assistencia dos 3 grandes jornada a jornada

neste tópico, que pretendo actualizar semanalmente, vou pôr as assistencias de publico aos jogos dos Sporting e dos outros dois ditos grandes jornada a jornada, para no fim se fazerem contas!
nos clássicos conta a assistencia para quem joga em casa
a fonte é o site da liga (http://www.lpfp.pt/Pages/Inicio.aspx)

                                    assistencia	% ocupação  dia e hora	canal tv

1ª jornada
SPORTING - académica 34.272 68.41% sexta 20:30 sportv
leixoes - lampios 12.710 erro sábado 21 sportv
braga - porcos 23.698 78,25% sábado 19:15 tvi
2ª jornada
porcos - SPORTING 49.709 97,57% domingo 20:45 sportv
lampios - guimarães 52464 80,71% sábado 19:15 tvi

bom tópico. Se calhar dava-te mais jeito fazeres uma folha de excel com esses dados.

Não te esqueças de referir a fonte.

E se não for muita maçada, também era bom referir a data e hora do jogo, bem como o canal em que o jogo é transmitido, de modo a descontar o efeito dia da semana e transmissão em canal aberto quando se estiverem a fazer as comparações jogo a jogo.

ok…

mas hoje tou de saída, vão deixando mais sugestões e amanhã actualizo!

Leixões - Lamps foi 12710 espectadores segundo o site da Liga Portuguesa de Futebol Profissional.

Mesmo sendo a uma sexta-feira, com muita gente de férias tivemos uma boa assistência (em relação aos jogos que se realizam nos fins de semana da época passada). Mesmo assim temos adeptos suficientes para meter o Estádio nos 40.000. Já estou farto do nº 30, 32, 35 mil. ???

Os adeptos de Lx e arredores, para mim não são os mais fiéis ao clube, porque há muita gente que vive aí a ‘2 passos’ e prefere ficar no sofá.

Terá de haver uma boa sequência de desafios com o Sporting a dar espectáculo para chegarmos aos tais 40000. Acho que essa flutuação terá a ver com isso mesmo. Há muitos adeptos que gostam de ter a garantia de ir ao estádio para ver um espectáculo de qualidade, mesmo que a equipa possa não ganhar. É a explicação para as boas assistências que tivémos no tempo do longo jejum de títulos.

É claro que as vitórias acabam por ser também um factor fundamental para o tal aumento do número de espectadores, sendo que esta derrota com o FCP não ajudará muito a que as assistências aumentem. Uma coisa é sentirmos que se está a acompanhar uma equipa com fortes possibilidades de ser campeã, outra coisa é ir assistir a mais do mesmo, tendo esta derrota tido esse sabor.

Voltamos sempre à mesma conversa! Nunca teremos o estádio cheio … nunca!
Por jogo vendem-se 9.000 bilhetes! e cerca de 10.000 detentores de GB baldam-se por jogo!

Façam uma estatistica paralela de bilhetes vendidos, e já ficaremos bem mais perto que os nossos adversários!

quem vai ao estádio, tem normalmente acesso (nos video screens) aos lugares vendidos e ocupados! este ano não tenho gamebox, pelo que raramente irei ao estádio, mas se me forem informando posso ir actualizando mais esse valor, jornada a jornada!

Realmente, acho muito estranho haver sempre tanta gente com Gamebox que nunca aparece! Porque será? Isto não acontece no Dragão, onde também há muitos lugares de época vendidos.

E depois é o velho problema dos bilhetes serem caros de mais. Enquanto continuar esta política elitista, que priviligia o adepto com poder de compra da zona de Lisboa, o estádio não enche. Quando Sousa Cintra era presidente, tínhamos sempre grandes assistências, apesar de os resultados desportivos serem maus. É certo que os jogos eram ao domingo à tarde e sem televisão. Mas nessa altura vinha imensa gente de fora de Lisboa ver o Sporting. O Cintra não percebia nada de futebol, mas ninguém como ele dinamizava os Núcleos do Sporting e toda a massa associativa. A partir de 1996 parece que o clube “encolheu”… Eu nunca votei no Sousa Cintra, mas acho que ele tinha uma empatia com os sócios que não tem paralelo com os dirigentes do projecto Roquette. E esse afastamento entre elites e bases tem sido péssimo para o Sporting, com consequências no desempenho da equipa. Sem a mobilização dos adeptos, a equipa não acredita. Principalmente nas competições europeias. É uma estupidez que os actuais dirigentes continuem a não ter sensibilidade para estas coisas.

