Estás enganado, Bruno!

Como nota prévia e até algo contraditória relativamente à mensagem que quero passar, considero que é tempo do presidente do Sporting ser sensibilizado para um maior recato mediático e para uma escolha mais selectiva das guerras que trava e da dimensão de recursos com que as trava.

Não estão em causa a sua personalidade e o seu estilo por vezes excessivamente beligerantes, que lhe são intrínsecos e já conhecidos antes de ser legitimamente eleito como presidente do Sporting Clube de Portugal e portanto não são surpresa para ninguém e derivam de uma enorme paixão pelo clube e de uma conjuntura a todos os níveis dramática, obrigando Bruno de Carvalho a acorrer a demasiados fogos em pouco tempo e a tomar posições de força e muitas vezes inflexíveis, na defesa dos interesses desta instituição.

Mas é humanamente impossível lutar pela responsabilização por um passado tenebroso dentro de portas, gerir os conflitos internos decorrentes e estes têm a montante um divisionismo estrutural, que muitos adeptos deste clube persistem em ideias vagas sobre perfis presidenciais em que Bruno de Carvalho não se enquadra e dão bem mais importância a supostos valores humanistas que a resultados e estes são indiscutíveis, em todas as vertentes de gestão mensuráveis e em simultâneo manter o processo de recuperação e evolução do clube, frente a adversários mais preparados, estruturalmente mais fortes e com outra capacidade financeira e a quem não lhes interessa repartir o bolo que têm dividido a dois. Não é possível manter esta toada sem que danos sérios sejam criados e um desgaste evitável de quem quero que se mantenha à frente do clube, durante muitos anos.

Um clube que em 30 anos foi duas vezes campeão e tem a massa associativa e os adeptos que tem, é também um clube muito especial. Nenhum dirigente do Sporting, por mais irresponsável e incompetente que tenha sido, se pode queixar da falta de apoio, onde esta é mais necessária. Nos estádios. Esta é uma realidade inquestionável e podemos-nos orgulhar da mesma.

Mas o Sporting é também um clube que permitiu um dirigismo que durante décadas destruiu património e recursos financeiros, criando um fosso estrutural para os rivais e só numa fase da mais absoluta indigência, soube dizer basta.

Há portanto no Sporting, ainda, receios que teimam em persistir, relativamente a cenários de conflito, muitas vezes necessários, persiste-se na desculpabilização, há mesmo quem viva bem com a subalternização do Sporting relativamente aos rivais, como que um complexo de inferioridade endémico que persiste em impedir que este clube se levante.

A alteração de valores e implementação de cultura de clube grande e ambicioso é e será um processo longo e moroso e não depende apenas e só de quem nos dirige. Tal só acontecerá quando os tais 3 milhões se comportarem como tal. Como elementos que efectivamente contam, quando se luta contra os poderes instalados e estes nos atacam.

Um clube desta dimensão não pode assistir impávido e sereno a campanhas de branqueamento e desvalorização de actos dos concorrentes, a propagandas que visam glorificar terceiros e diminuir o Sporting, a ataques ilegais que devassam a vida interna do clube, tudo com o propósito de nos manter numa posição secundária e em simultâneo e enquanto o presidente tem a coragem de os afrontar e ferir, concorde-se ou não com a forma, entrar em discussão interna sobre a dignidade que o cargo de presidente acarreta.

Enquanto os Carlos Barbosas da Cruz do Sporting, que “até nem queriam persistir” em lições comportamentais a Bruno de Carvalho e se mantiveram silenciosos e cúmplices perante um passivo galopante, a prejuízos financeiros anuais na ordem das dezenas de milhões, a equipas de futebol do Sporting a 30 pontos do primeiro lugar, o país futebolistico tenta adormecer e minorar actos por parte dos rivais que no mínimo roçam a falta de ética e bom senso e transformam um ataque selectivo ao Sporting Clube de Portugal, em uma risível e mentirosa luta pela transparência do futebol português.

Estás enganado, Bruno. Três milhões de Sportinguistas na defesa do clube? Não. Os Sportinguistas estão preocupados por seres tão “trauliteiro”, por teres falhado e contratado egípcios, por não teres contratado o Mitroglou, o Cervi e o Danilo. Os Sportinguistas já se esqueceram onde estavam há 2, 3, 4 e 5 anos e não fazem a mínima ideia onde estão agora. Ou muitos, demasiados, deles.

O Sporting foi vítima de um ataque sem precedentes, um ataque com o intuito de cortar as pernas de uma nova força que nasceu quando Bruno de Carvalho ganhou as eleições. É um ataque ao Sporting, mas é sobretudo um ataque ao seu Presidente, que possui uma característica que devia ser natural a todos os presidentes, a paixão pelo Sporting. O passado mostrou que não.

