Andebol- Época 2020/2021

Resultado?

28x21

1 Like

Obrigado

1 Like

Boa segunda parte

A diferença esteve claramente na atitude!

A primeira parte foi medonha, temos de melhorar imenso ou ainda nos arriscamos a deixar pontos com uma equipa de meia-tabela

Ainda bem que só via a segunda parte, onde até estivemos bem. Bom jogo do Tavares!

Vão para o…!
Deviam receber metade do ordenado pois so jogam uma parte!

Só lhes apareceu na 2a parte…e na 2a parte jogaram todos os atletas menos o… Manuel Gaspar. E também passou por aqui a melhoria e a diferença tão grande do parcial…

Foto Mário Vasa

SÉTIMO TRIUNFO CONSECUTIVO

Por Sporting CP
16 Out, 2020

ANDEBOL

Andebol vence Boa-Hora FC e segue invicto no Campeonato Placard

A equipa de andebol do Sporting Clube de Portugal recebeu e venceu, na noite desta sexta-feira, o Boa-Hora FC por 30-21, em jogo da sétima jornada do Campeonato Placard Andebol I.

Ainda sem qualquer triunfo na competição, a formação visitante aproveitou a primeira posse de bola do jogo para colocar-se na frente do marcador, situação que se manteve durante praticamente toda a primeira parte, à exepção de dois momentos em que os comandados de Rui Silva conseguiram empatar o placard.

Num primeiro tempo bastante abaixo da qualidade habitual exibida pelo conjunto verde e branco, os Leões desceram aos balneários a perder por 13-14, resultado explicado pela falta de eficácia na hora de atirar à baliza e por algumas desatenções da equipa do Sporting CP.

No regresso para a segunda parte, a turma de Alvalade apresentou-se mais assertiva a atacar e a defender, consumando a reviravolta no marcador ao fim de apenas três minutos de jogo.

A partir daqui, os Leões não mais voltaram a estar em desvantagem, arrancando para uma vitória por nove golos de vantagem.

Com este resultado, o Sporting CP, que teve em Francisco Tavares o seu melhor marcador com oito golos, continua sem perder esta temporada, detendo um registo 100% vitorioso no Campeonato Placard Andebol I.

Os Leões voltam a entrar em campo na terça-feira, na Roménia, para defrontar o CS Dinamo Bucuresti, na primeira jornada da fase de grupos da EHF European League.

Sporting CP : Manuel Gaspar [GR], Pedro Valdés (3), Théo Clarac, Carlos Ruesga (2), Frankis Carol [C] (3), Dmytro Doroshchuk, Tiago Rocha (1), Francisco Tavares (8), Salvador Salvador (1), Arnaud Bingo (2), Jens Schöngarth (5), Nuno Roque (1), Darko Đukić (2), Joel Ribeiro (2) e Aljosa Cudic [GR]

RUI SILVA: “DEIXÁMO-NOS ADORMECER PELO RITMO DE JOGO”

Por Sporting CP
16 Out, 2020

ANDEBOL

Técnico não gostou da exibição dos Leões na primeira parte frente ao Boa-Hora FC

No rescaldo do triunfo sobre o Boa-Hora FC, o treinador da equipa de andebol do Sporting Clube de Portugal, Rui Silva, reconheceu que a equipa não esteve bem na primeira parte, mas melhorou no segundo tempo.

“Demos os primeiros 30 minutos ao Boa-Hora FC, não estivemos em campo. Uma equipa que chega ao intervalo a perder por um golo e depois vence por nove de diferença, claramente não estava em campo. A verdade é que o Boa-Hora FC usou a arma que tinha. Fez ataques muito longos, usou o jogo passivo e os árbitros permitiram isso. (…) Pura e simplesmente não jogámos nos primeiros 30 minutos, não se trata de atitude, deixámo-nos adormecer pelo ritmo de jogo. Depois quisemos acelerar na transição, perdemos algumas bolas e cometemos erros que não são normais”, começou por dizer, apontando depois o intervalo como o ponto de viragem da partida.

