Formação!

Excelente post do kovacevic…bem sustentado!

Info: o sporting entregou carta de renovação de contrato ao valdir. Ver nos comentários.

orgulho: da capacidade de análise e critica dos sportinguistas, regra geral, da realidade do seu clube!

http://quatroquatrodois.blogspot.com/2005/06/fomao-no-sporting-de-paulo-futre-joo.html

pronto.
já me estragaram a merda do resto da semana.

vou deixar de vir aqui e pronto.

porra.

O artigo é mto bom até que chega a esta parte e estraga-se todo:

4 – Os dirigentes do Sporting continuam a tratar com desprezo ou indiferença os atletas históricos, chamem-se Rui Jorge ou Hugo Viana. Isto revela uma visão totalmente errada do futebol e, mais tarde ou mais cedo, paga-se

Demagogia pura e é fácil explicar/comentar:

1 - O sporting não tem dinheiro. Os investimentos têm de ser ponderados com calculismo (o pouco que há). Dar rios de dinheiro por Hugo Viana face à sua postura competitiva seria um bom investimento?

2 - O artigo contradiz-se completamente neste ponto pois o autor fala acertadamente no pouco aproveitamento da formação do Sporting ao serviço de um projecto de equipa de valor e depois diz isto.Tapar lugar a jovens gastando dinheiro com jogadores vendidos de forma excepcional e provaram quase nada no regresso? qual a lógica?

3 - O conceito de “jogador histórico” é aqui mto duvidoso. Até aceito que Rui Jorge o seja assim considerado (embora não concorde, para mim jogadores históricos do Sporting são os feitos na casa e que se notabilizam ao serviço do clube ao longo dos anos). Agora Hugo Viana… jogador histórico? Don’t get it.

4 - O facto de um jogador ser histórico não pode significar a sua eterna renovação para lá da sua capacidade futebolística. A partir de uma certa idade começa a ser óbvia, salvo raras excepções, a transição de época para época. Rui Jorge pode continuar a passar mto bem a bola e controlá-la, mas defender… já acabou há muito tempo a sua capacidade para defender como nos seus anos dourados (que os teve).

Quanto ao assunto principal 100% de acordo mas isso já foi aqui abordado. O sporting tem a melhor formação mas também o pior aproveitamento, lançando para vender e não para construir um projecto de equipa que lhe permita vender 2,3 anos mais tarde por muito mais, de forma faseada, e de um modo que lhe permita manter sempre uma certa qualidade (tipo Ajax durante muitos anos).

O lançamento de Moutinho é um bom exemplo. Não foi algo planeado como noutros casos (poucos, por exemplo quaresma ou ronaldo). Moutinho teve a sorte de surgirem os castigos de uns e as lesões de outros, senão ainda hoje estaria no banco, desperdiçando-se um talento sobretudo ao nível da maturidade que ao comum adepto pode escapar mas que internamente é incompreensível que não tenha sido devidamente identificado e aproveitado desde logo e de forma sistematizada. A falta que fez moutinho no arranque da época, sobretudo enquanto Rochemback esteve fora.

É caso para dizer… “pérolas a porcos”.

Está muito bom. Compiladas e sistematizadas, estão ali muitas ideias que tenho lido neste fórum no últimos dois anos.

Do que eu tenho inveja, e muita, é das fontes estatísticas dos autores do 4-4-2. Alguém sabe se estão em algum site, no almanaque do Sporting, ou num dossier tipo Pôncio Monteiro?

O almanaque do Sporting tem imensos dados mas mais históricos do que estatísticos embora tb os tenha.

orgulho: da capacidade de análise e critica dos sportinguistas, regra geral, da realidade do seu clube!