E um ataque desta magnitude, requer uma resposta de igual magnitude e foi isso que o Presidente fez. Deslocou-se a um programa onde está a cara deste ataque, para mostrar que o Sporting está vivo, que o Sporting não se foi abaixo e que serviu sobretudo para contra-atacar. Não gosto que o Bruno de Carvalho dirija o clube com o seu lado de adepto, já escrevi sobre isso, estou à vontade quanto a isso. Mas ali, era necessário uma resposta cabal ao ataque e ela foi dada.

Não tenho dúvidas que este é o momento de dos unirmos em torno do clube e sermos nós os soldados que vão para a guerra. Temos a obrigação moral de estar com o líder neste momento porque o ataque foi feito ao clube e o clube é de todos nós, não é apenas do Bruno de Carvalho. Virar as costas ao seu líder, é virar as costas ao clube, ao Sporting e isso é um acto hipócrita, um acto que demonstra que não estamos cá pelo e para o Sporting.

As questões internas não devem ser menosprezadas, mas para isto, há lugares certos para apontar, para pedir satisfações. O Sporting é um clube democrático, que não se fecha em gabinetes, que tem uma política de informação cujo objectivo é informar ao máximo os seus sócios, adeptos, colocam o jogo todo em cima da mesa. Ninguém está imune à crítica, apesar desta ideia ser muitas vezes passada por alguns adeptos/sócios. A crítica fundamentada, honesta e com bons argumentos, é sempre bem-vinda e tem o seu lugar. Porque a ausência dessa crítica, não é um bom sinal. Não vejo nisto um menosprezar do trabalho do Presidente, apenas vejo que acontece devido ao facto de sermos atenciosos, do facto de querermos ser melhores, de sermos rigorosos connosco próprios e com os outros.

O que é do foro interno, deve ser mantido dentro de portas. Tudo o que é do foro externo, aí temos que estar unidos, em torno do Sporting, liderados pelo Presidente, temos que responder com unidade, só assim o ataque terá sucesso, só assim seremos mais fortes, mais determinados e mostraremos do que somos feitos. Não basta gritar SPORTING!, há que passar das palavras à acção. Foi isso que o Presidente fez, o qual discordei, mas que estou a seu lado na defesa dos interesses do Sporting, mas sobretudo na defesa daquilo que todos sentimos.

Custa ver pessoas que admitem ser do Sporting, mas que na hora de aperto, são capazes de vir criticar os Sportinguistas, em prol de uma qualquer agenda. Há muita azia no Sporting porque esta direcção acabou com a clientela que se servia do Sporting e isso gera sempre guerrinhas. Mas quem é do Sporting verdadeiramente, está cá para servir o Sporting, não para se servir dele.

Gostando ou não do perfil do Presidente, partilho com ele algo único: a paixão pelo Sporting. No que toca aos ataques ao que nos une, pode estar certo que estou ao lado dele! Sempre! Quanto a questões internas, há lugares próprios para essas discussões e deve estar reservado para lá essas críticas, que devem ser bem-vindas e não devem ser comparadas com ataques desonestos de Sportinguistas e deve-se lidar e estar receptivos a elas.

Acima de tudo, SPORTING.

Por acaso eu acho que este ataque cerrado que lhe está a ser feito, assim como ao Sporting, tem saído o tiro pela culatra.

O sentimento que está em crescendo é o inverso do desejado pelos seus autores.

Acho também que no deve e no haver BdC soube capitalizar isto tudo muito bem.

Agora, há decisões próximas, caso Doyen por exemplo, que podem tornar as coisas mais complicadas neste barómetro.

Veremos.

Pai, porque é que somos do Sporting?

Provavelmente muitos de nós já colocamos esta questão ao nosso Pai. A verdade é que na maioria dos casos, somos do clube que os nossos pais nos influenciaram a ser. No caso do meu Pai a história é um pouco diferente. Infelizmente o meu avó morreu ainda o meu pai era um bebé e por isso acabou por ser ele a escolher por si o clube. A razão de eu ser hoje sportinguista tem um nome, Hector Yazalde. Nas tarde domingueiras dos anos 70 o meu pai ainda um miúdo ouvia o relato dos jogos do Sporting e sonhava ser o Chirola a balancar a rede.