“De certa forma, rectificámos a defesa. Tínhamos preparado o jogo, sabíamos os pontos fortes do Boa-Hora FC, conhecíamos a não tão boa relação com o pivô, sabíamos os jogadores que gostam de tentar o um para um e quem poderia atirar e ser perigoso de fora. A verdade é que começámos o jogo e não ligámos a isso. (…) Ou seja, começámos um pouco apáticos e desatentos, mas isso foi corrigido na segunda parte. A verdade é que o Aljosa Cudic também ajudou um pouco mais na baliza do que o Manuel Gaspar e a diferença são dez golos de vantagem na segunda parte”, referiu.

Por fim, Rui Silva admitiu que os Leões têm de melhorar o nível exibicional para terem sucesso nas competições europeias, sendo que o primeiro encontro da fase de grupos está marcado já para terça-feira, diante do CS Dinamo Bucuresti.

“Eu diria que tem de ser um Sporting CP um bocadinho melhor do que o da segunda parte. (…) Já tive oportunidade de dizer que, na minha opinião, este grupo é mais forte do que os últimos dois grupos da EHF Champions League em que o Sporting CP esteve. Ou seja, este grupo pode ser o céu ou o inferno, dependendo da forma como o encararmos. Se tivermos estes maus momentos no jogo, vai ser muito difícil superar os adversários”, concluiu.

Porto jogou contra o Pick

1 Like

Início de jogo ridículo.

No fundo uma 1ª parte medíocre, dai o empate ao intervalo.

Obrigado pela correcção… :fist_right::fist_left:

1 Like

Fosse o maior problema o treinador (que está verde para assumir a equipa, diga-se)…

O pivot ucraniano que fomos buscar é um substituto à altura do Frade? Para substituir o Nikicevic chega uma criança?

Vamos acabar em 2º, com este treinador ou com outro qualquer que o venha substituir. Oxalá me engane.

Após 9 jogos oficiais temos como melhores marcadores:
FRANKIS- 43
TAVARES - 35 (15 sete metros)
DJUKIC - 33 (12 sete metros)
RUESGA - 29

Curioso…

Sporting Tático

4 h ·

🔎 Campeonato Andebol 1: Sporting CP 30-21 Boa Hora

📌 Leão de duas faces vence antes da visita à Roménia, num jogo assumido pelos canhotos!

No jogo de abertura da sétima jornada, o Sporting recebeu e venceu a equipa lisboeta do Boa-Hora, num jogo marcado pela disparidade exibicional leonina nas duas partes. Com Skok mais uma vez de fora (e que falta faz o guardião esloveno) mas com o regresso de Tiago Rocha à quadra, ainda não foi desta que Rui Silva pôde contar com o plantel completo.

A equipa entrou novamente de forma desleixada e frouxa em campo, deixando-se adormecer pelos longos ataques dos comandados de Nuno Alvarez, o que somando à passividade defensiva dos leões permitiu à equipa adversária somar golo atrás de golo da linha de 9 metros. Sem saída ao portador, sem contactar aos 9, sem agressividade, era com facilidade que o Sporting somava golos sofridos, sendo que também Gaspar não esteve feliz no capítulo defensivo, acabando por ser substituído por Cudic, que somou os primeiros minutos sérios da época e esteve a um nível razoável.

A somar à dormência defensiva, na vertente ofensiva o Sporting também não se encontrava muito melhor. Muita precipitação, más tomadas de decisão e ineficácia fizeram com que o clube de Alvalade chegasse com apenas 13 golos marcados ao intervalo, um a menos que o adversário, um resultado absolutamente vergonhoso. Por outro lado, Jens Schöngarth foi o melhor elemento da primeira parte, tendo estado como é habitual impenetrável na defesa e, ao contrário doutros jogos, muito assertivo e confiante no processo ofensivo.

Ao intervalo tudo mudou. Sporting entra com cara lavada na segunda parte e em 15 minutos sofre apenas 3 golos. Defesa a condicionar a circulação do Boa-Hora, agressividade na saída ao portador, capacidade de interromper as combinações adversárias e bloco a funcionar. Trabalho de Cudic foi muito facilitado pela defesa leonina e o experiente guardião acaba por sofrer apenas 7 golos em 30 minutos.

No ataque, tudo mais simples, mais organizado e conduzido de forma séria (com Francisco Tavares a assumir a batuta mais uma vez), com facilidade o Sporting se distanciou do marcador, sendo que boa parte dos golos foram marcados em transições rápidas, fruto da boa prestação defensiva.

