Aproximação institucional

…ao longo destes ultimos 30 anos o Sporting perdeu peso e capacidade de lutar ombro a ombro. Principalmente por culpa própria caiu na desgraça de não saber o seu lugar na História do futebol português tornando-se num joguete na guerra entre azuis e vermelhos. Muitos defendem o corte de relações institucionais com os principais inimigos de modo a que o nosso clube possa enfrentar os compadrios federativos e arbitrais sem o chamado “rabo preso” e de consciência limpa.
Um clube com mais de 2 milhoes de adeptos tem força suficiente para enfrentar tudo e mais alguma coisa. O Sporting vive um novo período na sua História , um período de renovação que se impõe tambem como um período de renascimento de uma montanha de cinzas deixado por um legado de gente fraca. Que se comece então de novo, que se comece então com nova mentalidade limpa e imune do lixo que nos cerca…sozinhos contra todos somos mais fortes !

Sou a favor de corte de relaçoes quer com lampioes quer com porcos
Se uns sao da fruta os outros sao bem piores

SL

Qual a diferença entre o “sim” e o “seria benéfico”? Em princípio só se responderá sim se for benéfico, não?

é para detectar infiltrados :mrgreen:

Somente relações institucionais.

…é certo. mas coloquei essa terceira “permissa” no sentido de dissipar ainda mais as duvidas a quem nao sabe bem o que escolher ou que responde sim porque…sim…mas obviamente que conto esse terceiro elemento como sim.

Sim. Relações institucionais. O que é diferente de quaisquer alianças e afins. Defendendo sempre os interesses do clube e do futebol português e do desporto como um todo. Sem subserviências e trilhando o nosso caminho.

“Confesso que esboço sempre um sorriso sempre que um deles morre.” MdA

…é um bocado por aí tambem.

Concordo e penso que será unanime quando digo que somos dos 3 grandes aquele que mais é prejudicado. No entanto esta nossa" crise" de 17 anos deve-se sobretudo ás sucesivas direcções de incompetentes e oportunistas que pairaram por Alvalade.

Confio no nosso Presidente, sei que em qualquer situação vai defender os superiores interesses do Sporting e procurar resolver os inumeros problemas que herdou que passam muito alem de benfica ou porto.

Desta forma vejo as relações puramente institucionais como algo normal sem qualquer tipo de subserviencia como se tem verificado fundamentalmente face ao porto. Relações assentes no respeito mutuo e cordialidade com a preocupação principal em resolver os nossos problemas e fazer regressar o grande Sporting do passado e das vitórias e que tanto merecemos.

Por defeito meu não fui bem explicito: o SIM/NAO representam o corte em absoluto …sem paninhos quentes. Sempre fui fiel ao lema " mais do que ser a mulher de César é preciso parecer" …e é nesse sentido que o SIM/NÃO assume um carácter radical…

Sim, mas apenas institucional tal e qual como com todos os clubes.

Parem de dar tanta importância à CS… o Bruno referia-se a uma relação “normal”, sem qualquer tipo de favores… f*da-se…

Eu gostava que o Bruno os mandasse todos para o c*ralho em público, mas não vai acontecer e é esse tipo de “relação” que alguma vez existirá. Só. Deixem de dar relevância a coisas que não têm importância, por favor.

…se nao tem relevancia para ti deixa entao para quem acha que tem.

Diz as coisas directamente ao menos. Se não percebeste o que quis dizer, pede que eu explico novamente, não me acuses de falta de Sportinguismo que isso eu nunca irei admitir, percebido?

quem está a dizer isso és tu nao sou eu. mais directo do que te disse só se fizer um desenho…tambem se pode arranjar.

Dá-me música que eu gosto. :boohoo:

ladra para aí á vontade …que eu vou dando musica.

Vou um bocado por aqui. Não tenho nada contra o corte de quaisquer relações per se, mas acho que não devemos comprar agora uma guerra que de momento não podemos vencer.

Não concordo com o corte de relações “radical” que aqui se advoga.

Até porque no futebol ele não existe.

Dou um exemplo. O corrupto mor ainda há uns dias disse que não há relações com o Benfica. Ora isso é mentira. Sei eu, e aliás até o Domingos Soares de Oliveira o disse em entrevista a Abolatv há uns tempos, que há contactos quase diários entre as estruturas dos 3 clubes, devido a diversos assuntos em comum. O Soares de Oliveira usou mesmo a expressão, “todos os dias contacto com a estrutura do Sporting e do Porto”.

Portanto, cortes radicais não existem. O que sou a favor é de termos um presidente que traçará o nosso caminho independentemente destes contactos institucionais naturais.

E também sou completamente contra a teoria do sozinhos contra tudo e contra todos. É absurda. Estamos num campeonato com 16 equipas, nunca estaremos sozinhos, e teremos sempre muitos assuntos a resolver em comum. Devemos é estar sempre a defender os nossos interesses, algo que considero que Bruno de Carvalho tem feito.

Agora supostas quebras institucionais à lá Corrupto Mor só para criar um clima de guerrilha norte sul, não alinho nisso.

O Sporting não são os rangers ou uma qualquer força paramilitar. O Sporting é um clube que precisa de um líder que saiba separar as águas e que não tenha pejo de dizer as verdades, mesmo depois de ter estado representado na tribuna, tal como BdC fez hoje.

Nesse sentido, estou agora, pela primeira vez em muitos anos, descansadíssimo quanto à nossa independência relativamente a todos os outros clubes, e portanto, que consigamos enrabar os nossos adversários em todos os sentidos, mesmo nos tais contactos institucionais, mas sem um show off absurdo e grunho, à lá corrupto vs orelhas.