A incompetência não está de quarentena

Em um mundo mergulhado numa crise humanitária, que terá consequências nefastas também a nível económico e social, a prioridade deve e tem que ser a nossa protecção, a dos nossos e a dos outros. O contexto actual será irreversivelmente marcante e espero que do mesmo se tirem as ilações necessárias para que as entidades competentes e sociedade em geral estejam mais preparadas para evitar algo semelhante no futuro.

Mas que esta “pausa” para grande parte da população, não sirva para fazer esquecer e desvalorizar problemas reais que não desaparecem nem desaparecerão porque simplesmente não se fala deles. A maior parte certamente bem mais importante que o futebol e o Sporting, mas é sobre o Sporting que aqui se fala.

A incompetência com que é gerido, não está de quarentena e não dará descanso. A falta de rumo não é e não será invertida, a desagregação e desunião do Universo Sporting não podem ser varridas para debaixo do tapete, a forma como estes dirigentes principalmente o presidente do clube, preferem claramente o potencial prejuízo da instituição, como disso tivemos prova nos depoimentos de Varandas no julgamento de Alcochete e no processo do Rafael Leão, se isso lhes der acrescidos balões de oxigénio acrescidos e assim manter a narrativa falaciosa com que continuam a enganar muitos sportinguistas, à boleia de uma Comunicação Social, principalmente desportiva, pouco preocupada em informar ( e para isso tem que ser informada, primeiro) e sim em vender para poder sobreviver.

Se também o futuro imediato do Sporting está em stand by, que a poeira à volta da propaganda e lavagem de imagem do sr Varandas, à conta do “voluntariado à força”, ou de hipotéticas decisões do associativismo num contexto de pandemia ( naturalmente impraticáveis, por ora ) que tanto indignam alguns escribas da praça, com pouco assunto e mesmo assim persistentemente avarentos no tempo a que dedicam ao estudo das matérias sobre as quais escrevem, não sirva de maquilhagem, mais uma.

E se a absoluta mediocridade da sua gestão que só para algumas criaturas que sistematicamente preferem viver com a cabeça enterrada na areia, não é indiscutível, é a causa da perda da competitividade global, do afastamento dos adeptos e do desbaratar de recursos, num contexto difícil ( pós Alcochete ), mas gerível, será catastrófica quando o clube tiver obviamente que se ajustar aos efeitos pós crise.

Com menos receitas ( porque activos também já foram na sua maioria, alienados e boa parte do contrato NOS, antecipado ), com menor capacidade competitiva instalada, com encargos acumulados muito acima da qualidade que representam e com o clube dividido ( porque se quis dividir… ainda mais ), o futuro do Sporting é negro.

Não deixou de o ser, nas últimas semanas. Apenas outras prioridades ganharam ainda mais relevância.

14 Likes

Acho que o pós COVID-19 não será nada fácil para o Sporting, até porque será difícil mobilizar os sócios que estarão bem mais preocupados com questões emergentes da situação que se vive.

Isso irá ser, decididamente, aproveitado por quem lá está agora para continuar a trucidar o Clube.

O foco neste momento não está lá, mas se passarmos por isto incólumes rapidamente voltamos às análises aprofundadas ao que é o nosso clube neste momento. Porque se há coisa em que o tuga se refugia é no futebol, com o que de positivo isso tem e o muito de negativo que acarreta.

Seria este, antes, um bom momento para parar e reformular. Para estabelecer regras. Criar tectos financeiros e salariais. Dar a importância ao futebol que merece, sem que ultrapasse o essencial. São muitos milhões que seriam tão melhores canalizados noutros sectores tão mais importantes como o mundo acaba de comprovar.
Dar uns pontapés na bola é demasiado valorizado e andamos aqui a ser enganados com a nossa paixão, substituída pelo milhão que gere o mundo futebolístico.
Porque os que são sérios são uma ínfima parte e são julgados em tribunal sem provas contra.

2 Likes

Grande Post, os meus parabens

@Lion73

Dizendo uma coisa simples e rápida, dos 3 grandes aquele sobreviverá melhor á crise com melhores resultados , vai ser aquele em que tiver ø treinador conseguir rentablizar po dobro ou triplo ø rendimento desportivo e económico dos jogadores do refugo contratados, emprestados e Sub23\Equipa B.

Exemplo Porto 2017\2018

Primeiro ano de Sergio Conceição, sem nenhuma contratação

Jogador do Refugo: Marega

Emprestados: Aboubakar e Ricardo

Formação: Sergio Oliveira

Ø Sporting vai ter que fazer igual a isto, se possivel comprar ø substituto de Bruno Fernandes e não contratar mais ninguem, se não for possível temos passar uma época sem contratar novos jogadores que assim seja, temos ser pacientes e olharmos para os valores que temos cá dentro .

sim senhor, texto muito bom o que escreveste, tenho de o admitir, as tuas permissas, certamente que demonstram um raciocínio válido, para que eu aceite o conteudo, obviamente. Mas, sem sarcasmo nem ofensa, gostei de ler, bem estruturado

Lion73 é certamente pessoa muito conhecida no ambiente Sportinguista, só que eu, tendo vivido a maior parte do meu sportinguismo longe dos covis leoninos não o posso conhecer pessoalmente, como muito desejaria. Se isso puder ser feito, aproveite o meu endereço de e-mail e entre em contacto comigo. Devo ser um dos sócios que há mais tempo entraram para o clube, em 1941. Tenho um livro escrito sobre a minha vivência sportinguista, que não foi autorizada a venda nas lojas verdes… Estou com 91 e já cansado, melhor, desiludido não só com os dirigentes como com a massa associativa… O meu livro começa com uma advertência que termina assim “P#rra não matem o meu Sporting”… Cá fico à sua espera…

A pandemia actual trará diversos desafios e dificuldades na gestão de qualquer empresa ou instituição, a Sporting SAD e o Sporting Clube de Portugal não serão excepção.

O problema, acrescido, está na “dúvida” da competência existente internamente para responder aos desafios que serão criados.

As perdas de receita serão naturais, as dificuldades económicas e de tesouraria tenderão a aumentar.

Nesta altura, mais do que em qualquer outra, é hora de olhar para os recursos internos e tentar rentabilizá-los ao máximo.

E, se nas diversas modalidades do Clube e nos jogadores de futebol contratualmente ligados à SAD há matéria prima para, com competência, trabalho e dedicação, tentar optimizar, existe uma evidência carência de todos esses factores no Conselho Directivo do Clube e na Administração da SAD.

O Sporting CP não terá dificuldades acrescidas relativamente aos demais. Aliás, o Sporting CP até tem um ponto a seu favor: já estava em crise antes dos demais! Significa isto que dificilmente ficará muito pior do que aquilo que já estava.

A problemática do Sporting CP é a incompetência que grassa na sua administração. No fundo, o Sporting CP é um jogador de futebol com um talento espectacular, mas com uma cabeça de merda.

https://desporto.sapo.pt/futebol/primeira-liga/artigos/sporting-vai-colocar-trabalhadores-em-lay-off… Não sei se é “incompetência”…, mas parece um indício de que estamos mesmo mal… :worried:

Compounding interests para um treinador com 13 jogos. O ativo não amortiza, valoriza! Estes gajos são uns visionários.

“medida de gestão”
Godinho explica… VaTangas executa"
#duodinamico

Maior incompetência do que a inabilidade dos sócios e incapacidade de análise de coisas que estão mesmo debaixo do seu nariz eu não conheço… É que nem pelo cheiro foram lá. Não há clube que resista.