As compras de clubes de futebol...

Gostava de saber qual a vossa opniao sobre grandes milionarios comprarem clubes de futebol!

Primeiro foi o Portsmouth, depois o Chelsea a seguir o Man. united, agora o WEST HAM 8) …entao aqui na Inglaterra fazem fila para se comprar clubes, sendo o proximo o Liverpool que so vai custar cerca de 600 milhoes de libras!!

OK muitos de vos vao dizer, quem me dera que viesse um ca para PORTUGAL e Comprar o nosso SPORTING…

Bem, escrevi a palavra pelo qual me devido sobre este assunto, e a palavra e NOSSO.

Por um lado gosto da ideia porque se tem a situacao financeira fica muito boa e os clubes podem comprar estrelas de nivel mundial, e com isso trazer mais adeptos aos estadios.

Mas por outro lado vem o sentimento NOSSO, perdesse a alma do clube fica uma maquina que quando comeca a dar dinheiro e tudo um mar de rosas mas quando da para o torto e se comeca a perder guito fica tudo de pernas para o ar.

Entao tou dividido entre duas opnioes…Claro que gostava que viesse ai um sheike qualquer paga-se as dividas do nosso SPORTING, comprasse jogadores de outra galactica e fala-se com o Madeira Lion para comprar um aviao e o pintar como aquele que ja vimos para a nossa equipa viajar em estilo…

Opnioes sao bem vindas!! :slight_smile: 8)

Podem apagar as outras… :oops:
Nao sei o que se passou…SORRY!

Bem, em relação à situação vou fazer copy paste de um post que fiz no meu antigo blog em Fevereiro de 2005, quando o Glazer se preparava para comprar o Man United. O receio mantem-se

O FIM DA MÍSTICA?

O Diário Económico noticia hoje na sua edição impressa que Malcolm Glazer, milionário americano e proprietário dos Tampa Bay Buccanneers, fez mais uma tentativa de aquisição do mítico clube inglês Manchester United (MUFC). Não são avançados muitos detalhes sobre a oferta pública de aquisição (OPA), no entanto é sabido que o empresário, já detentor de 28,1% do capital do MUFC, pretende pagar cerca de 300 pence por acção (que se encontram cotadas a 275,75), o que implica, mais coisa menos coisa, um investimento de 1,2 mil milhões de Euros para adquirir as acções necessárias para controlar o clube.
De acordo com Roy Kaitcer, analista da Brewin Dolphin, Malcolm Glazer tem hipóteses de conseguir de conseguir que a OPA seja bem sucedida.

Esta notícia é algo que certamente não será muito agradável tanto para a massa associativa do MUFC como para alguns dos seus símbolos desportivos, pelo menos é o que eu depreendo das declarações de Ryan Giggs ao Daily Mail:

“The general feeling is that the club is in good hands,”(…) "This club cannot get any better than it is at the moment. We sympathise with the fans. Of course we do”. “Nothing needs to change, we hope that continues. As far as the fans are concerned, the team and the club and the way the whole thing is being run at the moment shows that there is nothing wrong at all.”

Esta febre de aquisições de clubes de futebol já vem de alguns anos. Tudo começou em 1997 com a aquisição do Fulham, também da liga inglesa, por Mohamed Al-Fayed, proprietário da cadeia de retalho Harrods que, em 4 anos, investiu aproximadamente 70 milhões de libras e levou o clube londrino da Division 2 (a nossa 3ªdivisão) até à Premier League. O sucesso desportivo desta operação é evidente pelo que os adeptos estarão certamente gratos, no entanto Al-Fayed era já, antes da OPA, um fanático pelo Fulham, ou seja um adepto, pelo que, simplesmente, introduziu uma componente de gestão empresarial no clube, não o tratando somente como mais uma empresa.

