Em qualquer canto há um sportinguista

Decidi partilhar 2 fotos fresquinhas tiradas esta semana em Pipa (Brasil).

Tive pena de não ter ficado a saber historia desta camisola :frowning:

:smiley:

Praia do Madeiro?

Sim :wink: Já lá estiveste?

Yup. Espectáculo a praia.

:lol: é pá tem uma assombração de branco ao lado do brasuca, eh eh :wink:

Se virem uma no Rio de janeiro sem nome nas costas, fui eu que a mandei :smiley:

Quando estivce no brasil falei tanto do meu clube a um colega brasileiro, que ele me mandou uma do clube dele, e eu uma do meu! Ele adorou as côres … vá-se lá imaginar porquê :smiley:

Historias destas devem existir muitas … brasilerios que visitam portugal … adeptos de determinados jogadores que vão comprando as camisolas deles nos clubes por onde passam … etc…

Mas é agradável de ver! :smiley:

Se virem um cachecol (é pouco provável porque faz imenso calor mesmo no inverno) na zona de Porto Seguro / Arraial D’Ajuda… fui eu que o andei… :smiley:

:lol: é pá tem uma assombração de branco ao lado do brasuca, eh eh :wink:

Será uma boa brasileira da qual nos quiz preservar :stuck_out_tongue: ?

Por mim existe um cachecol em Nova Yorque e uma camisola no Morro de S.Paulo(por causa do Liedson,já deve haver mais) e outra em Buenos Aires!!!

Fui uma vez a Macau,quando estava na rua vejo uma mota,uma acelera,com um autocolante do nosso grandioso clube,tirei tantas fotos que apareceu o dono a perguntar-me qual era o problema :lol: :lol: .

O problema é que somos muito grandes…e vamos continuar a sê-lo!
È tão bonito ver as cores do nosso clube lá por fora!!!

é complicado perceber como é que um gajo no brasil consegue estar tão pálido, tão não bronzeado :).

Se virem uma no Rio de janeiro sem nome nas costas, fui eu que a mandei :D

Quando estivce no brasil falei tanto do meu clube a um colega brasileiro, que ele me mandou uma do clube dele, e eu uma do meu! Ele adorou as côres … vá-se lá imaginar porquê :smiley:

Historias destas devem existir muitas … brasilerios que visitam portugal … adeptos de determinados jogadores que vão comprando as camisolas deles nos clubes por onde passam … etc…

Mas é agradável de ver! :smiley:


Sim, no brasil existem muitos coleccionadores. Eles adoram camisolas de clubes e trocam muito com outros adeptos de futebol. No Sporting existem vários adeptos com correspondentes brasileiros. O “código do Mundo Ultra” tem as trocas e conhecimentos de outros movimentos com este tipo de correspondências como item, digamos assim.

Deixei escapar este post por completo! :oops:

Não sei se apanharam esta reportagem no Expresso de à umas semanas atrás:

No longínquo e francófono Mali há rapazes que vestem camisolas da selecção portuguesa, do FC Porto e do Sporting. O Benfica não foi convocado para este campeonato.

