Futebol Feminino - Época 2023/2024

Nada disso.
A epigenética existe.

Naturalmente não se vai conseguir mudar a distância entre 2 segmentos ósseos mas também não é isso que eu estou a dizer.

A Andreia Bravo precisa de trocar gordura por músculo e isso, meu caro, faz-se através de uma boa alimentação e de um bom treino.

É que, ‘quanto ao mais’ cada um é livre de ter e defender os ‘achismos’ que bem entender.
Como se o Sporting CP não tivesse um ‘departamento’ de nutricionismo que
terceiros que lá estagiaram, e.g Francisca Cardoso (nutricionista e team manager do Valadares Gaia) elogiou quer na sua prática e competência.
Como se no plantel, Diana Silva, não tivesse também essa valência curricular (e com participação em evento em que esse foi um dos temas por ela abordado) e o clube ‘andasse cego, surdo e mudo’ quanto aos casos que importa acautelar e orientar, de nutricionismo e outros.

07.2023
chicardoso
Nos últimos seis meses integrei o departamento de Nutrição do @sportingcp .
Um local onde me senti em casa desde o primeiro dia. Um clube com uma estrutura incrível. Um departamento que procura melhoria constante, onde todas as ideias são válidas para discussão. Foram meses cheios de partilha e de crescimento, pelos quais só posso agradecer.
Pela oportunidade de aprender, pela confiança no meu trabalho e pela possibilidade de usufruir de todos os recursos do clube.
Ao staff, aos jogadores e, principalmente, ao meu departamento. Obrigada por tanto. :green_heart:

https://twitter.com/CristianaPina/status/1775186175390601520?t=eVHiGV1zBTWvkF-DPzhV1w&s=19

É por o Sporting ter um bom departamento de nutrição, que eu acho que não é um problema de alimentação que cria a boa ou má forma física da Andreia Bravo, principalmente porque acho que não é esse o problema. Se existe um departamento de nutrição e não há nessa área casos visíveis, então o problema é outro. A própria morfologia da atleta. A Andreia Bravo, tem uma morfologia diferente. Tem uma estrutura óssea maior, ela faz um retângulo ombros, ancas. Se fosse problema de peso, faria um triângulo. Por isso é que acho que a nutrição, não resolve o problema dela, porque não há um problema nutricional a resolver. A Andreia, tem 1,70 para 66 Kg. No entanto, a Fontemanha, tem 1,64 para 61 kg e a Capeta, tem 1,69 para 63 kg, e ninguém diz que estas duas estão pesadas e sem corpo para atletas profissionais. A própria Ana Teles tem 1,60 para 62 kg, e isso não a impede de ser das melhores jogadoras tecnicamente falando do plantel. A ideia que se criou da Andreia Bravo,(jogadora que no início da época, muito critiquei, por más abordagens a lances. Mais fruto da juventude, que outra coisa), deu-se a ter feito muitos jogos em simultâneo no meio campo, com a Joana e a Brenda e aí era mesmo a mais pesada.

O que é que o peso tem a ver com a parte técnica? Ou alguém tem dúvidas que a Ana Teles acaba por se prejudicar a si mesma nesse aspeto?

O resto nem vou falar muito, obviamente que se a AB tivesse o mesmo peso mas mais massa muscular poderia tirar maior partido dessa dimensão física/atlética.

bem sei que estamos todos stressados, focados e empenhados em vencer mais um campeonato com o Mister Amorim mas por acaso para além do importante jogo de sexta frente ao Gil Vicente vamos ter no domingo outro jogo que ditará se lutamos até ao fim ou não pela liga BPI e por isso será um jogo de tudo ou nada. O Sporting pouco ou nada fez para expôr a importância aos sócios e adeptos do jogo Sporting - Ésseélebê. Não consigo entender este silêncio.

O Normal desde que esta direcção entrou… Comunicação fora do Futebol e uma ou outra modalidade fetiche é quase zero. Então no futebol Feminino tem sido aberrante.

2 Curtiram

Narrativas cada um abraça as que entende.

