Basquetebol - Séniores Masculinos - Época 2021/2022

Que se repitam os feitos desta época

1 Curtiu

2 Curtiram

Pessoal do Basket, que tal é este?

Em comparação com os nossos, com os dos rivais, etc.


Basquetebol

DOIS REFORÇOS GARANTIDOS E UM TERCEIRO BEM ENCAMINHADO

Basquetebol leonino já está de olhos postos na próxima temporada e ‘pesca’ no Imortal

Duarte Pereira da Silva

Texto

8 de Junho 2021, 17:30

summary_large_image

Tanner Omlid e António Monteiro. De acordo com o jornalista Christos Harpidis, são estes os dois reforços que o basquetebol leonino já garantiu para a próxima temporada. Porém, as negociações com o Imortal podem não ficar por aqui e o nome de DJ Fenner está em cima da mesa para reforçar o conjunto de Luís Magalhães.

No caso de António Monteiro, o processo foi simples, uma vez que o extremo (também pode atuar como poste) estava em final de contrato com os algarvios. Em 2020/21, o angolano de 32 anos foi uma das figuras do Imortal, tendo uma média de 12 pontos marcados nos 32 jogos realizados na Liga Placard.

Quanto a Omlid, o cenário é bem diferente, visto que o norte-americano de 27 anos tinha renovado muito recentemente com o Imortal. Ao que tudo indica, os leões terem desembolsado uma verba pelo extremo algarvio.

DJ Fenner pode ser o nome que se segue

Com estes dois nomes garantidos, os leões preparam-se para atacar ainda um terceiro reforço: DJ Fenner. O extremo, de 27 anos, é norte-americano e foi uma das grandes sensações do Campeonato Nacional, contabilizando uma média de 18,5 pontos em 37 encontros.

image

Quando perspetivava plantéis para este ano, bases tugas a minha primeira escolha ia sempre parar ao Miguel Maria. Nem pensei que fosse possível e espero mesmo que se concretize.

Quando estava no Guimarães jogava muito, fui agora ver as stats e ele acaba a época com 15 pontos, 7.5 ast e 1.5 steals. Mesmo no benfica começando mal pelas polémicas ainda acaba a época com 5.8 ast por jogo. Na selecção foi sempre dos bases melhorzitos.

Fui ver como se andou a portar na Islândia onde naturalmente nunca vi porra nenhuma nem sei a qualidade da equipa e da liga mas fez médias de 15 pontos, 5.5 ast 4.1 res e 1 steal. A sua percentagem de fg% caiu, por cá andava pelos 44% e lá pelos 38%, mas sem saber se era ele o foco principal da equipa nem da qualidade dos colegas isso só por si não me diz muito.

Se vier, retiro aquilo que disse há uns tempos sobre a vinda de um PG estrangeiro. Com Miguel Maria, Ventura, Travante e Omlid, a confirmarem-se, são 4 jogadores com características de ter bola, de criarem para si e para os outros, porque mesmo o Travante e o Omlid são bons ball hadlers mesmo não sendo pg’s.
Ficava na mesma com o Amiel e claro com o Catarino.

Não sabendo das permanências ou não dos restantes estrangeiros, canalizava a aposta forte no jogo interior, em termos físicos e em termos de luta nas tabelas, preferencialmente com o PF que tivesse tiro exterior.

Não vi que já tinham feito um tópico novo então vou pôr o post que tinha feito aqui (sry repost) para ficar no sítio certo.

1: Ventura, MM, *
2: Fenner(2,3), Catarino, Embalo
3: Travante (2,3), * , * , Araújo (3,4)
4: Omlid(3,4), A.Monteiro(4,5),JFernandes(4,5)
5: Fields, Manjate

Se desse para se ir buscar o Lima era fixe para marcar uns triplos quando necessário (ou a vaga fica para o Grosso que se falou que vinha com 40%3pt). Mais um estrangeiro para 3 e um base nacional.
Ficava uma equipa muito versátil para todo o tipo de jogo e libertávamos um cinco muito unidimensional, Cláudio, para um atirador que às vezes dá jeito e só temos o Catarino.
Não sei se o Fields é para ser recambiado, se for é uma troca por troca não altera o geral. Continuaria a ser o único elemento mais pesado e com menos mobilidade na equipa (mas que necessitamos de ter tbm) e esta época provou que não serve de nada ter um backup tbm ele pesado e pouco móvel.
Equipa alta em todas as posições mais baixas com grande capacidade de trocar defensivamente e defender agressivo como o Magalhães gosta e muita versatilidade nas posições mais altas.