18:09 | quinta-feira, 18 JAN 07

Link permanente: x

O pequeno Isaau, de 5 anos, enverga uma bela camisola do Sporting

Dizem os geógrafos que Kayes é a localidade mais quente e continuamente habitada de África. Não é mito. Nas ruas labirínticas e abafadas da cidade do Mali, há gente atarefada que carrega na cabeça cestos com laranjas, vende peixe frito ou apregoa por cigarros baratos. Uns poucos metros mais abaixo, dezenas de homens agachados lavam a roupa à mão, nas margens do rio Níger, o segundo maior do continente. Leram bem, homens – também há lavadeiras com lenços na cabeça, mas são uma minoria. O trabalho, duro, é muito másculo no Mali.
Abdul, de 17 anos, esfrega o monte de camisas com sabão e ferocidade. É fácil reparar nele no meio da multidão, porque enverga uma t-shirt vermelha e verde da selecção de Portugal. Nas costas, tem inscrito o nome de Maniche. Abdul comprou-a no mercado, há um ano, durante a euforia do mundial de futebol. “Cést un grand jouer. Grand jouer”, repete, durante o minuto de pausa para a fotografia.
Ironicamente, no mercado de Kayes não estava à venda nenhuma camisola de clubes ou estrelas portuguesas. Pelo contrário, o brasileiro Ronaldinho, ainda no top de popularidade dos malianos, parece omnipresente: há fotos, caricaturas, miniaturas e claro, t-shirts do craque dos dentes salientes. Para surpresa nossa, em frente à banca de tapetes, passou um rapaz sensivelmente da mesma idade de Abdul envergando uma má imitação da camisola do FC Porto, mas ele não quis grandes conversas. Raspou-se de imediato, em passo acelerado.
Foi no parque de estacionamento do hotel Medine, no centro da cidade, que tivemos a visão da tarde: o pequeno Isaau, de 5 anos, com uma bela camisola do Sporting. O miúdo, claro, nunca ouvira falar do clube verde-e-branco e muito menos sabia quem era o tal de Douala, o nome escrito a tinta negra no dorsal. Mas o jornalista português – um lagarto inveterado – ensinou-lhe umas máximas universais. Quando nos despedimos, minutos depois, já Isaau sabia dizer de cor: “Vive le Sporting du Portugal!”.
Curiosamente, não detectámos nenhum sinal de vida daquele clube que se orgulha de ter seis milhões de adeptos por todo o mundo e arredores. Vá se lá a perceber porquê…

eheh :smiley:

Deixei escapar este post por completo! :oops:

Não sei se apanharam esta reportagem no Expresso de à umas semanas atrás:

No longínquo e francófono Mali há rapazes que vestem camisolas da selecção portuguesa, do FC Porto e do Sporting. O Benfica não foi convocado para este campeonato.

18:09 | quinta-feira, 18 JAN 07

Link permanente: x

O pequeno Isaau, de 5 anos, enverga uma bela camisola do Sporting

Dizem os geógrafos que Kayes é a localidade mais quente e continuamente habitada de África. Não é mito. Nas ruas labirínticas e abafadas da cidade do Mali, há gente atarefada que carrega na cabeça cestos com laranjas, vende peixe frito ou apregoa por cigarros baratos. Uns poucos metros mais abaixo, dezenas de homens agachados lavam a roupa à mão, nas margens do rio Níger, o segundo maior do continente. Leram bem, homens – também há lavadeiras com lenços na cabeça, mas são uma minoria. O trabalho, duro, é muito másculo no Mali.
Abdul, de 17 anos, esfrega o monte de camisas com sabão e ferocidade. É fácil reparar nele no meio da multidão, porque enverga uma t-shirt vermelha e verde da selecção de Portugal. Nas costas, tem inscrito o nome de Maniche. Abdul comprou-a no mercado, há um ano, durante a euforia do mundial de futebol. “Cést un grand jouer. Grand jouer”, repete, durante o minuto de pausa para a fotografia.
Ironicamente, no mercado de Kayes não estava à venda nenhuma camisola de clubes ou estrelas portuguesas. Pelo contrário, o brasileiro Ronaldinho, ainda no top de popularidade dos malianos, parece omnipresente: há fotos, caricaturas, miniaturas e claro, t-shirts do craque dos dentes salientes. Para surpresa nossa, em frente à banca de tapetes, passou um rapaz sensivelmente da mesma idade de Abdul envergando uma má imitação da camisola do FC Porto, mas ele não quis grandes conversas. Raspou-se de imediato, em passo acelerado.
Foi no parque de estacionamento do hotel Medine, no centro da cidade, que tivemos a visão da tarde: o pequeno Isaau, de 5 anos, com uma bela camisola do Sporting. O miúdo, claro, nunca ouvira falar do clube verde-e-branco e muito menos sabia quem era o tal de Douala, o nome escrito a tinta negra no dorsal. Mas o jornalista português – um lagarto inveterado – ensinou-lhe umas máximas universais. Quando nos despedimos, minutos depois, já Isaau sabia dizer de cor: “Vive le Sporting du Portugal!”.
Curiosamente, não detectámos nenhum sinal de vida daquele clube que se orgulha de ter seis milhões de adeptos por todo o mundo e arredores. Vá se lá a perceber porquê…

eheh :smiley:

Ensinamentos sábios. :lol: