Coronavírus (SARS-CoV-2) - O perfil do doente com COVID-19 e até onde a epidemia pode chegar

Ainda há poucas variantes…
Toca de tentar inventar mais umas poucas.

Eu percebo o receio, mas acho toda a argumentação relacionada com o aparecimento de novas variantes um pouco ridícula…

… a alternativa é qual? Não vacinar ninguém? Não tratar as pessoas com deficiências imunitárias e onde o vírus circula mais tempo e pode criar mais variantes?

Um doente barato é um doente morto, e um mundo sem variantes de vírus é um mundo onde todos os infectados por esse vírus morreram. :sweat_smile:

1 Like

A alternativa é manter o plano traçado.
Quem levou a primeira dose da Astra deve ser reforçado com a mesma vacina.
Devem explicar as pessoas os riscos e as vantagens.
Quem no seu direito recusar levar a segunda dose terá que esperar por os devidos estudos científicos de mistura de vacinas para levar com outra.
Ainda nada foi estudado (penso eu) e parece mesmo uma cena mal feita em cima do joelho.

Agora navegar ao sabor do vento com una coisa tão séria como vacinas tem tudo e mais alguma coisa para dar merda.

1 Like

Esse estudo da mistura das vacinas esta a decorrer,os resultados devem surgir la para o verão…

Ou seja estar a atirar às cegas.

De momento sim a não ser que os cientistas Franceses ja tenham algo de concreto neste campo…

Este estudo saiu ontem aqui no UK levado a cabo pela Public Health England

https://youtu.be/fvizyZKIJn0
Uns vivem a vida, enquanto outros vivem em função da morte!

Pra quem tiver interesse, aqui estão os 5 casos, 3 deles fatais, em 130 000 vacinações com a Astra encontrados na Noruega:

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2104882

Agora tambem estão a rever a vacina da Janssen por causa dos mesmos problemas dos coagulos sanguinios

É provável que todas as vacinas que impliquem a utilização de um vector viral venham a ter casos raros de respostas aberrantes/invulgares do sistema imunitário. Se isso acontece com todos os vírus normais, não é assim tão esquisito que aconteça também com vacinas.

2 Likes

Sim foi o que pensei porque a plataforma destas 2 vacinas é praticamente a mesma,a Sputnik V deve de ser a mesma coisa mas claro dessa não sai muito ca para fora :laughing:

Fui hoje vacinado com a primeira dose.

Para já só uma dormência normal no braço, a minha esposa só sentiu alguns sintomas ao segundo dia, aquando da segunda dose, nomeadamente cansaço, por isso talvez amanhã sinta mais incómodo. Mas por norma sempre reagi bem a vacinas.

Que o ritmo de vacinação cresça porque é muito importante vacinar o máximo de pessoas que se conseguir.

2 Likes

Sem duvida,so assim se pode voltar a uma vida mais normal. A minha esposa vai na Terça dar a segunda dose da BioNTech a mim calhou a de Oxford e darei a segunda dose se tudo correr bem dia 17 de Junho

1 Like

A mim foi Moderna. Ainda não sei quando vou levar a segunda mas deram-me a ideia de que será entre Junho e Julho.

A minha esposa já levou as duas porque apesar de ambos sermos da área da saúde, ela está na linha da frente.

Que tudo corra bem para vocês.

1 Like

Estudo em Israel que ja fala das variantes do virus

1 Like

The main suppliers were pharmaceutical firms BioNTech/Pfizer, which had signed contracts for 600 million doses, followed by Moderna (460 million), CureVac (405 million), AstraZeneca (400 million), and Johnson & Johnson (400 million).

Sanofi also signed deals for 300 million, while contracts with Novavax (200 million) and Valneva (60 million) were still under negotiations.

Varied advice on the Oxford/AstraZeneca vaccine

UK: Under-30s should be offered an alternative to the AstraZeneca jab
Spain and Italy: Limit to use in those over 60
Belgium: Use suspended in people under 56 for the next four weeks
France and Canada: Restricted to use in over-55s
Germany: Recommended only for those over 60
Sweden and Finland: Used only for over-65s
Denmark and Norway: Use suspended in all age groups until at least next week
Australia: Avoid further use on under-50s

https://www.ft.com/content/3dd76041-d8ac-4465-99a5-4569e8b9706e

Los constantes cambios en los grupos de edad vacunables con esta fórmula tampoco han ayudado.

La vacuna se aprobó a finales de enero y primero solo se puso a menores de 50. Después, tras notificarse los primeros casos de trombosis, estuvo suspendida durante dos semanas y cuando se reanudó el 30 de marzo se amplió el techo de edad hasta los 65. Apenas siete días más tarde el Gobierno y las comunidades le daban la vuelta y pasaba a autorizarla solo a mayores de 65 años.

Los titubeos en los criterios para la aplicación de la vacuna de AstraZeneca, con dos cambios en 24 horas en las edades en las que se permite su uso (ahora es para personas de entre 60 y 69 años; el miércoles, para los de 60 a 65), pasan factura a la confianza de los ciudadanos. El viceconsejero de Salud Pública madrileño, Antonio Zapatero, afirmó este viernes que el jueves solo un tercio de los convocados había acudido a la cita para inyectarse, mientras que la semana anterior las renuncias no superaban el 3%.

https://www.vacunacovid.gob.es/preguntas-y-respuestas/cuando-me-vacuno

So espero que estas brincadeiras com a Astra não diminuem ainda mais a velocidade de vacinação na europa.

Salvo erro, se os 10M de portugueses fossem vacinados com a astra, atendendo aos correntes números de efeitos adversos que causaram morte, morreriam 7 pessoas (não fiz double check da conta mas assumo que seja verdade). E isto atendendo que não havia toda esta atenção em relação aos efeitos adversos e provavelmente essa percentagem vai diminuir. É desta magnitude que andamos a falar. Estamos a falar de “bom dia” de numero de mortos por covid em Portugal.

4 Likes

Andou a UE a fazer birra com a AstraZeneca que não fornecia vacinas suficientes e a ameaçar proibir a sua exportação.
Agora que as há não as querem dar.
Basicamente é isto.