Agora é isto, mas vai mudar!

19 jogos oficiais, 4 vitórias, 8 empates e 7 derrotas, são sinónimo da eliminação da Taça de Portugal, do afastamento da Liga Europa e do actual 10º lugar na Liga Portuguesa.
Se isto era previsível? Não, nem o mais otimista adepto anti-sporting, sonharia com este cenário.
Mas a partir do momento em que há eleições num clube centenário, em que o resultado é sabido através de muito ruído, quando o presidente eleito após tamanha manifestação e sabendo que foi votado por uma minoria de sócios em relação ao 2º candidato mais votado, não aceita uma segunda ronda de eleições com o intuito de salvaguardar a coerência do clube, a partir desse momento, todos os cenários negativos são possíveis.

Quando alguém consegue colocar os seus objectivos acima de uma instituição de tamanha grandeza como a do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL e tem apoio para o fazer, é de esperar que qualquer projecto que suceda, primeiro irá beneficiar os que lá estão e só depois poderá sobrar algo de benéfico para o clube.
Por falar em projecto, um candidato que avança com Domingos Paciência, Carlos Barbosa, Paulo Pereira Cristóvão, Luís Duque e Carlos Freitas nos pilares do seu plano e chega, nem a meio do mandato, com todos esses pilares demitidos, não pode ter credibilidade nenhuma.
Uma coisa é GL dizer que demitiu esses senhores todos, outra é entender que esses senhores se tenham demitido porque perceberam que não tinham condições para fazer o quer que seja nas condições que lhe foram concebidas. Domingos Paciência é um caso á parte, porque creio que foi mesmo demitido por GL, já que este 24horas antes de o demitir referiu que o treinador era imprescindível no seu projecto, passado algumas horas, a sua opinião mudou. Porque? Porque está alguém por detrás disto tudo e GL é apenas uma marionete que dá a cara? É bem possível, já que não há explicações até ao dia de hoje sobre a demissão de Domingos Paciência e o próprio treinador não fala sobre o assunto porque assinou um contrato e não o poderá desrespeitar, correndo o risco de perder os milhões de euros estão em cima da mesa.
Neste capitulo ainda há espaço para mais um, Ricardo Sá Pinto, ídolo incondicional da grande maioria da massa adepta sportinguista (inclusive o meu único ídolo no futebol) devido a toda a sua entrega, devoção, dedicação, luta, fazendo jus ao lema do Sporting, sempre que era chamado para defender as cores.
Sá foi claramente uma aposta fácil por parte da direcção de forma a unir os sócios ao clube, mais uma vez com o objectivo de mostrar que GL faz coisas boas (para ele) mas que no fundo, seria prejudicial para o clube, já que Sá não estava capacitado para corresponder como treinador ao que no Sporting Clube de Portugal é exigido. Não quer dizer que um dia mais tarde, não estará. Espero ainda ser campeão com ele no comando técnico.
Sá, não é demitido por GL, mas, demite-se porque percebe que está a estragar a sua imagem ao não conseguir apresentar resultados e é suficientemente inteligente para entender que o caminho a seguir é abandonar o comando técnico. Arriscou ao aceitar o cargo de treinador e nesse aspeto demonstrou mais uma vez todo o seu Sportinguismo. Não alcançou o objectivo e saiu de forma genuína.
A equipa está mal, não há direcção, não há organização e ao que parece a claque mais antiga do país esta a ter um comportamento no mínimo estranho. Dizer que estão contra a equipa, mas não contra a direcção, manifestarem-se contra todos, excepto contra GL é algo no mínimo esquisito. Onde está aquela curva que dava verdadeiros apertos a jogadores, dirigentes e treinadores? Onde estão aqueles que entoavam o cântico “beto acosta és o nosso matador” e cada vez que o Sporting jogava na minha localidade, tudo tremia e tudo temia a presença desse núcleo forte de ultras? É verdade com 10 anos de idade eu vibrava com a Juventude Leonina e admirava todas as história que se contavam sobre o líder FM, sobre as transfertas que faziam com pouco ou nenhum dinheiro no bolso, a cada jogo eu esperava uma invasão de campo do líder. Eu delirava com tudo isso e não me arrependo, porque era tudo verdadeiro. Mas o que vejo hoje em dia, são coisas diferentes, pessoas com mais vida pessoal e com menos tempo para se dedicarem ao clube e á claque, mas que tentam consolidar tudo da mesma forma e é normal que o resultado não seja o mesmo.
É perceptível que a direcção proporciona algumas mais valias ás claques para elas não se revoltarem contra a mesma, caso contrário GL nem teria ganho as eleições.
Mas não deixa de ser triste que aqueles que foram os primeiros a nascer e os primeiros a transmitir de forma mais efusiva os princípios do Sporting, hoje estão, não do outro lado, mas num lado estranho e esquisito em que não se percebe bem qual a sua função e o seu objectivo. Não se percebe se conseguirão algum dia reduzir a importância das regalias que recebem da direcção em relação ao Amor que sentem pelo clube. Porque se este sistema continuar no Sporting Clube de Portugal, então só poderemos avistar um caminho, o fim.
Para evitar que isso aconteça é essencial não nos servirmos do clube, mas sim, servir o clube.
Não me interessa se o próximo presidente é o João ou o Manuel, o que realmente importa é que seja alguém com um projecto desenhado, com soluções para os numerosos problemas que o Sporting possui neste momento. E houve alguém com um projecto nas últimas eleições, repito, com um projecto, porque só existiu um projecto! Não me interessa de onde vem BDC, nem quem é, interessa-me sim o que ele apresentou e o que ele transmitiu, o que ele consegui fazer naquelas eleições. Jamais esquecerei a “apresentação” de Van Basten, que foi festejada por uma multidão que só fez lembrar o alcançar de um título. BDC moveu multidões, fez sonhar milhares de sportinguistas, apresentou investidores, que até podiam ser criminosos, o que interessava realmente era a forma de como o dinheiro deles entrava no clube e como o envolvimento dos investidores no clube seria neutra.
Para terminar, vou citar a TV84, “Sem ídolos”! Como é possível uma equipa que ambicionar ser campeã, vender os melhores jogadores, os mais carismáticos para a massa adepta, a preço de saldo. Como se explica a saída de Liedson, sem termos solução para o substituir? Matias Fernandez? João Pereira? Por quantias surreais. No Sporting de hoje, temos um jogador, Rui Patrício.

Sempre Sporting
PAbreu

“beto acosta és o nosso matador”
https://www.youtube.com/watch?v=j69m9B7fOao
[“apresentação” de Van Basten]
https://www.youtube.com/watch?v=ZmY1cq2oRmg