização do jogador nesse jogo da 2ª jornada, que os leões venceriam por 6-3. Na análise do protesto, o Conselho de Disciplina (CD) confirmaria a decisão do Conselho de Justiça sobre a inscrição de João Almeida, e indeferi-lo-ia.

O CD reconhece que o jogador assinou a “ficha de inscrição com transferência” a 22 de Março, havendo mesmo um cheque endossado (a título de “prémio de assinatura”, assume-se), mas esta ficha já não seria válida para a nova temporada.

A partir de 15 de Junho poderiam registar-se os dados para a nova temporada, ainda que as inscrições só fossem efectivas em Agosto. A 14 de Julho, o atleta foi “registado” pelo Sporting e a 28 pelo Braga. A 2 de Agosto, o Sporting submeteu a inscrição, devidamente acompanhada da nova ficha de inscrição, que ainda não era possível emitir em Março.

Defendendo a validade do documento inicialmente assinado, o Braga levou a pretensão de “má inscrição” até ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) a 4 de Outubro, aguardando-se decisão que poderá confirmar ou anular as resoluções dos Conselhos de Justiça e de Disciplina da Federação de Patinagem de Portugal.

Recorde-se que João Almeida representava a Oliveirense na pretérita temporada, mas com contrato a terminar no final de Junho e - cedo afastado das convocatórias - sem proposta de renovação. No dia 1 de Julho apresentar-se-ia no Parque das Goladas, casa dos bracarenses, recebendo mesmo uma base de patins com rodas e travões, mas o namoro acabaria por não se concretizar. O chamamento leonino foi mais forte.

ENTRADA IRREGULAR, MAS “CORRIGIDA”

Volvida a página sobre o primeiro protesto (pelo menos até que o TAD se pronuncie), o Sporting voltou a enfrentar outro protesto na 8ª jornada, a última antes da pausa para o Campeonato da Europa.

Os leões venceram por tangencial 4-5 na Marinha Grande, numa partida marcada por uma entrada irregular de Toni Pérez em pista.

A confusão foi despoletada por azuis a Ferran Font (a 11’44 do intervalo) e Henrique Magalhães (a 10’48), com o resultado em 2-1 para a equipa da casa. Não havendo golos durante a inferioridade (como se verificou) o Sporting devia ter ficado privado de um jogador até aos 7’44, dado que os dois minutos do segundo azul só começariam a contar terminados os do primeiro, mas Toni Pérez entrou logo aos 8’48.

A entrada irregular deveria repercutir-se na expulsão do atacante asturiano e do treinador Paulo Freitas, mas o erro - de pronto assinalado pelo banco marinhense - foi assumido pelos árbitros da mesa Paulo Silva e Bruno Henriques e os árbitros Miguel Guilherme e João Catrapona, que conduziam a partida, optaram por “recuar” o tempo de jogo para “apagar” a decisão, o que fundamenta o indeferimento do protesto.

A possibilidade de “recuar” o tempo já esteve prevista regulamentarmente com um máximo de cinco minutos, mas a “regra” agora citada - o ponto 6 do Artigo 2º (Funções) das Regras de Arbitragem - permite aos árbitros corrigirem erros em qualquer altura. “Nos incidentes ou omissões que não estejam incluídos nas Regras do Jogo, os Árbitros Principais devem decidir de acordo com a sua consciência, tentando resolver todos os casos através das ações que consideram necessárias e avaliando e julgando as reclamações que possam ocorrer, garantindo sempre a correção de quaisquer irregularidades e/ou erros graves que possam ser detetados durante o jogo, favorecendo sempre uma aplicação rigorosa das regras em vigor, em defesa da ética e da verdade desportiva.”, pode ler-se.

2 Curtiram

FDGP tentam cercar o Sporting por todos os lados.

Dentro e fora das pistas, c*brões!

PAULO FREITAS: “ESTAMOS PREPARADOS PARA TUDO”

Por Sporting CP
27 Nov, 2021

HÓQUEI EM PATINS

Hóquei em patins desloca-se este domingo a casa do CD Paço de Arcos (15h00)

A equipa principal de hóquei em patins do Sporting Clube de Portugal defronta o CD Paço de Arcos, este domingo, em jogo da nona jornada da fase regular do Campeonato Nacional.

