Futebol Feminino - Época 2023/2024

sim concordo, então depois de ver um resumo do jogo. As grandes oportunidades foram quase todas nossas. Os primeiros 5 minutos entramos mal, parece, mas depois aquelas duas jogadas com a Olivia tinham que dar golo.

Há que preparar melhor o próximo derbi esse sim ainda mais decisivo. É que se ganharmos o próximo jogo para o campeonato ficamos a 2 pontos com 3 jornadas para disputar.

1 Curtiu

Para quando um investimento a sério que garanta títulos?..

Não jogamos nada ontem. A jogada tipo é pontapé para a frente para a Olivia ou Raphino. Zero jogo, e já vimos antes que sabemos jogar e a defesa delas é permissiva (como no futebol feminino em geral).

Ps: não falha… machões a falar das miúdas por cenas quando não têm nada a ver com o jogo. Isto é permitido pelas regras do fórum? Vão para o tópico dos rebarbados.

Fátima Pinto, Dutra, Claudia Neto, Maiara… cadê??

1 Curtiu

TUDO EM ABERTO NAS ‘MEIAS’ DA TAÇA DE PORTUGAL

Por Sporting CP
31 Mar, 2024

FUTEBOL FEMININO

Leoas perdem com o SL Benfica mas seguem vivas para a segunda mão (1-0)

A equipa feminina de futebol do Sporting Clube de Portugal perdeu com o SL Benfica no Seixal por 1-0, este domingo, em jogo da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal. Apesar deste resultado, a turma de Alvalade deixa tudo em aberto para a segunda mão da eliminatória, que será disputada a 21 de Abril no Estádio Aurélio Pereira, em Alcochete.

No primeiro de três dérbis consecutivos entre as duas equipas, em pleno domingo de Páscoa, as Leoas até criaram as melhores ocasiões da primeira parte, mas chegaram ao intervalo a perder. No segundo tempo, que teve pouca história e muitas paragens, o Sporting CP lutou para anular a desvantagem, mas não viu o esforço ser recompensado.

Sem poder contar com as lesionadas Fátima Dutra, Fátima Pinto e Maiara Niehues, além de Gabriela Vinhas e Catarina Potra, que estão ao serviço da selecção sub-19, a treinadora Mariana Cabral repetiu o onze utilizado na última partida, diante FC Famalicão, para a Liga.

As jogadoras das duas equipas entraram em campo juntas para assinalar a campanha ‘Futebol para Todos’ contra a discriminação, por ocasião do 110.º aniversário da Federação Portuguesa de Futebol, numa partida que arrancou com ascendente encarnado. A turma da casa teve mais bola no período inicial, mas a defesa Leonina mostrou-se sempre sólida.

Concluídos os primeiros 15 minutos, em que o SL Benfica exerceu uma pressão muito alta, o Sporting CP conseguiu libertar-se aos poucos e equilibrou o tabuleiro, criando a primeira grande oportunidade do duelo. Brittany Raphino recuperou o esférico no ‘miolo’, lançou Olivia Smith e esta atirou ligeiramente por cima da barra, ficando muito perto de um golaço.

A partir daí, viram-se duas equipas muito encaixadas e sem conseguirem criar grandes desequilíbrios, num ritmo algo morno. Os lances mais perigosos nesta fase foram um par de remates das benfiquistas facilmente resolvidos por Hannah Sebaert, bem como um cabeceamento da Sportinguista Ana Capeta, que acabou por sair à figura de Lena Pauels.

Aos 33 minutos, o SL Benfica acabou por chegar à vantagem. Na sequência de um canto, Hannah Seabert ainda travou o primeiro cabeceamento, mas não impediu a recarga de Carole Costa. Ainda assim, a reacção Leonina foi imediata, com Olivia Smith a aparecer isolada na cara da guardiã das águias, que impediu o empate com uma defesa para o poste.

