Ajudar a Beatriz e o Tiago (A Tasca do Cherba)

Boas pessoal…Crio este novo tópico (peço desculpa à moderação se no local errado) com o intuito de divulgar uma ação solidária que está em marcha, esta ação está a ser levado a cabo pela moderação do site A Tasca do Cherba e acho que apesar de outros terem a vontade, as pessoas em causa fazem parte da família Sportinguista logo acho que não há problema se a divulgar. Quando li o post vieram-me as lágrimas aos olhos e uma vontade enorme de ajudar que não custa nada. Não tenho qualquer ligação ao site em questão nem muito menos ás pessoas envolvidas nele apenas sou um navegador SPORTINGUISTA de internet como muitos outros e acima de tudo HUMANO.
Está aqui esse post que li:

A história da Beatriz e do Tiago, alvo de reportagem na Revista do Expresso, chegou à Tasca e depressa se ouviram vozes desejosas de fazer algo para podermos criar o nosso próprio conto de Natal.

Afinal, que “estória” é esta? (a resposta chega com o artigo escrito pela Alexandra Simões de Abreu)

Há dois ou três anos havia mais comida na mesa. E mais prendas.” Os 12 anos de Beatriz dão-lhe maturidade suficiente para perceber que a crise entrou pela casa dentro e agravou ainda mais a pobreza desta família de Celorico da Beira. A mãe está desempregada há dois anos e o padrasto há três meses. Olga, de 39 anos, e José Carlos Ferreira, de 46, têm ambos a 4ª classe, feita à noite.

O Natal será tão ou mais pobre do que o anterior. “O dinheiro não dá para tudo. Os pais têm de pagar contas. Comprar o básico, roupa e comida.” Lista de prendas? Nem chega a tomar forma de letra no papel. A custo, responde: “Do que mais gostava era de um portátil para poder fazer os trabalhos de casa. Só tenho o ‘Magalhães’, não tenho internet. Faço as pesquisas na escola, no Google, e escrevo em casa.” No ano passado, a prenda de que Beatriz mais gostou foi “da camisola preta”. Vai buscá-la, veste-a e coloca o capuz na cabeça. Tem uma orelha de cada lado e Bia (como é tratada em família) ri-se timidamente quando lhe dizem que parece uma gata.

O irmão mais novo, Tiago, começa a ficar agitado com o efémero “estrelato” da irmã. Não resiste e conta o feito da semana: “Eu gosto de jogar futebol. Na sexta-feira marquei do meio-campo e a bola chegou à baliza, à trave.” Os seus anafados 7 anos não enganam. “É muito guloso”, delata a irmã, quando Tiago começa a enumerar os presentes que gostava de ter: “Um Pai Natal grande de chocolate e um coelho de chocolate, framboesas, umas sapatilhas e a camisola do Sporting, do Capel… e uma PSP para jogar e bolas de futebol.” “Bolas de futebol? Mas tu tens muitas!”, atira o pai. “Mas estão todas vazias”, responde a medo o pequeno. Provavelmente, além do bacalhau com couves na consoada e do tronco de Natal de chocolate que Olga faz questão de comprar todos os anos, Tiago e Beatriz voltarão a receber umas peças de roupa e um ou dois jogos que saem de vez em quando num jornal.

A família Ferreira não tem vergonha de dizer que passa por grandes dificuldades. Ao todo são seis. Além de Beatriz e de Tiago, Olga é também mãe de Paulo (18 anos) e de João (17 anos), resultado de outras relações anteriores. Os mais velhos estão na Fazenda da Esperança, uma comunidade religiosa que acolhe e trata toxicodependentes. Sobre eles pouco ou nada querem falar.

José Carlos toma as rédeas da conversa. Está casado com Olga há nove anos e sóbrio há 17. Faz questão de mostrar, com orgulho, os sucessivos diplomas de abstinência. É pai de Tiago mas foi ele quem ajudou a criar os outros três filhos de Olga. Neste momento recebe “apenas 40 euros de subsídio de desemprego”. Um valor muito baixo para quem diz que trabalhava na junta de freguesia de Vila Boa e já fez de tudo um pouco na vida, desde os 13 anos. “Comecei num lagar de azeite, trabalhei no campo com tomate, cortei feno, estive nas obras, numa panificadora, fui apanhando tudo o que apareceu.” Olga garante que além daquele dinheiro não recebem mais nada a não ser os abonos de família e uma pensão de alimentos do pai de Beatriz. Dizem que vai dando para pagar a casa ao banco e a comida. “Fui eu que refiz a casa toda por dentro. Estava tudo podre. Ficava aqui até às 2h da manhã e com a ajuda dos rapazes fiz tudo”, conta José Carlos. Não fora a lareira e este inverno poderia ser duro numa casa de três pequenos andares revestidos de paredes grossas de pedra. A vida é feita sobretudo na cozinha que é também a sala onde assistem à televisão. Até porque à pergunta infantil “do que gostas mais do Natal?”, a resposta é sempre a mesma: “De estar com a família.”

Saibam mais sobre esta iniciativa em:

http://comandoc.com

:clap: :clap: :clap:

Porque a nossa força é (mesmo) brutal!

Passaram 23 horas desde que foi lançado o primeiro movimento Tasca Solidária e, se olharem para o contador na barra da direita, verão que já ultrapassámos o valor mínimo desejado (e ainda me falta contabilizar metade dos e-mails recebidos com comprovativos até agora). É esmagador!

E, a título pessoal, é um orgulho (e uma responsabilidade acrescida) a prova de confiança que estão a dar-me! Muito obrigado!

Tendo em conta a vossa resposta (entretanto, a juntar aos garantidos computador e camisola oficial, o BoRRas deverá conseguir calçado novo), que permite que todo o dinheiro reunido seja unicamente canalizado para comida e roupa, não será necessário prolongar o movimento até terça-feira. Quem quiser contribuir, que o faça até à meia noite de amanhã, dia 13. Assim, o mais tardar na terça, as transferências terão todas chegado ao seu destino e eu posso meter mãos à obra!

Se dúvidas existissem, fica a prova de que a nossa força é (mesmo) brutal!

Em pouco mais de 23 horas angariou-se mais de 240 euros. :clap: :clap: :clap:

Li a história dessa família (são quase vizinhos), li tudo o que foi proposto conseguir-lhes, e só a muito custo consegui conter uma lágrima de emoção. Se for conseguido pelo menos metade do que é proposto, não tenho dúvidas que teremos proporcionado a estas crianças o melhor natal das suas vidas.

Eu já contribuí. Tenho um orgulho imenso em pertencer a esta fantástica família sportinguista.

Ja ta!

Grande iniciativa!

Há um tópico para estas coisas onde já se fala disto há dias

http://www.forumscp.com/index.php?topic=53715.20