Também em terras de sua majestade aparece o mais mediático caso de investimento no futebol: Roman Abramovich que, depois de vender parte dos seus negócios de alumínio e indústria automóvel, pagou cerca de 400 milhões de dólares pelo também londrino Chelsea e por alguns dos melhores jogadores do mundo. Mais uma vez os resultados são evidentes e por isso os adeptos não podem andar muito chateados, no entanto não revejo as boas intenções de Al-Fayed nesta operação do multimilionário russo. Quem é que garante aos adeptos do Chelsea que se o clube começar a ter maus resultados e, consequentemente se desvalorizar, o Abramovich não parte para outros portos? Nesta operação faltou a componente de amor clubístico, foi simplesmente uma boa oportunidade de negócio.

Por outro lado, o investimento no futebol também pode ser visto como um ponto de afirmação de um país na cena internacional. Através da Lybian Foreign Investment Company (LAFICO), Al-Saadi Khadafi, filho de Muammar Khadafi adquiriu em 2003, 7,3% do capital da Juventus de Turim, tal como uma percentagem desconhecida (mas certamente grande) do capital do Perugia, da Série B italiana. Certamente porquê? Perguntam vocês. Porque o próprio Al-Saadi, um engenheiro, é actualmente jogador do clube!

Mais recentemente, o clube brasileiro Corinthians estabeleceu uma parceria com uns contornos também um pouco estranhos com a empresa britânica Media Sports Investments. Esta parceria e o consequente diálogo contagiante do seu presidente iraniano Kia Joorabchian fizeram com que o Corinthians adquirisse alguns jogadores muito bem cotados a nível internacional, como é o caso do argentino Carlos Tevez (15 milhões de Euros).
Claro que os adeptos dos clubes mencionados só podem estar felizes com a situação, afinal de contas a sua probabilidade de sucesso desportivo aumentou, porém até que ponto é que este paralelismo entre grandes fortunas individuais e clubes de futebol vai ser benéfico a longo prazo?

As fortunas de Al-Fayed, Abramovich, Khadafi, Joorabchian (com ligações ao bilionário russo Boris Berezovsky) e agora Malcolm Glazer, irão provavelmente dar muitas alegrias aos adeptos dos clubes envolvidos, mas esta situação poderá arruinar o futebol como o conhecemos actualmente, poderá destruir a magia e poderá mandar à vida alguns clubes mais pequenos, sem capacidade para competir com os colossos criados a partir dos investimentos megalómanos.

Será que no futuro vai aparecer uma liga a nível global, em que só alguns terão capacidade para participar? Para mim, como amante do futebol e da mística que o envolve isto é uma situação preocupante…

Tirando a parte do sucesso desportivo do Corinthians, mantem-se tudo. Quanto ao nosso Sporting, como podem depreender pelo texto em cima, não via com muitos bons olhos essa situação. Digam o que disserem dos nossos dirigentes, ainda existe uma componente afectiva com o clube. O ideal mesmo seria aparecer um Abrahamovich português que fosse do Sporting desde sempre! Por exemplo, aquele gajo do norte que vai agora para a viagem no espaço, se ele for do Sporting seria muito bem vindo!

A componente afectiva está intimamente ligada ao sucesso desportivo. Repara no Chelsea, no que era e no que é, no que lhe ligavam antes e no que lhe ligam agora. A mística não nasce de derrotas.
Se algum milionário comprar o Sporting e disponibilizar milhões como o russo faz ao José só para ele dispor à vontade, só tenho é a aplaudir. No entanto se for um milionário “passivo” (isto porque classifico o russo um “activo”, amante do jogo, ele gosta de bola, ao que parece, e diverte-se com isso) como o é o do Portsmouth ou do Man Utd então não.

:wink:

Não concordo Majestade. O meu problema é quando surgem as derrotas. Os adeptos continuam lá, porque vivem essa mistica, enquanto os dirigentes, indiferentes a ela, podem ir arejar para outras paragens e, nesse caso, levar o dinheiro com eles. Dou o exemplo do Corinthians. Os resultados foram muito aquém dos esperados nesta época e desde então que já se fala da separação da MSI do clube, e da compra da nova aventura dos meninos Boris e Kia: O West Ham United.

Já agora, S3Green, no teu post falas de “Agora o West Ham United”, isso já foi oficializado? Sempre é para a MSI? Eu ando meio distante dessas notícias.

Obrigado.

