Banda Desenhada

Faz falta um tópico sobre banda desenhada.

O que é que andam a ler ou têm para aconselhar? Do que é que gostam? Onde compram? Lêem no computador?

Que acham do fim da Devir (como editora de bd)? Visitam o festival da Amadora? Vão à Bedeteca de Lisboa?

Desenham? Escrevem argumentos? Fazem crítica? Têm fanzines?

Que adaptações cinematográficas de bd’s toleram? Aquela treta do “Heroes” é escrita por tipos que só leram os desenhos e a badana das histórias do Alan Moore?

Que jogadores do Sporting têm características de super-herói? E se o sucessor do CFreitas pudesse contratar um, qual seria? O Liedson é vulnerável à criptonite? Votavam num super-herói nas eleições para a presidência do SCP? Os vilões perfeitos estão no Porto ou no Benfica? Se vos desenhassem na mesma vinheta do Petit que onomatopeia apareceria? POW? BANG? BOOM?

E miúdas desenhadas para acrescentar ao tópico dos rebarbados? A Druuna? As mulheres do Manara?

(Continua…)

Este é o tópico para o Incitatus. :mrgreen:

Havia alturas em que lia BD , mas coisas mais “infantis” como Dragon Ball, TombRaider ou Sonic… Continuo a gostar e queria arranjar pa ver no PC mas ainda nem procurei, nem sei onde procurar sacar … ( I know Google is my friend… ).

O Google e os trackers de torrents…

Yup I know. Vou ver se arranjo a colecção ou algo parecido…

Sempre gostei da Marvel e das suas personagens, mas acho que nunca li nenhuma BD.

Bem caro Stromp, não sei quem escreve o Heroes, mas uma coisa é certa, aquilo não é “treta” nenhuma, é só uma das melhores cenas de sempre.

Em relação a BD, vamos lá…

Obra preferida: Sandman do Neil Gaiman, não há como descrever, para além do ambiente visual criado, é simplesmente uma das melhores obras filsóficas que podes ler.[url]http://en.wikipedia.org/wiki/The_Sandman_(Vertigo)[/url]
É no entanto necessário uma certa cultura geral, ou conhecimentos históricos para perceber tudo o que ali se passa, não é uma obra violenta (psicologicamente talvez seja), não tem quase acção nenhuma, é apenas… Sandman… :slight_smile:

Preacher
[url]http://en.wikipedia.org/wiki/Preacher_(comics)[/url]

Gart Ennis e Steve Dillon, juntam-se para nos dar uma das obras mais inquietantes de sempre, um arcanjo e a correspondente feminina do mesmo, só que do lado do inferno (será uma demónia superior, algo assim) apaixonam-se e dão a f(#$ de sempre, ela fica grávida e em consequencia disso geram um ser mais poderoso que Deus, pois este novo ser conhece o mal e o bem.
Deus simplesmente foge do paraíso e deixa aquilo abandonado, os anjos, divididos pelo seu grau hierarquico (arcanjos, querubins, e outros que me esqueça) entram em guerra pelo poder, outros viajam para a terra e perdem-se nos prazeres mundanos, sendo o mais comum a cocaína.
Não me vou alongar mais, o ser gerado acaba por se instalar no corpo de um simples pastor evangelista, bêbado e à beira do suicidio, que de repente se vê com um poder superior ao de Deus, o resto é a trama, esta é das melhores obras de sempre.

Lucifer: [url]http://en.wikipedia.org/wiki/Lucifer_(DC_Comics)[/url]

Spin Off de Sandman, mas agora só com a personagem de Lucifer, há quem a prefira em relação ao Sandman porque aqui há muito mais acção e logicamente violência, a maneira como pela primeira vez alguém se lembra de apresentar o diabo, não sendo este a personificação do mal (claro que não é flor que se cheire, antes pelo contrário), mas sim como o gajo que perdeu a guerra contra Deus apenas porque tinham diferenças de opinião, a forma como ao longo dos 65 livros ele vai usando a sua quase omnipotencia para criar um universo só para ele, até ao seu confronto final com o Pai (sim, para quem não sabe, Samael é o primeiro anjo criado por Deus), resulta numa obra superior.

Watchmen [url]http://en.wikipedia.org/wiki/Watchmen[/url]

Já aqui falaste no Alan Moore, suponho que conheças a obra, “Who watches the watchmen”, basicamente uma sociedade onde as pessoas odeiam os super-herois, com uma estranha aversão por eles.
Um dos personagens mais poderosos de sempre da banda desenhada , Doctor Manhattan, que será provavelmente mais poderoso que Deus, mais que um livro de super-Herois é uma obra sobre a condição humana, sobre quem tem o direito de decidir quem vive ou morre.

