Afinal Jardel reconhece quem lhe fez mal

Entrevista
MÁRIO JARDEL: SE EU ABRIR A BOCA VEIGA FICA MAL

A passagem de Jardel pelo Bolton acabou por ser uma verdadeira desilusão
Jardel está convocado para o jogo de amanhã com o Milan. Na estreia pelo Ancona, a entrevista em que ataca o empresário José Veiga…

Correio da Manhã – Acredita que agora, no futebol italiano, o pior passou e pode reiniciar a sua carreira de goleador?

Mário Jardel - Acho que sim. Tenho que voltar a voar de novo. Há pessoas que me tentaram prejudicar mas abri os olhos a tempo.

– Que pessoas?

– Fui muito prejudicado por José Veiga. Ele prometeu-me isto e aquilo e era tudo mentira. Prometeu-me o Barcelona, o Real Madrid, depois o Valência e, quando dei por mim, estava desempregado. Foi um mau momento, que, felizmente já passou e hoje estou muito bem.

– Atribui a José Veiga o declínio da sua carreira?

  • Há muita coisa que eu sei e que posso provar e teria até direito a uma indemnização. Se um dia eu abrir a boca esse senhor vai ficar muito mal. E tenho testemunhas, principalmente no Sporting. Aliás, os dirigentes do Sporting é que tinham razão. Durante meses, a comunicação social deu voz ao sr. Veiga dizendo que eu ia para o Barcelona e para o Real Madrid e os dirigentes do Sporting sempre disseram que isso era mentira.

– Mas culpa José Veiga por tudo o que lhe aconteceu?

– Se não tivesse aberto os olhos, José Veiga dava cabo da minha carreira. Eu achava que ele me protegia, acreditava nele cegamente e ele enganou-me.

– E as noitadas, o jogo, a droga de que tanto se falou? Não foi antes esse desregramento que destruiu a sua imagem e a sua carreira?

– Quem diz isso que prove. Chegaram a dizer que eu gastava dois milhões de doláres no casino!! Como é possível!? É verdade que, por vezes, eu ia ao casino, mas sempre joguei muito pouco dinheiro. E gosto tanto ou tão pouco de jogo que não entro num casino há dois anos.

– Nega então todas as acusações que lhe foram feitas?

– É tudo mentira. Houve boatos mas nunca houve provas, caso contrário nunca mais arranjaria trabalho. Se eu fosse para a noite, bebesse ou jogasse, nenhum clube me quereria. E depois dos boatos já fiz dois contratos e este último ainda é melhor do que aquele que assinei com o Bolton.

– Diz que foi prejudicado por José Veiga. Que motivos poderiam levar o seu próprio empresário a prejudicá-lo?

– Fui prejudicado porque existem vários interesses. Eu sei o que isso é. Paguei um preço psicológico e emocional muito alto.

– Falou em indemnização. Já pensou ir mais longe e alegar danos pessoais ou profissionais?

– Senti muita mágoa. Se quem me fez mal insistir em prejudicar-me pensarei nisso. Mas também acho que Deus se encarrega de ajustar as contas. E isso já está a acontecer.

– Refere-se ao facto de alguns jogadores importantes terem também rescindido com José Veiga?

– Exactamente. Como se vê não é só comigo que os problemas surgem. É bem verdade que a justiça faz-se com Deus.

– Neste momento qual é a sua relação com José Veiga?

– Não é. Não existe.

– É verdade que ele foi credor de algumas dívidas de jogo contraídas por si? E que terá sido esse o motivo que o levou a não rescindir mais cedo com José Veiga?

– Nunca lhe devi um tostão. Nem a ele nem a ninguém. Não o deixei mais cedo porque sou ingénuo. Acredito nas pessoas e acabo ‘me ferrando’.

– Hoje diz que está bem. Já esqueceu o que passou?

