Filipe Celikkaya - Treinador da Equipa B

Alguém conhece o seu trabalho?
Ideologias?

Perguntar ao Amorim o que é que ele disse na “entrevista “ :joy::joy::joy:

Vocês gozam com isso, mas eu acho bem que ele tenha uma palavra no treinador da equipa B

Mais um grande tacho. Se for um upgrade do jumila já é grande cena :joy::+1::+1:

Eu também, principalmente quando diz que não indicou nomes, mas que entrevistamos muita gente…e no fim aparece um amigo…é daquelas coisas :joy:

Quando o Rúben Amorim for treinar um grande Europeu…esta aqui o Mister da equipa A…vi na bola de cristal.

Já o pedi pra Juniores há uns anos, nem me apetece pesquisar. Curiosamente até acho que foi na altura que pedi o Lage para a B.

São sensivelmente da mesma escola, diremos assim.
Gosto do trabalho dele.

2 Likes

Estás a querer dizer que ele nunca vai treinar a A ou a chamar o Al Jazeera de grande europeu ?

Não é mesmo os grandes da Europa…

…mas só onde ele me vai lixar quase de certeza, vai ser com as aquisições tipo (Esgaio, Sequeiras, adrien etc etc)…nesse dia o meu apoio ao Rúben Amorim, vai ficar bem mais diminuto…

…Infelizmente, vai me defraudar ai para meu desgosto…o Sporting esta dominado, por jorge mendes…e este senhor gosta tanto do Sporting como eu gosto das lamparinas.

Os grandes da Europa kkkkkkk

Cá estarei pra ver isso.

Vai ser TOP…

Menos quando enfrenta o Rangers, o pseudo-Mourinho sem curso que transborda asco kkkkk

Isso…não há muito a dizer ahahah

Mas estava a falar no sentido de que é importante haver sinergia entre as duas equipas e acho que o treinador principal deve ter muito dedo nisso. Basicamente sou apologista de um Manager e não somente de um treinador

Não discordo da ideia mas depende, depende da estrutura que tiveres no clube, e da competência do dito manager. Eu prefiro uma estrutura forte no clube que depois escolha treinadores, jogadores etc que encaixem no projecto/filosofia do clube…

Acho claro que deve existir uma sinergia entre a formação e a equipa principal, uma filosofia de jogo, não uma táctica específica, que crie automatismos desde a base que depois torne a integração na equipa principal muito mais natural, para isto não precisas propriamente de um manager…nem sei que competências tem o Amorim, que começou agora a ser treinador para ser manager…

1 Like

Tens razão nisso, e calculo que no mundo hajam poucos os managers com reais valencias para o fazerem “sozinhos”.

Em termos da filosofia do clube e de jogo tambem concordo, mas acho que deve haver uma tatica para todos e não andarem a variar, pelo menos da equipa B para a equipa A, já que facilita a integração e as ideias de jogo nos jogadores.

Quem? Se ê li u quei?

Parece-me alguém com apetência para trabalhar com jovens, com currículo nessa área e que está ávido de mostrar serviço. Como chega cá pode eventualmente ser um problema mas ajudar alguém que é competente nunca me chocou. Que forneça a equipa A de bons jogadores e imponha exigência, rigor e espírito ganhador.

Já concordei mais com essa visão.
Quando sai um manager, perde-se muito de estrutura.
Hoje em dia, deve haver comunicação sim, mas nunca gerando tanta dependência da estrutura a um individuo. Aprendi com o que JJ “trouxe”.