Entrevista com Paulo Fernandes, treinador de futsal do Sporting

Para quem estiver interessado, o site Desporto10 publica hoje uma entrevista exclusiva com o treinador de futsal do Sporting, Paulo Fernandes…

Já agora meto aqui a entrevista…

Só penso no Sporting”, Paulo Fernandes

O treinador da equipa de futsal do Sporting CP Paulo Fernandes em entrevista exclusiva ao Desporto10 espera, que esta época o clube consiga conquistar os títulos nacionais, e aposta forte em trazer para Portugal um troféu a nível internacional.

Desporto10 – Quais são as expectativas para a nova época e para o jogo de domingo frente ao Odivelas Futebol Clube?

Paulo Fernandes – As expectativas são as mesmas de todos os anos. É o início do campeonato e vamos querer começar com uma vitória. Sabemos que o adversário nos conhece bem, o seu técnico já passou pelo Sporting. Alguns jogadores também e, como tal, espero que consigamos um jogo dentro daquilo que foi a Supertaça.

D10 – Qual foi a importância para a equipa, em termos de motivação, ter começado a época a ganhar a Supertaça?

PF – Eu penso que é sempre importante ganharmos pelo facto de não termos ganho só um jogo, mas por termos ganho um título contra um dos grandes candidatos ao título, senão o principal candidato. É o eterno rival deste clube é o bi-campeão em título e, claro, que isso trouxe-nos uma motivação maior, até porque estávamos muito mais limitados que eles em termos de castigos e lesões. Já conquistámos a Supertaça mas temos, que manter o mesmo nível competitivo já com o Odivelas, porque independentemente de ser um clube acabado de chegar da 2.ª divisão vem também com as suas expectativas altas e com objectivos bem específicos.

D10 – O Sporting CP, na época passada, perdeu muitos pontos em casa. Foi um dos grandes factores que condicionou a equipa para a qualificação da fase do playoff?

PF – Sim, foi. O Sporting CP, no ano passado, perdeu 27 pontos, que correspondem a nove derrotas. De qualquer forma, é com esses exemplos da época passada que nós temos de preparar o futuro e temos de ter consciência que não podemos cometer os mesmos erros, sejam eles com equipas de menor ou maior valor.

Se aparecer mais uma equipa como apareceu no ano passado o Belenenses, iríamos ficar bastante contentes”.

D10 – Além do Sporting CP e do SL Benfica como crónicos candidatos ao título, podemos juntar o Belenenses novamente esta época?

PF – O Belenenses, o Freixieiro, a Fundação e outro outsider, que possa aparecer, à imagem daquilo que aconteceu com o Belenenses na época passada. Espero que mantenha a mesma consistência e acredito que sim.

D10 – Das equipas que estão na primeira divisão qual é que acha que poderia fazer uma época semelhante à do Belenenses?

PF – Eu não gosto de falar muito sobre esta ou aquela equipa para depois as outras não ficarem chateadas. No entanto, há equipas que se preparam muito bem, que acabaram por trazer para os seus quadros jogadores com muita experiência de muito bom nível. Portanto, se puder aparecer mais uma equipa como apareceu no ano passado o Belenenses, todos nós no desporto, e nomeadamente no futsal, iríamos ficar bastante contentes.

D10 – Como é que viu a mudança do André Lima de jogador do SL Benfica para a função de treinador?

PF – Não é um assunto que me diga respeito, pelo contrário. Isso é um assunto interno do Benfica, mas de qualquer forma depois da carreira dele como jogador e agora com este início de uma nova carreira, talvez o André possa perceber algumas atitudes ou escolhas dos seus anteriores treinadores.

D10 – E acha que o André Lima pode vir a ter sucesso como treinador da mesma forma que o teve enquanto jogador?

PF – Não sei, não faço a mínima ideia. É uma questão que poderia ser boa para o futsal. Agora, se vai ter ou não, depende do trabalho dele, da sua capacidade, da humildade que possa vir a ter na procura constante de valorização pessoal.

D10 – Via no plantel do Sporting CP algum jogador que pudesse vir a seguir o mesmo exemplo?

PF – Sim, o próprio Zézito. Acredito que daqui a uns anos possa vir a ser treinador de uma equipa. Há sempre um processo de aprendizagem, porque todos os treinadores passam por ele mas não se pode esconder tudo atrás de uma vitória ou de uma derrota.

“A Selecção está muito bem entregue e os resultados bem o demonstram”.

D10 – Disse há pouco que o SL Benfica é o principal candidato ao título. Que “armas” é que o Sporting CP tem para poder contrariar esse favoritismo?