Os dois problemas são o mesmo problema.

É preferível financeiramente comprar uma Gamebox para ir ver 4 ou 5 jogos em vez dos 15 do que estar a comprar esses bilhetes individualmente - daí que quem planeou ver esses 4 ou 5 jogos irá deixar o seu lugar desocupado nos outros jogos.

A época Peseiro deita abaixo essa hipótese. Nesse ano praticámos o melhor futebol dos últimos 10 anos, dando por vezes goleadas sucessivas, protagonizando jogos épicos (Feyenoord, Newcastle United) e mantendo-nos nas 3 frentes (Campeonato, UEFA e Taça) até ao fim. Não obstante, o jogo das meias-finais da UEFA contra o AZ, por exemplo, teve 37 mil espectadores. E durante o campeonato as assistências não se desviaram da média que se tem vindo a verificar: 30 mil adeptos por jogo.

Em todo o caso as Gameboxes parecem ter um mérito. É que desde que existem, nunca mais se voltou a ver o estádio com 5 ou 6 mil espectadores como acontecia por vezes no velhinho Alvalade, principalmente quando a equipa estava em crise.

Ainda em relação a este assunto (que já vai um pouco off-topic): Imagina que as Gamebox’s passam a ser um pouco mais caras e que consegues digamos, apenas 20 mil em vez dos 30 mil, e que os bilhetes normais passam a ser ligeiramente mais baratos, em 5-10 euros.

  1. Quem é detentor de Gamebox sente-se mais “pressionado” a ir ao Estádio, já que pagou mais por ela, enquanto que os que a compravam para ir 4-5 vezes passam a não comprar, pois já não compensa o investimento.

  2. Sobram 20 mil bilhetes para venda ao público, em vez dos 10 mil, o que a preços mais baratos pode significar maior adesão na hora de comprar. Existe um factor adicional MUITO IMPORTANTE e que tem a ver com o pessoal que vem de longe que acaba por ficar mais “seduzido” a marcar presença no estádio (a distância é dos factores com maior relevância na decisão de ir ou não ir ao jogo… esse pessoal não quer uma Gamebox por ser um investimento incerto (já que não tem oportunidade de planear o número de jogos que vai ver), mas por outro lado, não está disposto a gastar €€€ na deslocação e depois gastar um balúrdio por um bilhete normal).

  3. Resultado final: Estádio “igualmente cheio”, com possibilidade de ficar “mais cheio” por diminuir o número de detentores de Gamebox que se baldam. Receita equivalente no mínimo, com possibilidade de ser superior.

É uma “táctica” a gamebox. Garante-se a receita, mas não se garante estádio cheio porque as pessoas com box não vão sempre à bola.

É pena ver um Sporting - Inter com 35mil… um Sporting - Porto com 38 mil… :s

Também acredito nisso, mas só um estudo de mercado poderia confirmar essa hipótese. De qualquer das maneiras há um factor a não esquecer. É que a grande vantagem da Gamebox é garantir logo no ínicio da temporada o dinheiro que dantes demorava meses a entrar nos cofres do clube; não há empresa que resista a esta liquidez rápida e fácil. Não sei até que ponto é que há coragem para subir os preços da Gamebox, sabendo que se corre o risco de as vendas caírem a pique, logo reduzindo a entrada de dinheiro no imediato.

Mas os gestores e economistas são eles. Concerteza que devotaram tempo e recursos ao estudo desta questão de forma a tomarem as medidas que asseguram a melhor receita possível. Porque no fundo o que interessa é a garantia de receita.

E como conseguir garantir a receita?.. Não estou a falar do ano actual, do ano a seguir ou do que vem a seguir a esse… Refiro-me daqui a 10 anos… Como é que consegues garantir receita?

Tu, eu e toda a gente sabemos a resposta, que é muito simples… manténs ou aumentas o número de adeptos, especialmente aqueles que querem vir ao estádio. Ora isso só acontece se os fidelizares, se os estimulares, se lhes deres razões para virem ao estádio. A partir do momento em que descaracterizas o Clube e resumes tudo ou quase tudo a um produto chamado Gamebox que te custa x €uros, que consomes o que te interessa e “deitas fora” a parte que não quiseste aproveitar, então daqui a 10 anos verás que os únicos adeptos a comprar gamebox vão ser aqueles que sabem à partida que vão ver um bom espectáculo… e nessa altura até talvez aconteça que se metam a comparar os preços da “Gamebox” do Sporting, Benfica e Belenenses e pensem… “Ora bem, onde é que eu vou ver melhor futebol? Então deixa-me lá cá ver o preço para avaliar o custo/benefício…”

Isto para mim é a negação de ser Sportinguista. Gerir o Sporting como uma empresa não significa descaracterizar e tornar o Sporting num bem de consumo… isto não uma empresa de latas de conserva, certo? O Sporting é um Clube e precisa de criar laços emocionais entre a Instituição e os seus Adeptos para crescer e sobreviver.