Ao longo dos anos os clubes vão mudando e é impensável manter uma matriz imutável ao longo de tantos anos. Não sejamos ingénuos, o porto e o benfica não foram sempre os antros de corrupção que são hoje. Assim como o Sporting não teve sempre à frente dos seus destinos um conjunto de pseudo viscondes de colarinho branco.

Isto importa para dizer o seguinte:

O Sporting de hoje é finalmente um clube de acordo com a minha personalidade e valores. Lutador, competente, rigoroso, orgulhoso da sua história, dos seus atletas e adeptos e principalmente do caminho que percorre. Quem tem a razão do seu lado não se pode vergar a nada nem ninguém.

O que o mundo tem que perceber é que o Sporting mudou completamente. Este é um Sporting novo à imagem do seu líder e não tenho qualquer tipo de duvida em dizer que tem uma esmagadora maioria dos Sportinguistas ao lado de Bruno de Carvalho. Mas não sejamos inocentes, existe um conjunto de pessoas muito ligadas a um “antigo regime” que nunca mais colocará os pés em Alvalade. Uns por interesses obscuros outros por uma questão de valores pessoais não conseguem aceitar BdC. Infelizmente a maioria dessa gente está muito bem posicionada na sociedade Portuguesa e consegue ter acesso e uma participação fortíssima nos meios de CS. São os mesmos que silenciavam as contratações patéticas, o delapidar do património do clube, as classificações miseráveis e os resultados financeiros ruinosos, refugiando-se na tal credibilidade e competências dos tais “gestores de topo” que nos levaram quase ao abismo.

Para além dos nossos inimigos naturais é também preciso lutar contra este tipo de gente.

Temos obtido resultados financeiros fantásticos, regressamos à Champions com uma equipa de tostões, continuamos a lançar jovens de grande qualidade na nossa equipa principal, finalmente temos uma gala condigna de um clube da nossa dimensão, temos vindo a melhorar as infraestruturas do clube em todas as vertentes (novo autocarro, obras na academia e estádio, requalificação do multidesportivo a avançar), vamos finalmente ter o nosso tão desejado pavilhão, temos de regresso o hóquei à esfera do clube e a ganhar, temos todas as secções a trabalhar melhor do que nunca com cada vez mais condições e qualidade, temos a equipa de futebol a ganhar finalmente títulos (Taça e Supertaça), fomos buscar o maior treinador da história do carnide, temos cada vez mais gente nos estádios a apoiar a equipa, lideramos em termos mundiais a luta contra fundos de investimento e modernização do futebol (quantas vezes na sua história um clube foi recebido na FIFA e na UEFA para discutir e apresentar soluções para o futebol mundia?), o novo site está espectacular e de acordo com a grandeza do clube e em breve será uma realidade, temos vindo a travar uma luta séria contra aqueles que delapidaram o património do clube, vamos para os tribunais contra quem quer se atravesse no caminho do clube e invariavelmente temos ganho (Bruma, dolo na Taça da Liga).

Tudo isto a somar à reestruturação financeira que tinha que ser a prioridade deste mandato. Eu pergunto, isto não é um trabalho absolutamente genial?

Para alguns o que importa salientar é o Carrillo, o Shika (a brincar até ganhamos dinheiro), Marco Silva ou termos perdido uns jogadores para os rivais? É isto que estes pseudo notáveis conseguem vislumbrar em todo este trabalho.

BdC é um autentico herói ao dar a cara contra toda a imundice e corrupção que graça cá no burgo. Muitas criticas obteve por ter estado no Prolongamento. Um programa menor dizem alguns para um Presidente do Sporting. Eu concordo. Num mundo ideal nunca na vida o presidente do Sporting teria de se sujeitar a tal coisa, mas não estamos nesse mundo. Estamos num antro de corrupção, compadrio e interesses obscuros e é contra tudo isto que temos que lutar. Por isso só posso estar ao lado deste homem.

O que custa a muita gente perceber é que era muito mais fácil para ele ficar em casa com a sua família. Contudo ele prefere dar a cara e o corpo às balas pelo nosso clube. Haverá atitude mais convicta de um rumo para o clube do que esta?

Para os que ainda não perceberam, estamos neste momento sob fogo cerrado do recreativo da roda e do milhafre e temos que responder com as armas que temos. Se o presidente é o único com poder de fogo neste momento para definir a agenda mediática que o faça.

BdC é o Presidente mais odiado da história do clube entre os adeptos dos outros clubes. Só por aqui se vê que estamos no caminho certo. Para os nossos rivais gente séria e competente eram aqueles de quase destruíram o nosso clube. Verdadeiros gentleman´s do croquette que recebiam os corruptos em nossa casa com honras de chefe de estado…

Quanto aos outros paineleiros, jornaleiros e adeptos rivais cabe-nos dar uma resposta à altura. A presença de BdC naquele programa não foi mais do que um discurso de recrutamento para a guerra.