Ao que indicas, acrescento:

http://sectorb32.blogs.sapo.pt/arquivo/650131.html

E sobretudo

http://criticosdabola.blogspot.com/2005/06/um-post-sobre-pasta.html

Sublinhando a capacidade de análise e critica dos sportinguistas

É uma analise interessante e um assunto bastante importante para o SCP, mas creio que esta discussão não pode passar por uma análise fria dos numeros, como por exemplo dizer que 33% dos 42 jogadores que jogaram na equipa principal do SCP, foram alimentar os nosso rivais. É preciso ver a qualidade deses jogadores e também a forma como lá foram parar.

Eu, de toda a informação exposta, a conclusão que retiro é que a formação do SCP, sendo a melhor de Portugal, não é, ou não dá, os resultados que nós gostariamos ou que o SCP precisa.

É um facto que não nasce um Figo, ou C.Ronaldo todos os dias, nem se calhar Custódios, ou C.Martins, e esse facto inviabiliza que as equipas do SCP, à semelhança do Ajax, sejam constituidas maioritariamente por jogadores vindos das escolas.

Optar por uma solução deste género, era sujeitar-nos a ter boas/grandes equipas em ciclos bastante alargados no tempo, situação nada condizente com a cultura vigente, não só no clube, mas no país, a cultura da vitória.

Para que o SCP pudesse seguir, o sugerido pelo Kovacevic, era necessário uma mudança de mentalidades, que teria de começar nos dirigentes, e estes, teriam de transmitir aos associados, que o SCP, face à estratégia adoptado, nem sempre poderia ser considerado candidato ao titulo.

Sinceramente, não creio que uma politica destas tivesse muito futuro no SCP, e apesar de ser capaz de a achar a mais sensata, não gostaria de ver o SCP enveredar por esse caminho.

Actualmente, e sem fazer muitas contas, por isso com alguma margem de erro, acho que o plantel do SCP é constituido por 20 a 30% de jogadores oriundos das camadas jovens, que quanto a mim, é um valor razoável, para uma equipa que pretende ser uma das maiores da Europa. Parece-me acertada a estratégia de completar esse palntel com jogadores novos de outros paises e outros jogadores que se destaquem na nossa liga. Esta política, associada a uma grande estabilidade em todas as estruturas que suportam o futebol do SCP, é que poderá fazer a diferença, traduzida em mais conquistas para o SCP.

Obviamente que ao longo destes anos todos, foram cometidos erros, que fizeram com que alguns bons valores, saíssem, sem a devida compensação financeira ou desportiva. Mas, se verificarmos, os casos mais sonantes, aconteceram por questões financeiras, às quais o SCP, não pode fazer frente.

É um facto que não nasce um Figo, ou C.Ronaldo todos os dias, nem se calhar Custódios, ou C.Martins, e esse facto inviabiliza que as equipas do SCP, à semelhança do Ajax, sejam constituidas maioritariamente por jogadores vindos das escolas.

Não compreendo bem este raciocínio, pois que eu saiba no Ajax Ronaldos e Figos eram coisas que não nasciam nem todos os anos quanto mais dias (aliás nem sei se nos últimos anos nasceu alguém comparável), e não é por isso que não existe no Ajax uma política clara de formação de equipas com base nas escolas.

As equipas não se fazem só de estrelas. No entanto a Holanda é um país semelhante ao nosso em termos de número de habitantes logo o potencial é semelhante, e as condições que o Sporting dá serão porventura ainda mais destacadas da concorrência que aquelas que o Ajax oferece face aos concorrentes.

O que eu vi no Ajax durante muitos anos e não vejo no Sporting é a capacidade de transposição com tomates dos jovens valores, aliás pq muitas vezes a sua afirmação como reais bons reforços passa exactamente pelas devidas oportunidades no futebol ao mais alto nível.

É verdade que o Sporting é dos grandes o que mais faz nesse domínio, mas acaba por fazer aos trambolhões logo sem o devido retorno.