Até ao intervalo, o Sporting CP procurou o golo, ensaiando um par de cruzamentos que por muito pouco não encontraram o desvio certeiro, mas não conseguiu anular a desvantagem.

No regresso para a segunda parte, que começou animada com bons desenhos ofensivos das duas equipas – e o Sporting CP a aproveitar a velocidade de Brittany Raphino e Olivia Smith -, Mariana Cabral foi obrigada a mexer. Andreia Bravo lesionou-se sozinha e deixou o relvado em ombros, com visíveis dificuldades, sendo então substituída por Mariana Rosa.

Apesar de mais aberto, o jogo acabou por não trazer grandes ocasiões para qualquer um dos lados. O ritmo era algo baixo, em boa parte graças às constantes paragens por faltas ou substituições, o que fez com que a segunda parte tivesse pouca história durante largos minutos. Pelo meio, Mariana Rosa também foi obrigada a sair após um violento choque.

Depois de já ter lançado Maísa Correia, Mariana Cabral fez entrar também Jacynta Gala e Rita Fontemanha para a recta final, mas a verdade é que os últimos minutos revelaram um SL Benfica por cima. As encarnadas criaram três boas oportunidades para marcar, mas Hannah Seabert respondeu sempre à altura e segurou a desvantagem mínima no placard.

A segunda mão será jogada no dia 21 de Abril, em Alcochete, com o Sporting CP a precisar de vencer por mais do que um golo para carimbar o passaporte para o Jamor. Antes disso, segue-se uma paragem de duas semanas para os compromissos internacionais, com o regresso à acção marcado para 14 de Abril, também frente ao SL Benfica, mas para a Liga.

Sporting CP: Hannah Seabert [GR], Ana Borges [C], Andrea Norheim, Alícia Correia, Andreia Bravo (Mariana Rosa, 55’, Rita Fontemanha, 83’), Brenda Pérez, Joana Martins, Diana Silva (Jacynta Gala, 83’), Olivia Smith (Maísa Correia, 70’), Ana Capeta e Brittany Raphino.

MARIANA CABRAL: “A ELIMINATÓRIA FICA EM ABERTO PARA A SEGUNDA MÃO”

Por Sporting CP
31 Mar, 2024

FUTEBOL FEMININO

Brenda Pérez também reagiu ao dérbi com o SL Benfica

No rescaldo do desaire em casa do SL Benfica (1-0), em jogo da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, a treinadora Mariana Cabral considerou que as Leoas podiam ter saído do Seixal com outro resultado, até pelas ocasiões claras de golo que criaram, sublinhando ainda assim que continua tudo por decidir na luta pelo acesso à final da prova.

“O resultado obviamente não nos agrada, mas tivemos oportunidades de golo suficientes para marcar não só um, mas mais do que um golo e sair com a vitória. Foi um jogo muito competitivo e dividido e houve ocasiões em ambas as balizas”, começou por afirmar a técnica aos meios de comunicação do Clube, prosseguindo. “Acabámos por sofrer o golo num canto em que não defendemos tão bem, mas a eliminatória fica em aberto para a segunda mão. Em casa, vamos obviamente querer ganhar o jogo e passar”, garantiu.

A líder verde e branca desejou ainda uma “rápida recuperação” às três jogadoras que saíram lesionadas durante o encontro: Andreia Bravo, Mariana Rosa e Olivia Smith.

“É importante que elas recuperem, bem como as jogadoras que não estavam aptas para este jogo. Agora há uma paragem para as selecções nacionais e queremos utilizar esse tempo para recuperar essas jogadoras e ter o grupo completo, o que é muito importante”, frisou, mostrando-se também satisfeita com o rendimento das jogadoras que entraram.

“Elas sabem que todas contam e são muito importantes para termos sucesso. As jogadoras que entraram deram uma resposta rapidamente, algumas delas praticamente sem aquecer. Entrar num jogo muito competitivo e intenso como este não é fácil, mas elas deram uma boa resposta e sei que vão dar novamente nos próximos jogos”, assegurou.

