Brasileiros no Sporting: o que une os casos de sucesso

Pus-me a pensar nas probabilidades de Rodrigo Tiuí, um jogador sem qualquer feito de relevo em quatro anos como profissional, se revelar um verdadeiro reforço para o Sporting. Como as probabilidades calculam-se com base nas ocorrências passadas, lembrei-me de fazer uma lista com os jogadores brasileiros que se revelaram influentes nas equipas do Sporting nos últimos 20 anos. A ideia é comparar os currículos de cada um antes de ingressarem no Sporting e ver se há um algum caso com as características de Tiuí - sem currículo no Brasil ou experiência na Europa - que tenha resultado.

Peço assim a vossa ajuda para completar o quadro.

Paulinho Cascavel (1987-1990): ponta-de-lança prolífico, que teve o azar de passar pelo Sporting nos anos negros do clube. Ainda assim, sagrou-se melhor marcador no campeonato na sua época de estreia pelo Sporting em 87/88 com 24 golos. Chegou ao Sporting depois de se ter revelado no Vitória de Guimarães (melhor marcador do campeonato em 86/87).

William Douglas (1988-92): médio que chegou ao Sporting pelas mãos de Jorge Gonçalves em 1988 - a única verdadeira “unha” - e revelar-se-ia titular indiscutível nas 4 épocas seguintes. Referência do Cruzeiro de Belo Horizonte, mas sem títulos significativos à época em que ingressou no Sporting.

Luisinho (1989-92): central de enorme classe - “quem tem Luisinho, tem tudo”, dizia-se nas bancadas. Internacional brasileiro (34 jogos/2 golos), titular da fabulosa selecção brasileira no Espanha '82 e já oito vezes campeão mineiro pelo Atlético quando ingressou no Sporting.

Marco Aurélio (1995-1999): central discreto e seguro, que Sousa Cintra foi buscar ao União da Madeira - onde tinha sido pilar de sucessivas manutenções da equipa madeirense na I Divisão. Conquistaria uma Taça de Portugal e uma Supertaça pelo Sporting. Campeão carioca pelo Vasco da Gama em 1989.

César Prates (1999 - 2003): defesa-direito. Fez com André Cruz e Mpenza, o trio de reforços que foi fundamental na conquista do 1º título do Sporting em 18 anos. Chegou ao Sporting já como campeão brasileiro, campeão carioca e campeão gaúcho.

André Cruz (1999-2002): central com pés de veludo, grande jogo posicional e que ainda teria lugar no Sporting, nem que fosse para mostrar ao Ronny como se marca um livre. Foi bi-campeão nacional pelo Sporting, mas antes disso já tinha sido internacional brasileiro (33 jogos/1 golo), medalha de prata em Seul '88, vencedor da Copa América em 1989, vice-campeão do Mundo pelo Brasil em 98.

Mário Jardel (2001-2003): avançado fenomenal, com um talento proporcional à sua falta de tino. Campeão nacional e melhor marcador em 2001/02 com uns surreais 42 golos em 35 jogos. Chegou ao Sporting - bem gordinho, diga-se - como vencedor da Copa Libertadores, Supertaça Europeia, tricampeão nacional português no FC Porto, campeão gaúcho no Grémio e - uff- quatro vezes melhor marcador do campeonato português.

Anderson Polga (2003 - ?): central que tem tido os seus altos e baixos (época 2004-5 terrível), mas é titular da defesa do Sporting há 4 anos e é, indiscutivelmente, um jogador de qualidade. Internacional brasileiro (11 jogos/3 golos), campeão do mundo em 2002 e campeão gaúcho pelo Grémio de Porto Alegre - tudo antes ingressar no Sporting.

Fábio Rochemback (2003-2005) - médio completo, peça-chave na grande campanha na Taça UEFA de 2004/05. Internacional brasileiro, chegou ao Sporting após 3 temporadas e 40 jogos no Barcelona.

Liedson (2003- ?) - o avançado mais prolífico do Sporting desde Manuel Fernandes. Começou a carreira profissional apenas aos 22 anos e chegou ao Sporting com um excelente rácio de 25 golos em 34 jogos nos 18 meses anteriores (pelo Flamengo e pelo Corinthians).