Eu sei tudo isso, não é a mim que deves apontar a espingarda. Eu estava a fazer de advogado do diabo. Até o único mérito que reconheço na Gamebox, que é o de ter acabado com assistências de 5 mil pessoas nos momentos menos bons da equipa, so o é porque quase que força as pessoas a ir. Não devem ser poucos aqueles que, tendo pago a Gamebox devem pensar: “bom, já que paguei é melhor ir”, independentemente de se sentirem empolgados ou não para lá ir.

Claro que quem não pode, ou não quer arrotar 150 euros de uma só vez, não compra, e depois quando quer mesmo ir a Alvalade, das duas uma: ou se depara com preços exorbitantes e não vai ao jogo, ou então depara-se com o aviso “lotação esgotada”, para depois vir para casa ver o jogo pela SportTV e ver 10 mil cadeiras vazias.

Outra coisa que vejo, e aqui falo contra mim porque já cheguei a defender o contrário, talvez por na altura desconhecer a realidade, é que afinal não são assim tão raros os portadores de Gamebox que moram fora de Lisboa. E quando digo fora de Lisboa não estou a dizer apenas Amadora, Cascais, Odivelas e outras cidades satélite da capital. Digo mesmo Faro, Aveiro, Porto e Viseu. Ou seja, parece que o “Sporting Clube de Lisboa” ou “Sporting Clube dos 30 mil Alfacinhas”, expressão que já empreguei, em jeito de gozo, afinal é um mito.

E portanto deve colocar-se a questão, como é que numa região onde se aglomeram mais de 1 milhão de pessoas, não se conseguem cativar 50 mil para assistir à meia-final de uma Taça UEFA, ou a um jogo da Champignons League contra o Inter, e uma parte tão considerável das Gameboxes estão vendidas a Beirões, Algarvios e Alentejanos? Serve de reflexão e serve também para esfregar na cara aos energúmenos que ainda se vão vendo a dizer que o Sporting é de Lisboa, que a única coisa que gostam quando vão a outras cidades acompanhar a equipa é a placa da autoestrada que diz Lisboa, e outras postas do género.

não se conseguem cativar 50 mil para assistir à meia-final de uma Taça UEFA, ou a um jogo da Champignons League contra o Inter

Também não percebo!

Voltamos à mesma questão…

Não é só cativar, é disponibilidade!
Se na compra de bilhetes jogo a jogo, quem compra é porque sabe que vai estar disponivel para ir ao jogo, eu em Julho não faço ideia se em Setembro não vou estar em Cabo Verde a Trabalhar com mais 4 detentores de GB!

Ora, para mim e para mais uma carrada de gente é mais fácil comprar a GB, e rezar para estar por cá e ter disponibilidade para ir, do que comprar todas as semanas bilhetes para os jogos. Logo comprei GB mas não tenho a certeza se irei a todos os jogos, e não é uma questão de mobilizar, ou achar o espectáculo interessante … é mesmo disponibilidade!

Como quando não vou, não entrego a minha GB a ninguem para ir, eu sou uma cadeira vazia, e um bilhete a menos vendido!

Algusn dirão, mas o Sporting não consegue vender os 9000 bilhetes que tem! Ora o Sporting como só tem 9000 Bilhetes para venbder vende-os a 15€ ( Receita Possivel de 135000€), se tivesse a hipotese de vender os bilhetes, mais as GB que não vão ao estádio jogo a jogo, teria 19.000 Bilhetes para vender, o que poderia fazer com que os vendesse a 10€ ( Receita Possivel de 190.000€).

Resumindo, se existisse o tal método para venda de lugares GB que não vão ao jogo, a bilheteira seria mais barata, poderia render mais dinheiro, e ter o estádio cheio!

Mas tudo isto é demasiado complicado … só os grandes clubes o conseguem fazer …

Alguem sabe qual foi a assistência do SCP - Belem?

32000 e tal mas já não me lembro do número exacto.