PF – As mesmas que teve agora na Supertaça, muita humildade, muita vontade de trabalhar, jovens com muito talento e com vontade de aprender de demonstrarem, que querem ter o seu espaço e acima de tudo uma entrega total e disponibilidade para aquilo, que lhes é pedido.

D10 – É uma mais valia poder voltar a contar com o Paulinho na equipa?

PF – Sim, enquanto podermos contar com o Paulinho a 100 por cento, de certeza absoluta que vai ser uma mais valia.

D10 – Que diferenças encontra neste Paulinho e aquele da primeira passagem pelo Sporting CP?

PF – Um jogador mais maduro, que pensa muito mais no colectivo do que nas questões individuais.

D10 – Enquanto treinador, o que representa para si as chamadas do João Benedito do Cristiano e do Bibi à Selecção Nacional?

PF – Para já, é uma satisfação muito grande, porque é o reconhecimento do trabalho que é desenvolvido diariamente no clube. Por outro lado, é um processo natural naquilo que tem sido a evolução do futsal, o aparecimento de novos atletas e o terminar da carreira de outros.

D10 – Acredita que Portugal tem capacidade para ser campeão do Mundo?

PF – Claro que tem e temos todos de pensar que estamos num momento de consolidação de processos e experiência. Acredito perfeitamente que temos todas as condições para fazermos, no mínimo igual, àquilo que fizemos na Guatemala, em 2000.

D10 – O seleccionador Orlando Duarte treinou o Sporting CP e agora está na Selecção Nacional. O Paulo Fernandes também gostava de treinar um dia a Selecção?

PF – Não, neste momento só penso no Sporting e quero ser treinador do clube. Aliás, a Selecção está muito bem entregue e os resultados bem o demonstram. Queria aproveitar para enaltecer o trabalho do Orlando Duarte, que foi feito agora como seleccionador universitário ao Mundial. Agarrar neste número de jovens e conseguir trazer para o desporto universitário, em particular, e para o desporto nacional, de uma forma geral, uma medalha de ouro deve orgulhar-nos, a nós portugueses, mas principalmente aos agentes do futsal. Portanto, isto é um incentivo para o Mundial que vem aí, sabendo que são realidades diferentes mas a vontade tem de ser exactamente a mesma.

“Festejei a Supertaça como se fosse a primeira e foi a terceira”.

D10 – O Paulo Fernandes motiva sempre os seus jogadores da mesma forma para todos os jogos ou essa motivação varia consoante o jogo?

PF – Não, cada adversário é um adversário. Cada semana é uma semana. Tudo tem haver com a forma como é desenvolvida a semana, as coisas que vão acontecendo.

D10 – A nível pessoal qual era o título que gostava de ganhar este ano no Sporting CP?

PF – Tenho o objectivo de conseguir atingir metas que antes nunca foram conseguidas: o pleno nacional na mesma época e conseguir um título europeu, que também nunca nenhuma equipa portuguesa o conseguiu.

D10 – O seu grande objectivo de carreira é conseguir ganhar um título europeu?

PF – Meu e de todos os treinadores, seja em que modalidade for. A nível interno já ganhei tudo o que havia para ganhar mas festejei a Supertaça como se fosse a primeira e foi a terceira. Vamos procurando sempre objectivos que nos possam motivar. Este grupo nunca tinha conseguido uma “dobradinha” e conseguiu-a felizmente comigo.

D10 – Este ano procura repetir os mesmos êxitos da época passada mas juntar-lhes o título europeu?

PF – Claro. Este ano o nosso objectivo, o meu e passo isso para todos os atletas, é conseguir o pleno interno e vamos apostar forte na Recopa, para tentar trazer para Portugal um troféu que nunca cá esteve.

É fácil quando temos muito dinheiro e vamos contratar jogadores aqui ao lado”.

D10 – Se pudesse escolher um jogador de outra equipa do campeonato para juntar ao Sporting CP qual seria?

PF – Qualquer que se encaixasse na nossa maneira de ser e de actuar, na nossa forma de estar, que já é difícil. Acima de tudo, que trouxesse qualquer coisa de acrescento a esta equipa, que também ainda torna a escolha mais díficil.

D10 – O Sporting CP este ano perdeu o Nenê. Isso muda alguma coisa na táctica da equipa para os jogos?

PF – Isso é um falso problema. O Sporting CP deixou de ter um pivô com as características únicas do Nenê mas criou condições e soluções para aparecerem outros dois pivôs. Eles estão a fazer exactamente as mesmas coisas que o Nenê fazia mas com possibilidades de fazerem outras coisas também. Já li em vários órgãos da comunicação social, que jogámos sem fixos contra o SL Benfica, que jogámos sem pivôs e que só jogavam alas. Se eu conseguir todos os títulos a jogar só com alas, da forma como toda a gente apontou, não vou precisar nem de fixos nem de pivôs.

