Depois venham-me cá falar em direitos de autor...

O site russo de aquisição de mp3 AllOfMp3 «foi à vida» e com ele mais de 6 euros que eu tinha lá de créditos para fazer downloads de mp3. O site pagava directamente aos artistas e não às editoras e o que é mais curioso nesta história é que segundo a (ainda) actual legislação russa, a transacção de mp3 nos moldes em que o referido site levava a cabo, não era ilegal. Simplesmente, as pressões vindas do exterior, entenda-se interesses económicos de determinados lobies, forçaram o fecho do AllOfMp3.

Depois vêm-me cá com a conversa «da tanga» dos desgraçados dos artistas e tal, quando na realidade, quem se queixa e exerce pressão, são os grandes sorvedores de dinheiro, verdadeiros exploradores dos que criam e daqueles que adquirem as respectivas criações, mais conhecidos por empresas discográficas. Quando se lhes pergunta qual a diferença entre o preço de custo de um CD no mercado e o mesmo CD já com os honorários dos músicos, ocupação do estúdio, energia eléctrica, etc., fogem da resposta como o Diabo foge da cruz. Um CD que no mercado não é vendido por menos de 15 - 16 €, custa à saída da editora, cerca de 3 - 4 €, mas insatisfeitas, as editoras ainda reclamam direitos que aparentemente não têm, porque não são elas que extraem as músicas dos CDs, nem são elas que as comprimem para outro formato. Não vale a pena mandarem mais areia para os olhos, porque já se percebeu que aqui o problema dos «direitos de autor» são uma falsa argumentação, pois de outro modo, não tinha acontecido o que aconteceu com o site AllOfMp3. O busílis da questão, é que com o advento da Internet e do usufruto de uma gravação digital onde as editoras não são tidas ou achadas, a galinha dos ovos de ouro pode muito bem ir à vida num futuro próximo. Ou me engano muito, ou esta questão dos «direitos de autor» ainda vai dar muito que falar.

Sigam este link: http://mindboosternoori.blogspot.com/2007/05/allofmp3-and-drm.html >:D

Always , sobre esta matéria vem excelentes artigos esta semana no courrier internacional , estive a ler hoje , nomeadamente:

  • Musicos a darem com os pés às editoras discográficas e apostarem directamente em pôr as suas músicas directamente na net e apostarem em concertos ao vivo.
    -Especialistas na matéria a dizerem que a indústria discográfica tem morte anunciada
    -Que o maior erro das editoras discográficas foi não terem chegado a acordo com o site Napster e aproveitado a audiência de 40 milhões de utilizadores que foram dispersados para uma multitude de sites sem controlo.

E mais que agora não me recordo , podes ter uma ideia em http://courrierinternacional.clix.pt/ , mas para ler os artigos tens que ter acesso à edição em papel.

Quanto ao fecho desse site russo é mais um tiro no pé da indústria discográfica.