Andebol- Época 2020/2021

A equipa vai a jogo sem três peças chaves (Skok, Ruesga e Doro - e o Doro só na teoria, em campo ainda ninguém percebeu se é bom) e sem o único lateral canhoto do plantel.

Acresce que o concorrente do Bingo na posição é ninguém.

É o suficiente para expor as fragilidades brutais do plantel. Não dava para esperar nada, este planeamento não existe.

O treinador, coitado, é o menor dos culpados.

PS - Quando o plantel tem um central contratado na loja dos 300, um só ponta esquerdo, um pivot sem ganhar salário porque veio de Erasmus e apenas 4 laterais (sendo um deles um jovem regressado de empréstimo), é evidente que desinvestimos e não foi pouco.

1 Like

Convém não esquecer-mos que Branquinho e André Gomes a poucos anos atrás jogavam no ABC, Fábio Magalhães andava num clube de pouca nomeada na Europa, e alguns nomes que hoje em dia dão cartas (Iturriza, Tito, Miguel Martins) ainda estavam a crescer para se tornarem no que são hoje. Com isto quero dizer que os porcos têm um projecto, e demorou alguns anos a fazer crescer jogadores para agora colher os frutos. Nós temos de começar por aí, competir com eles pelos melhores talentos nacionais, nem que sejam juvenis ou juniores ainda, e contratar no estrangeiro poucos jogadores mas os que vierem têm realmente de vir fazer a diferença, e de preferência na casa dos 20 e não dos 30 … Mas é preciso tempo e paciência para isto acontecer …

Falta realmente um projecto ao Andebol, quer a nível da contratação de jovens, quer dos estrangeiros, de há dois anos para cá tem havido muitas mudanças na secção, mas sem resultados práticos. Falta um rumo e um projecto coerente mesmo que haja desinvestimento.
A secção de andebol do porto é de outro nível basta ver alguns jogos da Liga do Campeões para perceber isso.

Resultado normal e que traduz a diferença de patamares contra o adversário.

A questão é que sem investimento nada feito… porque isso é verdade, mas para segurarem o André Gomes, o Branquinho, o Quintana ou o Miguel Martins por certo tiveram de pagar-lhes bem.

Nós até temos feito algumas coisas com sentido, mas não se ir buscar um substituto do Nikicevic (mesmo que português… tínhamos o Sérgio Barros à mão!) e não ter concorrente para o Bingo + ter opções curtas para laterais (apenas 4, apenas 1 canhoto…) foi absurdo.

Fica por explicar a saída de dois jogadores válidos como o Pipo e o Gonçalo Vieira (uma boa contratação!) por empréstimo.

E ainda não deu para perceber se estamos bem nos pivôs ou não porque ainda não foi possível perceber o valor do Doro (mas os primeiros indícios não são famosos).

Para o ano não sei se o Ruesga vai ficar, mas talvez fosse de ir buscar um português melhor do que o Roque (se o Vieira não quiser ser central, o que seria uma pena, venha o Seabra).

Nas laterais sai o Frankis, oportunidade para ir buscar um canhoto mas é preciso mais opções em quantidade — Pipo ou Vieira (se o Vieira não contar para central) - para prevenir lesões.

É preciso ir buscar um concorrente para o Bingo. Nos pivots é preciso ir buscar um substituto para o Tiago Rocha. E na baliza se o Skok continuar com estes problemas físicos temos um problema…

Há muito para planear, mas para planear tem que haver uma estratégia e sinceramente não estou a ver nenhuma linha condutara no andebol do Sporting.

“GANHAR FORA SEMPRE QUE SEJA POSSÍVEL”

Por Sporting CP
23 Nov, 2020

ANDEBOL

Rui Silva na antevisão ao jogo com o IFK Kristiandstad

A equipa principal de andebol do Sporting Clube de Portugal desloca-se, nesta terça-feira, à Suécia para defrontar o IFK Kristiandstad em jogo da quarta jornada do Grupo B da EHF Europa League.

A formação Leonina chega a este encontro após a primeira derrota no Campeonato Placard Andebol 1, mas na antevisão a esta partida, Rui Silva deixou claro: “Este jogo é completamente distinto, a nossa derrota para o Campeonato Nacional é coisa do passado. Só nos resta olhar em frente”.

Nesse sentido, o treinador verde e branco só olha para a formação sueca, acreditando que vai ser um “jogo muito disputado”. “O IFK Kristianstad é uma equipa muito bem orientada por um treinador com nome no andebol mundial. Por norma, o IFK Kristianstad joga com grande intensidade, com transições muito fortes, e também defende bastante bem. Por isso, teremos de colmatar estes pontos fortes deles”, disse.

“Temos de ser inteligentes na forma como abordamos o jogo e isso passará por momentos defensivos fortes e contra-ataques directos. Se isso não for possível, vamos ter de ser perspicazes na forma como abordamos o ataque”, referiu Rui Silva.

Seja como for, só a vitória interessa ao Sporting CP, que tem os objectivos muito em definidos: “Queremos um dos quatro primeiros lugares que nos permita passar esta fase, mas sabemos que, e temos de ser realistas, estamos no grupo mais forte da prova. Temos de vencer todos os jogos em casa e ganhar fora sempre que seja possível, apesar das equipas que defrontamos serem equipas de nível”.

A modalidade com o historial mais rico É A PRIMEIRA A SER DESPREZADA!!!

Valores e pilares… :-1: … e outras mariquices…

1 Like

O nosso jogo de hoje tem transmissão?

Na Sporting TV.

Muito curioso para ver a resposta da equipa ao desaire frente aos porcos…

horas?

19:45

Apesar das dificuldades evidentes que rode a equipa mais cedo do que contra o porto para fisicamente não termos uma 2a parte sofrível e para não haver tanto contraste.
E já agora outro “pedido”… Já que não há Ruesga porque não pôr o Joel “no seu lugar” e deixar o Roque? É só uma ideia minha parva mas tinha de partilhar…

1 Like

A ver se Joel começa a crescer em jogos mais a sério para na próxima época poder ser uma solução como 2 ou 3 central !!

Com o porto não saiu sequer do banco e andou lá dentro o Roque o tempo todo perdido da vida… Surreal…

1 Like

Tem sido usado apenas na Ponta… Nem percebo.

Cheira a desaire

Já perderam o ano passado com uns suecos piores, não haviam de perder com estes

Dínamo 29 x 27 Nimes. Pensei que os Franceses fossem mais fortes, já vão com duas derrotas, só ganharam ao Presov. Se não tivermos paragens cerebrais, pelo menos em casa temos obrigação de lhes ganhar.