Grupo Stromp

Grupo Stromp

Prémio Stromp

O Grupo Stromp foi fundado em 1940 por um grupo de sportinguistas, com o objectivo de ajudar a implementar o ideal sportinguista e contribuir e colaborar com os Órgãos Sociais do Clube na obtenção de êxitos e na defesa da imagem do Sporting. Este grupo tomou o nome de Stromp, por sugestão de Francisco Silva, em homenagem a Francisco Stromp, um verdadeiro exemplo de amor e dedicação ao Sporting Clube de Portugal.

Os fundadores decidiram elaborar um conjunto de princípios de funcionamento e actuação do Grupo (em alternativa à tradicional elaboração de estatutos) donde se destacam a não interferência nas competências das direcções do Clube e a participação em acções que visem a defesa dos superiores interesses do Sporting Clube de Portugal e o reforço do prestígio e da grandeza do Clube.

As condições de admissão no Grupo são a prestação de serviços relevantes ao Clube e 10 anos de filiação. A manutenção da qualidade de membro do Grupo depende do bom cumprimento dos ideais e dos princípios deste.

O Grupo Stromp teve actividade durante cerca de 10 anos, que foi depois interrompida. Após um interregno foi recuperado a 18 de Dezembro de 1962, data que é actualmente considerada como a fundação do Grupo Stromp actual. Passou a reunir duas vezes por mês para, entre outros assuntos, analisar as actividades do Sporting Clube de Portugal, dos seus dirigentes, técnicos, atletas e sócios com vista à atribuição anual dos Prémios Stromp.

Membros fundadores do Grupo

O Grupo Stromp actual nasceu da iniciativa de 22 ilustres sportinguistas e amigos que se reuniam normalmente às quintas-feiras e que acompanhavam com assiduidade as equipas de futebol do Sporting.

Os 22 refundadores do Grupo Stromp em 1963 foram: Alfredo Mesquita; Alfredo Soares de Oliveira; Almiro Maia de Loureiro; António da Cunha Rosa; Artur da Cunha Rosa; Carlos Queiroga Tavares; César Pedrosa Vitorino; Faustino Manuel David; Fernando Barros Vieira Ramos; Francisco Silva; Francisco Simões; Francisco Teotónio Madeira; Guilherme Correia César; João Varandas; José Nunes dos Santos; Luís Neves; Manuel das Neves Barreto; Manuel da Silva Júnior; Mário da Cunha Rosa; Octávio dos Santos Barrosa; Pedro José Nogueira e Rolando Soares Oliveira.

Actividades do Grupo

Tendo a sua primeira edição em Dezembro de 1963, o Grupo Stromp tornou-se particularmente conhecido pela atribuição anual dos Prémios Stromp que distinguem os sportinguistas que mais se destacaram ao longo do ano nos diversos sectores da vida do Clube. Este galardão transformou-se numa importante tradição e a cerimónia da sua entrega é um dos momentos altos da vida do Sporting ao longo de cada época, o que levou a que sejam apelidados de “Óscares do Sporting” ou “Prémios do Sporting”.

Para além da atribuição dos Prémios Stromp, o Grupo tem participado em várias iniciativas, tais como a intervenção em Congressos Leoninos, a atribuição da Taça Francisco Stromp, a homenagem a dirigentes, técnicos, atletas e outros sportinguistas que, de uma forma ou de outra, tenham servido o Sporting Clube de Portugal de forma materialmente desinteressada.

Wiki Sporting

Essa criatura só vai para os camarotes, não arrisca nada.

R. I. P.

GRUPO STROMP SOLIDÁRIO COM O SPORTING CP

Por Sporting CP
12 Mar, 2021

NOTÍCIAS

Comunicado do Grupo Stromp “repudia energicamente os ataques ao Clube”

Em comunicado, o Grupo Stromp manifestou o seu “incondicional e solidário apoio ao dirigente Hugo Viana, ao treinador Rúben Amorim, aos atletas Zouhair Feddal, Luís Neto, João Palhinha e a todos quantos integram a equipa principal de futebol”, bem como declarou a sua “inteira solidariedade e apoio ao Presidente do Sporting Clube de Portugal e a todos os Órgãos Sociais do Clube e da SAD” na sequência dos “múltiplos ataques que este ano, de modo sistemático, quase que diário e concertado – em consequência dos bons resultados da equipa principal de futebol nas provas nacionais – têm sido desferidos contra o Sporting CP”, pode ler-se na nota publicada esta sexta-feira.

Mais concretamente, o Grupo Stromp denunciou os processos disciplinares contra o Sporting CP e o seu treinador Rúben Amorim, considerando que “apresentam evidentes contornos de ataque selectivo e vil ao Sporting CP”, visando a Associação Nacional dos Treinadores de Futebol (ANTF), os Órgãos da Liga e da Federação Portuguesa de Futebol envolvidos. A entidade criticou também “os processos disciplinares contra o dirigente Hugo Viana e os jogadores Zouhair Feddal, Luís Neto e João Palhinha, fundados em factos que têm já mais de três meses”, pode ler-se na nota publicada pelo Grupo Stromp.

Além disso, o Grupo Stromp, constituído em 1962, declarou que “repudia energicamente os ataques ao Clube”, entendendo que “este clima persecutório constitui, por si só, como um dos momentos mais vergonhosos de toda a centenária história da vida desportiva portuguesa”, de acordo com o comunicado.

Leia o comunicado integral aqui.