Após uma paragem de cerca de um mês, para a realização do Campeonato da Europa de selecções, os pupilos de Paulo Freitas estão assim de regresso às provas internas, apesar de o técnico ter recordado que os efeitos da COVID-19 dificultaram a preparação deste encontro.

“Os jogadores só foram reintegrados na quinta-feira pois tiveram de cumprir com um protocolo rigoroso em função dos casos positivos que surgiram na selecção portuguesa. Tivemos muito pouco tempo para preparar este jogo com o grupo todo, com excepção do Henrique Magalhães, que está infectado e não é opção, mas vamos fazer valer o trabalho que já estava feito”, afirmou à Sporting TV , completando: “Os jogadores têm de mudar o chip, das selecções para o Clube, porque o objectivo continua a ser o mesmo. Independentemente das dificuldades que o adversário possa colocar, queremos ganhar e conquistar os três pontos”.

Mesmo reconhecendo que do ponto de vista teórico o Sporting CP “é favorito” a conseguir a vitória, o treinador verde e branco deixou um alerta para as qualidades do adversário.
“Não adianta dizer que somos melhores se não conseguirmos transpor isso para o jogo. O CD Paço de Arcos apresenta um registo defensivo muito rigoroso, à imagem das ideias do seu treinador. É uma equipa que explora muito bem as transições e que é paciente nos momentos ofensivos. Reúnem uma mescla de juventude e de experiência, numa pista que coloca sempre dificuldades”, referiu, antes de garantir que a equipa está “preparada para tudo”: “Estamos prontos para sofrer, temos essa característica. O mais importante são os três pontos, não tanto pela qualidade, mas pela entrega e superação que vamos ter de colocar em campo”.

1 Curtiu

Vamos jogar com os porcos na Intercontinental. Jogos fora e casa em três dias.

1 Curtiu

“intercontinental”.
Deve ser para rir. E muito.
O hóquei é muito desorganizado. Desvirtuam tudo e mais alguma coisa nesta modalidade.
Já parecem os americanos que ganham o título da NBA e consideram-se campeões do mundo.

3 Curtiram

image

Novo duelo entre Sporting e Porto, agora pela Intercontinental

Nov 27, 202

Em Dezembro, Sporting e Porto vão disputar a Taça Intercontinental, único troféu internacional que falta no palmarés de ambas as equipas. A prova será jogada a duas mãos.

O Sporting e Porto tentam em Dezembro a conquista da Taça Intercontinental, troféu que não consta na vitrine de nenhuma dos clubes. O Sporting conta com três Ligas Europeias (1977, 2019 e 2021), duas Taças Continentais (2019 e 2021), duas Taças CERS (1984 e 2015) e três Taças dos Vencedores das Taças (1981, 1985 e 1991), ao passo que o Porto soma duas Ligas Europeias (1986 e 1990), uma Taça Continental (1986), duas Taças CERS (1994 e 1996) e duas Taças dos Vencedores das Taças (1982 e 1983).

Face à não realização de outras competições continentais em 2021, a World Skate aceitou a proposta de realização da prova entre os finalistas da Liga Europeia, Sporting e Porto, sendo a decisão a duas mãos, nos dias 17 de Dezembro (no Dragão Arena) e 19 de Dezembro (João Rocha).

Os leões venceram a prova máxima europeia - que tradicionalmente dá acesso à Intercontinental - em 1977, quando ainda não havia Taça Intercontinental, voltando a vencer em 2019, faltando inicialmente acordo para a organização e depois condições em virtude da pandemia. Agora, no terceiro título europeu, os leões tentam que o “título Mundial” seja de vez. O Porto só conta uma participação na Taça Intercontinental, em 2018, então também como finalista vencido da Liga Europeia, perdendo na decisão frente ao Barcelona.

Não oficialmente, numa guerra entre organismos, o Vic conquistou uma “Intercontinental” em 2016, batendo na decisão os argentinos do Huracan.