Alguém vê algum padrão? A mim parece-me ser que todos eles já tinham revelado qualidades acima da média antes de ingressarem no Sporting - ou, o que é o inverso, que quem não mostra qualidade antes, não vai de certeza fazê-lo num clube da dimensão do Sporting. Mas aguardo outros casos para desmentir esta ideia. Pena que não se pense nisto antes de se contratarem jogadores…

Edit: Anderson Polga acrescentado à lista
Edit2: Mário Jardel acrescentado à lista

Mas isso é óbvio e é válido para os brasileiros e para todos os outros mercados do mundo…

Para ti e para mim, Toca. Mas pelos vistos não para quem interessa - aqueles que contratam os jogadores.

Qualquer desses jogadores era muito bom (se bem que uns mais do que outros)…
claro que podiam não se ter adaptado, mas a qualidade estava lá, inegavelmente…

o que me espanta é que venham dizer que este jogador já está a ser observado há não sei quantos meses…se assim foi, porque é que não veio logo no 1º dia da abertura de mercado? provavelmente agora já estaria em condições fisicas para jogar com o lagoa e beira-mar e podia-se ter uma 1ª análise do jogador…

A diferença do Tiui para os jogadores da lista, é que para o Tiui, quanto muito dizemos, bem, vamos esperar para ver o que joga… os outros já sabiamos que eram bons…

Junta aí o Polga… Campeão do Mundo!

E o Silas, que também era unha, e daquelas do dedo grande do pé que o pessoal se esquece de cortar durante 2 meses!!!

Isso, faltava o Silas, mas este é o exemplo acabado do quanto o mercado mudou desde então. Hoje em dia, por mais ambiciosa que fosse a política de investimento no futebol, seria pouco menos que impossível chegar ao Sporting o nº 10 da selecção brasileira.

Uma excepção que confirma a regra foi o caso do Carlos Miguel, que senão me engano, chegou ao Sporting depois de ter sido campeão Brasileiro pelo Grémio. Chegou cá catalogado como grande reforço, mas não vingou e acabou por voltar para o Brasil. :inde:

Essa foi uma excepção muito cara. 750 mil das antigas, não foi?

Na mesma época 3 jogadores de 800.000 contos, c. miguel , leandro e gimenez.

Não foi o Leandro, foi o Kmet.

O kmet veio mais tarde , com o duscher a pedido do jozic. :great:

O Carlos Miguel não vingou cá e custou algo há volta desse valor, mas foi vendido ao São Paulo ainda com algum lucro.

Mas lá está quando compras jogadores que já provaram serem bons, mesmo não dando cá têm mercado e não desvalorizam. O Deivid é outro bom exemplo.

mas nesse eu tinha esperança… chegou ca em pessima forma e acho que nem chegou a estar ca uma epoca completa…

mas o carlos miguel é um bom exemplo… foi caro mas tinha mostrado valor ao mais alto nivel… resultado: ou chega ca impoe-se e é uma peça fulcral da equipa ou entao vende-se praticamente pelo mesmo preço… outro exemplo é o deivid…

agora jogadores sem curriculo só ha uma solucao: têm que ser bons… se nao mostrarem valor é dinheiro deitado á rua porque nunca mais nos vemos livres deles a nao ser dispensados…

mas quem manda nao percebe isto…

Então e o Super Mario? :inde:

não veio directamente do brasil para o sporting :stuck_out_tongue:

acho que são mais ou menos esse tipo de casos que estamos a falar…pelo menos foi assim que percebi o tópico :mrgreen:

O André Cruz também não. ::slight_smile:

tens razao-… :wall: foi um neuronio que morreu enquanto estava aescrever…nem o cascavel, nem o luisito… hoje não dou uma para a caixa…

a “prima dona leonina” pôs-me irritado

Carlos Miguel, foi uma excepção muito cara, que voltou para o Brasil, foi campeão “n” vezes, e se não estou em erro, ganhou uma libertadores e foi a final da intercontinental… :inde:

O Sporting tem uma longa história de contratações no Brasil que começou nos anos 30 quando vieram 3 duma só vez, o mais credenciado era o guarda-redes Jaguaré que no entanto pouco jogou pois nesse altura apareceu um miúdo chamado João Azevedo. Isto faz lembrar alguma coisa não faz?

Depois disso nunca mais pararam de chegar para todos os gostos e de todos os feitios, aqui vão alguns nomes só para os mais velhinhos:

Osvaldinho
Geo
Osvaldo Silva
Wagner

Da Costa
Jason
Uchoa
Zandonaide
Manoooel
Mário
Duilio
João Luis

Se eu fosse aos arquivos encontrava mais de 100