1 Curtiu

Também ponho o meu plantel:

1: Diogo Ventura, Miguel Maria, Francisco Amiel (Litos Cardoso, Gustavo Teixeira, Diogo Peixe)

2: DJ Fenner (Brandon Parrish, EC Matthews, Travis Munnings, Jaron Hopkins), Pedro Catarino

3: Travante, Tanner Ohmlid (Brandon Parrish, EC Matthews, Travis Munnings, Jaron Hopkins), Fábio Lima (João Grosso, Nuno Sá)

4: João Fernandes, Contratação 4 (Gonçalo Delgado, João Guerreiro, Estrangeiro, António Monteiro)

5: John Fields, Contratação 5 (Estrangeiro, Justin Alston, Daniel Relvão), Cândido Sá (Jeremias Manjate)

Emp: Embaló, Afonso Guedes, Jeremias Manjate?

Equacionar contratar por 2 anos e emprestar 1: Gustavo Teixeira, Diogo Peixe, Frederico Martins (bases), André Cruz, Nuno Sá (extremos), Rui Palhares (poste)

É certo que o Micah não fica???

Podia nos dar mtas alegrias…

As noticias do ‘Basket Total’ têm alguma credibilidade?

Falam na possibilidade do Mike Fonfana para nós???

Qual é a valia do rapaz?

Se fosse para suplente do Fields (que imagino que não tenha saído da Oliveirense para assinar só por meio ano, embora preferisse um poste que, não sendo inferior, tivesse outra estabilidade emocional), seria uma boa opção.

É um jogador alto (2.06m), mas móvel e muito rápido para poste — algo de que o prof Luís Magalhães gosta — e lança bem. Aliás, para um 5 até de três lança bem! Tanto que até pode, a meu ver, jogar a 4, embora seja como 5 que é “diferenciador”. Tendo altura e física, que tem, é o perfil de poste que o mister mais gosta.

Quando ele fazer o bloqueio ofensivo, se se marimbam para ele e preocupam com o base que está a fugir ele torna-se um perigo… porque sem oposição recebe e normalmente mete-a lá dentro, seja de meia distância seja até de 3.

Caso fique mais um ano em Portugal, se não for para um grande neste ano que vai começará irá certamente no seguinte…

No Basket feminino tem. No masculino também acredito que sim, mas não sei.

Gosto muito dessa sugestao. A vaga na posicao 3 seria para quem, Lima? E o ultimo base?

Ele não é poste, é extremo. Jogou a poste no small ball do Esgueira. Só faz sentido vir se o Cláudio sair (já temos muitos jogadores que fazem a posição), seria uma opção interessante porque é mais um jogador que é versátil e ainda atira de fora. Mas é fraco no jogo interior e no ressalto para entrar para o lugar do Fields. Ficaríamos coxos na posição e expostos a equipas com postes possantes, no caso da saída do Fields.

@johnnycash se viesse o Fofana, no esquema descia o Omlid para 3 backup, Fofana para 4.
Em termos de nomes não sei. Tinha lido que o Amiel ia para o Imortal mas se não for pode ficar para terceiro base (seria o terceiro ano seguido sem jogar, não acho que seja bom para ele). Para extremo tinha lido tbm que entrava o Grosso. Entre ele e o Lima é indiferente.
Com um plantel deste tipo, o treinador vai ser fundamental já que tem muitas opções a nível táctico… muitas mais do que teve este ano. Espero que não cometam o erro de ir buscar um primeiro base estrangeiro.

Pela entrevista do Luís Magalhães, pensei que não se inscrevessem.

Mas acho bem, se há uma base que é para manter a médio prazo, a experiência internacional valoriza jogadores e equipa.

O Fofana podia ser uma opção low cost aceitável mas preferia alguém mais abusado na luta da tabela.

No entanto como acontece sempre no basket, é provável que se comece a época com um ou dois estrangeiros mais baratos e depois a meio logo se vê se fazem trocas ou não ou se é preciso algum upgrade.

Mas por enquanto estes nomes todos são só rumores.

De acordo (embora ache que seja trabalhável). Quando eu digo alternativa ao Fields quero dizer lugar do Cláudio, segundo 5. Já que a 4 temos o Joao, que em caso de necessidade pode jogar a 5, a 5 tínhamos um poste puro + o Mike, que pode jogar a 4.

Aliás, não achando o António Monteiro horrível (mas também não acho o Cândido Sá horrível), um PF estrangeiro + João Fernandes a 4 e Fields + Fofana a 5 a meu ver seria bastante bom. Monteiro ou Candido Sá para compor o lote.

Fofana não é jogador para ser cinco inicial, mas para sair do banco é interessante: não deve ser caro (mais que o Cláudio Fonseca, por exemplo, duvido que seja) e tem características interessantes que podem ser trabalhadas e apuradas em treino.

No serorc dizem que o Ventura vai para lá.