Acho que é evidente que no Sporting, apesar do factor Academia, não existem directrizes internas estabelecidas no depto de futebol e passadas aos treinadores que chegam de que primeiro estão os jogadores formados pelo Sporting e só depois o resto. É tudo muito ao “calhas”, muito na base do “brasileiro lesionou-se então agora sim vou chamar um puto”.

E assim se perdem valores. Eu não acho acertado pensar que se um jogador formado no sporting nunca singrou na sua carreira é pq não valia nada. Muitas vezes como disse anteiriormente é necessário apostar no jogador, dar-lhe as oportunidades para o potencial.

De facto, fui-me perguntando ao longo dos anos… para ver Polgas e Hugos (e tantos outros) dar casas intermináveis pq nao vejo eu jovens do sporting terem a sua oportunidade.

Aliás o tipo de jogador aos quais são dadas oportunidades no plantel principal do Sporting é sintomático do virus vendedor que vive em Alvalde: 90% ou mais são do meio campo para a frente. Desde beto que não vejo um defesa central leonino surgir. Laterais é mentira, pelo menos estabelecidos.

Bom artigo.

Mando mais umas achas…

  • Uma aposta séria na formação, como aquela que nos foi prometida, não é feita de um ano para o outro. Como adepto leigo na matéria, diria que é coisa para demorar uma década até entrar em velocidade de cruzeiro.

  • A formação dará sempre poucas garantias. Ninguém pode garantir que a estrela dos juvenis ou juniores vai ser um bom jogador nos séniores. Por n razões: pode ou não ser bom profissional, porque tem desenvolvimentos físicos, de personalidade, etc que podem ajudar ou não, porque desperdiça as oportunidades, porque só se revela aos 25 ou 26 anos numa equipa de segunda.

Não há garantias, mas parece-me ser o melhor caminho.

E as desilusões são incontornáveis. Não nos esqueçamos que meter 5 ou 6 miúdos numa época revelar-se-ia um suicídio desportivo ao segundo ano. Só podem entrar os melhores, os mais promissores, e aqueles que completem e acrescentem valor ao plantel.

A.A.

Não compreendo bem este raciocínio, pois que eu saiba no Ajax Ronaldos e Figos eram coisas que não nasciam nem todos os anos quanto mais dias (aliás nem sei se nos últimos anos nasceu alguém comparável), e não é por isso que não existe no Ajax uma política clara de formação de equipas com base nas escolas.

De facto existe, mas quanto a mim tem a ver com a mentalidade. É normal ver o Ajax, sem a minima hipotese de ganhar o campeonato, como aconteceu nesta época, mas, este tipo de situações, em Portugal, no SCP, seriam complicadas de gerir.

Não é que tenha importância para o assunto, mas a ultima estrela, ‘made in ajax’, foi o Ibrahimovic, vendido à Juve no ano passado.

As equipas não se fazem só de estrelas. No entanto a Holanda é um país semelhante ao nosso em termos de número de habitantes logo o potencial é semelhante, e as condições que o Sporting dá serão porventura ainda mais destacadas da concorrência que aquelas que o Ajax oferece face aos concorrentes.

Aqui enganas-te redondamente, não só a população é quase o dobro da nossa, por incrivel que possa parecer, mas também eles exploram de uma forma muito mais eficaz as antigas colónias, dando-lhes, claramente um potencial muito mais alargado que o nosso

O que eu vi no Ajax durante muitos anos e não vejo no Sporting é a capacidade de transposição com tomates dos jovens valores, aliás pq muitas vezes a sua afirmação como reais bons reforços passa exactamente pelas devidas oportunidades no futebol ao mais alto nível.

É verdade que o Sporting é dos grandes o que mais faz nesse domínio, mas acaba por fazer aos trambolhões logo sem o devido retorno.

Acho que é evidente que no Sporting, apesar do factor Academia, não existem directrizes internas estabelecidas no depto de futebol e passadas aos treinadores que chegam de que primeiro estão os jogadores formados pelo Sporting e só depois o resto. É tudo muito ao “calhas”, muito na base do “brasileiro lesionou-se então agora sim vou chamar um puto”.