Acabo como comecei. Assim como o meu pai decidiu sozinho qual o seu clube está na hora de todos fazermos a pergunta a nós próprios e aos nossos familiares e amigos. Porque é que somos do Sporting? É este o “nosso” Sporting?

Se for só há uma opção. Lutar pelo nosso clube!

Para os outros há duas soluções. Essa meia dúzia de otários, o herri batasuna cá do sítio (como dizia alguém) tem duas soluções. Apresentem-se a eleições ou então ponham-se no put@ que os pariu!!!

Pra cima deles todos como leões!

“Calma que o povo é sereno”.

Todos nós lidamos com sportinguistas que embarcam naquilo que lhes é impingido na Comunicação Social e convenhamos que não é fácil resistir à massiva campanha de desinformação centrada na pessoa do presidente, que arrasta também, e como é óbvio o clube. Cunha Vaz prometeu, Cunha Vaz está a cumprir.

Costumo “desarmá-los” dizendo que se o presidente tivesse realmente algum esqueleto no armário, da maneira que é escrutinado, já há muito que a bomba estava cá fora que oportunidades não faltaram. E esta cena do wiki coiso só o vem comprovar (por vezes, efeito PPC, angustia-me a ideia de isto poder ser um inside job, de tão inóquos são os segredos revelados). A minha experiência pessoal diz-me que, dos mais velhos aos mais novos (muito menos), todos os desconfiados estão a aceitar o “estilo Johnny Rotten” (confessadamente propositado) e a render-se aos resultados financeiros, patrimoniais e até desportivos obtidos.

Se BdC concorrer à reeleição estou convicto que volta a ganhar. Mas vencer o título nacional rapidamente é essencial para consolidar o projecto e calar os ratos.

PS: É um prazer “rever-te” [member=14672]johnfrusciante

Eu fui sempre daqueles que nunca considerei o Bruno de Carvalho com um ser perfeito como muitos aqui mas sempre apoiei-o contra a ramela que geria o Sporting.

Sinceramente a sua gestao esta a ser muito melhor do que aquela que esperava. Senti antes de ele ser eleito presidente que o Sporting era um caso perdido e agora mudei de opiniao. Talvez por isso estao todos contra nos. Estamos em guerra e em guerra nao e’ tempo de criticar o nosso general. Temos de lutar ao lado dele.

Pensar neste momento em alternativas para presidente do Sporting e’ estar ao lado dos nossos inimigos.

Lion73 quando li o teu ultimo paragrafo do mitroglou do cervi e do danilo nao precisei de ler mais nada, felizmente comecei a ler debaixo para cima. Hadesme dizer um clube que a contratar jogadores ate 500 mil euros acerta em todos, dois grandes exemplos disso é o jefferson e o slimani, vai consultar quanto gastaram neles e olha quanto valem agora, nao estou mesmo nada preocupado com o mitroglou quando temos o slimani, quem é o danilo ao pe do william, o unico que ainda te posso dar o braco a torcer é o cervi, mas rezo para que seja um cepo.

Não é tarde para aprenderes a ler os textos do principio para o fim. Acredita, costuma dar jeito.

Ahahah peco desculpa xD li o titulo do topico, depois leio aquele ultimo paragrafo carregado de ironia…sorry lyon73. SL

Grande post Lion, subscrevo a 100%!

I can feel the winds of change…acho que é um processo que esta a começar.
Uma coisa é certa quando estivermos todos juntos, a remar para o mesmo lado, com demonstraçoes como a dos leoes do Luxemburgo, ninguém nos podera parar!
Depois de todas estas polémicas, do palhaço do serpa a dizer que o Bruno deve ouvir a oposiçao dentro do Sporting, a resposta dos Sportinguistas no Luxemburgo foi uma rajada de metralhadora na tromba deles. “Bruno de Carvalho recebido em apoteose” deve ter custado muito ao rascord escrever isto, 3 days after the nuclear bomb! ;D

Em 3,5 M de pessoas há de tudo, inevitavelmente, e em todas as comunidades há os lideres e os seguidores, os corajosos e os menos corajosos, os cultos e menos cultos, os inteligentes e menos inteligentes, etc. etc.

Não se pode assim lançar um anátema sobre os menos esclarecidos ou corajosos. São tão Sportinguistas como os outros.

Compreendo o sentimento de alguma frustação, mas este post, sem intenção de ofensa, roça o arrogante.

Concedo a arrogância.

