A suprema hipocrisia

A falta de vergonha levada ao extremo. Em Portugal, claro.

[youtube=425,350]- YouTube

nao sao nada burros nao…recorrem á maxima “os olhos tambem come” para dar uma imagem idilica de um cenario que na verdade é cada vez mais tenebroso…e muito á pala destes edpes da treta.

Ainda há gente atenta e desperta.

Não tou a perceber nada deste tópico mas siga…

Eddie, viste o vídeo do Youtube? É que na primeira visita a este tópico também não o vi (não aparecia simplesmente) e também não percebi nada. Mas depois abri a página do IE e já deu para ver.

O link é este: [url]- YouTube

Nem eu, mas pronto. :inde:

Percebi que é uma operação de charme da EDP a tentar sensibilizar a opinião pública para a construção de centrais hidro-eléctricas.

Também percebo que para algumas pessoas as centrais a carvão não servem porque poluem muito, as centrais nucleares não servem porque há o risco de desastre nuclear, as centrais eólicas não servem porque matam os morcegos e as aves migratórias, os painéis solares nos telhados não servem porque estragam a paisagem urbana e aparentemente as centrais hidro-eléctricas também não servem porque destroem os ecossistemas ripícolas.

Suponho que não tenhamos alternativa senão regressar à idade da Pedra, não?

A EDP pretender passar-se como defensora do Ambiente e das espécies em vias de extinção é uma alarvidade. É ignorar o que se passa no processo do Baixo-Sabor, e omitir as responsabilidades das barragens na crescente erosão costeira. Porque raio a EDP não devolve à foz dos rios os aluviões?! Pois…

O tópico refere-se a uma campanha da EDP, em que foi produzido um vídeo em que aparecem vária espécies ameaçadas, como a Águia Real, o Abutre do Egipto, o Lobo Ibérico ou o Bufo Real, sendo que algumas delas vêem os seus habitats destruídos pelas barragens promovidas por essa mesma empresa. Ou seja, o maior destruidor e fragmentador desses habitats utiliza o mesmos animais que empurra para a extinção para tentar fazer passar a ideia de que os está a proteger. No mínimo, vergonhoso.

:arrow:

Algum(a) biólogo(a) por aqui, para confirmar ou qualificar isto? :shifty:

Isto o quê?

Tudo o que referes. Para formar uma opinião gosto de ouvir várias de pessoas avalizadas.

Não sou biólogo, mas deixo aqui alguma informação da autoria de biólogos a propósito de um território, com estatuto de Zona de Protecção Especial, que a EDP se prepara para submergir.

As grandes barragens apresentam impactos demasiado elevados e irreversíveis (e.g. [size=12pt][b]destruição de ecossistemas de grande valor[/b][/size], extinção e redução substancial de espécies de peixes migradores e residentes, respectivamente, contaminação das reservas de água, retenção de sedimentos e nutrientes, etc.), e têm um tempo de vida útil baixo (em média entre 50 e 70 anos), pelo que devem ser evitadas a todo o custo.(...)

A diversidade e riqueza de habitats deste vale [do Sabor] e a sua baixa perturbação humana permitem, também, a presença de uma comunidade faunística diversificada e onde se destacam numerosas espécies protegidas através de Convenções Internacionais e do Direito Interno. Este vale apresenta importantes ecossistemas rupícolas que albergam espécies de aves com rigorosos estatutos de conservação, como a águia de Bonelli, a águia real, o abutre do Egipto e a cegonha preta. Esta região é, por isso, classificada como Zona de Protecção Especial (ZPE) e “Zona Importante para as Aves” (IBA – Important Bird Area), segundo os critérios estabelecidos pelo BirdLife International. O Baixo Sabor representa, ainda, o principal local de desova e alevinagem da comunidade piscícola de uma vasta área (desde o Sabor até à albufeira da Valeira no Douro) e constitui um importante refúgio e corredor ecológico para a fauna da região.(…)

Além disso, tal como no caso dos anfíbios e répteis, a construção desta barragem implicaria uma importante barreira para o contacto entre populações, limitando, por exemplo, o fluxo genético entre os dois grupos de lobos identificados na zona (Macedo/Carrazeda e Mogadouro/Moncorvo).

