Futebol Feminino - Época 2021/2022

Também :tv: em directo no Canal 11

o futebol também é para meninas!*: «Um campeonato a conta-gotas»

Depois de uma primeira jornada da Primeira Fase do campeonato Nacional BPI de Futebol Feminino disputada no primeiro fim de semana de Setembro (dias 4 e 5), a segunda jornada da competição só vê a luz do dia 3 semanas depois (a 25 e 26 de Setembro.

Isso porque houve 2 jogos oficiais da Selecção A, na Turquia (empate a 1 golo, num jogo em que “demos de avanço” a primeira parte) e em Israel (vitória por 0-4), respectivamente a 16 e a 19 de Setembro, jogos esses a contar para o Grupo H de qualificação para o Mundial de 2023, Grupo esse que, por enquanto, lideramos com 4 pontos, mais um que a toda-poderosa Alemanha, que tem menos 1 jogo. Já agora, nota para a composição do Grupo (apenas se apuram directamente os 1os classificado e, após playoffs, 2 dos 2ºs classificados): O Grupo H conta com Alemanha (nº 3 do ranking FIFA), Portugal (nº 30 do ranking FIFA), Sérvia (nº 41 do ranking FIFA e onde actua a nossa conhecida Nevena Damjanovic), Turquia (nº 69 do ranking FIFA), Israel (nº 71 do ranking FIFA) e Bulgária (nº 79 do ranking FIFA)

As jornadas 3 e 4 serão jogadas nos dias 2 e 3 de Outubro e nos dias 9 e 10 de Outubro, respectivamente. Depois haverá nova interrupção de 3 semanas para mais 2 compromissos da Selecção na caminhada de apuramento para o Mundial: a 21 de Outubro, recepção à Sérvia e a 26 de Outubro deslocação à Bulgária. As 3 últimas jornadas da 1ª Fase serão jogadas em 3 fins-de-semana consecutivos (30/31 Outubro, 6/7 Novembro e 13/14 Novembro) sem novas interrupções.

Dito de outra forma, a 1ª Fase do Campeonato de Portugal BPI da 1ª Divisão de Futebol Feminino (aquela que toda a gente – menos os responsáveis da FPF – diz que é sobretudo para “encher chouriços) tem 7 jornadas, que se jogam entre 4 de Setembro e 14 de Novembro, com 2 hiatos de 19 dias cada entre jornadas. É muito tempo para jogar tão pouco. Esse figurino só deverá mudar dentro de 2 ou 3 anos, quando a Primeira Divisão passar a contar apenas com 10 equipas (ficando por saber como as enquadram competitivamente: 3 voltas? 2 voltas e play-offs? 2 Fases a 2 voltas cada a 1ª com as 10 equipas e a 2ª com 2 Séries a de Campeão a 6 equipas e a de Manutenção a 4 equipas?).

Entretanto, olhando para o nosso calendário, ele revela-nos tanto quanta a baixa qualidade do Grupo: temos 4 jogos fora e 3 em casa sendo que um dos jogos em casa é contra o Benfica (já no próximo fim de semana). Pessoalmente, até preferia que o calendário fosse ainda mais difícil dada a baixíssima competitividade deste grupo e para forçar a um maior foco e exigência. Gostaria de ir ao campo do Amora em vez de ir jogar fora com o Atlético. As 3 primeiras jornadas até são as teoricamente mais exigentes (na jornada seguinte vamos a Torres Vedras defrontar o Torreense), o que não seria o mais desejável para uma equipa que sofreu uma enorme revolução.

Mas, mais uma vez, dada a pouca competitividade desta Fase até prefiro assim. Uma das “favas” já digerimos (vitória na Madeira face ao Marítimo). Se também digerirmos bem as próximas 2, além de já termos praticamente assegurado um lugar na Série de Apuramento de Campeão, alcançaríamos resultados que aumentariam a moral, a confiança, a motivação, a união de grupo e a necessária tranquilidade para uma mais eficiente e consequente assimilação de processos colectivos. Caso algum dos resultados não seja o mais desejado, não é crítico pois obrigará a um ainda maior foco nos jogos seguintes. O risco maior seria o de gerar pressão adicional que dificultasse a evolução da equipa, mas creio que a Mariana e a sua equipa saberão gerir muito bem as emoções individuais e colectivas quer no cenário mais favorável (não deixando que se entre em euforia prematura) quer em cenários não tão favoráveis (motivando para a superação).

