Faleceu Jorge Perestrelo RIP

O jornalismo português está de luto. :frowning: :frowning: :frowning:

Não sei qual era o seu clube, mas estou-me nas tintas. Gostava muito dos relatos dele. Cresci a ouvi-lo. Ainda ontem relatou o nosso jogo.

Os sentimentos á familia. Que descanse em Paz.

???
???

mãe.
leio isto…
ligo pra TSF, tão eles a dar o relato de ontem…

como é possivel?
wow.

Noticia incrivel

Para quem quiser ouvir o seu ultimo relato de um golo, emocionado…

http://www.tsf.pt/audio/2005/05/noticias/05/golo_sporting.asx

Paz…

Já disse aqui várias vezes que não gostava da forma como relatava os jogos, mas o seu falecimento entristece-me. Condolências à família.

Não consigo acreditar.

Não pode ser …

Segundo o que consta no Correio da Manhã, ele sentiu-se mal ontem depois do jogo.
Também cresci a ouvi-lo na Radio Comercial e depois na TSF. Havia quem dissesse que ele era do Sporting, outros diziam que ele era do Benfica. Esta é a maior prova do profissionalismo do Jorge Perestrelo.
Era um relator impressionante.
Fosse de que clube fosse, estou certo que ele desejaria que o Sporting ganhe a UEFA. E se essa vitória acontecer, uma parte dela pertence ao Perestrelo.

Vai em paz, Sr. Jorge Perestrelo

Não me interessa a côr dele.

Era uma voz que para além de relatar as incidências do jogo, ainda lhes dava um colorido extra como ninguém. Depois de uma pesquisa rápida encontrei uma colectânea das suas expressões mais famosas:

Ripa na rapaqueca
O qué qué isso, oh meu?!
Até eu com a minha barriguinha fazia melhor
Nha Nossa Senhora
Tirar o pão da boca ao goleador
Cabeçada com o escadote
Charuto para a área
Com a ponta da bota
Passe para as bancadas
Lamber o relvado
Gravata nas pernas
Canto de mangas arregaçadas
Golo no buraco da agulha
Levantar a bola para a camisa
Chuveririnho para a área
Floresta defensiva
O esférico a descrever uma parábola
Colocar a bola numa bandeja de prata
A bola espirrou para fora da área
Lance de laboratório
O redes a dar uma sapatada na bola
Centrar para onde não mora ninguém
Frango dos antigos, com penas e direito a cacarejo
A bola entrou lá onde a coruja mora.

Esta acrescento eu: Agaaaarraaa Ricaaaaaaaaaardoooooo

Já o estou a imaginar a relatar as jogatanas lá em cima com os nossos violinos. O qué qué isso, oh meu?!

Descansa em paz, Jorge. :cry:

Sentidas condolências à familia.

ai tenho gravado o relato do Portugal - Inglaterra do Euro 2004…arrepio-me todo!!!

Que descanse o senhor que imortalizou o “ripa na rapaqueca”… :cry:

Pensei que fosse uma piada de mau gosto …

Afinal é mesmo verdade.

Descansa em paz. Não sei o que dizer.

:shock:

soube agora. tou parvo. :?

somos tão frágeis.

O futebol português ficou sem voz… de facto os seus comentários não eram tendenciosos, vivia o futebol com uma intensidade brutal… o que possívelmente terá sido a causa da sua morte! :cry:

R.I.P.

Umas vezes passava-me com as coisas que dizia outras adora as suas “patetices”, foi uma figura ímpar no mundo da rádio e do relato, fiquei mto triste, sobretudo pq choca sempre muito ver partir alguém tão novo e que aparentava bastante simpatia.

Pelo que me disseram ontem ele durante o relato teria referido um qualquer agradecimento aos médicos do Sporting, sem especificar o porquê, talvez um sinal que já não estivesse bem antes do relato.

Morreu assim na sequência do que mais gostava de fazer, ao menos isso… não sei se era sportinguista ou não mas o entusiasmo que deixou no relato de ontem no golo final não se disfarça, seja qual for a cor dele, uma última explosão de alegria numa carreira de alguém que não se esquece.

Que Deus te tenha Jorge, é com comoção sincera que deixo uma pequena homenagem que recordo agora que tinha aqui… uma graça que fiz na altura do europeu e que dá para lembrar o jorge como ele merecia e a fazer o que ele gostava… obrigado Jorge pela emoção

http://www.proevolutionsoccer.com.pt/mauras/Euro2004/OamorAPortugalDulceMixedbyMauras.mp3

Tou lendo agora e tou chocado. :?

Ainda há cerca de uma semana o vi na zona de restauração do El Corte Inglês em Lisboa (costumo ir lá muitas vezes comer).

Como não sou hipócrita, confesso que nunca nutri uma grande simpatia por ele, desde o momento que entrou no estúdio de sonorização daquilo que viriam a ser os futuros estúdios da TSF, durante o 1ª curso de operadores / sonorizadores em 1986 e largou uma “boca” que eu guardei até hoje na minha memória. Disse ele em voz alta (para todos os formandos presentes que quisessem escutar) que «os operadores / sonorizadores de rádio, eram uma raça em vias de extinção».

Como devem calcular, semelhantes declarações não caíram muito bem no seio do grupo e só vieram incendiar ainda mais o clima de alguma indignação pelo facto de, por um lado estarem a ser formados técnicos porque a CEE (naquela altura, chamava-se assim) a isso obrigava se a TSF quisesse receber os fundos a que se candidatou, mas, por outro lado, os lugares iriam ser ocupados pelos grandes abutres da rádio (jornalistas, operadores, sonorizadores, etc.).

Enfim, a morte é uma coisa muito séria e como nada tem a ver com estes sentimentos mundanos, não a desejo a quem não a mereça. Paz à sua alma… :frowning:

Paz à sua alma.

Mais um senhor abandona a rádio, agora o seu lugar vai ser ocupado por um cego qualquer.

=D> =D> =D> =D> =D> =D> =D> =D>

Era vibrante como nenhum outro nos seus comentários, mas na verdade não apreciava o estilo e principalmente aquilo que sempre me pareceu algum facciosismo vermelho.

Tenho no entanto que reconhecer que ele deu voz a alguns dos momentos de maior felicidade colectiva que o futebol português jamais viveu, e que fazer-lhe esta justiça: no momento em que o Sporting finalmente protagonizou uma jornada histórica, o seu entusiasmo no relato foi o de sempre (repararam como ele hesita antes de gritar golo, parecendo não acreditar?), criando mais um momento “lacrimogéneo” para recordar eternamente.

As minhas condolências à família, e que descanse em paz.

=D>