E assim se perdem valores. Eu não acho acertado pensar que se um jogador formado no sporting nunca singrou na sua carreira é pq não valia nada. Muitas vezes como disse anteiriormente é necessário apostar no jogador, dar-lhe as oportunidades para o potencial.

De facto, fui-me perguntando ao longo dos anos… para ver Polgas e Hugos (e tantos outros) dar casas intermináveis pq nao vejo eu jovens do sporting terem a sua oportunidade.

Aliás o tipo de jogador aos quais são dadas oportunidades no plantel principal do Sporting é sintomático do virus vendedor que vive em Alvalde: 90% ou mais são do meio campo para a frente. Desde beto que não vejo um defesa central leonino surgir. Laterais é mentira, pelo menos estabelecidos.

Acho que misturas muitas coisas aqui, mas no essencial, apontas o dedo à forma defeciente como aproveitamos os nossos jovens, ou mesmo, como ‘produzimos’ os nossos craques. Se a leitura que fiz é correcta, concordo contigo, mas coloco algumas atenuantes:

1º)O factor principal nisto tudo é a mentalidade. Acho que não estamos preparados para uma aposta tão vincada na formação, face aos resultados, ou falta deles, que isso acarretaria. Agora, podes dizer que preferias ver um produto nosso dar fifias, ao invés de um Hugo ou Polga, mas a verdade, é que se essa situação acontecesse, a tolerância continuava a mesma, e a margem para os erros muito reduzida.

2º) A Academia tem 2/3 anos e por muita tradição que a formação do SCP tenha, a verdade é estamos a engatinhar neste capitulo. Há muito que aprender e exemplos não faltam, como é o caso do Ajax, mas outro que conheço bem que é o Cruzeiro, entre outros. Só para dar uma ideia o Cruzeiro, construiu sua primeira ‘academia’ a Toca da Raposa faz mais de 30 anos, e à cerca de 2 anos, construiu a Toca da Raposa II. Se calhar, ao invés de estabelecerem protocolos com o Man.United, os fizessem com equipas claramente vocacionadas para a formação, como o Cruzeiro, retirar-se-iam muitos mais frutos.

[quote=“Mpcco”]

Acho que misturas muitas coisas aqui, mas no essencial, apontas o dedo 1º)O factor principal nisto tudo é a mentalidade. Acho que não estamos preparados para uma aposta tão vincada na formação, face aos resultados, ou falta deles, que isso acarretaria.

Pois a o problema da mentalidade é exactamente este!

Porque raio uma aposta ORGANIZADA na juventude corresponderia a falta de títulos? Por acaso a nossa aposta não organizada na juventude tem dado títulos? Como correu esta época e as duas anteriores com polgas, hugos, e outros a taparem lugar a jovens que certamente seriam menos experientes mas concerteza não seriam inferiores e poderiam assim crescer enquanto jogadores?

Os jogadores jovens são uma incógnita em termos de transição. Correcto. E o refugo brasilo-chileno às paletes? Existem garantias de adaptação? de qualidade? não é isso que se vê.

É isto que não entendo no projecto. Não temos dinheiro, a oligarquia não percebe nada de futebol, e em vez de apostarmos de forma decidida e frontal nos nossos jovens vamos buscar refugo brasileiro às paletes.

O Sporting tem a melhor formação do país, o que não faltam são jovens que foram lançados ou estiveram no Sporting por esse futebol nacional fora e nós, que temos a faca e o queijo na mão, não temos condições para outra aposta, parece que temos medo.

Já uma vez o tinha dito, mas em Portugal existe um preconceito ridículo relativamente ao jogador jovem. Parece que lhe falta uma perna ou coisa assim… noutros países, muitos deles bem mais potencias do futebol do que nós, o jovem é bom avança. No questions asked. Aqui existe sempre o “é demasiado jovem, não pode jogar”. Não entendo.