Já agora, S3Green, no teu post falas de "Agora o West Ham United", isso já foi oficializado? Sempre é para a MSI? Eu ando meio distante dessas notícias.

Obrigado.

Ja esta feito a duas semanas, e ja deu para despedir o treinador (Pardew)e apontar como novo treinador (Curbshley) que era o anterior treinador do charlton…

Vamos ver se o FLOP do argentino Tevez faz algum ou vai bujiar para outro lado.

Oh meus amigos, dá-me tangas que eu gosto!

Mas achas que tens um Presidente que sente o clube e que tem mistica para com ele? Os unicos que podem ter isso são os adeptos e com um milionário no Sporting, seriam muitos os “supostos” adeptos que iriam surgir, apenas porque de repente tinhamos começado a ganhar tudo e eu não me importava mesmo nada que isso acontecesse.

Como é que podes comparar com os actuais, sendo que para além de maus dirigentes ainda tomam aquilo como um puro lazer pessoal, no qual fumam o seu charuto e embolsam algun dinheiro, se isto é afecto ao clube não sei onde queremos chegar.

Queria ver se tivesses um Lampard e um Essien no Sporting, para ver se diziam que não havia mistica, se já temos uma euforia total com um Rockemback, imaginem com alguém deste calibre. O dinheiro quando bem aproveitado nunca faz mal a ninguém e o resto é conversa.

que venha o milionário

Já agora, S3Green, no teu post falas de "Agora o West Ham United", isso já foi oficializado? Sempre é para a MSI? Eu ando meio distante dessas notícias.

Obrigado.

Quem comprou o West Ham foi um islandes de nome Eggert Magnusson. Se não me engano pagou £85m (qq coisa cm 125 milhoes de euros) por 83% do clube, superando a oferta do tal Kia
da MSI.

Sendo assim, aposto que o Tevez e o Mascherano acabam por sair ja em Janeiro…

e se algum dia viesse alguem para comprar o scp,o que voçês acham?eu por mim vendia,tinha que trazer mais sucesso,mais dinheiro,mas o nivel que o scp manteve era para manter

…e se um dia o milionário quiser ir embora :slight_smile: ?

...e se um dia o milionário quiser ir embora :) ?

Ainda não apareceu o homem e já o queres mandar embora? :smiley: :smiley: :smiley:

Bom, se eu fosse um Abramovich e se fosse possível obviamente tentava comprar o Sporting (não sem antes abraçar outras actividades de beneficiência).

É óbvio que alguns destes magnatas o fazem por interesse: lavar dinheiro, mediatismo, etc. Mas se repararmos não são interesses muito diferentes dos que levam alguns presidentes aos clubes de futebol, a única diferença é a propriedade.

No caso específico e mais emblemático, do Chelsea, tardam em chegar os malefícios prometidos: o chelsea é hoje um clube no topo, não só tem uma equipa forte como está a construir o seu futuro, com uma academia nova e um projecto de captação de talentos (demasiado agressivo, nós sabemos) que indica uma intenção de fazer perdurar o clube para lá de Abramovich.

Sofrerá o Chelsea no dia em que Abramovich bater a bota, for preso ou simplesmente vender? Possivelmente. Não sofrerá menos do que qualquer clube sofre quando um líder demasiado fundamental ou influente sai de cena. Como provam outros casos (Dinamo por exemplo) não basta ter dinheiro: é preciso ter vontade e saber o que se faz.

Transpondo o caso para a realidade nacional e para o Sporting ainda hoje me faz impressão ver um Sportinguista dizer que não queria um abramovich em alvalade, sobretudo quando analisamos o que temos: um clube detido não por um russo magnada apaixonado pelo futebol mas sim por entidades bancárias com objectivos muito claros e pouco apaixonados, com um cenário preocupante de decréscimo de adeptos, “clientes” que algum dia ameaçará a única coisa que ainda fazemos bem: a formação.

O Sporting é nosso, dos sócios? Não me parece. Também não é de um “russo”, é certo, mas aqui, tal como no caso Deco, mil vezes um “russo” disposto a estoirar, com acerto, em Alvalade, do que o definhar lento entregue a credores pouco interessados na sobrevivência do clube para lá da manutenção da sua capacidade de pagar juros.