Com naturalidade o jogo ficou controlado e o treinador português geriu a equipa para o embate da liga europeia na terça feira. Joel e Rocha somaram minutos, Salvador e Valdés descansaram Jens e Frankis.

Uma exibição de duas faces, sendo uma delas patética e outro séria e competente. Sporting e Rui Silva precisam de encontrar estabilidade no seu jogo de andebol, pois o calendário começa a apertar e a ficar difícil. Jogo acaba por valer pela boa segunda parte e pelo regresso de Rocha, que se encontrava lesionado e condicionado há já algum tempo.

Destaques + : Jens Schöngarth e Francisco Tavares.

Destaques - : Frankis, Manuel Gaspar.

🔎 Resultados:

1.ª Parte: 13-14

2.ª Parte: 17-7

🔎 Marcadores:

🤾🏻‍♂️ Tavares (8)

🤾🏻‍♂️ Jens (5)

🤾🏻‍♂️ Frankis (3)

🤾🏻‍♂️ Valdes (3)

🤾🏻‍♂️ Ruesga (2)

🤾🏻‍♂️ Bingo (2)

🤾🏻‍♂️ Djukic (2)

🤾🏻‍♂️ Joel (2)

🤾🏻‍♂️ Roque (1)

🤾🏻‍♂️ Rocha (1)

🤾🏻‍♂️ Salvador (1)

Ainda me lembro dos elogios que certas pessoas fizeram aos reforços…parecia que estava ver o mesmo filme do Voleibol da época passada, e infelizmente está se a confirmar.

Que os reforços não são brilhantes acho que isso já deu para perceber, Djukic é um bom reforço mas para além disso não existe ninguém que se possa dizer que tem um nível realmente alto para o que esta secção deve almejar.

Dito isto o Sporting tem sofrido em várias ocasiões contra equipas extremamente modestas. O plantel não é brilhante mas é o suficiente para ganhar com conforto à maioria das equipas desta liga (excepção deve ser dada a Porto e Benfica por razões obvias).

E ai já não se pode apontar o dedo ao plantel, tem de se chamar este técnico à responsabilidade

Rui Silva é uma prova de fé cega de José Guimarães, um técnico que a único dado relevante (se podemos chamar a isso relevante) que tem para mostrar no seu currículo foi ter sido adjunto de Anti e Obradovic.

Sim, porque não vamos cair no ridículo de afirmar que o trabalho que desenvolveu no Maia como técnico principal foi digno de registo para ter uma oportunidade de treinar um grande. Que o viram com capacidade de integrar uma equipa técnica como adjunto ainda aceito, mais que isso nunca.

Rui Silva é hoje treinador muito por culpa de um contexto e circunstâncias do momento em que foi tomada a decisão da sucessão de Anti. Uma decisão que não posso apelidar a mesma de outra forma se não irresponsável.

Bem sei que Anti seria certamente o treinador mais bem pago no universo das modalidades do clube. Todos sabemos que se cortou forte e feio nas modalidades, mas trocar um Anti por um Rui Silva não cabe na cabeça de ninguém. Ok, poupou-se uns milhares de Euros e em troca temos um treinador completamente inexperiente a este nível!

O erro começou na escolha deste treinador, e alastra-se também ao planeamento e composição deste actual plantel. Obviamente que Rui Silva não pode assacar todas as culpas e aqui a responsabilidade tem de recair em José Guimarães que é o responsável por esta secção.

É uma temporada que parece que tudo foi feito em cima do joelho sem o rigor e exigência devida.Até pequenos pormenores( promaiores) como o empréstimo do Edmilson são difíceis de entender, não tinha lugar neste plantel? Não era um jogador útil? E Rui Silva porque razão não se opôs a tal? Não tinha poder suficiente para travar esse empréstimo? Ou quiçá a ideia do empréstimo não partiu do próprio?

Espero que Rui Silva e José Guimarães me provem errado, espero que este plantel consiga e evoluir e ser competitivo. Espero que a larga maioria dos reforços acabe por demonstrar que tem qualidade para estar no Sporting.

E nem vou exigir que suplantem o Porto, pois neste momento é uma equipa que está num patamar completamente diferente das restantes em Portugal (não só a nível de plantel mas também a nível da equipa técnica). Mas exige-se que o Sporting não seja um saco de porrada e ao menos lhes dificulte a tarefa. É o mínimo.

3 Likes