Já Brenda Pérez, médio que foi titular de Leão ao peito, apontou a falta de pontaria na hora de atirar à baliza como o único aspecto em que a equipa não esteve tão bem no dérbi.

“Faltou-nos apenas ser eficazes na finalização, pois tivemos tudo o resto. Fomos muito competitivas e tivemos uma atitude muito boa desde o primeiro ao último minuto. É certo que os primeiros dez minutos serviram para perceber o jogo, mas a partir daí começámos a jogar o nosso jogo e estivemos muito bem. A bola não entrou, mas está tudo em aberto e vamos em busca da Taça de Portugal”, disse, pedindo o apoio dos adeptos na segunda mão.

“Sentimos muito o apoio deles aqui e agradecemos isso. Esperamos que a Academia encha para nos apoiarem pois temos de acreditar todos juntos que vamos à final da Taça”.

Apesar de não termos jogado muito. Fomos superiores, além do golo, o Benfica, criou só mais uma oportunidade flagrante. Aquela que nasce daquela falta dura sobre a Borges, que a arbitra deixou seguir e em que a Seabert, faz uma grande defesa e depois a Britanny tira quase na linha. O próprio golo, nasce de uma falta que não existe, que vai dar canto, canto esse, que também é irregular, pois a bola bate na Diana, depois de um ressalto no braço da Pauleta. Temos também um caso de estudo, e não são os foras de jogo tirados antes do meio campo, mas sim, como a Ucheibe e a Lúcia, só vêm amarelos depois dos 80 e quando passaram um jogo a entrar duro. Também gostei muito do corte dos nossos contra ataques, para prestar assistência a jogadoras que estiveram no chão, durante todo o ataque anterior do Benfica.

Arbitragem sempre a condicionar o Sporting

Volto a responder te…,nunca na minha vida, era capaz de desejar uma derrota ao Sporting, nem com lambuças ao leme.

Já fui banido com 1 ano de suspensão, e com outro tempo aqui no Fórum, mas sempre pq amo o Sporting e quero vitórias e critico o que é mais que criticável. Inadmissível certas opções e posturas de quem esta à frente do Sporting.

Fomos superiores? Em quê, na distância a que chutavamos a bola para longe? A nossa redes impediu pelo menos um golo, e os cruzamentos para a nossa área e situações de troca do bola à frente da nossa área foram muitas. Podem não ter criado “10” chances, mas onde é que fomos melhores?

O Benfica, fez dois remates perigosos. A nossa impediu 1. A outra impediu 4. Mandámos uma bola ao poste. Fora os fora de jogos inexistentes. A segunda parte foi toda do Sporting, o único remate que fazem com perigo é aos 89 minutos. Temos o mesmo número de cruzamento do que elas. Temos mais remates, mais posse de bola. Mas se achas que elas foram superiores, estás no teu direito. Não vou discutir isso.

1 Curtiu

Andreia Bravo no Instagram, diz da sua tristeza de, infelizmente, a época ter acabado para ela.

andreiabravo_
O momento é de profunda tristeza, só me resta agradecer todo o apoio que tenho recebido de todos.
Quando se fica privada de fazer o que se ama……só quem passa consegue ter a verdadeira noção.
Aproveito ainda para deixar uma palavra de incentivo às minhas colegas de clube e de seleção, não vou conseguir ajudar em campo nos objectivos a conquistar, mas vou estar de alma e coração com vocês !!
Tudo farei para regressar o mais breve possível.
Obrigado

Mais uma lesão,não tem estado fácil para nós em termos de lesões este ano ,se isto acontecesse às lamps não haveria problema porque tem um plantel extenso mas nós não,então não sei como vai ser agora , Cláudia neto,Fátima , Maiara lesionadas? Ainda por cima na altura crucial e de tantos derbis.