Fosse caso de falar do passado, teríamos de revisitar, e.g. o andar a página oficial do clube, sem rei nem roque, sem o devido olhar de quem tinha obrigação de pôr cobro a coisas de bradar aos céus, num ‘tanto faz’ (que infelizmente perdura) e.g.de nos perfis dos atletas os TÍTULOS havidos serem referidos como PRÉMIOS.



Isto escrito por ti, dos gajos que costuma aqui criticar mais a comunicação do Sporting (?!) :open_mouth:

Nem me vou dar ao trabalho de por posts teus, são mais que muitos neste tópico a criticar a falta de informação (e bem!) e comunicação do Sporting sobre o futebol feminino.

Até parece que isto que foi escrito em baixo não é verdade.

Ou decides dar uma na ferradura ou no cravo,

1 Curtiu

O Sporting, um jogo desta importância, não devia publicar apenas na página do futebol feminino, mas também na principal. E já agora fazê-lo em Alvalade. Este ano no jogo com o Torreense fartaram-se de publicar sobre ele e não se percebe porque é que este não tem o mesmo tratamento. Até porque podíamos ter uma boa casa em Alvalade se se fizesse lá o jogo e se publicitasse mais.

1 Curtiu

Se citei o que escreveu, foi pela introdução ‘O Normal desde que esta direcção entrou…’

O confrade Mirko11 escreveu o que entendeu, e creio entender o que disse, mas tenho outro olhar sobre o proclamado silêncio.

Várias das jogadoras do plantel profissional do SCP acabaram de participar em diversos escalões nesta janela FIFA: SNF-A, SUB-23, SUB-19. Do que o clube deu o seu destaque.

Segue-se o tempo de saber, quem vai estar disponível para dia 14, se MC seguir a boa prática que iniciou de falar/adiantar de quem não vai a jogo.

É que o panorama das diversas que já estavam condicionadas/com impedimentos, antes destes jogos das SNF-A (Fátima Pinto, Maiara Niehues, Olivia Smith, Fátima Dutra, Claúdia Neto, Andreia Bravo…) a que se somou decorrente desta participação das SUB-19 (Maísa Correia?!), fazem recear, ir o plantel estar muito condicionado no leque de opções de qualidade.

por vezes pergunto-me se será só desinteresse e deixa andar ou se poderá ser algo “estratégico”, para tirar pressão das jogadoras. Para mim este era o jogo ideal para tentar bater o recorde de assistência em Alvalade, aproveitar a onda verde no masculino, quer a equipa jogue bem ou não. Se querem UWCL para o ano têm que se habituar a estes jogos com pressão, todas: jogadoras e equipa técnica.

Projectar jogar em Alvalade, com as indisponibilidades acumuladas, não me parece avisado.

Percebe-se pelas intervenções das jogadoras nas redes sociais, que o jogar-se em Alvalade é não só desejado, mas como que reclamado como importante, como palco.

E é… E pior ainda assisti a um episódio sobre o futebol feminino que já contei aqui do nosso dirigente das modalidades que me encheu de vergonha… Isto logo após a entrada deles… A gozar com o futebol feminino, um direigente que as devia representar… Após isso não comunicam lesões nem impedimentos, não colocam a equipa a jogar no estádio de Alvalade nos grandes jogos, dão pouco apoio, ou seja mais do mesmo.

Mas isto que eu estou a escrever, o que me admira mais, é já o ter visto escrito por ti várias vezes. Por isso não entendi a tua critica ao que escrevi.

Pois é mesmo:

2 Curtiram

Acredito, que esta semana, não vamos saber de impedimentos. Há que deixar o adversário na expectativa.

1 Curtiu

Na expectativa de quê? Toda a gente sabe como o Sporting de Mariana Cabral joga.

Não é o como. É o quem.

Tu é que escreveste que íamos deixar o adversário na expectativa. E eu respondi que é mais que sabido a forma como a nossa equipa joga.

Sim, mas não é como se joga, mas sim quem poderá ir a jogo.

1 Curtiu

Tenho quase a certeza que essa questão em nada vai influenciar a forma como o adversário se vai apresentar em campo, principalmente porque entram em campo com 5 pontos de vantagem.