As nossas Finanças / Poupanças - O tópico do Forreta

I wouldn’t count on that. Mas mesmo que aconteça, será sempre temporário caso os resultados reais não apareçam ou a economia global não continue em recuperação. Por isso esse tipo de flutuações são interessantes sobretudo para daytraders e não para quem investe a longo prazo.

Nao digo a curto prazo, queria dizer que continuará a subir nos próximos 5 anos.
Mas yah, um gajo lê 10 artigos e tem 10 opinioes diferentes lol.

Se fosse fácil, todos arriscavam.

Eu confesso que não tenho liquidez para grandes investimentos. Mas que é frustrante ter um pouquinho de dinheiro no banco e ver os juros, como vi hoje de 0,20€… Só me dá para rir.

Então peguei em 1000€ e, após ter lido e conversado com alguns “entendidos” lá arrisquei. Faço de conta que não existem. Dificilmente me vão trazer rentabilidade, mas, neste momento, após 2 ou 3 meses, podia ir buscar à volta de 30€ após comissões. É muito. Não. Praticamente dinheiro mal empatado.
Mas dá para perceber a diferença de potencial entre arriscar um investimento ou deixar o dinheiro parado no banco.

Só não avancei também para um PPR do género Alves Ribeiro, porque não tinha viabilidade financeira para abrir a conta, senão também tinha arriscado.
Porque, no curto prazo, não estou a ver muito mais onde se possa fazer um bom investimento que seja rentável.

Concordo perfeitamente.
E nem só nao ser facil, o teu dinheiro na conta está ali sossegadinho e tu a olhar para ele.
E depois todos os anos pagas imposto sobre o mesmo (pelo menos eu pago aqui na Holanda), por isso ao menos que se arrisque.

Por algum motivo existem as maximas:
You miss all of the shots you don’t take.
Don’t put all your eggs in one basket.

So investiria dinheiro que estivesse confortavel a perder, e mesmo assim para o perder todo, teria muito mais merda com que me preocupar do que o dinheiro lol.
A casa esta paga, por isso na pior das hipoteses posso vender o corpinho. :smiley:

1 Like

A longo prazo é capaz de ser irrelevante quem ganha as eleições agora em Novembro. Se vai continuar a subir em 5 anos não da pra saber, às vezes fica tudo meio encalhado durante um ou dois anos.

Fazes assim: se queres uma estratégia arrojada, mas ainda assim racional, divides o teu dinheiro em 5 fundos exclusivamente de accoes, sendo que cada um deles segue um índice global diferente (um para novas techs, um para indústria - sobretudo europeia e americana -, um para grandes empresas tipo SP500, um para mercado asiático e um para micro e pequenas empresas). Tens o risco distribuído por várias empresas e, mais importante até, por vários ramos de actividade. Se não acontecer nada na economia mundial em 3 deles, então esses ficam na mesma, mas nos outros 2 pode acontecer e la vai pra cima. E depois podem inverter as posições que também está tudo bem.

No pior dos cenários, e como são fundos que seguem índices globais, vão todos descer em 5 anos e perdes algum dinheiro… bom, nesse caso quer dizer que todos os ramos da economia foram às urtigas ao mesmo tempo e se calhar esse dinheiro que tens em poupança será a menor das tuas preocupações.

(Se os global indexes não te seduzem particularmente, mete na mesma 3 fundos a segui-los e mete 2 a seguir coisas muito específicas, tipo empresas de energias renováveis ou empresas de gaming ou empresas ligadas à saúde e aos medicamentos, por exemplo).

Confesso que a única coisa que me tira o sono é mesmo o empréstimo habitação. De resto, nunca me meti em empréstimos de qualquer tipo.

Faz sentido, assim meteria 10k em cada uma das frentes. (tvz so 4 va)
Obrigado pelas insights.

Para quem esteja a comecar e visto que os titulos de divida publica andam com uma taxa de juro ridiculamente baixa a 7 anos, normalmente os bancos oferecem structured deposits onde 100% do capital esta garantido desde que nao o retires at’e a maturidade. Penso que est’a nos 3 anos.
Porem podes nao ganhar nada e o dinheiro ficou parado.
A diferenca para emprestimos a prazos 'e por investir em determinados produtos que escolhes.Accoes, titulos de divida publica, creditos obrigacionistas ou do proprio banco.

https://www.moneysense.gov.sg/articles/2018/10/understanding-structured-deposits

Comecei há pouco a fazer uns investimentos, e para além de 2 ETF (ishares S&P500 e Vanguard FTSE) que são investimentos alongo prazo (20 anos) no campo das ações até agora a surpresa foram os 250€ que meti na NIO e que em um mês valorizaram mais de 40%. Provavelmente vou comprar mais algumas ações deles antes da apresentação de resultados do Q3.

Em Portugal e nos investimentos mais conservadores de todos, o que andou de melhorzinho por aí foram as obrigações do tesouro com taxas de juro até 5% ou assim.

Neste momento nem isso e duvido que nos próximos 3 anos apareça alguma coisa de jeito… os central banks já vêm avisando desde há algum tempo que nos próximos anos as taxas de juro vão continuar baixas.

Algo que me esqueci de referir em relação a fundos é lembrares-te de não seres chulado!

Isto é, os fundos que seguem índices, chamados também de fundos passivos, não têm “active management”, ou seja, basicamente o gajo que gere o fundo arranjou um conjunto de 40 ou 50 empresas que ele acha que representam o índice e depois raramente mexe nessa composição. Basicamente deixa-o andar. Tirando algumas excepções, nunca aceites um fundo passivo que segue um índice global com uma comissão acima de 1% (já não vou tão longe como 0,6%, que é o meu limite para fundos passivos). Em Portugal gosta-se muito de meter fundos passivos nos clientes a 1,5% de comissão, o que é a chulice total (pra isso mais vale tu fazeres o teu portfolio pessoal comprando

Fundos activos já percebo os 1,5% e é na verdade difícil arranjar abaixo disso.