Mas eu, consciente da minha irrelevância no mundo do Sporting, tendo ainda assim o privilégio de fazer ouvir a minha voz, por pouco peso que tenha, quer neste espaço, quer em outros, tenho também o cuidado de, quando opino, sustentar essa opinião com base na recolha de informação e com o conhecimento mínimo das matérias.

Como dizia e bem o Nuno em outro tópico, podemos levar isto tudo na brincadeira e acrescento eu como o simples débito de sound bytes, ou levamos isto a sério. Quando me refiro a “isto”, refiro-me ao clube.

É o Sporting um simples passatempo que nos diverte e distrai ou faz parte das nossas vidas e queremos de alguma forma, dentro das nossas capacidades e disponibilidade, contribuir para um Sporting mais forte e defendê-lo quando é atacado?

Se é a primeira e para quem vive o clube dessa maneira e com legitimidade, que se escuse de falar sobre o que não sabe, nem quis perder tempo em procurar saber.

Se é a segunda, que tenha presente que muitos adeptos não aceitarão a subalternização do Sporting perante ódios e preferências pessoais e convicções vazias sobre perfis presidenciais, em um cenário de clara e evidente recuperação do clube, em todas as vertentes, em um momento em que o clube volta a ter voz no país futebolistico, em um momento que o clube começa a ter algumas condições, mesmo que inferiores, de combater o domínio dos rivais.

Não se trata de ( querer ) fracturar ( ainda mais ) o “todo” , mas sim de assumir responsabilidades sobre que tipo de clube se quer.

Não demos uma volta de 180 graus, fizemos ruir o Sporting das cooptações e do hobby de fim de semana para gestores de topo que praticamente destruiram o clube, para assistir impávidos e serenos a sportinguistas a fazer o mesmo tipo de trabalho que os lampiões estão a fazer.

Não faltava mais nada.

Muito bom! é exactamente isto.
Aqueles para quem o Sporting é mais que um hobby, têm de mostra-lo agora! Esta na hora de parar com lutas internas, todos os Sportinguistas têm de virar as baterias para o externo, ler carnide!

Não se pode desafiar os 3 milhões de sportinguistas na defesa do clube. A minha mãe, por exemplo, estará incluída nesse número, mas é capaz de estar mais preocupada com o que é que há-de fazer amanhã para o almoço.
O que é preciso é uma guarda pretoriana que saiba defender os interesses do Sporting nos diferentes palcos, desde os órgãos das instituições desportivas (Federação, Liga, etc.) até à comunicação social.

O que não entendo é o titulo do tópico… Não sei porque uma opinião não foi colocada no tema do presidente invés de criar um novo.

É um artigo de opinião em um quadro de artigos de opinião. Entendido?

@Leao do Sado

Obviamente que os 3M sao so para dar uma ideia da disparidade, entre o numero de Sportinguistas e os que dao a cara pelo Sporting! Nesse numero estao todos os simpatizantes, os que perferem o Sporting por exclusao de partes, os que nao ligam ao futebol, etc. Nao estamos a falar deles.

Quando se critica a falta de “activismo” dos Sportinguistas, fala-se por um lado nessa guarda pretoriana que mencionaste, e que na minha opiniao deveria ser constituida de todas as personalidades mediaticas afectas ao Sporting!
Por outro lado a critica inclui também os adeptos e mais uma vez nao sao os 3M que estao em causa.

Dou-te um exemplo so de Sportinguistas motivados:

imagina uma marcha silenciosa de alvalade à FPF, no fim dum jogo, de noite cada um acende uma vela em homenagem à defunta verdade desportiva! É fotogénico teria impacto e cobertura, uma adesao de 10% ja da “milhares de pessoas em protesto silencioso pela verdade desportiva”! Dava fotos boas, faceis de viralizar.
Mas os Sportinguistas nao se “dao ao trabalho” de fazerem algo do genero, que neste momento teria um impacto enorme!
Se todos nós que comentamos em blogs sobre o Sporting, escrevessemos um mail ao provedor dos programas da RTP, a dizer que nao estamos de acordo de pagar a televisao publica para ser representados pelo roc, é um simples copy/paste, mas como somos milhares isso teria impacto dentro da RTP! E para nós seria um simples click por dia.
Nós estamos a desperdiçar energia, enquanto “eles” ajustam as coordenadas e disparam todos na mesma direçao :inde:

Sim, eu percebo o que dizes, lyondream.
Mas será sempre impossível mobilizar grandes massas de adeptos.
Precisamos é de “snipers”, de gente bem informada, e de gente que aceda aos lugares de decisão.