Recordo até logo a seguir ao jogo do feyenoord, em que moutinho deu um recital e se colocou logo num patamar acima dos restantes ainda havia quem dissesse “é muito novo, não pode jogar todos os jogos”. Quero ver o que dizem agora.

a oligarquia não percebe nada de futebol

Esta frase resume um bocado a questão, sendo claro que é a falta de gente que perceba do assunto que nos tem arredado do sucesso sustentado.

Temos a melhor formação, as melhores instalações para as melhores condições de trabalho, os melhores adeptos, mas no que diz respeito a material humano para dirigir o clube… estamos definitivamente mal. E mesmo quando há quem começa a perceber do assunto (casos de Ribeiro Teles e de Bettencourt), logo acaba por se incompatibilizar com a tal estrutura que de bom grado abririra uns courts de ténis na Academia e uns buracos na relva de Alvalade para treinar umas tacadas.

Só uma achega, tirando o Simão, Futre e o Quaresma alguém tem saúdades dos outros 8 citados no título do tópico??? :shock:

Dani, Marinho, Rui Correia??? :shock:

Bahhhhh!!! :arrow:

Eu continuo a pensar que a formação do Sporting é mais que suficiente para reforçar a equipa. Sinceramente, não conheço suficientemente bem o Manoel, o Calisto e o Labarthe para fundamentar uma opinião sobre eles. Espero que no final da próxima época possamos todos dizer que "ainda bem que os contrataram.
No entanto, penso que a contratar alguém, deveria ser um ou no máximo dois jogadores por época que sejam muito bons. Prefiro gastar €10.000.000 de euros num jogador realmente bom e com provas dadas no futebol que €10.000.000 em 10 jogadores medianos ou bonzinhos. Para estes, os nossos miúdos chegam e sobram, para além de a médio prazo nos poderem valer umas boas massas.
Para além de que comprar 8 ou 10 jogadores por época requer habituação e identificação com o clube. Já tivemos más experiências nesse aspecto num passado recente.
Se pensarmos bem na quantidade de jogadores actuais de boa qualidade que vêm da nossa formação, chegamos à conclusão que todos juntos formariam mais que um plantel inteiro. E, mesmo assim, descontando aqueles que não temos hipóteses de os ter cá: Ronaldo, Figo e Simão. No caso de Simão, apenas e só porque na mesma altura tivemos a hipótese de ter o melhor ponta-de-lança do mundo na equipa. E nessa altura, optémos e bem pelo Jardel. O Simão é bom jogador, mas entre ele e o Jardel, julgo que não havia dúvidas em quem apostar.
Julgo que para contratar, só devemos contratar jogadores com provas dadas. É certo que o Balakov antes de vir para o Sporting ainda não era conhecido. Mas, infelizmente, são mais os exemplos dos desconhecidos que não vingam do que aqueles que têm sucesso.
Por isso, antes prefiro Varela, Valdir, Paim e Moutinho do que Manoel, Calisto, Labarthe ou mesmo Douala.

P.S.: Se tivermos de contratar jogadores +/- desconhecidos, então que sejam portugueses, já que esse não deverão ter problemas de adaptação ao futebol português. Ex: Ricardo Vaz Té - tenho visto alguns dos jogos dele em Inglaterra e para além da sua indiscutível valia técnica, evoluiu muitíssimo no remate e se não o formos buscar agora, julgo que dentro de uma época já não teremos dinheiro para isso, já que os grandes ingleses já estão de olho nele.