...e se um dia o milionário quiser ir embora :) ?

Ainda não apareceu o homem e já o queres mandar embora? :smiley: :smiley: :smiley:

Não foi o que eu disse :wink:

Hoje podes ter uma equipa de estrelas (pagas pelo milionário), mas se ele for embora os jogadores vão com ele (a menos que o clube tenha meios para manter esses jogadores).

Mas entre um milionário sportinguista e um banco, venha o milionário… e no Sporting há uns quantos (a questão é saber se querem entrar neste mundo de apitos dourados e hums-hums :roll: ).

Infelizmente (para alguns) a lei portuguesa não permite a venda dos clubes de futebol, tal como acontece na Inglaterra. É que enquanto os clubes Ingleses são empresas desde a sua formação, a lei de bases do desporto português que criou a figura juridica das SAD desportivas, salvaguardou que a mesmas teriam de ser maioritariamente controlados pelo chamado clube tradicional. Ou seja, um clube cria a SAD, pode vender parte dela (acções), mas é obrigado a manter uma participação de no minimo 51% nas mesmas.
Assim torna-se impossivel a compra dos clubes, e nenhum “mecenas” estará disposto a investir numa “empresa” onde teria de dividir o controlo da gestão do clube com o resto da direção, conselhos leoninos e assembleias gerais.

Eu confesso que sou a favor do sistema inglês. Não é perfeito, mas prefiro. Nenhum adepto do Chelsea se importa com o sistema. Mas por exemplo os do Leeds não devem andar muito contentes. É uma questão de sorte.

Não me incomodava que o Sporting fosse comprado (se fosse possivel), porque na prática a gestão tradicional em nada nos tem beneficiado. Pelo menos alguém a quem o prejuizo saisse do bolso ia ter todo o cuidado e mais algum para evitar que se chegassem a passivos acumulados de 150 milhoes de euros (não conto com a parte do estádio novo). Abramovichs há muito poucos, só mesmo alguém absurdamente rico se dá ao luxo de manter um clube a perder quase tanto como o nosso passivo por ano, só para ver alguns dos melhores do mundo com a camisola dele.

Estás redondamente enganado.

O que o regime das SAD diz é que os clubes nunca podem deter menos de 15% nem mais de 40% do capital. Ou seja, segundo a lei, os clubes nem sequer podem ter controlo directo sobre as SAD.

É por isso que o Sporting e outros recorreram ao expediente de criar uma SGPS, através da qual controlam indirectamente a parte que a lei não lhes permite.

Mas quem era o milionário que vinha para o Sporting para arrotar logo 200 milhões só para tapar o buraco e depois mais uns milhões para a equipa? Não há ursos… :arrow:

Mas quem era o milionário que vinha para o Sporting para arrotar logo 200 milhões só para tapar o buraco e depois mais uns milhões para a equipa? Não há ursos... :arrow:

Se o Sporting ficar livre de juros dos bancos… se calhar não é preciso meter mais dinheiro para comprar jogadores de qualidade.

Mas quem era o milionário que vinha para o Sporting para arrotar logo 200 milhões só para tapar o buraco e depois mais uns milhões para a equipa? Não há ursos... :arrow:

O teu comentário denota pouco conhecimento das mecanicas economicas… o Sporting pode funcionar perfeitamente e dando lucro, mesmo com um defice de algumas dezenas de milhoes.

No entanto acho muito criticavel, embora não entre neste momento por esse caminho, que sportinguistas sequer pensem numa opção destas.

E esta não é uma equestão de talibans e carneiros, porque estou ciente que mesmo nas alas talibans existem os que não se importam e já defenderam essa hipotese.

Eu acho-a puramente inconcebivel! Se assim como está é pessimo, essa opção representaria mesmo o fim, e não apenas o adiamento!

Não percebo nada de economia, tens razão, mas se eu quisesse comprar um clube de futebol não me aconselhariam o Sporting como “negócio da china” de certeza.

algumas dezenas de milhoes.

O pior é que andamos nas centenas.