Clube Satélite - Qual recomendam?

Visto que na próxima temporada ainda não vai ser possivel por a equipa B a competir, a direcção deve apostar num clube-satélite de forma a dar rodagem aos “miúdos” provenientes dos juniores (e não só) e chamá-los quando necessário, à imagem do que o Braga faz com o Vizela.

Na minha opinião o clube satélite escolhido deve estar a competir na liga orangina (visto ser um campeonato bastante competitivo) ou então pode ser um clube da liga zon sagres que aposte regularmente em jovens (Paços e Rio Ave, por exemplo).

Concluindo, se fosse eu a escolher o clube satélite optava por um destes dois clubes: Belenense ou Atlético (que ao que tudo indica vai subir). Caso o clube escolhido jogue na liga principal, defendo a escolha de um dos clubes anteriormente referidos (Paços e Rio Ave)

Emprestar em:

A nível nacional:
-Os que subirem à Primeira se não tiverem ligações com corruptos ou lamps
-Sporting Clube Olhanense e Portimonsne Sporting Club
-Marítimo (se não se tornarem amigos dos lamps)
-Académica (bem fez ao Adrien!)
-Equipas da Orangina que lutem por subir, apostem em jovens e não sejam amigos de corruptos ou lamps
-Real Massamá - primeira experiência para alguns ex-juniores menos preparados. Jogam por nós na Intercalar!

Bem sei que alguns destes já têm ligações com Porto e Benfas, mas o que se há-de fazer? Eles têm tudo minado. Nós precisamos de “amigos” também. Se for preciso roubá-los melhor!

Clube satélite? O MU ou o Real ( o de Madrid ).

Isso no FM é o clube-mãe :rotfl:

Sócio, estás concentradíssimo no FM.

Não acho que isto seja algo que possa ser discutido pelos adeptos. Por exemplo, quem se lembraria do Cercle Brugge? E está a ser excelente.

Eu não disse… :lol:

Mais a sério, não concordo muito com clubes satélite… acho que a escolha dos clubes deve ser alargada, enquadrando jogadores com diferentes níveis de maturidade em realidades competitivas adequadas, tendo em consideração também as necessidades do clube que recebe os jogadores e o perfil do treinador. Cada caso é um caso. É muito fácil resolver a situação dos jovens e pegar neles por atacado e colocá-los num clube qualquer, mais dificil mas também mais inteligente é conjugar o interesse de todas as partes para o objectivo último: o crescimento dos jogadores.

Para mim os avançados deviam ir para um clube holandês, os defesas para um italiano e os médios podiam ficar cá ou em França

Devíamos ter posta a mão no Varzim como o Porto , e agora o Benfica , fizeram. Está ali uma mina.

Concordo, têm lá bons valores!

Os clubes satélite não podem pertencer à mesma divisão que os “clubes-mãe”, por isso não faz sentido estar a falar de equipas da 1ª liga.
Em relação ao resto, se o objectivo é que os nossos jovens saidos dos juniores joguem, o melhor seria na 2ªB.

Não temos jogadores com qualidade suficiente nos júniores? :inde:

Na minha opinião considero ser difícil conseguirmos um clube na liga orangina que receba o chamado “camião de jogadores” para a próxima época.Talvez consigamos emprestar uma dúzia de ex-juniores ou emprestados mas separadamente a vários clubes da liga orangina e ate considero que haveria alguns jogadores com qualidade para a primeira liga. Agora a fazer o que fizemos com o Real Massama penso que tal só é possível na 2ªB.

Como é óbvio. Mas como pensam que a vida real é como o FM, onde mesmo que mandemos 11 jogadores para um clube eles jogam só porque são do Sporting… :inde:

Julgo que a questão não é existir clube satélite ou não. É garantir que os nossos emprestados jogam.

Não obrigamos ninguém a jogar com os nossos, mas tem de ser condição para os emprestar.

E não me importo de os emprestar a clubes que tenham jogadores que pertençam aos rivais. Reafirmo que a única condição é que eles têm de ser titulares. Não querem? No problem. Existem perto de 400 clubes de 1ª divisão por essa Europa fora. Fez bem ao Carriço ir para o Chipre, de tal forma que eles queriam ficar com ele.
No Cercle, pelo que sei as coisas estão a correr bem. Tem de ser uma experiência repetida e multiplicada. Nem que seja num clube lituano ou luxemburguês para aqueles que achamos que poderão não evoluir o suficiente para virem um dia para a equipa titular do Sporting. Até pode acontecer que os queiram comprar e assim recebamos algo pelo investimento que foi feito nesses mais fracos durante a sua formação. Desperdiçar como fizemos com o Bruno Matias, Marco Matias, Tiago Pinto, etc. é que não pode ser.

Depende da identididade do clube, da capacidade de apostar em jovens, da filosofia do futebol da equipa, do modelo de jogo do treinador, da zona geografica do clube… tudo questoes para analisar de forma profunda.

Parece-me tambem que nao e importante apenas jogar, mas sim evoluirem, enquanto jogadores, o que nao se faz apenas jogando…

Mas ajuda muito. O importante é o jogador não ficar parado. Claro que se houve uma oportunidade de ele ir estagiar para o Man Utd ou para o Real, até veria com bons olhos que fosse apenas para fazer número. Mas essas são situações que dificilmente acontecerão e quando acontecerem dá-se-lhes o tratamento devido. Mas por regra, devíamos emprestar os jogadores para equipas em que irão jogar de certeza (e isso teria de fazer parte do contrato do empréstimo sob pena de os tirarmos de lá na reabertura do mercado). Aliás, foi isso que fizemos com o Carriço quando ele estava no Olhanense com o seis-dedos.

Campomaiorense

oh wait

FC St. Gallen

uma 1ª liga suiça, holandesa ou belga seriam boas opçoes.
em portugal seria importante um clube da orangina e da 2ªB, Belem e Uniao da Madeira seriam boas opçoe

Clube desportivo de Tondela, actualmente na 2ºDivisão zona Centro, competindo com o Boavista. Está em primeiro a fazer uma boa época, se continuar assim estará na orangina já nesta época que vai começar.