Para já fico-me por aqui, se queres entrar “na onda” Daredevil, Batman, Ghost Rider, X-Men, Avengers, sei lá que mais, bring it on.

Europeus também gosto, principalmente do mestre Moebius, algumas coisas de Bilal e claro Vicent Segrelles e o seu mercenário, banda desenhada em Aquarela que até arrepia na arte… :great:

P.S- Quanto a miúdas desenhadas para o topico dos rebarbados, Rogue dos X-men, claro e também a Psylocke do mesmo grupo, mas nos tempos que correm são todas estilizadas e perfeitas… :wink:

P.P.S- Não gosto de Tio Patinhas, Asterix, Tintin e esse tipo de patacoadas, Lucky Luke ainda é o único que consigo ler…

Eheh

Foi só para provocar reacções. Uma TROLLitada inofensiva…

Ainda não entrei bem no Sandman, mas não me conformo. Só li o primeiro volume publicado pela Devir. O próprio Gaiman não parece achá-lo muito feliz. Gosto muito das bd’s da EC Comics, dos anos 50, e especialmente da “Tales from the Crypt” (além dos incríveis comics de guerra e, claro, da MAD). A ambiência das histórias de terror da EC está lá a espaços. Gosto disso. Tenho que ler bastante mais.

Imprescindível! :great:

Não conheço, vou procurar.

Deve ser a minha bd favorita! Estou entre o “Watchmen” e o “From Hell”, também do Alan Moore (ou mesmo o “V for Vendetta”).

Vamos a isso! Aliás, a ideia é meter para aqui tudo ao barulho.

E sobretudo coisas que as pessoas estejam a ler ou queiram recomendar: “Li isto. É uma treta”, “Recomendo”, etc. Já vi que há aqui gente que lê bastante banda desenhada. O Ao Leo de vez em quando recomendava alguma coisa no tópico dos livros. No dos filmes de terror, alguém falou no Clive Barker.

Super-heróis, conheço melhor os clássicos. Tento ler tudo o que aparece reeditado da dupla Stan Lee/Jack Kirby. Papei os Batman do Frank Miller e sou fanático da fase do Daredevil escrita (e desenhada, em parte) por ele. (Aliás, do Frank Miller gosto de tudo: “Ronin”, especialmente, “Hard Boiled”, “Sin City”, “300”; é o grande “maverick” da indústria.) O Super-Homem do Alan Moore é incrível.

Estou a ler o “Marvels” do Kurt Busiek e do Alex Ross. O argumento é fraquito, apesar de partir de uma ideia interessante (os episódios fundadores do universo da Marvel, na perspectiva de cidadãos comuns), mas o trabalho gráfico do Alex Ross é espantoso. As vinhetas são pequenas pinturas, pelo que será o mais próximo que conheço na bd americana do Vicent Segrelles de que falas.

Moebius, claro! Gosto sobretudo da série do Incal. Mais que do Arzac, Garagem Hermética, etc.

Jean Giraud e o Tenente Blueberry é mais o meu campeonato…

A Rogue, SIM! :stuck_out_tongue:

Eu praticamente despertei para a sexualidade com a Druuna. Que mulher incrível, cheia de formas!

Isso é que não te perdoo! >:(

Se há coisa de que me orgulho, e ostento quando posso, é de ter lido todo o Tintim… :slight_smile:

O Tio Patinhas clássico do Carl Barks é excelente, como, actualmente, o é desenhado pelo Dan Rosa.

Bem, muito obrigado, Incitatus. Excelente o post que aqui meteste. :great:

Estou a contar que te interesse o Hellboy e o Hellblazer (este, com outra grande personagem criada pelo Alan Moore, o John Constantine). Sim? E o “Apenas um peregrino”, também do Garth Ennis?

De facto, fazia falta um tópico destes! :great:

BD não é uma área em que toque muitas vezes, o que não quer dizer que não goste, o tempo é que não dá para tudo.

Astérix é das BDs mais brilhantes de sempre (pelo menos até ao “Grande Fosso”). Ganha contudo em ser lida no original Francês (até os nomes dos personagens - ex. Agecanonix ou Ordralfabetix - fazem sentido), e para apreciar o seu sentido é quase imprescindível ter um conhecimento menos que superficial da sociedade francesa e sua evolução recente. Melhor álbum de todos os que li: “Obélix e Cia”.

Sem desprimor para autores anglo-saxónicos como por ex. Bill Watterston, os meus autores preferidos vêem quase todos do eixo franco-belga. Desde autores que sem grandes pretensões artísticas (como têm Moebius ou Manara, entre outros tanto exemplos que se podiam dar) querem essencialmente fazer rir o leitor, muitos da “escola” “Fluide Glacial”, onde destaco o muito ácido Tronchet, até aquele que é o meu autor contemporâneo preferido, o incrível Philippe Vuillemin, cujas BDs, das mais curtas aos álbuns de uma só história (se alguém souber onde se consegue obter “Hitler=SS” sem ser no e-bay, apite), não sendo para estômagos fracos, são óptimas para quem aprecie humor ácido e politicamente incorrecto.