[size=6pt][b]http://www.saborlivre.org/[/b][/size]

As espécies rupícolas[sup]1[/sup] encontram-se entre as potencialmente mais afectadas pelo empreendimento em causa, devido aos seus hábitos de nidificação estreitamente dependentes de um pequeno número de vales fluviais escarpados e com baixa perturbação.

[sup]1[/sup] Espécies que habitam nos rochedos.

OK, obrigado.

Mas o que falta aí parece-me ser, assumindo que o país precisa da energia, quais os custos e benefícios das alternativas às barragens hídricas.

É evidente que a construção de uma barragem tem um impacto ambiental que não é desprezável. Mas no caso das espécies que o H2SO4 referiu, creio que as barragens serão apenas um factor adicional havendo outros tão ou mais importantes como as mono-culturas de eucalipto e pinheiro, a construção de estradas, a expansão de áreas agrícolas e mesmo a caça.

O principal impacto das barragens é aquele que o paraver já referiu: a erosão costeira, que não tem nada a ver com a extinção das espécies que aparecem no anúncio.

É um facto que o anúncio parece um pouco paradoxal, mas também não sei até que ponto é que este anúncio não reflecte algum esforço para proteger aquelas espécies, dessa forma compensando os efeitos negativos que sobre elas recaem da actividade desta empresa. Por exemplo tenho a ideia que a EDP sempre foi muito proactiva na protecção às cegonhas, que tinham por hábito nidificar nos postes de alta tensão.

Seja como for, a EDP ou qualquer outra empresa do sector energético estará sempre a jogar com um pau de dois picos na sua actividade, como já dei a entender no meu post anterior. Se opta pela via eólica, é porque as pás dos moinhos matam os morcegos, se opta pela via hídrica é porque inundam as escarpas onde nidifica o bufo real, se opta pelo carvão é porque faz muito fumo, se opta pelo nuclear é porque há o risco de uma nova Chernobyl…ou seja, nunca conseguirá agradar a todos. A menos que haja um mínimo de bom senso e as pessoas se mentalizem de uma vez por todas que não é possível ter o melhor dos 2 mundos e que têm que se estabelecer prioridades, nunca se chegará a lado nenhum.

O tópico era sobre a extrema cara-de-pau de quem promove uma campanha destas.

Contudo, na minha opinião (que não sou técnico) devemos primeiro que tudo começar por gastar menos. Melhorando a eficiência energética nos edifícios, por exemplo. Nesse capítulo, o nosso país está (uma vez mais) na cauda da Europa.

O futuro está, sem dúvida em formas de produção de energia renováveis e ambientalmente sustentáveis (onde não se incluem as grandes barragens): eólica, fotovoltaica, das ondas, centrais de biomassa, ou outras. A título de exemplo, esta barragem do Baixo Sabor representará, segundo os entendidos e na melhor das hipóteses, 0,6% da energia consumida em Portugal. Achas que justifica as perdas e danos causados pela sua construção? Eu acho que não.

:offtopic: O problema é que os governos governam em função de outros interesses, como por exemplo, os do lobby do betão…

Eddie Verdde; não conheço nenhum estudo sobre o impacto das pás eólicas nos morcegos… Falemos a sério. Os impactos dos parque eólicos em áreas protegidas são controláveis se as vias de acesso aos mesmos não ficarem à disposição do zé povinho. O impacto visual… paciência.

As espécies de aves que referi (e outras) são fortemente afectadas pela construção de barragens, uma vez que utilizam as escarpas para nidificar.

As centrais a carvão/fuel-óleo fazem fumo? Pois fazem. Mas quantas centrais dessas vão fechar com a construção de barragens?

Não achas tu nem acha a Comissão Europeia, que pelos vistos não acha que a UE deva financiar a construção duma barragem no Rio Sabor. Mas se o tópico é para falar da barragem do Rio Sabor, então que se fale. O que tu fizeste foi colocar um anúncio da EDP que qualificas como hipócrita. Eu não vejo mais do que uma empresa a tentar promover a sua imagem e não dou essa hipocrisia como adquirida, porque como já disse atrás, não sei até que ponto é que o anúncio não espelha um esforço da própria EDP para compensar os efeitos negativos sobre as espécies que lá aparecem, esforço esse que não seria inédito da parte daquela empresa.

Os comentários resvalaram para o off-topic e eu fui atrás. Mea culpa.