Também lo sobre isso.
Os que vi, andava nos 0.2%.
Mas não me meto em loucuras e por enquanto ainda estou a pensar seriamente. A decisão demorará um bom bocado.
Passei a noite de ontem a ler merdas, mas como disse há tanta informação e contraditória
Como já disseram, se fosse fácil…

Tendo tu lido já muito sobre o assunto, está na hora de experimentares, é a única maneira de conseguires gerir melhor no futuro.

Em vez de meteres o dinheiro todo, já que queres escolher 4 fundos, mete 1/4 dividido pelos 4 fundos. Comprar shares em fundos quase nunca não tem custos, pelo que podes fazer aos bocados. Quando te sentires confortável, compras mais um quarto dividido em partes iguais pelos 4 fundos e assim sucessivamente.

Exemplo: tens 40000 euros. Metes 1000 em 4 fundos (250€ em cada). Depois, passadas umas semanas ou meses, mais 10000 nos mesmos 4 fundos… e é repetir.

Mete aqui a lista de fundos que estás a pensar, a gente pode tentar ajudar com alternativas.

Vou colocar-te aqui um exemplo meu:

Para além das minhas poupanças habituais, tinha em Janeiro cerca de 5 mil euros que queria meter em fundos que o meu banco habitual não disponibilizava. Então meti esses noutro banco:

Comecei por comprar aquele do TIN Ny Teknik, la pra Maio comprei um bocadinho do MS INVF e há coisa de um mês e tal comprei um bocadinho do SEF Kavalier. O MS INVF é o único internacional.

Na primeira coluna tens quanto eles valorizaram/desvalorizaram desde que os comprei e na segunda coluna a mesma coisa, só que apenas na última semana.

Escusado dizer que neste momento, como já deves ter percebido, o valor do que la meti já vai em praticamente 10 000 euros.

Pois era isso, fazer várias injeções para equilibrar tambem os preços de compra.
Eu estou a usar o meu banco aqui na holanda, a merda é que não consigo perceber pelo ticker/nome se são ACC ou DIST, eu queria mesmo que eles fossem acc e investissem os dividendos e não os pagassem . Tenho de andar a ver todos individualmente.
Mas estou com azar, que tudo o que encontro é DIST.

Fiz contra no MorningStar, que curti da ferramenta que têm para gerir portofolio (posso brincar uma beca antes de meter a guita)

Tava a olhar para iShares e Vanguard.
Como disseste SP500, um EMER, um World, um Tech e tvz GOLD.

VANGUARD SPX 500 ETF DIS

IE00B3XXRP09

VANGUARD FTSE ALL WORLD ETF DIS

IE00B3RBWM25

ISHARES CORE MSCI WORLD ETF CAP (este é ACC)

IE00B4L5Y983

ISHARES IV DIGITALISTION EUR ETF CAP (este tb é ACC)

IE00BYZK4883

Começo a achar que CAP = ACC (apesar de nao encontrar muita informacao acerca disso, normalmente é ACC ou C)

Na Holanda os dividendos são taxados (levas impostos) ou não? É importante saber isto pra te poder responder sobre ACC vs DIST.

São, daí o ACC :smiley: haha
Mesmo que nao fossem, se calhar reinvestir não me chateava na mesma.

Dividends from Dutch funds are subject to 15% Dutch withholding tax, which you can reclaim at your income taxes even if you do not pay net wealth tax. The wait of approximately 6-18 months before receiving the withheld taxes back can be a reason to choose accumulating funds.

In addition to personal taxation on dividends, the fund can also be taxed internally on the dividends received, which is before they distribute or reinvest the dividends. An advantage of funds domiciled in the Netherlands, is that they are sometimes, due to their structure, able to avoid international withholding tax leakage. This wiki page shows calculations for ETFs domiciled in Ireland and the US and what effect withholding taxes have on your yearly costs. With respect to taxation it would make sense to prefer a US domiciled fund for US assets over an Ireland domiciled fund since a Dutch investor can receive 100% of the US dividends for a US domiciled fund, but the Irish fund cannot receive the full 100% of US dividends.[4]

EDIT:

Lendo um pouco melhor, a Holanda tem o Wealth Tax:

A wealth tax applies to all assets equally (e.g., investments, cash, property). With a wealth tax, both distribution policies would cause the same amount of taxes.

The Netherlands, where the wealth tax replaces all investment taxes (e.g., capital gains, dividends), fits perfectly into this scenario.

Tens aí ETF’s redundantes. O World já tem SP500 e Tech e talvez Mineiras.
O SP500 já tem Tech.
O Ouro é extremamente volátil.

Dito isto, fazia algo do género:
10% USA+
10%Europa+
10% Pacífico+
10% Emergentes+

60% Obrigações Globais AAA a A (em euros que é a tua moeda presumo).

Podes fazer a carteira com fundos de investimento de acumulação.

Calculei que pudesse dar essa impressao.
Só pus alguns exemplos, nao queria dizer que ia a todos :smiley:

60% Obrigações Globais AAA a A (em euros que é a tua moeda presumo).

Sim é. Tens exemplos, se nao te importares?

A pimco é uma referência nos fundos de obrigações mas existem várias soluções satisfatórias:

IE00B11XZ103

LU0337577430

LU0304100331

LU1481583711

(…)