– É difícil. Pelo que eu fiz merecia estar num grande clube. Não sou um jogador qualquer. Mas o caminho faz-se caminhando.

– Qual foi o pior pensamento que lhe ocorreu durante os maus momentos que passou?

– Foram muitos e muito maus. Nos piores ponderei desistir, mesmo deixar de jogar. Mas Deus sabe o que faz.

– A meio da primeira época no Sporting, estava então em grande forma, tentou que o clube comprasse a parte do passe que você próprio tinha adquirido. Ficou magoado quando o clube não mostrou interesse?

– Não fiquei com mágoa nenhuma do Sporting. E isso não é como diz. Foram tudo orquestrações levadas a cabo por José Veiga que disse ao Sporting que não valia a pena negociar comigo porque já tinha tudo resolvido para eu ir para um outro clube e que esse clube pagaria a cláusula de rescisão.

– Confirma desavenças graves com jogadores como Pedro Barbosa ou Sá Pinto?

– Nunca me dei mal com ninguém. Mas foi uma altura muito complicada para mim. Psicologicamente não estava bem e isso tem custos, altera a pessoa que está a sofrer.

– Que ajudas recebeu nessa altura?

– No grupo de pessoas que me ajudou estão o dr. Ribeiro Teles, Rudolfo Moura, Bölöni, o dr. José Eduardo Bettencourt e o Carlos Freitas.

– Ainda hoje mantém contactos com ex-colegas do FC Porto ou do Sporting?

– Só com o Aloísio, do FC Porto. E tenho muitas saudades. Foram momentos que não vou esquecer.

– Se tivesse ido para o FC Porto e não para o Sporting acha que a sua carreira tinha descambado?

– Não tenho pena nenhuma de não ter ido para o FC Porto. Eles não me quiseram e fui para o Sporting para ser campeão.

– Com que treinador se identificou mais?

– Gostei de trabalhar com todos aqueles com quem fui campeão. E fui campeão com todos.

– Que ligações mantém com Portugal?

– Vivem em Portugal a minha irmã e o meu irmão que está sem clube.

– Foi para Itália pela mão de um outro empresário, Jorge Mendes. O que o levou a escolher este empresário?

– Telefonei-lhe porque ele apresenta coisas concretas. Ele tinha um clube e eu assinei.

“VILARINHO NÃO CUMPRIU”

Jardel esteve quase a assinar pelo Benfica. Foi o anúncio da sua contratação que deu o triunfo a Manuel Vilarinho contra Vale e Azevedo, nas penúltimas eleições do Benfica. Mais tarde, o jogador reclamou os 500 mil contos que lhe haviam sido prometidos. O acordo foi feito com a contratação do seu irmão George, actualmente sem clube, depois de passar pelo Alverca.

– Esclareça. A contratação de George Jardel foi a forma de o Benfica lhe pagar a dívida?

– Não. Olhe, mais uma vez fui enganado. Em relação ao meu irmão e comigo mesmo. Manuel Vilarinho não cumpriu a promessa dele. Senti que ajudei a eleger uma pessoa e depois, nada.

“ESTOU COM A KAREN HÁ OITO MESES”

Aliado ao período difícil da carreira, Jardel encheu páginas de jornais e de revistas pela sua relação com a não menos mediática Karen.

Antes do início do Verão de 2002, o casal surpreendeu todos ao separar-se, uma separação que terá ocorrido logo após os festejos da conquista do campeonato pelo Sporting.

Karen fez algumas acusações ao marido e partiu para o Brasil (S. Paulo) com os dois filhos do casal, Jardel Júnior, ‘Del’, e Victoria, que o pai esteve bastante tempo sem ver.

Mais tarde, numa das visitas de Karen a Portugal, o casal reatou relações, mas por pouco tempo. Karen voltaria a partir e Jardel a ser notícia pelas piores razões.

