Carta aberta ao Dr. Eduardo Barroso

Carta aberta ao Dr Eduardo Barroso

Exmo Sr Dr,

Foi a grande admiração e profundo respeito que tenho por si - um dos mais competentes e celebrados cirurgiões de topo deste país, um cidadão irrepreensível e exemplar para todos nós, um grande sportinguista, um grande Leão a quem devemos o início da salvação e restauração do nosso querido clube - que me levou a escrever-lhe esta carta aberta.

Foi com grande prazer e orgulho que o segui durante anos nos programas de debate sobre futebol em que participou, pela forma sublime como representou as nossas cores, o nosso clube e a mim próprio, enquanto sportinguista, tal como, julgo, sentirão muitas centenas de milhares, senão mesmo milhões, de outros sportinguistas anónimos, como eu.

Infelizmente, o tempo de o seguir, de acompanhar o seu comentário televisivo, pelo menos nos moldes actuais, chegou ao fim.

Não pela sua postura, que muito admiro, de aguerrido leão mas sempre com profundo sentido de elevação, correcção, simpatia e respeito pelos adversários;
Não pelos excessos que cometeu aqui e alí, mas que, tão prontamente quanto possível, com a nobreza própria de um Homem com “H” grande, reconheceu e emendou, sempre e no tempo próprio;
Não pelas “pequenas irritações” que aqui e alí me causou, quando o achava impreparado ou desinformado temendo pela defesa das nossas cores, mas que redundaram quase sempre em situações a que tão brilhantemente deu a volta, como só uma pessoa de tão elevada estratura e consistentes princípios conseguiria fazer;
Nem por qualquer outro motivo menor ou espúrio, mas tão somente pela situação em que o colocaram e a que é totalmente alheio, como é evidente para todos.

A TVI decidiu descer, grave e ostensivamente, o nível do programa em que (ainda) participa, ao ponto de o transformar numa espécie de discussão ordinária, do mais rasteiro e desprezível que há na TV - em todas as TV’s, mesmo as piores - através da inclusão de alguém que faz da alarvidade, da ordinarice, da provocação, da tunculência, da má-educação estrutural e ofensiva, a sua forma de estar e que é, seguramente, a mais baixa opção entre tantas que a estação poderia ter equacionado.

Já me disseram que essa presença terá sido imposta à TVI pelo próprio departamento de comunicação do clube que esse personagem vergonhosamente representa e que o orienta para fazer as figuras que faz. Mas, mesmo que isso seja assim, a TVI será sempre uma entidade com corpo suficiente para ser responsável e responsabilizada por aquilo que são as suas escolhas, sejam elas “a serviço” ou não.

E nada tem nada a ver com as preferências clubísticas dessa “personagem”.

Tivemos no Dr. Seara um aguerrido defensor das suas cores que muito saudavelmente nos “irritava”, mas que não nos deixou senão saudades pelo nível e elevação com que dirimia as suas opiniões, em defesa da “sua dama”.

O mesmo podemos dizer em relação ao nosso “ódio de estimação” desse programa - Manuel Serrão - cujo estilo “brejeiro” e aguerrido na defesa das suas cores, quantas vezes tão intransigente ou exagerado como pleno de sentido de humor, está anos-luz acima, em termos de elevação e qualidade, quando comparado com essa “coisa” que lá colocaram agora.

Tem a ver com o nível insustentável e rasteiro que resultou deste novo “formato”, com que decidiram rebentar com o programa, enredando os comentadores pré-existentes.

Um nível que mais parece próprio de uma reunião numa qualquer taberna lúgubre e bafienta, de um qualquer canto esquecido do mundo, à qual até os convivas mais desesperados só se sujeitam pela atracção que neles produz o bafo persistente à bagaceira ordinária e ao álcool martelado que já nem conseguem pagar, e que apenas retém momentaneamente a atenção de qualquer transeunde que passe defronte da porta, pelo voyeurismo perante tão patética situação.

A cacofonia desbragada, a falta de interesse generalizado a impossibilidade de conteúdo ou sequer de conversa, o nível ordinário, o grau de provocação inaceitável e de má-educação durante a generalidade do tempo, introduzido por essa espécie de Tulius Detritus (como na Grande Zaragata do Asterix) é tal, que nos deixou desconcertados (negativamente!) desde a primeira emissão.

De tal forma que, seguidor fiel do programa (sempre atrás de ouvir o Sr. Doutor!), pela primeira vez não vi um programa: o segundo.

No terceiro, decidi que apenas seria sustentável ver tal coisa depois de acabar, para poder andar para a frente a gravação a cada vez que o nível se tornava vergonhoso, o que bem espremido resultou nuns 15/20 min. de visualização.

Ontem à noite, voltei a fazer o mesmo: ver depois de acabar, recorrendo a uma espécie de “fast-foward séptico”. Mas já nem isso funcionou. Foi o fim. Para mim acabou.
O nível é tão baixo e a presença permitida àquela matraca retórica, baixo nível e ranhosa é tal, que foi o último programa que vi, ponto final.