D10 – O Sporting CP foi acusado várias vezes de só ter um português, o João Benedito no cinco inicial e os outros quatro jogadores serem brasileiros. Essas acusações preocupam-no de alguma forma?

PF – Ainda bem que me faz essa pergunta. A nível interno não admito mentalidades tacanhas dos jogadores. Não admito que os cinco jogadores que iniciam o jogo pensem que têm mais valor do que os outros, porque se calhar muitas vezes são os que jogam menos tempo. Quanto ao facto de serem portugueses ou estrangeiros não me preocupa. Só tenho de me preocupar com o facto de ter um orçamento para cumprir e, como tal, temos de gerir o dinheiro anual, nunca pondo de parte a capacidade desportiva da equipa. Por outro lado esses comentários fazem-me rir porque das equipas, que são apontadas como candidatas ao título, nós somos a unica equipa que apresenta jogadores formados no seu próprio clube na equipa sénior, portanto em maior quantidade.

Jogadores utilizados na Supertaça

“[b]É fácil quando temos muito dinheiro e vamos contratar jogadores aqui ao lado, a um clube mais próximo, e não nos preocupamos demasiado com a formação.

Se olhar para o último jogo da Supertaça vejo nos elementos que foram utilizados pelo Sporting CP em campo, cinco foram formados cá. Do lado do Benfica dois foram formados no Sporting CP, por isso não estou minimamente preocupado com isso.[/b]”

Aposta na formação

O que eu sei é que dos jogadores que nós utilizamos tendo em conta, que o mercado esta cada vez mais inflacionado se é para apostar em jogadores portugueses, então vamos apostar nos da nossa formação e isso é um incentivo para todas as camadas jovens que nós temos, nós estamos a meter todos os anos um jogador na equipa sénior vindo da formação.

“Para que este processo continue, os jogadores que vão para 2.º e 3.º ano de escalão sénior têm de ser opção para o seu treinador, neste caso para mim. Isto tem-se vindo a confirmar, como agora se viu na Supertaça. O João Matos, o Jorge Fernandes, o João Benedito… Tinha o Diogo na selecção universitária e tinha mais um jovem, que ainda não está preparado, que era o Éder. Ele estava no banco, juntamente com outro guarda-redes, o Sandro. Portanto, todos estes jogadores foram formados no clube. Para estes jogadores crescerem, têm de ter uma retaguarda forte. Não tendo nós dinheiro para criar essa retaguarda com jogadores portugueses, temos de procurar jogadores estrangeiros dentro do nosso orçamento mas com muita qualidade.”

Objectivo futuro

À medida que forem aparecendo jogadores portugueses, porque é o meu objectivo e do Sporting CP, vamos ter uma equipa totalmente formada por jogadores da formação e isso vai ser motivo de orgulho para o treinador actual e para todos os outros, que iniciaram esse processo. Vai ser este o grande desafio não sei se será esta equipa técnica a concluir esse processo, mas esta equipa de certeza que vai lançar essas bases para, daqui a 5 ou 7 anos no máximo, seja uma equipa só com jogadores formados no Sporting CP.:clap:

Entrevista: Rodolfo Reis

Foto: Desporto10

Fonte: http://www.desporto10.com/detalhe.php?id=17751

Gostei da entrevista. Cada vez estão a apostar mais na formação, o que deve deixar todos os sportinguistas orgulhosos. Vamos partir para este época com o pé direito para conseguirmos atingir os objectivos traçados!

Força SportingCP!

Paulo Fernandes, um senhor! :clap:

Diria mais … um GRANDE SENHOR do futsal … Muito Boa entrevista !!

E atenção que a formação de futsal trabalha no duro, já assisti a treinos e só de ver fiquei cansado :lol:

Em 1º lugar :clap: :clap: Um sr., não fugiu às perguntas e respondeu a todas não deixando de dar recados bem direcionados.

Depois, gostei especialmente desta passagem:

D10 – Como é que viu a mudança do André Lima de jogador do SL Benfica para a função de treinador?

PF – Não é um assunto que me diga respeito, pelo contrário. Isso é um assunto interno do Benfica, mas de qualquer forma depois da carreira dele como jogador e agora com este início de uma nova carreira, talvez o André possa perceber algumas atitudes ou escolhas dos seus anteriores treinadores.

Como quem diz, fizeste a folha ao Beto, pode ser que a façam também a ti. E se não te preocupasses tanto com o teu umbigo, se calhar percebias porque é que tu e os teus amigos já não jogavam tanto.