Só uma achega, tirando o Simão, Futre e o Quaresma alguém tem saúdades dos outros 8 citados no título do tópico??? :shock:

Dani, Marinho, Rui Correia??? :shock:

Bahhhhh!!! :arrow:

Muito sinceramente eu tenho saudades do Dani (da sua qualidade como jogador). Tivesse ele cabecinha e era dos melhores do mundo com facilidade. Ele tinha tudo…menos cabecinha. :roll:

A Academia tem 2/3 anos e por muita tradição que a formação do SCP tenha, a verdade é estamos a engatinhar neste capitulo

Parece-me uma ideia errada… a escola de Alvalade anda há anos a dar os seus frutos (o exemplo Futre, que é o “iniciador” já ocorreu ha mais de 20 anos).

Que os frutos sejam mal empregues já é diferente.

Eu ja aqui o disse, acho que por cada Ronaldo que saia, devem sair 2 jogadores de menor qualidade mas titulares para a nossa equipa.

A acontecer assim e atendendo só aos ultimos anos, é tomar HV, RQ, CR e agora Moutinho, para ver que deveriamos ter 8 jogadores jovens (com menos de 22 anos) como titulares da nossa equipa.

Agora a Academia providencia melhores condicoes de trabalho, mas nao e por si sinonimo de qualidade, pq ela sempre existiu, mesmo qdo as condicoes de trabalho nao eram tao boas.

Prefiro gastar €10.000.000 de euros num jogador realmente bom e com provas dadas no futebol que €10.000.000 em 10 jogadores medianos ou bonzinhos

Passando o exagero, penso tb assim… o Sporting deve apostar num excelente treinador e em mais 2/3 jogadores de nomeada para fazer o esqueleto da equipa.

Se lhes juntarmos depois os jogadores das nossas escolas (para reforcar o Enak, Beto, Custodio, Moutinho, C Martins) e ainda os negocios ocasionais tipo Roca, creio estar creada uma boa solução para o plantel.

De facto existe, mas quanto a mim tem a ver com a mentalidade. É normal ver o Ajax, sem a minima hipotese de ganhar o campeonato, como aconteceu nesta época, mas, este tipo de situações, em Portugal, no SCP, seriam complicadas de gerir.

Nao vejo porquê, um dos principios do projecto foi, desde o inicio, a aposta na formaçao, e desde logo ficou claro que nao seriamos campeoes todos os anos. Essa era a unica maneira de ter levado as coisas adiante, só assim seriamos verdadeiramente competitivos e com as finanças saneadas. Agora o que me parece sinceramente é que estamos a assistir a um cada vez mais baixo nivel com jogadores a taparem estrelas da formaçao…das escolas tem que sair para a equipa. Se nao la vamos ter que andar a comprar camisolas, gameboxes e a dar para peditorios toda a vida. Não é assim que se gere alguma coisa desculpem.

Abraços
Alexandre

PS - é so lembrarem-se de quanto perdemos com a nao passagem directa a CP e logo aí dava para muita coisa…assim que uns tem feito, outros pagam-lhe as contas, mas isso sao outras historias.

Quanto ao facto de não assumirmos candidatura para o titulo, também aconteceu em 98/99, quando o Roquette disse que a equipa estava em formação para ser campeã no ano seguinte. O que veio a acontecer.
Até preferia essa sinceridade por parte dos dirigentes e equipa técnica. Era menos pressão e tudo.

Só uma achega, tirando o Simão, Futre e o Quaresma alguém tem saúdades dos outros 8 citados no título do tópico??? :shock:

Dani, Marinho, Rui Correia??? :shock:

Bahhhhh!!! :arrow:

Muito sinceramente eu tenho saudades do Dani (da sua qualidade como jogador). Tivesse ele cabecinha e era dos melhores do mundo com facilidade. Ele tinha tudo…menos cabecinha. :roll:

Mas foi uma má dispensa do Sporting??? :?:

Obviamente que não e é essa a questão, não está aqui em causa a qualidade do rapaz! :arrow:

Não misturem as coisas que o Dani não foi dispensado. Foi uma venda. E tendo em conta o seu currículo já em crescimento, nem foi má de todo.