Discos de Vinyl, Gira-Discos, Coleções e Afins

Naquele tempo os Bifes tentaram milhares de situações. Na realidade só meia dúzia vieram a comprovar serem úteis.
Então sobre tratamento acústico da sala de audição… :sunglasses::grin::rofl::rofl:

2 Curtiram

Isso é verdade. Uma pessoa que queira um som diferente, para melhor, claro, dessas porcarias que se vendem às paletes, merdas de marcas comerciais, tem de gastar um bom dinheiro. E não sou, nunca fui um gajo abastado financeiramente, aquilo começava a ficar difícil. E o pior é se assinas alguma revista, ou compras regularmente uma revista em que tenha técnicos, ou gajos que testem diversos componentes, se lhes vais a dar aceitação, dás contigo a estourar dinheiro em sistemas que funcionam bem, casam bem, mas que só para determinado tipo de som. Género, óptimo para música clássica, mas tu até cures fado, ou jazz. E pior do que isso, até curtes música clássica, aquilo combina perfeitamente e tens ali um som excelente para aquilo que gostas de ouvir, mas chegas a casa e espetas aquilo tudo na tua sala, ou qualquer outra divisão de casa com uma péssima acústica. Estamos a falar de uns milhares de euros, porque um sistema médio/alto custa um bocado.
Ah e tal, experimente, oiça antes de comprar. Pah, aqui no Porto, casas de alta fidelidade que te davam uma boa atenção, só conheci a Imacustica, e eles permitiam que ouvisses la, faziam experiências e tal, mas era lá. Se compras um sistema que custe 100k euros, óptimas colunas, pré e amplificador separados e um bom gira-discos ou um bom leitor de cd’s, nem sei se é isso que bomba ainda, e uns bons cabos, se calhar os gajos até te permitiam levares para casa e experimentares no espaço onde ias colocar a treta toda; agora se pretendes gastar apenas 5 ou 6k euritos, não estou certo que te facilitassem isso. Sinceramente, não sei.
Resultado, la nas instalações deles parecia ser óptimo, em tua casa pode soar horrível.
Uma vez recebi uns convites para ir ao Áudio Show num hotel em Lisboa. Meti-me a caminho e fui sozinho até Lisboa à feira. Entrei num quarto do hotel onde estava em exibição um sistema constituído por colunas electro estáticas Magneplanar, um pre e amplificador e leitor de cd’s. Honestamente não me lembro do nome das marcas dos restantes componentes. Sei que estava orçado em vários milhares de contos. Aquilo foi em 1997, creio eu, ainda não havia euros. Foi das coisas mais horríveis que já ouvi. Um nojo autêntico.
Não vou duvidar da qualidade de cada componente, claro. O que ficou bem evidente foi que a má acústica do espaço onde aquilo estava exposto, desencorajava qualquer potencial interessado.
Audiofilia é para doidos.
Como dizes, o importante é víveres feliz com o que tens. Se te agrada, não mexe mais.
Apesar de tudo, a única paixão que me ficou dessa etapa da minha vida foi o Linn Sondek. Foda-se como aquilo é lindo. E hei-de comprar um, mas apenas para exibição/decoração.
Espero não ter uma recaída e querer tirar partido do GD, senão la vou eu rebentar novamente com o meu apertado orçamento.
É um clássico.

1 Curtiu

Um Linn LP12 é um clássico para uma vida. Máquina com 50 anos e que sobreviveu ao tempo. Os upgrades que têm feito deram sempre certo. Os Ingleses sabem bem o que fazem. Pena custarem o preço de um carro … :grin:

2 Curtiram

Sim, carote. O hi-fi dos ingleses sempre foi de altíssima qualidade.
Pena não ser para todas as bolsas…

1 Curtiu

Para os digital boys, entrar no mundo do vinyl de forma digital :grinning:

Bem, agora vai me chegar mais uma peça do meu avô para juntar ao sistema. Um deck de cassetes da Revox, ainda não sei o modelo. Quando tiver fotos já mostro aí :sweat_smile:

1 Curtiu

Revox = qualidade

2 Curtiram

Revox? Bommm meeellll!!! :joy: :heart_eyes: :heart_eyes:

Falta aqui um fã dos Nakamichi… :sunglasses::grin::shushing_face:

1 Curtiu

Revox B215. O que me dizem, tenho aqui uma pérola?

Yeap. Uma das melhores máquinas da altura. :slightly_smiling_face:

Xiii… Revisto, tens aí entre 700 a 1000 mérreis.
:clap: :clap: :clap:

2 Curtiram

Talvez mais que isso, não? Dos preços que tenho visto…

Os preços doidos são de lojas online ou físicas especializadas que também anunciam.

Geralmente pedem o dobro do preço de mercado.

1 Curtiu