Cristiano Ronaldo - Parte 2

Não há hipótese, vai ser sempre uma diferença de estilos.

Ronaldo é o gajo do Rock n’Roll que prefere ser diferente e partir tudo no sítio mais improvável a partir do zero.

Messi é o homem-bom que nasceu com um dom, tal como Beethoven.

Contudo, Ronaldo também tem muita classe e Messi uma grande garra.

Mas partem de polos distintos, isto não tem a ver com quem é o melhor.

Eu entendo que o mais difícil na vida é aguentar a pressão que as adversidades nos trazem, mais do que alguém é Cristiano Ronaldo o mais completo pois partiu a louça toda onde passou, e sempre que foi criticado rebentou a escala, é o melhor e mais ninguém alguma vez vai ser o jogador que ele foi.

1 Curtiu

Quem nao teria inveja?
Bastava ser metade do Ronaldo a jogar futebol, 1/10 do seu patrimonio (50 milhoes) e so’ pedia a Merche Romero (na altura). Ja’ tudo e a vida que tem, isso dispenso. :slight_smile:

Por acaso foi um jogo mais divertido que o habitual, ainda por cima antes dos jogos Villa-Real e Tot-Man City, golos como o crl ontem.
O gajo estava a divertir-se, agarrado ao Marega, a gozar com o Ramos, etc.

Estava com um ar divertido. Qual é a cena? Eu também festejo golos quando jogo futsal a brincar lol. Há com cada comentário. Se o gajo estivesse com a cara fechada também comentavas. Deixa-o la estar na Arábia Saudita, a mim interessa-me pouco já

1 Curtiu

se a coisa correr minimamente bem, por lá… concordo.

Um bocado triste é ter de ler os teus comentários, fds

1 Curtiu

troll-troll-detected

Chiiiii pesetero, que foi isso.:joy:

Tás a meter isso aqui porquê?
Não vês que é triste?

:rofl: :rofl: :rofl:

Até parece que não viste os festejos como se fosse uma final da Champions…
Deve ser por ter jogado contra o seu ídolo Messias…

Haaa? Não percebi.

Anda aí um marmelo a dizer que a carreira do Ronaldo atingiu um ponto triste…
Não lhe falta tempo!

1 Curtiu

Este tópico parece o ilori a tentar ser jogador da bola.

1 Curtiu

Haaa deve de estar nos ignorados então. Ok obrigado.

Não digas mal do Ilori que até o Liverpool o contratou, ele tem de ter qualidade…

Thierry Henry Smile GIF by hamlet

Olha se o Varandas vem cá ler isto e ainda lhe faz uma proposta e ele…aceita. :joy:
Virava um ídolo…ao nível de um Nani.

2 Curtiram

Foda-se :joy::joy::joy:

1 Curtiu

Mas no primeiro golo (do PSG), o Messe corre e festeja e vem Neymar e Mbappé, que participaram na jogada, e os três festejam bastante até.
Marcaram a uma equipa saudita e festejam como na Champions???
Epá, prefiro o Ronaldo festejar por ter marcado ao milionário PSG jogando por uma equipa saudita… :joy:

Dois prestiados jornalistas do diário espanhol ‘El Mundo’, Orfeo Suárez e Esteban Urreiztieta, publicaram um artigo em que analisam o processo que conduziu à rutura das relações entre Jorge Mendes e Cristiano Ronaldo.

«O Bayern, o Chelsea ou rompemos», foi o ultimado lançado pelo jogador «a quem considera um pai depois de ter perdido o seu progenitor», pode ler-se no artigo, que vinca que não foi a primeira vez que os dois se desentenderam, mas com uma diferença: «É que, desta vez, o ultimato surgiu depois de Jorge Mendes ter expressado a Cristiano o seu desacordo com muitas das suas decisões nos últimos anos, a primeira a de deixar o Real Madrid.”

Os tempos mudaram e Ronaldo deixou de ouvir e fazer tudo o que Jorge Mendes lhe dizia. «Jorge Mendes perdeu influência e Cristiano procurou o que queria ouvir, encontrando-o em Georgina Rodríguez e nos que estão à sua volta.»