Entramos muito mal e os 10 primeiros minutos podiam ter sido catastróficos para nós, nessa altura valeu-nos a nabice das lampiãs mas depois assentamos jogo, nem sempre bem jogado é verdade, cometemos muitos erros defensivos e na tentativa de sair a jogar. Acabamos por ter muito azar no golo sofrido depois de mais uma grande defesa da Hannah Seabert, ainda assim as melhores ocasiões até ao fim da primeira parte foram nossas.

A segunda parte só deu Sporting, só não deu mais porque as freiras não deixaram com foras de jogo mal assinalados e amarelos não mostrados e porque perdemos a Andreia Bravo e a Olívia. Só em falta é que as lamparinas nos paravam e tentavam baixar o ritmo, na primeira parte sofremos 11 faltas contra 3 por exemplo.

Agora, se as lamparinas deram o estoiro aos 60 minutos porque estiveram na UWCL isso é um problema delas não nosso, logo no clube que gosta de gabar-se de grandes feitos, melhor plantel, maior investimento, melhor tudo… é que nem pode ser desculpa no jogo de ontem pois na segunda parte entraram 5 potenciais titulares: Norton, Gasper, Jéssica, Nycole e Falcón ou será que entraram cansadas para a parte final da partida? Ao contrário do que os comentadores iam dizendo lá para o fim que as duas equipas estavam de rastos, não concordo nada pois a Brenda, a Capeta, a Ana Borges, a Joana Martins, a Alícia, a Andrea e a Brittany jogaram os 90 minutos e nos últimos 20 minutos contra essas 5 jogadoras títulares “frescas” e nós é que tivemos por cima e a tentar marcar e a defender quando foi preciso, grande entrega ontem nada a apontar.

É verdade que as lamparinas é que levaram a melhor, conseguiram aguentar o 1-0 e estão em vantagem mas estamos a jogar melhor como equipa mesmo contando com a entrada em falso e alguma falta de foco nos minutos finais da partida - Mariana pá acorda!

Acredito na reviravolta na segunda mão.

Esperemos que não seja uma lesão grave. A par da Maisa, quanto a mim tem sido uma das revelações deste ano da nossa formação. Que recupere bem e volte ainda com mais força!

oh! o Rui não consegue deixar o vício do tabaco e a Margarida disse-lhe para ir a Fátima com uma velinha. Vai precisar.

Estamos a 12 dias do jogo. Se a Fátima não estiver recuperada, como será? Fontemanha?

Ainda não me apercebi se a Olivia seguiu para a seleção.

A Fátima Pinto poder não estar recuperada, é, quanto a mim, uma das muitas interrogações de quem vai estar a 14, disponível ou não.

São ‘mais que muitas’ essas interrogações: Maiara Niehues, Fátima Dutra, Cláudia Neto (que é feito de Vera Cid, que aparentemente está apta), a que se somou ‘mais uma dose’ de infortúnio: Andreia Bravo, que pelas suas palavras no Instagram terá acabado a época, a Olivia Smith, a Mariana Pinto Rosa…

Quanto à Olivia Smith, que foi mais que um susto (não se conhecendo publicamente dos contornos da indisponibilidade), bom era que pudesse estar na SheBelievesCup, a disputar nos EUA, com jogos a 06 e 09ABR***, pelo que, a não haver imponderáveis, chegaria a tempo mais que suficiente para a 14ABR dar a sua contribuição, para um jogo que se pode constituir decisivo em alguns aspectos.

*** confirma-se, consultando a página oficial do ‘Canada Soccer’, que a Olívia Smith já não consta nas selecionadas/convocadas

A Andreia Bravo, se tiver alguém a acompanhá-la na sua curta carreira, aproveita este período de lesão e faz um plano de treino à séria para aparecer uma jogadora “nova”

Com a sua atual forma física nem a considero jogadora de futebol

É apenas alguém que anda por ali a passar o tempo

1 Curtiu

Acho que a forma física não se vai alterar. É genética. A Andreia Norton a Sara Brasil, são iguais.