As duas últimas edições da Taça Intercontinental foram disputadas em Final Four e as sete anteriores decididas em jogo único. É preciso recuar até 2004 para encontrar uma decisão a duas mãos. Então, o Liceo venceu o Unión Estudiantil a 14 e 16 de Maio com as duas partidas realizadas na Galiza. Na primeira mão, “los verdes”, como visitantes, venceram por 1-9 em Santiago de Compostela, confirmando a conquista com um 10-2 no Riazor, na Corunha, como visitado.

A Taça Intercontinental conta 16 edições oficiais, sendo que apenas a primeira, em 1985, foi vencida pelo candidato sul-americano, então o UVT.

Depois, contam-se cinco triunfos de Barcelona e Liceo, um do Reus, um do Follonica e ainda três triunfos portugueses: dois do Benfica (2013 e 2017) e um do Óquei de Barcelos (1992).

As duas últimas edições da Taça Intercontinental foram disputadas em Final Four e as sete anteriores decididas em jogo único. É preciso recuar até 2004 para encontrar uma decisão a duas mãos. Então, o Liceo venceu o Unión Estudiantil a 14 e 16 de Maio com as duas partidas realizadas na Galiza. Na primeira mão, “los verdes”, como visitantes, venceram por 1-9 em Santiago de Compostela, confirmando a conquista com um 10-2 no Riazor, na Corunha, como visitado.

A Taça Intercontinental conta 16 edições oficiais, sendo que apenas a primeira, em 1985, foi vencida pelo candidato sul-americano, então o UVT.

Depois, contam-se cinco triunfos de Barcelona e Liceo, um do Reus, um do Follonica e ainda três triunfos portugueses: dois do Benfica (2013 e 2017) e um do Óquei de Barcelos (1992).

Em alternância, as últimas quatro edições reconhecidas da Intercontinental foram ganhas por Benfica (2013), Barcelona (2014), Benfica (2017) e Barcelona (2018).

Na última edição realizado - e provavelmente a melhor de sempre -, em 2018, em San Juan, o Porto foi finalista num formato em Final Four com os finalistas da Liga Europeia e do Sul Americano de Clubes. Os dragões venceriam o então campeão Pan-Americano Leonardo Murialdo nas meias-finais, mas claudicariam frente ao Barcelona na partida decisiva perante um repleto Aldo Cantoni.

TERCEIRO ACTO DE 2021

O duelo entre Sporting e Porto será o terceiro por títulos em 2021 depois de já terem discutido em confronto directo a Liga Europeia e a Taça Continental em 2019.

Tal como em 2019, com dois triunfos leoninos, 2021 está a sorrir ao Sporting de Paulo Freitas que levou a melhor na final da Liga Europeia e na decisão do Campeonato Nacional, em play-off.

Em virtude dos embates para a Taça Intercontinental, o Sporting antecipou para 12 de Dezembro a deslocação dos 32-avos-de-final da Taça de Portugal a São Pedro do Sul, para defrontar o Termas, faltando então o reagendamento de semelhante compromisso do Porto frente ao Marítimo, nos Açores.

Recorde-se que este ano está a ser de ouro para o Sporting tendo conquistado Liga Europeia, Campeonato Nacional e Taça Continental. Em termos de provas oficiais, só falhou a conquista da Elite Cup.

1 Curtiu

Que lógica tem o Porto estar aqui, logo na final? Não houve campeão sul-americano este ano, que fossem buscar o último, para jogar contra nós.

Nas duas últimas ocasiões em que esta prova esteve para se realizar estávamos mais fortes que os porcos, o que não se verifica nesta altura, mas o que importa é que se vai realizar (se o covid deixar, claro…). Mesmo que de Intercontinental não tenha nada, a final mais provável noutros moldes seria sempre esta.

Tenho esta Taça “entalada” há já algum tempo e espero que seja desta que vem para o nosso museu. Espero também que o troféu seja o mesmo, pois era lindo.

unnamed

1 Curtiu

Que grande trapalhada. A única coisa positiva é que vamos ter um grande jogo no PJR e novamente um vulcão!

O Hóquei Patins não para de surpreender.

Mais lamentável é o Sporting participar nestas palhaçadas.

SL

1 Curtiu