Super-heróis e sci-fi é que nunca gostei. Compreendo quem gosta, mas não tenho pachorra.

Não percebi o que queres dizer com o Neil não gostar do Sandman, estão neste momento a fazer o casting para o filme :great:

Atenção, no caso de meteres mesmo em Lúcifer, tens que sacar a parte do Sandman em que ele faz a sua estreia, penso que no site da Z-Cult, encontra o pack com os numeros de Sandman necessários para perceber a “estória”.

Já agora, dizes que Sandman não é muito a tua onda, mas gostas de Hellblazer, pois é, adivinha lá onde faz Constantine a sua estreia… Constantine é mais um “Spin Off” de Sandman, um personagem aproveitado, em Sandman até aparece a mãe dele, Johanna Constantine :wink:

V for Vendetta, “remember, remember the 4th of November…”, pena que o filme seja tão mau… adoro a obra.

Vamos ao “Mainstream”; Batman, é o meu herói preferido, desde sempre, sou batmaniaco ao nivel de “geek” mesmo, por isso não falo muito sobre o mesmo.

Mas falamos sobre o Frank Miller, claro, The rise and fall of Matt Murdock, um super herói esquecido desde os anos 60 que só Miller se lembraria de ir buscar.
O que mais aprecio em FM, é que ele não precisa praticamente de texto para nos contar a “estória”, isso é por exemplo muito vincado no por ti citado Ronin, aquelas páginas cheias de quadradinhos mais pequenos, que vão mostrando apenas expressões faciais, dos olhos, uma mão que parece agarrar a espada com mais ou menos firmeza, etc.

No Rise and Fall (a melhor saga de demolidor para mim), ele segue o mesmo caminho, é a segunda vinda de Miller ao Daredevil, desta vez para o arrasar, desde o começo com o suicidio da Ellen, até se apaixonar pela Mary Typhoid, a morte de Elektra nas mãos do Bullseye, nunca esqueço essas imagens, ela está a dar-lhe um daqueles enchimentos à antiga, até que ele diz, “U good, oh yeah, U good, but… I magic…”, puxa a carta, corta-lhe a jugular e atravessa-a com as adagas Sai, simplesmente incrivel.

Mas de longe a melhor obra do FM, é Batman the Dark Knight, passada no futuro, Bruce Wayne já com 60 anos, ainda consegue dar um enfardamento no Super Homem que é de abrir a boca, a personagem de Oliver Queen (Green Arrow) nessa saga, também está demais, com aquele desejo de matar o superman porque este lhe arrancou um braço, mas ainda assim com a mesma destreza na arte de arqueiro ao usar as pernas e a boca para atirar flechas, isso é o auge de Frank Miller para mim.

Quem falou no Clive Barker fui eu, mas apenas conheço Nightbreed.

Prefiro o Super Homem do John Byrne, não estou a dizer que o de Moore seja mau, apenas John Byrne torna o scout boy mais acessivel, eu não tenho grande simpatia por super heróis poderosos demais, é quando Byrne larga a Tropa Alpha e os X-men e se muda para a DC que lhe dão carta branca no Superman, ele finalmente fá-lo de certa forma vulnerável ao fogo, o fato deixa de ser indestrutivel, tal como a capa.
Acaba com o mito de superboy, do patetico cão Krypto, etc.
O Moore continua a obra depois, levando à brilhante saga da morte de Super homem, sem estes dois terem feito o que fizeram pelo personagem, essa saga não seria possivel.

Recomendo vivamente, a fase do Homem Aranha desenhada pelo John Romita Jr.
Dá uma nova dimensão a Peter Parker, os desenhos são descomunais (ninguém desenha a Mary Jane como ele :drool:), descamba na saga em que a mutação do Aranha leva a que o DNA aracnideo se comece a sobrepor ao humano, a certa altura tens Spidey com 4 braços, cabeça de aranha e quase irracional.
A solução final encontras na saga Guerras Secretas.

Falando em guerras secretas, obrigatório, Crise nas Infinitas Terras da DC, com todo o Universo da DC a ser reformulado e muito herói a morrer, sendo a mais espectacular a do Flash antigo Barry Allen.