A reconciliação aconteceu apenas quando o goleador assinou pelo Bolton, de Inglaterra, depois de algum tempo sabático no Brasil. A mulher surgiu a seu lado, de novo como o seu grande apoio, recuperando a imagem dos tempos de felicidade e gestora de carreira conquistada nas passagens pelo FC Porto e pelo Galatasaray.

O jogador não esconde a importância da família na sua vida.

– Da fase má que passou no Sporting, recorda o pior dia?

– O pior dia foi aquele em que me separei de Karen. Eu estava psicologicamente abalado, queria sair de Portugal, o empresário prometia tudo mas não fazia nada. Um dia, para me distrair, fui sair e isso incomodou a minha mulher. Já lhe pedi desculpa e ela perdoou porque me amava e ama.

– Desistiram do divórcio?

– Claro. Ela está comigo. Há oito meses que estamos juntos e estou muito bem.

PERFIL

Foi o ponta-de-lança mais mediático do futebol português da última década. Mário Jardel conquistou quatro títulos de campeão nacional, três deles consecutivos, ao serviço do FC Porto e o último, em 2001-2002, com a camisola do Sporting. Destacou-se como o melhor goleador da Liga Portuguesa durante cinco das seis épocas em que jogou em Portugal. Venceu ainda por cinco vezes a SuperTaça. Em 2003, depois de uma crise profunda na carreira, vai para Inglaterra – Bolton – onde não conseguiu manter o prestígio como avançado. Agora, aos 30 anos, assinou pelo Ancona, de Itália.

in DN

Quem sabe se Veiga já sabia que o seu futuro passava pelo Benfas?

Este José Veiga é UM NOJO. Em todos os aspectos, este é apenas mais um a acrescentar… :evil:

estreia pelo Ancona? amanhã jogo com o Milan? onde é que foram desenterrar esta entrevista?

O Jardel passou pelo Ancona em 2003… :shock:

E já depois disso pelo Palmeiras e por um clube argentino…

E já depois disso pelo Palmeiras e por um clube argentino...

… clube argentino que se sagrou campeão nessa epoca. :slight_smile:

Meteu-se com a corja, f&/()-se! :roll: Mesmo estúpido!

2002/2003 - SPORTING
2004 - Bolton, Ancona e Palmeiras
2005 - Old Boys, Alavés, Goiás
2006 - Goiás

Já agora …
"Jardel está em Lisboa e mantém contactos com dois clubes
Mário Jardel, 32 anos, encontra-se em Portugal «para rever amigos», segundo refere, e mostra-se disposto a regressar ao futebol português. «Mantenho alguns contactos e até ao final da próxima semana devo decidir se regresso ao Brasil ou ficarei por cá», esclareceu à Antena 1.

Para já, Jardel limita-se a dizer que tem contactos de um clube da região do Porto e de outro de Lisboa: «Fui contactado até agora por dois clubes, sendo um da zona do Porto e um outro de Lisboa. Contudo, para já, nada existe de concreto», diz Mário Jardel."

Entre o Jardel (custo zero) e o Derlei… não sei não :?

N’A Bola:

Jardel está em Lisboa e mantém contactos com dois clubes

Mário Jardel, 32 anos, encontra-se em Portugal «para rever amigos», segundo refere, e mostra-se disposto a regressar ao futebol português. «Mantenho alguns contactos e até ao final da próxima semana devo decidir se regresso ao Brasil ou ficarei por cá», esclareceu à Antena 1.

Para já, Jardel limita-se a dizer que tem contactos de um clube da região do Porto e de outro de Lisboa: «Fui contactado até agora por dois clubes, sendo um da zona do Porto e um outro de Lisboa. Contudo, para já, nada existe de concreto», diz Mário Jardel.

O Jardel passou pelo Ancona em 2003... :shock:

Pois é. Eu sei onde é que o Marco viu isto, mas anda distraído. :wink:

Quem sabe se Veiga já sabia que o seu futuro passava pelo Benfas?

Não tenhas a menor dúvida…