Preocupante sim é o facto de termos já no próximo domingo derby caseiro contra as rivais de Carnide e não haver notícia oficial do local do encontro ou da obtenção de bilhetes para assistir ao mesmo. O “normal” para promover o FF, o derby e a equipa seria que, logo a seguir ao jogo com o Marítimo, se começasse a promoção activa do jogo e da distribuição de bilhetes. Se o Futebol Feminino tem ainda poucos adeptos em Portugal, muito se deve também a esta enervante inércia e incompetência (e não falo apenas do Sporting; TODOS os Clubes e a FPF partilham a mesma letargia). Com esta generalizada incapacidade, só por milagre conseguirão atrair público para o FF. Como se não bastasse a fraca qualidade do quadro competitivo, uma vez que nem os jogos teoricamente mais “empolgantes” são minimamente promovidos (já para a Supertaça os bilhetes começaram a ser disponibilizados apenas 2 ou 3 dias antes) como esperam fazer evoluir a competição?

**** dos Açores com amor, o Álvaro Antunes prepara-nos um petisco temperado ao ritmo do nosso futebol feminino. Às terças!***

BILHETES PARA O DÉRBI DE FUTEBOL FEMININO

Por Sporting CP
23 Set, 2021

FUTEBOL FEMININO

Sporting CP vs. SL Benfica no domingo, às 17h00

Os bilhetes para o encontro entre a equipa principal feminina de futebol do Sporting Clube de Portugal e o SL Benfica – no domingo, às 17h00 – não terão qualquer custo e poderão ser levantados à entrada da Academia Sporting.

Contudo, a entrada é exclusiva a Sócios que se podem fazer acompanhar por uma pessoa.

Para aceder ao Estádio Aurélio Pereira, que poderá contar com 50 por cento da lotação, é obrigatório a utilização de máscara e o cumprimento das medidas de segurança estipuladas.

A palhaçada continua… na única vez que esta equipa não podia ser apoiada num jogo destes e onde havia uma elevada possibilidade do rival festejar o título em nossa casa, é que estes filhos de 1000 put@s fazem o jogo em Alvalade… pó crlh!!! Comigo não contem e podem enfiar o bilhete no orifício cego do responsável por esta merd@!!!

3 Curtiram

Sem dúvida.

Um presidente rabolho não faria pior ao Sporting…

1 Curtiu

Han? Desculpa não tou entender nada do teu comentário. Como assim? Que jogo em Alvalade? Que jogo em que nosso rival pode ganhar título ?

As lamps ganharam o titulo em nossa cas ao ano passado.

Este jogo compreendo não se fazer em Alvalade.

Tanto pelo relvado como pelo facto de irmos meter pouca gente para os 25k permitidos.

2 Curtiram

Apagado…

Concordo, em toda a linha, com a solução preconizada para este jogo (de 26SET) expressa no comunicado do clube.

Confio, que quem dirige o futebol feminino no clube, e quem tenha poder de decisão, saiba determinar se algum jogo e qual deva ser jogado no Estádio José Alvalade.

2 Curtiram

Pelos vídeos e golos diria que a Maria Alagoa tem potencial para ser grande craque e diria que seria daquelas para agarrar mal ela quisesse voltar a Portugal mas provavelmente vai querer continuar nos EUA depois do College ou fazer carreira no estrangeiro.

:white_check_mark: SANDRA BASTOS, árbitra internacional FIFA de 43 A, dirigirá a partida Sporting CP - SL Benfica


:arrow_forward: O ‘Conselho de Arbitragem, Secção Não Profissional’ da FPF, divulgou as equipas de arbitragem para os Jogos de 25 e 26SET, para a Liga BPI (e outras).

:arrow_forward: De realçar que a totalidade dos jogos desta 2ª jornada da Liga BPI, terão a dirigi-los, duas árbitras internacionais FIFA, ou candidatas a árbitras internacionais para 2022.

:arrow_forward: A maioria dos jogos terão observadores.

Com a garantia de o jogo do Sporting CP ter a dirigi-lo a árbitra portuguesa mais categorizada,
têm pois a palavra as que irão envergar a verde-branca no Domingo 26SET2021_17H00

Lamento informar, mas árbitra(o) português categorizada(o) é uma espécie que nunca existiu, nem se prevê que venha existir.

A única garantia que temos para domingo é que seremos, como sempre, prejudicados.

2 Curtiram

O Artolas também é o mais categorizado…

Lugares disponíveis hoje?
700?

Na melhor das hipóteses, 500… mas amanhã!