Não sou apreciador de Tales from the Crypt, apesar de ser engraçado, MAD li bastante, mas depois de deixar de ser publicado pela editora Abril em Portugal, abandonei, mas esse teu avatar apanhei logo desde o dia em que aqui chegaste :wink:

Sin City, o Miller está a escrever mais para fazerem mais filmes, esperemos que não piore a qualidade.
300 é masterpiece tanto em livro como em filme, sempre fui apaixonado pela batalha de Termopilas.

From Hell não conheço bem, ando há anos para “adquirir”, mas aparece sempre algo novo :wink:

Tal como dizes, não li muito de Marvels pq a temática me pareceu vazia, no entanto está muito bem desenhado, tem realmente certas parecenças com VS.
Mas se gostas daquele estilo de história (não falo dos desenhos), procura uma saga da DC de um personagem chamado Manimal, penso que seja este o nome em inglês, eu li a edição brasileira, chamam-lhe Homem Animal.
Basicamente é um personagem que está ligado psicologicamente ao núcleo de consciência do planeta Terra, como tal tem o poder de absorver (não é transformar-se) os poderes que quiser de qualquer animal, bastando-lhe pensar nisso.
A saga começa mostrando um herói ecológico, mas vai evoluindo para uma série de desgraças pessoais ao protagonista, até que entra por um caminho muito, mas muito estranho.
Isto porque Manimal (tal como Daredevil) era um herói abandonado há muitos anos (não me lembro mesmo quem escreveu esta nova saga) e conforme vamos avançando na estória ele vai encontrando outros heróis também há muito tempo esquecidos, ou que perderam a popularidade, que o odeiam, ou lhe pedem ajuda para voltar ao activo, para não spoilar mais, no fim, acaba o Manimal a discutir com o próprio escritor e artista, pedindo-lhe explicações sobre a morte da mulher e filhos, recusando-se a acreditar que é um personagem de BD, até que o autor começa a falar as proprias palavras do personagem antes dele as proferir e a seguir o leva até à máquina de escrever, onde está lá tudo escrito de antemão claro. É uma “onda” estranha.

Já me estiquei, para o ano criam o prémio “geek” do fórum e eu ganho por goleada :-[ :-[

Só duas coisas, para já:

O que quis dizer foi que o o Neil Gaiman já escreveu que os primeiros números do Sandman não saíram bem como queria. Isto é, que a série melhora substancialmente mais para diante. No fundo, ainda não terei lido o melhor.

O John Constantine está no Sandman (aparece logo no único volume que li para recuperar a bolsa com areia do Sandman), mas acho (acho!) que já vem do “Swamp Thing” do Alan Moore.

Já cá volto, com mais tempo. Fantástico o teu post.

Comprava a revista brasileira “Animal” quase só para ler o Vuillemin! É incrível, dos autores de bd mais escatológicos que já conheci.

E também comprei várias “L’Echo des Savanes” por causa dele. Bem, pelo menos era uma óptima justificação para ver também as fotos de miúdas que a revista publicava… ;D

Vem do Swamp Thing sim senhor, o que queria dizer é que estava “na prateleira” até o Neil se lembrar dele e lhe dar um papel bastante importante em Sandman, expliquei-me mal.

Os primeiros 20 livros de Sandman são realmente mais fracos que o resto da saga, aquilo vai em crescendo, mas quando chega ao capitulo Season of Mysts, entra em velocidade de cruzeiro e não pára :wink:

Uma imagem que diz tudo sobre a incorrecção política de Vuillemin.


Vuillemin-Gourio- Hitler SS.jpg

excelente tópico!

a banda desenhada que melhor domino e das aventuras que mais marcou a minha existência ‘Les Aventures de Tintin’, Hergè. tenho a colecção por inteiro e li em três línguas diferentes: português, francês e espanhol.

embora diferentes, mas quase no mesmo patamar de preferência está ‘Calvin & Hobbes’. pequeno sonhador irreverente, o típico chico-esperto e o amigo imaginário que ajuda a meter os pés no chão.

‘Astérix’ obviamente! era a BD da família, os primos todos sentados a ler do mesmo.

‘Mônica’, a BD brasileira que trazia passatempos e uma data de amiguinhos. muita ‘Mônica’ comprei eu, tive que dar a maior parte delas porque já não tinha espaço para mais.

também leio ‘Zits’, mas ainda não tenho toda a colecção.

‘Corto Maltese’

Li bastantes livros de Tintin,e depois claro os clássicos como Tio Patinhas entre outros.

E as aventuras do Karzan, alguém leu? :twisted: :lol:

Yep :lol:

5th of November.

O Segrelles trabalha a oleo.

Exacto 5th of November, minha gralha…

Vicente Segrelles, realmente a óleo, não aquarela, aí não foi gralha, foi “broa” :-[ :-[

:lol:

O Karzan? Claro que sim!

Salvo erro, chegou ao cinema…

Por acaso, fui eu quem percebeu mal :-[