Ciclismo - Parte 2

Top 5 a Top 7 como previ. Infelizmente os outros 4 são superiores neste momento.

Dois são os melhores do mundo (Vinnegard e pogacar) depois tens dois fora de série (Roglic experiente) e (Evenepoel que não precisa de apresentações)

Creio que o mais complicado é o Ayuso que ficou bastante para trás e o Landa e o Rodriguez devido à alta montanha são sérios adversários.

Portanto top 5 a trabalhar para o líder, seria excelente acima disso, apenas acredito, que seja uma lesão/problema de saúde ou um pessimo dia de alguém numa corrida de 3 semanas.

1 Curtiu

Um ano o José Azevedo a trabalhar para o líder (na altura penso que o espanhol Beloqui) também chegou a conseguir um 5’ ou 6’ lugar, salvo erro.

Acredito contudo que João Almeida, ao contrário do José Azevedo, do Paulinho e do Rui Costa (nenhum deles conseguiu dar o salto) tenha de facto condições para um dia ser lider de uma boa equipa e lutar por pódios no Tour ou vitória nas outras 2 grandes voltas (ganhar o Tour só por um pequeno milagre de os principais candidatos vacilarem).

Quanto a este Tour está incrivelmente emocionante e nesta altura é impossível prever quem vai ganhar.

Para mim o Pogacar é indiscutivelmente o melhor ciclista da atualidade e um dos melhores de sempre (hade ser) mas por outro lado o Vingegaard é um especialista impressionante (e quase imbatível) no Tour.

Ainda bem que estes 2 ciclistas coabitam na mesma geração caso contrário os próximos anos seriam muito aborrecidos.

1 Curtiu

Se o Vingegard ganhar isto só tenho uma coisa a dizer … investigue-se… o homem, a bike e tudo… teremos o novo Armstrong.

É impossível recuperar e chegar numa forma a lá super-homem. Quem quiser pode comer gelados com a testa.

One of life’s big misteries…

1 Curtiu

O Pogacar não costuma dar-se muito bem em altitude.
A etapa onde passam em Cima de la Bonette poderá fazer diferença.
Conheço bem essa subida e nota-se no topo (2802m) que o nível de oxigénio é mais baixo.
É uma subida longa e alguém que fraqueja nessa subida, poderá perder varios minutos.

Essa etapa termina no Isola 2000, também é uma boa subida. É uma pena não continuarem até ao topo Col de Lombarde (é uma subida muito bonita).

Mas antes de tudo isto temos os Pirineus :smile:
A subida Plateau de Beille é bastante dura, subi-a uma vez e lembro-me que tinha umas boas rampas (mas é constante). Vai haver ataques de certeza…

Landa não acredito que lhe ganha na montanha o que tem de défice + o que ainda vai perder no CR.

Rodríguez sim, é um rival seríssimo.

Fazer top 5 (e não apenas top 7) seria muito bom, mas o mais importante é mesmo ajudar o Pogacar a ganhar. Ficar em 5o e não ganharem o Tour será também um fracasso do João, que está lá para ajudar o esloveno.

Noutra nota, confirmou-se hoje que o Ayuso não devia ter ido ao Tour (e que falta fazia mais um rolador para os momentos planos). Mas ainda bem que foi porque assim não deve ir à Vuelta, que fica para o Joao e para o Adam.

1 Curtiu

Acho que a UAE e o Pogacar deviam mudar de estratégia. Estar sempre a tentar mandar na corrida e atacar não lhes serve de nada se desgastarem os próprios ciclistas e o ataque não servir.

A UAE devia deixar a Jumbo pegar no pelotão e obrigar o Ving a atacar. O Pogacar a única coisa que precisa de fazer é ir na roda dele sem se cansar em ataques explosivos. E depois ganhar-lhe os sprints e as bonificações. Isto até para o João seria bom. Não teria de entrar em trabalho, tentava apenas estar próximo do líder e ajudá-lo no que conseguisse.

A questão é que há um contra relógio final e nesse o Remco pode vencer qualquer um. Relativamente a etapa de ontem o que se verificou é que o Pogacar não está assim tão forte porque não conseguiu fazer diferenças para o Vingeggaard, pior ainda é que ganhou poucos segundos ao Remco e fez um ataque a 30km da meta.
Faz todo o sentido a tua analise, mas saberá o Pogacar esperar? Não é ele acima de tudo um atacante, a equipa que trouxe ao Tour não seria para atacar ainda mais a corrida?
Para se ganhar uma corrida de 3 semanas contra um adversário como o Vingegaard é preciso fazer tudo muito bem pensado e calculado e mesmo assim nada garante, porque são as “pernas” de cada um que vai decidir a corrida

1 Curtiu

Infortúnio para Roglic que teve uma queda e perdeu tempo vendo-lhe passar a frente na Geral Carlos Rodriguez e João Almeida que passa a ser o 4.º classificado.

mais um tombo do Roglic, impressionante

Game over para a Red Bull, tenho pena, gostava de ver a terceira semana do Roglic. Sou Anti-Remco e gostava que ficasse à frente do pirralho. Agora resta-me esperar que o Almeida faça esse trabalho.

Não sei se o Remco está preparado para a dureza deste fim de semana… já o Carlos Rodriguez é capaz de fazer uma gracinha.

2 Curtiram

Sobretudo, não se matarem em etapas em que os ganhos que podem ter são marginais. Podem faltar forças depois para as decisivas.

Até agora o Remco tem limitado as perdas nas poucas etapas de montanha que houve. As duas etapas do fim de semana são um teste para todos. Aqui a minha única duvida é se a UAE vai continuar a impor o ritmo ou se vai correr mais na expectativa, mas o estilo de Pogacar é o ataque, vamos ver.

Com o elenco da UAE parece-me que foi um erro nunca terem jogado a carta tática de atacar com o João ou o Ayuso (mais dificil), para obrigar o Vingegaard meter a cara ao vento. Agora com o João a 3min do Ving, parece-me dificil que aconteça. Pogacar quer ganhar à força bruta, mas pelo que se vê, a menos que tenha uma quebra, Vingegaard é superior a ele na montanha.

2 Curtiram

Penso exactamente o mesmo.
Grande equipa mas nas horas decisivas são os bichos mano a mano.
Podiam e deviam ter aproveitado a grande equipa para irem atacando á vez e obrigar vingegar/visma a ir atrás.
Agora já nem essa cartada tem…

Jogar, ainda a podem jogar, se Ayuso for realmente util pode limpar muito do pelotão e deixar só os lideres das equipas + os da UAE, se João atacar (e Yates ficar com Pogacar) só estou a ver o C. Rodriguez, Ciccone e quiçá Landa a responder direto.
Podem tentar recortar algum tempo assim, para poder ser uma carta mais util futuro, restava saber se Remco e o Ving deixariam.
Pogacar tem 1min e 15 para o Vingegaard, atacou no seu terreno e foi isto que ganhou, agora estamos no terreno do Ving, a vantagem que Pogacar tem é que a equipa da Visma não vai conseguir endurecer muito a corrida.

Roglic desistiu do Tour…

Ontem viu-se bem a dificuldade que teve para acabar a etapa. Uma lastima pois podia ser um corredor muito importante na decisão do Tour nas próximas etapas.

2 Curtiram

Quem diria que haveria mais indefinição sobre o vencedor do que sobre quem vai fechar o pódio?

Uma pena, esta queda do Roglic.