Daniel Bragança

é verdade, não sei qual é pior :joy:

Nem no banco faz te a vida miúdo sai deste clube mereces melhor

Aposta na formação.

2 Likes

Formação e tal…
Apostar nos miúdos de 17 e tal…

Já gravou o anúncio da Gamebox?

1 Like

Adan, Neto, Feddal, Antunes…

…tudo formação

1 Like

Estiveste bem meu menino .

Disputa neste momento um lugar nos convocados com o Plata.

O Bragança tem que ser convocado, esta situação não se pode repetir. Se é uma situação, que se vai tornar regular, então mais vale emprestar em Janeiro.

Não faz sentido não estar no banco, a menos que tenha algum problema físico.

O Bragança tem de ser aposta!

Não façam com ele, pelo amor de Deus, o que fizeram com o Geraldes. Tem imensas qualidades mas tem aspectos a melhorar, nomeadamente físicos, e não convém nada endeusarem o jogador ou causar-lhe vedetismos (felizmente parece-me que ele é imune a isso).

Vem da II Liga, está a adaptar-se à I e ao Sporting, até já jogou… mas se ficasse o Plata de fora, ou o Tabata, ou o João Mário (este então…) também teriam motivos para se queixar.

É trabalhar para melhorar e nos treinos mostrar ao treinador que é a melhor opção. Isto não é a Seleção Sub-21 (onde é suplente) nem o Estoril, calma… também acredito muito nas suas qualidades, mas para integrar o plantel. O resto é com ele.

4 Likes

O Matheus praticamente saltou para titular e tinha menos rodagem que o Daniel. Eu concordo contigo, mas tenho já a forte sensação que temos aqui um novo Geraldes.

O Matheus entra o ano passado com a concorrência do Battaglia, do Doumbia e do Eduardo Henrique…

E tem características físicas que o Daniel pura e simplesmente não tem.

Também acho o Daniel mais jogador, mas neste modelo e face à concorrência… precisa de algum tempo. E de algum trabalho físico extra-treinos.

Acho a questão física uma falsa questão. O Matheus Nunes aparentemente fisicamente é mais forte, o que isso acrescenta ao nosso futebol? Muito pouco.

O Daniel com bola é forte. Tem rotação. Gostava de o ver ao lado do Palhinha, acredito que um complementa bem o outro.

Do que vamos ter oportunidade de ver, o Daniel será a quinta opção para o miolo. Se jogarmos com três, ainda vai entrar nos convocados, se jogarmos com dois… difícil.

Tal e qual o Geraldes. Questão física para aqui, questão física para ali. Depois tudo o que se sabe.

O Daniel Bragança ou muito me engano ou vai penar esta época… para além dos preferidos do presidente (não esquecer que Matheus Nunes vai pagar o treinador), e claro dos “titulares” Palhinha e João Mário, o Daniel ainda tem o azar de ter feito o seu primeiro contrato profissional com o anterior presidente… o que o coloca, como se tem visto, na lista dos proscritos…
Vai ter vida muito difícil esta época…
E não falem de físico ou de intensidade… isso tem ele que chegue, com uma qualidade técnica e inteligência de jogo ímpar…
Estou de acordo com o que li acima, infelizmente cheira a novo Geraldes!

O Geraldes comeu foi banco a mais. E tinha características que o tornam um jogador mais complicado de encaixar. O Chico é um joker, não é um jogador de amarras tácticas. Jogadores como o Daniel, o Plata, entre outros, não podem sentar jogos a fio.

Aqui não é uma questão de vedetismos. Eu sempre gostei do jogador, mais que do Miguel Luís, por exemplo (que subiu primeiro sabe-se lá porquê - foi pelo físico?), mas não digo que seja produto acabado ou vá ser dos melhores da liga ou sequer do Sporting. Mas se tenho de andar a levar com dores de crescimento de um jogador que é mais mole que sei lá o quê, não posso tentar levar com as dores de crescimento deste porquê? Se é para ser 3ª opção e fazer 200 minutos na época, mais vale sair.

Posso estar enganado, mas a frente dele parte o M. Nunes e se este não estiver, mais depressa o Amorim coloca a jogar nessa posição o Pote ou o João Mário do que o Daniel.

Esta discussão sobre o Daniel é uma batalha perdida para quem não vê nele o portento que alguns vêm.

Se nunca chegar a provar esse valor, será porque não lhe foram dadas oportunidades. Se jogar muitos jogos e acrescentar pouco, dirão que é por causa da posição, ou dos companheiros.

O Daniel será sempre inimputável para muitos (como o Gauld). Será sempre culpa de alguém, que não o próprio, não fazer uma carreira brilhante.

Dificilmente, alguém aqui ficará mais feliz que eu se ele demonstrar valor para ser titular no Sporting (este ou outro mais forte). Mas tenho dificuldade, do que conheço e conheço alguma coisa, em ver no Bragança potencial para ser um craque numa equipa com a exigência do Sporting. Espero me enganar.

Não, acrescenta bastante: roubar bolas, capacidade de chegar aos espaços ofensivos e defensivos mais rápido (porque demora menos tempo a chegar de um ponto a outro) e uma capacidade totalmente incomparável nas bolas divididas (onde o Bragança neste momento não ganha um lance, seja pelo chão ou pelo ar).

Não gostam do futebol moderno? Eu também gostava mais do antigo… mas hoje não basta ser bom com bola. Sobretudo num meio-campo a dois, sobretudo na posição de médio-defensivo que é onde o Matheus Nunes tem feito 99% dos seus jogos.

O problema do Chico foi só um: achar-se mais jogador do que era e ter uma tendência inacreditável para dificultar o que é simples. Também conseguia simplificar o que parecia difícil, mas um jogador com tanta perda de bola por querer fazer um “bonito” (um lance criativo e inesperado) a cada lance teria de ter uma capacidade de definição estrondosa para não estar hoje a jogar no Rio Ave. Ou para ter sucesso na Alemanha. Ou na Grécia. Ou no Sporting.

O Daniel já cá devia estar há um ano, mas cá chegado tem de trabalhar para evoluir num aspecto do jogo onde é mais fácil evoluir dentro do Sporting do que fora do Sporting.

Não é competição que lhe falta para evoluir (não lhe falta competição para a idade), nem o que lhe falta ganhar se ganha com jogos.

E depois sim, quando ganhar isso pode ser lançado e pode provar se está ou não pronto para ser o que as pessoas dizem dele. Eu gosto muito do Daniel, mas não transponho para o Sporting A o rendimento que teve nos júniores, nos sub-23 e na II Liga. Ou seja: não acho necessariamente que será igual. Para a I Liga ainda transponho, para um grande da I Liga ainda não.

O Plata é um caso bem diferente. Se o Geraldes complicava às vezes em demasia o fácil para parecer um jogador imaginativo, criativo e disruptivo (diferente), o Plata complica em demasia o fácil porque nunca esteve habituado a fazer o que é fácil. Não é para se evidenciar, é porque foi assim que jogou sempre. A esse os treinos ajudam, mas esse sim precisava de ser emprestado, de muita competição, de jogar e errar onde possa errar e perceber que errou sem perder inteiramente a confiança (e sem o mandarem de volta para o banco) para aprender a jogar um futebol diferente daquele que ele conhece bem e que aqui não funciona.