E é justamente aqui que volto ao Sr. Dr. Eduardo Barroso e ao seu contributo nesse novo “pugrama”.

Confesso que, desde que se percebeu o nível com que a TVI decidiu “presentear-nos”, fiquei à espera que o Sr. Dr. acabasse por reagir e não aceitar sujeitar-se a tão rasteiro e ordinário ambiente.
Confesso que, apesar de ainda terem passado poucos programas, fiquei surpreendido com a sua persistência em tão desprezível registo.
Compreendo (e é bem visível) o esforço e a dignidade com que o Sr. Dr. Eduardo Barroso (e também Manuel Serrão) se entregam a tentar fazer de contra-balanço ao baixo nível que alí se passa intencionalmente, na medida dos padrões decididos e adoptados pela TVI.

É por demais evidente que o Sr. Dr. nunca precisou nem precisará de conselhos de anónimos desconhecidos, de gente que apenas poderá ambicionar ou sonhar ser aquilo que o Sr. Dr. já é, por direito próprio.

Ainda assim, o constrangimento de ver tão elevada personalidade, enredada em tão baixo registo, faz com que me atreva a fazer-lhe um apelo:

Deixe esse programa, Sr Doutor!

Precisámos, precisamos e precisaremos sempre de pessoas como o senhor.
Mas é com enorme constrangimento que o vemos submetido a tal situação.

A única forma de compreender tamanho paradoxo estará na intenção que a estação em causa possa ter, de se aproveitar da sua dimensão e credibilidade, para “credibilizar” aquilo que de outra forma nunca teria um pingo de credibilidade.

Queremos continuar a segui-lo, mas não a qualquer custo, muito menos “exigindo” que se sujeite a tão medíocre contexto, a um registo que é claramente o oposto da dignidade e elevação que sempre aprendemos a respeitar em si.

Para além das colunas que escreve regularmente no jornal, não faltarão seguramente programas de nível apropriado e/ou outras estações de TV com padrões menos rasteiros, para dar voz a quem milhares e milhares desejam ouvir e, pela via actual, nunca mais ouvirão.

Perdoe-me este desabafo e, novamente, a presunção e o atrevimento de pretender sugerir-lhe o que quer que seja.

Com elevada estima e profundo respeito,

Saudações Leoninas,
Alex Nogueira

Muito bem Alex! :clap: :clap: :clap: :clap: :clap:

Assino por baixo !!!
:clap: :clap:

Subscrevo! :great:

Excelente Alex Nogueira. :clap: :clap: :clap:

Muito bom, alguém devia fazer chegar-lhe a carta!

De forma menos enlouquente já ontem tinha transmitido essa ideai base.

Este leão não pode estar ali, naquele local, a respirar o ar pérfido daquele monte de banhas morto…

Agora a sério, alguém aqui consegue ver algum programa em que participe esse gordo idiota?!?!

Eu não consigo, até via o programa da TVI e este ano não consigo, já vi vídeos e ele até está a fazer um grande esforço para não dar bandeira porque eu vi várias vezes a discutir com o Paulo Andrade na CMTV e é impossível, fala por cima dos outros, é irritante, mentiroso, propagandista, etc.

De tal forma, que hoje foi anunciado o primeiro processo movido pelo Sporting.

Felizmente não tenho a bosta da cmtv, pelo que nem sabia que tamanho cretino existia à face da terra. Deves imaginar como fiquei quando assisti àquela “coisa” quando vi pela primeira vez!!!

Ah! Eu é que nem sabia que esse canal não existe em todos os operadores. Eu gosto de ouvir o Paulo Andrade mas com aquela foca ao lado era impossível. Acredita que esse palhaço tem estado a fazer um esforço para melhorar a imagem, já vi vídeos agora na TVI em que os outros estão a falar sem a voz dele em fundo, tipo papagaio, e isso não é nada normal. Na CMTV o dr. Paulo Andrade estava a falar e ele sempre em fundo, permanentemente, a reclamar e a dizer patetices para perturbar o raciocínio e a percepção dos espectadores. Ao princípio o PA calava-se para não estarem os dois a falar ao mesmo tempo mas às tantas desistiu e passou a não se interromper por causa daquele javali, e tornou-se impossível seguir o programa. Esse palhaço é tipo eucalipto, seca tudo à volta e “vence” pelo cansaço, mais nada, porque é um idiota e mentiroso. Acredito que, mais tarde ou mais cedo, vá acontecer na CMTV o mesmo que na TVI. Eu agora vejo o encantador de serpentes na SIC, que remédio…

Ps: mas compreendo a carta, e está muito bem escrita, parabéns, mas se calhar o Dr Barroso está ali a fazer um esforço a pedido de várias famílias, não sei, não vejo outro motivo para alguém aturar esse palhaço.

