Assembleia Geral extraordinária SCP dia 23 de outubro 2021, 11h

@andre77 @Bravo_leao

Deixem ver se consigo explicar a minha perspetiva.

Ponto prévio, a execução anual há muito tempo que contem deficit de cash, que é provocado por rendimentos que não geram fluxo de entrada de cash (Direitos de Superfície) e outras que não geram fluxo de saída de cash (amortizações). O CD anterior resolvia este deficit apresentando 3 a 4M de lucro por ano, o atual ao apresentar lucros próximos do zero arranjou um problema que para o solucionar, recorre ao endividamento, na SAD como sabemos. O CFeD alertou para este problema, e só não digo que alertou e bem porque tinha a obrigação de fazer muito mais do que apenas alertar.

Dito isto:

  • O ReC de 19/20 que tinha mais uma vez resultado marginal não está aprovado.

  • Ao apresentarem o de 20/21 já feito de acordo com novo normativo que dizem ser uma forma mais verdadeira, como o de 19/20 não está aprovado, na minha opinião, deveriam apresentar o de 19/20 dessa forma mais verdadeira.

  • O problema é que uma das coisas que alteraram com o novo normativo, os direitos de superfície reduziram mais de 2M (passou 5M ano para 3M), porque os anos de imputação deste rendimento foram alargados. Com esta redução de rendimentos aliada a outras o ano de 19/20 passava do lucro marginal para um prejuizo superior a 3M e isto daria perda de mandato e por isso não dá jeito.

  • No ano de 20/21, já com o novo normativo, tendo a redução desse rendimento não cash, porque não apresenta tb prejuízo? Simples, encontraram uma forma de substituir esse rendimento não cash por outro, que foi reverteram 2M de uma provisão criada para processos judiciais e fiscais que foi criada ainda pelo anterior CD prevenindo a possibilidade de perda de processos em curso. Pela transparência no mínimo deveriam informar quais os processos que ganhamos e que não foi necessário utilizar a provisão.

  • Ainda há mais uma situação caricata e ridicula e talvez justifiquem ter deixado cair a aprovação do orçamento para 21/22. O documento que esteve em avaliação estava ainda de acordo com o antigo normativa, manda a razoabilidade, a honestidade, a transparencia que o deveriam fazer já pelo novo normativo. O problema é que rectificando, reduzindo portanto o tal rendimento do direito de superficie, o resultado desse orçamento seria um prejuizo superior a 2M e logo a perda mandato. Espertos :slight_smile:

O me deixa chateado é ver quem tem tempo de antena nos jornais e televisões, não ligam puto a estas questões, primeiro porque é chato perder tempo a ler os documentos e segundo porque fomos campeões e isso justifica tudo.

2013 cada vez mais perto, infelizmente.

PS: Há mais pequenas coisas que influenciam as contas num ou noutro normativo só mencionei os elefantes. No fundo o que fizeram foi maquilhagem, apresentam da forma que deu mais jeito. Reparem o Porto, por exemplo, apresenta as contas do clube pelo normativo aplicado às associações tal como nós sempre fizemos e não mudou o normativo, a mudança foi opção e a mim causa-me duvidas que até seja legal.

4 Curtiram

Ah ok… obrigado pelas explicações @Thor .

Sendo assim, o CFeD falhou, deveria ter feito o seu trabalho e dar parecer negativo as contas apresentadas, em vez de dar só alerta. O órgão perdeu excelente oportunidade pra mostrar que realmente é independente, preferiu evitar crise… problema é que a crise já existe e não é de agora, os chumbos é o último capítulo que começou com as demissões no CD e no próprio CFeD…

1 Curtiu

Alguém ai que concorde com a realização desta assembleia me explique o porquê da mesma.

Já ouvi todo o tipo de argumentos:

  • A última não foi representativa da maioria dos sócios.
    Então se na próxima também não votarem a maioria (ou um número previamente fixado) tem de se fazer obrigatoriamente uma 3ª e por ai fora. (não ouvi ninguém dos OS a referir nenhum numero concreto em relação a isto… se calhar porque é ridículo). E se o problema são as minorias e maiorias e participações, porque só se leva a votação outra vez o que foi rejeitado e não todos os pontos?

  • Seja como for nunca faz mal ouvir os sócios e tirar dai conclusões.
    Sim, mas então ouvimos os sócios (sobre o mesmo assunto) 1 vez, a 2 vez e porquê ficar por ai? Porque não uma 3ª num dia de jogo grande para termos mais participantes? E uma quarta no fim do campeonato porque ai já há uma visão mais global. Porque é que esta terceira é que vale?

Para muitos isto é normal e não tem mal nenhum porque é um clube desportivo, se fosse numa instituição do estado se calhar já ninguém ia achar tanta graça

3 Curtiram

É que vai ser um corropio de autocarros com sócios de 20 votos a chegar a Alvalade dia 23…

1 Curtiu
1 Curtiu

Isso parece extraído de um quadro do Hieronymus Bosch…

Se as contas passarem, estão a legitimar as ilegalidades. Depois não venham chamar o BdC outra vez, desta vez não contem com ele. Depois do que lhe fizeram…

Só gostava de saber quanto é que custa a AG ao SCP, pois não deve ser o fv a pagar… Este valor vem vir descriminado no próximo RC?

É que assim também se fica com uma ideia de quanto se tem de angariar caso algum grupo de sócios queira marcar uma AG.

Não é mas podia ser… “O juizo final” ou “O navio dos loucos”…

Pergunta parva: Se a AG anterior não foi representativa, porque é que não se leva de novo a votos o ponto 4 da mesma?

1 Curtiu

Pk o varandas prefere gerir por duodécimos, o orçamento ainda em vigor é o de 2019…

Estava a referir-me ao ponto das portas. Não é o ponto 4? Pode ser o 5, admito que não fui ler a convocatória anterior.

Sim era. Mas esse foi aprovado, não necessita já

Porquê? Se foi aprovado por uma minoria não representativa tem forçosamente que ir de novo a votos.

Ou só são minorias ruidosas quando é chumbado?

4 Curtiram

Pois, visto por esse prisma, até és capaz ter razão…

1 Curtiu

Criaria uma situação “engraçada”, curioso de ver a reação da direcção se fosse pedida nova AG por causa disso.

1 Curtiu

Um gajo que cagou nos adeptos, claques, sócios e núcleos é o mesmo que vai agora às redes sociais dar os parabéns ao Núcleo de Braga.

  1. Teremos um Sporting com políticas de atração de novos sócios após 3 anos de abandono?

  2. Teremos um Sporting a apoiar e trabalhar com os núcleos após 3 anos de abandono?

  3. Teremos um Sporting descentralizado no momento de olhar a sua massa associativa após 3 anos de abandono?

O que aconteceu para este comportamento fora do padrão habitual?

A refletir…

Tenho a resposta: AG dia 23…

Não é preciso pensar muito, basta ver o historial. O Nucleo de Braga, ou melhor os seus dirigentes estiveram desde inicio com o Varandas e a sua trupe. O solar do Norte e mais alguns também, e depois houve aqueles dirigentes de núcleos que para não perderem as benesses se encostaram logo tb à direcção. Felizmente a maior parte faz o que deve ser, tentar ser equidistante não andando a dar graxa a direcções nem a facções divergentes da direcção.

Neste mundo há sempre aqueles que gostam de passar a mão pelo pelo…

2 Curtiram