Casos de estudo

Dois casos de estudo retirados do blog “uncovering”.
Se alguém tiver mais algum e quiser compartilhar…

Caso de estudo #1

Ia uma jovem a passear com o seu namorado, quando ouviram uns empregado de umas
obras gritar:

  • Oh cabrão, não a leves a passear, leva-a mas é para um lugar escuro e come a gaja!!!
    O rapaz, muito envergonhado, segue o seu caminho com a namorada e passam por um parque onde estão vários reformados sentados que ao vê-los começam às bocas ao noivo:
  • De mãozinha dada com a miúda, devias é levá-la para um motel, ó Paneleiro!!!
    O rapaz, cada vez mais envergonhado, decidiu-se a levar a namorada a casa e despede-se:
  • Então até amanhã, meu amor! A noiva responde-lhe:
    Até amanhã, surdo de merda!!!

Conclusão

Escuta e põe em prática os conselhos dos consultores externos, são gente com experiência. Se não o fizeres, a tua imagem e gestão empresarial ver-se-ão seriamente deterioradas.

Caso de estudo #2

Um réu, condenado a prisão perpétua por assassínio em primeiro grau, consegue fugir ao fim de 25 anos na prisão. Ao fugir, entra numa casa onde dorme um jovem casal.
O assassino ata o homem a uma cadeira e a mulher à cama.
A seguir, encosta o seu rosto ao peito da mulher, levantando-se de seguida e saindo depois do quarto. Imediatamente, arrastando a cadeira, o marido aproxima-se da esposa diz-lhe:

  • Meu amor, este homem não vê uma mulher há anos. Eu vi-o beijando-te o peito e aproveitando que ele se afastou um pouco, quero pedir-te que cooperes com ele e faças tudo o que ele te pedir. Se ele quiser fazer sexo contigo não o evites finge que gostas. Por favor, não o afastes. As nossas vidas dependem disso!!! Sê forte, minha linda, eu amo-te.
    A jovem esposa diz ao marido:
  • Querido, estou reconhecida que penses assim! Efectivamente este homem não vê uma mulher há anos, no entanto não estava a beijar-me o peito, estava a dizer-me ao ouvido que gostou muito de ti e perguntou-me onde guardamos a vaselina. Sê forte, meu lindo; eu também te amo muito.

Conclusão:

Não estar verdadeiramente informado pode trazer sérios inconvenientes. A informação actualizada e exacta é fundamental para sair com êxito do ataque de competição desleal e assim evitar surpresas desagradáveis.

Caso de estudo #3

Um rapaz vai a uma farmácia e diz ao farmacêutico:

  • Senhor, dê-me um preservativo. A minha namorada convidou-me para ir jantar esta noite lá a casa, já saímos há três meses, a pobre começa a estar muito quente e parece-me que me vai pedir para lhe pôr o “termómetro”.
    O farmacêutico dá-lhe o preservativo e o jovem sai da farmácia.
    De imediato, volta a entrar, dizendo:
  • Senhor, é melhor dar-me outro, porque a irmã da minha namorada, é uma boazona de primeira, passa a vida a cruzar as pernas à minha frente que ás vezes até lhe vejo as entranhas.
    Acho que também quer algo, e como vou jantar hoje lá a casa…
    O farmacêutico dá-lhe o preservativo e o jovem sai da farmácia.
    De imediato, volta a entrar, dizendo:
  • Senhor, é melhor dar-me outro, porque a mãe da minha namorada também é boa como o milho. A velha, quando a filha não está ao pé, passa a vida a insinuar-se dum modo que me deixa atrapalhado, e como eu hoje vou jantar lá a casa…
    Chega a hora da comida e o rapaz está sentado à mesa com a sua namorada ao lado, a mãe e a irmã à frente.
    Nesse instante entra o pai da namorada e senta-se também à mesa.
    O rapaz, baixa imediatamente a cabeça, une as mãos e começa a rezar:
  • Senhor, abençoa estes alimentos, bzzzz, bzzzz, bzzzz,… Damos-te graças por estes alimentos…
    Passa um minuto e o rapaz continua de cabeça baixa rezando:
  • Obrigado Senhor por estes dons, bzzz, bzzz, bzzz…
    Passam cinco minutos e prossegue:
  • Abençoa Senhor este pão, bzzz, bzzz, bzzz,…
    Passam mais de dez minutos e o rapaz continua de cabeça baixa rezando.
    Todos se entreolham surpreendidos e a namorada diz-lhe ao ouvido:
  • Meu amor, não sabia que eras tão crente…!!!
  • E eu não sabia que o teu pai era o farmacêutico!!!

Conclusão

Não comente os planos estratégicos da empresa com desconhecidos, porque essa inconfidência pode destruir a sua própria organização…