Ex-jogadores do Sporting - Parte 2

Tinha centros para a bancada de alta qualidade, sem dúvida.

3 Curtiram

Filho do mítico sportinguista Domingos Castro assina com o Benfica (msn.com)

Desculpem mas não sabia onde colocar isto

1 Curtiu

Um mal amado com muita qualidade na nossa lateral direita era o Piccini.

O Schelotto era bem fraquinho, ainda assim superior ao Esgaio por exemplo.

6 Curtiram

Até o meu avô que morreu há 20 anos joga mais que o Esgaio.

Mais a sério, o Esgaio não tinha lugar na minha equipa das peladinhas…Não joga um ■■■■■■■, é impressionante como um gajo que nem numa equipa de distrital calçaria tem mais de 100 jogos pelo Sporting.

3 Curtiram

Se o Taremi fosse italiano, chamar-se-ia Piccini.

6 Curtiram

Eu até tenho boas recordações do Piccini.
Fraco a atacar, mas muito muito forte a defender.

Se o Esgalho fosse igual, vivia bem com esse perfil de lateral/ala.
Mas não, o Esgalho é polivalente. Tanto faz merda atrás como à frente.

7 Curtiram

O Piccini não era só a cena de ser mau no ataque e bom a defender…

Para um gajo com aquele tamanho, era um cona mole…

Falam de Trincão, etc mas o Piccini não fazia mal a uma mosca e talvez essa agressividade também lhe faltasse para ser mais imponente no campo.

1 Curtiu

Nem foi por nós que teve mais ausências por lesões, até pensei que poderia correr pior quando chegou com aquele histórico, mas também era um daqueles que ficava ansioso quanto ao estado do homem quando mexia (à semelhança agora do St. Juste).

Cona mole? Um cona mole no futebol é um gajo tipo… Esgaio, que é ultrapassado por qualquer um, não ataca uma bola, é lentíssimo a reagir a todos os lances, etc…

O Piccini não era um jogador super agressivo mas também não necessitava, era raro o jogo que se via algum adversário passar por ele no 1 vs 1, posicionava se bem, sempre muito certo em todos os trabalhos defensivos.

Brincamos certamente…

O Piccini não era mal amado. Aliás, estou em crer que nas mãos do RA teria chegado longe. O sistema em que era utilizado não o beneficiava. O gajo era um defesa direito e pretendiam que ele fosse um ala direito. Não era um jogador de propensão ofensiva. Era um bom gajo para jogar a central do lado direito no nosso actual sistema.

4 Curtiram

Tenho memórias diferentes.
Tenho mais impressão que ele era melhor a defender do que a atacar.

Super certinho, mas não arriscava no ataque

Gostava do Piccini, tinha ali uns problemas psicológicos para resolver mas fisicamente era imponente, ter um defesa direito assim dava outra segurança. Até o arriscava a DC direito no sistema do Amorim.

1 Curtiu

Excuse Me Wow GIF by Mashable

As tantas foi misquote.

7 Curtiram

O Piccini era muito bom sem bola. Forte nos 1vs1 defensivos, era rápido, fechava muito bem o seu corredor. Por norma, não “sofríamos” pelo seu lado. O pior era com bola. Ofensivamente, pouco ou nada acrescentava.

Numa defesa a cinco, como já disseram acima, ia encaixar bem a central do lado direito.

Teve azar com as lesões, o que não lhe permitiu ter uma carreira melhor.

Agora o Schelotto, bem… que grande cepo. O bola chorava nos pés do gajo. O apelido “Galgo” vinha de algum lado, o gajo só sabia mesmo correr para a frente. Dos jogadores mais desengonçados que por aqui passaram. Era super estranho. Não tinha uma grande relação com a bola.

Andamos com Marvin Zeegelaar e Schelotto nas alas durante uma temporada inteira, praticamente.

1 Curtiu

Fdx tens razão, li mal ahaha

1 Curtiu

Alguma vez se viu o Piccini a literalmente “lutar” por uma bola??

Ele tinha qualidade física, posicional, tática, técnica. Mas não era um Viktor.

Talvez se o fosse tivesse tido maior preponderância.

Agressividade não é só defensiva, ofensivamente não tinha agressividade nenhuma…

DEP

1 Curtiu

O Piccini era bom defesa, sem dúvida. Muito fiável. Como era lateral é que era estranho.
Concordo que poderia ser uma hipótese como central pela direita, mas duvido que o fosse num plantel do Amorim sem conseguir evoluir o seu jogo com bola.
O pessoal fala muitas vezes das trocas de centrais por centrais, mas são imensamente importantes nas variantes táticas que o nosso esquema tem. Totalmente diferente ter 3 centrais defensivos e de posse ou 3 centrais que conseguem avançar com bola. Faz diferença ter no lado direito um Quaresma ou Juste, bem como no lado esquerdo ter Inácio ou Reis. São centrais muito úteis para o nosso esquema. Acho que o Piccini seria um jogador de rotação, para jogar nos minutos finais ou para ajudar a fechar mais defensivamente. Ainda assim, das poucas boas contratações que se fizeram naqueles anos antes de Amorim chegar.
O Schelotto enganou aqueles meses pela pujança física. Depois há aqueles pormenores que o comum adepto também esquece de haver treinadores e jogadores do outro lado, que também analisam pontos fortes e fracos dos adversários.

1 Curtiu

https://x.com/AtaqueFutbolero/status/1772618420455903607?s=20

3 Curtiram