E perdeu o seu tempo a exercitar o seu entendimento, em intervenção minha!
Ainda se fosse para acrescentar algo de substantivo ao objecto da minha ‘informação’!
Claro que o que disse (para ser simpático), fica por conta da casa.
Como que parece ser-lhe indiferente que o CASNP da FPF, desproteja o futebol feminino e a verdade desportiva ao não nomear árbitras internacionais para os encontros entre potenciais candidatos, ou que nem observador seja escalado.
Normal é desejarmos ter executantes em campo que, no caso do clube, personifiquem o ‘esforco, devoção, dedicação e glória’, como normal é que esteja em campo quem é ou se venha mostrando mais competente na direcção duma partida de futebol.
Sandra Bastos, pelo que pode ver no link que ficou anexo, não carece de apresentações, e tê-la a dirigir o jogo é uma mais valia para a competição.
Sei eu e muitos, do que as adversárias de Domingo, podem levar a jogo, se lhes for permitido.
Denúncia minha disso está publicada/documentada com fotos e o mais.

:arrow_forward: Uma ‘sul-americanice’ que durou mais de 2m no ‘Jogo Solidário - Todos Moçambique’, sem que nenhuma tivesse visto um cartão.
https://drive.google.com/drive/folders/1NxZjT-dmjvy_C0aJv_n-bzME85QKjqJx?usp=sharing

https://www.facebook.com/sintrensefutebolfeminino/photos/a.1533548663415404/1533549426748661/?type=3&theater

MARIANA CABRAL: “VAI SER UM DUELO MUITO COMPETITIVO”

Por Sporting CP
25 Set, 2021

FUTEBOL FEMININO

​Leoas voltam a encontrar o SL Benfica este domingo

A equipa feminina de futebol do Sporting Clube de Portugal recebe este domingo o SL Benfica (17h00), no Estádio Aurélio Pereira, em jogo referente à segunda jornada da Liga BPI.

Na antevisão ao dérbi, o segundo desta época após o duelo na Supertaça, a treinadora verde e branca Mariana Cabral elogiou o adversário, que considera ser “uma excelente equipa”.

“Isso já ficou claro na Supertaça, tivemos de lutar muito para ganhar esse troféu. Além disso, o SL Benfica também teve uma excelente prestação na Liga dos Campeões. É um adversário que nos vai criar mais dificuldades, mas nós também esperamos criar-lhes dificuldades. É daqueles jogos que gostamos muito de disputar”, começou por dizer a treinadora Leonina ao Canal 11.

“Se pudéssemos jogar todas as semanas assim seria óptimo, é um duelo muito competitivo. É destes encontros que a Liga BPI precisa, que os treinadores precisam para evoluir e que fazem melhorar as jogadoras. Vai ser um bom fim-de-semana para o futebol feminino”, frisou, considerando que, apesar de um dérbi ser sempre “um jogo especial”, todos são diferentes.

“Desde a Supertaça tivemos uma paragem para as selecções e a primeira jornada da Liga BPI. Além disso, na Supertaça estava um troféu em disputa e um jogo de campeonato é muito diferente. Ainda por cima, estamos na primeira fase, o que retira um pouco de peso ao jogo, mas sabendo que é um dérbi as jogadoras entram com muita adrenalina em campo. Claro que queremos ganhar”, admitiu Mariana Cabral, que deu ainda conta do crescimento da equipa.

“Quanto mais semanas passam, mais confortáveis as jogadoras ficam com a nossa forma de jogar. Fizemos uma pré-época muito boa, mas as ideias de jogo demoram algum tempo a ser implementadas, bem como as dinâmicas ofensivas e defensivas. (…) A paragem para as selecções acabou por quebrar um pouco o ritmo das equipas, agora é uma espécie de primeira jornada novamente da Liga BPI. Acredito que as jogadoras vão estar preparadas”, sublinhou.

Joana Marchão, internacional portuguesa de 24 anos que representa o emblema de Alvalade desde 2016/2017, considerou que este encontro é “igual a todos os outros da Liga BPI”.

“Ainda assim, sendo um dérbi é mais emotivo. É isto que faz falta ao nosso campeonato, jogos emotivos e intensos todos os fins-de-semana. Tentámos levar a semana como se fosse um jogo normal. A partir do momento em que o árbitro apita, não importa se é dérbi. É um jogo”, disse a Leoa, que desvalorizou o facto de ter sido a autora de um dos golos do triunfo na Supertaça.

“O que importa é a vitória, não quem marca. Gosto de marcar golos, mas o que importa mesmo é vencer a partida”, atirou, antes de garantir que o período dedicado aos compromissos das selecções nacionais é passado. “A partir do momento em que termina o último jogo da selecção, mudamos o chip. Chegamos, treinamos e volta tudo ao normal”, concluiu.

Caro forista, como as palavras que textualizou neste espaço careciam de alguma exatidão, achei por bem dar a devida “achega”.

Melhores cumprimentos,

Viskonde do Lumiar