Jorge Mendes fez o que o seu cliente pediu, ou seja, contactou com os dirigentes do Chelsea e do Bayern. Nos gabinetes a ideia foi bem recebida, mas não tanto junto ao relvado, como foi o caso de Thomas Tuchel, então treinador dos blues. Apesar do declínio desportivo que CR7 parecia refletir, o peso comercial interessava aos dirigentes. Tudo mudou, porém, quando Ronaldo faltou aos treinos de pré-temporada do Man. United, ainda que invocando fortes motivos familiares, como esclareceria mais à frente na entrevista a Piers Morgan. A situação alarma os dirigentes de Chelsea e Bayern e telefonam a Mendes para lhe dizer que já não lhes interessa dar seguimento ao interesse em Ronaldo.

Ao ver esfumarem-se essas hipóteses, Ronaldo cumpre o seu ultimato e ‘corta’ com Jorge Mendes pouco antes da viagem para o Catar, «onde a sua ira e egoísmo o distanciam dos seus companheiros de Seleção». Escreve o ‘El Mundo’: «O que se rompeu não foi um simples contrato, pois Mendes nunca pediu aos seus jogadores que o assinassem, o que se quebrou foi muito mais: uma relação paternal, familiar e até empresarial - o agente é padrinho de um dos filhos do jogador e a mãe de Ronaldo [Dona Dolores] mostrou muitas vezes a adoração que tinha por Jorge Mendes.»

Os autores do artigo contam que Jorge Mendes recebeu uma primeira proposta saudita quando Cristiano deixou a Juventus, mas o jogador sempre insistiu em prosseguir a carreira na elite europeia. «Quando restava um ano de contrato em Turim, o jogador disse basta e, sem consultar o seu agente, despediu-se do treinador Massimiliano Allegri. Jorge Mendes recebeu numa inesperada chamada do clube italiano e, sem saber de nada, repreendeu Cristiano pela sua imprudência: ‘Não temos nada’, disse-lhe. O jogador, cheio de ego, não queria acreditar.»

Perante esta situação, Jorge Mendes inicia uma corrida em várias frentes e oferece CR7 ao City. Guardiola não se opõe, mas pede ao clube que se liberte de dois avançados. Sterling esteve quase a ir para o Barça mas não saiu a tempo e a porta fechou-se. Mendes recupera o contacto com Ferguson e consegue-se um acordo que previa que o jogador poderia chegar aos 30 milhões de euros líquidos que ganhava na Juventus.

Contudo, na segunda época falha a pré-temporada e entra em conflito com o novo treinador, Erik ten Hag. Ao ver-se no banco de suplentes, Cristiano, novamente sem consultar o empresário, contacta com o polémico jornalista Piers Morgan, a quem dá uma ‘entrevista-bomba’ contra o Man. United, acabando por rescindir contrato: «Para Mendes foi uma catástrofe, Ronaldo estava novamente sem clube às portas do Mundial.»

Desesperado, Jorge Mendes contacta com Miguel Ángel Gil, administrador delegado do Atlético de Madrid, que vê com bons olhos a chegada de Cristiano, entendendo que até poderia servir para ajudar a uma melhor integração de João Félix. O treinador Diego Simeone também estava de acordo, mas a reação adversa dos adeptos frustrou a operação. As diligências junto do Borussia Dortmund também não deram resultado e, sem mais saídas a não ser a Arábia Saudita, a relação profissional entre Ronaldo e Jorge Mendes chegou ao fim

Aparece, então, Ricardo Regufe, ex-executivo da Nike e responsável da ligação de Cristiano Ronaldo com a referida. «Quando surgiu o seu conflito fiscal, Cristiano responsabilizou Mendes e o advogado Carlos Osório, e foi então que pediu conselhos a Regufe, que passou a ser seu assistente pessoal. A partir daí depositou toda a sua confiança nessa nova figura que, por idade, lhe é mais próxima e cuja companheira tem uma boa relação com Georgina Rodríguez. Regufe foi quem esteve ao seu lado nas negociações com o Al Nassr.»

Não obstante, recorda o artigo que Cristiano Ronaldo nunca atribuiu qualquer responsabilidade a Jorge Mendes na sua declaração judicial em pleno tribunal, afirmando mesmo: «Jorge é como eu, não entende nada de impostos nem da Lei Beckham».

E conclui o artigo: «Jorge Mendes chegou a ser o Bola de Ouro dos agentes, Cristiano acredita que continua no alto desse pedestal.»

Esse ao menos ainda marca goles