Excelente post :venia:

Sair seria fazer-lhe a vontade, admitir que o seu estilo tinha triunfado. Quem viria a seguir? Algum manso que não oferecesse resposta ou que acobardasse perante as faltas de respeito constantes de tal personagem? Ou meter lá um taberneiro de parecida índole? Por mim o Dr Eduardo Barroso merece é todo o nosso apoio e respeito por continuar a defender o Sporting sem qualquer agenda pessoal ou voz do dono a “marionetizá-lo”. Até porque a sua substituição nunca seria feita pelo Sporting ao contrário de outros que colocam quem querem nestes painéis. Dr, fique e continue a ser a nossa voz.

here, here! apoiado a 100%. na última segunda feira chegou ao fim a minha paciência! não aguento mais aquela baleia de guerra! se ele estvesse a arder eu nem lhe mijava para cima, como se costuma dizer!

Acho mesmo que a única maneira de voltar a ver esse programa é se o Barroso for substituído pelo Fernando Fernandes do kickbox

Totalmente de acordo. Sair do programa agora era um crime.

O Dr. Barroso até está neste momento como peixe na agua. Tem um mentecapto lampião a espumar-se e a enterrar-se sozinho programa atrás de programa. Tem um mentecapto lampião burro que nem uma porta a dizer perolas atras de perolas, que dá o espaço necessario para Barroso e Serrão brilharem.

Acho graça é haver Sportinguistas não gostarem de ver Pedro Guerra na TVI e não verem o programa por causa dele.

Era como haver Portistas que não viam o Trio de Ataque por causa do Imbecil do ROC.

Alguém está a ver algum Portista ou Benfiquista a escrever uma carta ao Miguel Guedes/Gobern para estes saírem do programa por causa de ROC?.. :eh: :shifty: ^-^

Pois…

Epá, se querem passar uma mensagem a ele… Escrevam 1, ou no máximo 2 parágrafos para ele… Porque isto, porra nunca mais lia tudo.

Apesar de perceber que concordo a 200%… mas a mensagem tem de ser passada em 2 parágrafos.

Os Sportinguistas sabem ouvir principalmente argumentações e questões validas.
Esse parasita, adepto do carnide, mostra e muito a sua cultura na diferenciação e na valorização do que é. Portanto nós Sportiguistas (comentadores e telespectadores) só temos é que cortar em tudo o que é programa onde “isso” está. Mesmo que os programas prossigam sem nós, isso só vem demonstrar o real interesse que os canais televisivos têm e aí teremos de tirar as respectivas ilações.

Espero que este assunto acabe rapidamente e não continuemos a dar protagonismo a este bicho.

Saudações Leoninas

Subscrevo :arrow: E do que consegui ver desse personagem inenarrável (aguentei 1 programa), ao nível de um extremista fanático religioso, a única coisa que consegue é que o pessoal mude de canal para nunca mais voltar.

Claro que não.
Tripas e lampiões adoram o ROC, que lhes ampara o jogo, não tem pedalada e ainda os apoia.
No tasco que frequento, tb me dou muito bem com uns tipos do carnide que lá param. Eles estão sp com uma ganda carroça, por vezes nem conseguem falar, quanto mais ver os jogos na tv.
O tasco não seria o mesmo sem eles

Com os outros, que bebem pouco, inventam estórias e provocam a torto e a direito é que é pior.

Ninguém (adversário) quer mandar o ROC embora, porque é só pateta e submisso e refratário em relação ao seu próprio clube. Para eles, até dá jeito!

Com a abécula em questão, a conversa é outra.
Foi escolhido a dedo, pela TVI e pelo departamento de comunicação lampião, para provocar, ajavardar, mentir, caluniar, etc, etc. Enquanto membro da “estrutura”, está ali para denegrir a imagem dos adversários e do Sporting em particular.

A coisa mais perniciosa disto tudo é que a direcção da TVI embarcou neste registo ordinário de propaganda vermelha, aproveitando-se da credibilidade e da qualidade dos outros elementos do painel, com EB à cabeça.
Nem Sporting, nem EB se devem disponibilizar para ser sacos-de-pancada deste novo registo tipo CM que a TVI adoptou, muito menos quando são a única garantia de credibilidade que esse programa tem. O Serrão, é lá com ele!

O Sporting já reagiu, entregando o assunto ao departamento jurídico.
EB fará como quiser, mas é evidente que é educado demais para se permitir descer àquele nível e conseguir contrapor, sobretudo quando nem falar consegue.

E não esquecer uma coisa crucial:
Como dizia um pensador do séc XIX: “Mintam, mintam, que qualquer coisa fica!”
Por muitos processos judiciais que o clube ponha, as consequências (como já foi largamente debatido noutro tópico) serão sempre pessoais e relativas. E o dano para a imagem não é menor por isso.

Se a TVI quer ter uma taberna televisiva, que tenha. Temos bons doidos para se meterem naquela porcaria e contra-atacarem com o mesmo nível. Agora, pendurarem-se em EB para manterem o prestígio da taberna, é inaceitável.
Por muito ilustre que seja este “cliente”, aquilo não é um “restaurante civilizado”. É uma “taberna ordinária” e deve ficar exactamente com essa imagem! Se EB sair, é isso que acontecerá!

Concordo plenamente!
Até que ponto não seria útil enviar uma carta aberta também à TVI?