Cinco mortos, 43 feridos em choque em cadeia na A25

Subiu para cinco no número de pessoas que morreram num choque em cadeia que ocorreu esta tarde perto do nó de Talhadas, na A25, em Sever do Vouga, e que envolveu 46 viaturas. A Autoridade Nacional da Protecção Civil avançou que vários veículos se incendiaram após o acidente e que a auto-estrada se encontra cortada nos dois sentidos naquela zona.

A Protecção Civil avançou ao final da tarde um total de 43 feridos, pelo menos 13 dos quais já foram transportados para várias unidades hospitalares da região. O estado de saúde das restantes vítimas foi avaliado e estabilizado no local do acidente por elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

O INEM anunciou que estão a ser contactados todos os hospitais do país com unidades de queimados para averiguar as vagas existentes para receber os feridos com queimaduras. Dos feridos que foram retirados do local, oito foram transportados para o Hospital de Santa Maria da Feira, dois para o Hospital de Águeda e dois para o Hospital Universitário de Coimbra. Um ferido com queimaduras foi transportado por um helicóptero da Protecção Civil para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Do acidente, que se deu pelas 16h10, resultou o incêndio de pelo menos onze viaturas – dois pesados e nove ligeiros – em circunstâncias que ainda não foram apuradas. Imagens divulgadas pela TVI24 mostram várias viaturas, em fila, totalmente destruídas pelas chamas, já extintas.

Fonte do INEM, que descreveu à Lusa o cenário do acidente como “aterrador”, fez deslocar para o local duas viaturas de intervenção em catástrofe, que estão a montar um posto médico avançado para fazer a triagem e prestar os primeiros socorros às vítimas. A mesma fonte adiantou que estão também no terreno duas Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER).

Mais de 200 bombeiros actuam nas operações de socorro, apoiados por 70 viaturas e três helicópteros para evacuação aero-médica. Segundo informação o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro, entre as viaturas há 19 ambulâncias, cinco carros de desencarceramento e sete viaturas especiais de combate ao fogo.

A causa do acidente ainda é desconhecida, mas, segundo fonte do CDOS, deverá estar relacionada com “as primeiras chuvas” e com o nevoeiro que se verificou na região durante todo o dia.

O trânsito está cortado entre o nó de Reigoso e o do Carvoeiro, desconhecendo-se quanto tempo demorará a circulação a entrar na normalidade.

Cerca de meia hora antes deste acidente, a Protecção Civil confirmou a ocorrência de um outro também na A25, antes do Nó de Pinzio, concelho de Pinhel, no qual três pessoas ficaram feridas com gravidade. O sinistro levou ao corte do trânsito naquela auto-estrada no sentido Guarda-Vilar Formoso, entre Guarda e Pinzio, mas a circulação já se encontra estabilizada.

Notícia em actualização

in Público.

Muda o nome, mantém-se o ADN e a mentalidade dos condutores… já várias vezes fiz esta A25, e apesar de se terem limpo alguns pontos negros do IP5, não deixa de ser uma AE pouco segura. E este nó de Talhadas, pelos vistos continua igual.

Os pêsames aos familiares deste terrível acidente. Mais cuidado nas estradas.

As imagens que os noticiários estão a transmitir neste momento são dignas de uma catástrofe!

Acidente gravíssimo que podia ter tido contornos ainda mais graves.

Já agora, a notícia aí escrita não está totalmente correcta, porque ouvi por volta das 19h35 declarações oficiais a dizer que eram 56 viaturas envolvidas e 59 feridos, sendo que 13 deles em estado grave.

EDIT: Tinha-me esquecido de deixar as minhas condolências para com as famílias e amigos das vítimas.

Imagens impressionantes :xock:, os meus mais sinceros pêsames às famílias das vitimas.

Até mete medo… :xock:
Os meus sentimentos para os familiares dos falecidos.

Impressionante…

Obra do excesso de velocidade que muitos insistiram em praticar com as condições atmosféricas que estavam.

Com isso, perdeu a vida gente que ia ver a família e se calhar ia com cautela.

As estradas no norte/centro do país são terríveis. IP3, IP4, e agora IP5/A25 (Esta nova AE reduziu muito a sinistralidade, mas tem pontos negros ainda). A aliar á construção deficiente destes IP´s (que agora tentam resolver com a sua conversão em AE), está a incosciência dos condutores, que andam rápido, ultrapassam em curvas sem visibilidade, em traços contínuos, em DUPLO traço contínuo, etc…

Já no sul, também temos a “boa” EN125, e o antigo IP1 agora IC1, onde se vê com cada cena de condução perigosa que arrepia.

Descanso em Paz para quem perdeu a vida.

Que sirva de lição para aqueles que insistem em transgredir regras mesmo com mau tempo.

Andem de vagar! Sabe-se muito bem que estas primeiras chuvas são muito perigosas. As pessoas não têm noção… Enfim.-

R.I.P.

As minhas sinceras condolencias aos familiares das pessoas que infelizmente perderam a vida! :’(

A minha mãe andava de carro para essa zona hoje…
Telefonei-lhe mal vi o acidente, felizmente ela só soube do acidente por mim e não por ela própria…

Os meus pêsame às famílias dos falecidos… :frowning:

Os meus pêsames ás famílias dos falecidos. Espero que isto sirva de exemplo para que os condutores portugueses tenham mais cuidado na estrada, especialmente à chuva.

Os meus sentimentos ás famílias dos falecidos.

Segundo as notícias de hoje, foram 6 mortos e 72 feridos.

Muita gente morreu em acidentes parvos nos últimos dias. 6 na A25, 3 perto de Salamanca, 1 em Porto Santo debaixo de uma palmeira.
Mortes que podiam ser evitadas.

Olhar para estes números deveria fazer-nos reflectir.

Os meus sentimentos aos familiares

:arrow: :arrow: :arrow: :arrow: :arrow: :arrow: :arrow:

Estudo em Viseu e por semana faço aquele caminho 2 vezes, e é raro ver acidentes na A25, em 2 anos de viagem vi 2 acidentes, e como aconteceu nesta catastrofe, nesse dia havia muito nevoeiro e piso molhado. A auto-estrada tem bastantes declives e nem todos mas na generalidade noto que existe alguma preocupação dos condutores, não se notam tantos “aceleras” como por exemplo na A1. Quando esta nevoeiro existem zonas onde o nevoeiro é bastante cerrado.

Os meus sentimentos aos familiares

Às vezes o problema é aquele pessoal que sem conhecer a estrada, arrisca e mantém a velocidade em zonas perigosas.