A Cruxificação de Santo Estojo (e outros nojos)

1)Nem penses que me arrastas para a discussão da intencionalidade. Só o Polga poderia tirar as dúvidas e mesmo assim acho que nem ele deve saber bem. O futebol não é uma ciência exacta, nunca será e como tal não se pode dizer categoricamente que aquilo foi um corte, tal como não se pode dizer categoricamente que aquilo foi um atraso. Mas mesmo que fosse ainda haveria que contar com o factor “deliberação do árbitro”, que é susceptível a outro tipo de viciações.

A partir daqui a coisa mais sensata a fazer seria mandar um charuto na bola. Não crucifico o Santo Estojo por esse lance em particular porque ele, para além de ter poucos anos no currículo profissional, tem zero de experiência em futebol português e como tal falta-lhe o maquiavelismo que os anos passados neste circo acrescentam a uma pessoa.

2)Em resposta à tua pergunta: Sim, acho que fomos roubados ontem (não só nesse lance), tal como fomos roubados no jogo com o Paços, tal como fomos roubados ao longo de anos e anos. Se a tua postura do passado te retira o direito de dizer que ontem fomos roubados? Claro que não. Mas para quem atribui méritos a PdC pela conjuntura actual do futebol em Portugal e até lhe agradece; para quem achas aquilo que se passou ontem mais escandaloso do que um golo sofrido com a mão que nos acabou por custar o campeonato, acho que ficas um bocado mal na fotografia.

Portanto, o que deve estar nas nossas cabeças neste momento é se queremos, logo à 2ª jornada, entrar pelo caminho da vitimização e cultivar a cultura da desresponsabilização na equipa, passando a pôr as culpas no árbitro, no relvado ou no nevoeiro sempre que as coisas correrem mal. Crucificar o guarda-redes? Não. Crucificar terceiros? Pior ainda.

3)Atentem mas é na postura do nosso jovem capitão. Já nunca surpreendente mas sempre digna de registo: a dar a cara, a mostrar-se solidário com o guarda-redes e a dizer que no lugar dele teria decidido o mesmo. Já havia feito algo semelhante há 2 anos, aquando do frango monumental de Ricardo frente ao Belenenses na jornada inaugural que motivou a assobiadela geral dos adeptos. No flash interview, ainda com a timidez própria dum jovem humilde de 19 anos vem, quase que a medo, pedir aos adeptos para não assobiarem o Ricardo porque toda a gente é livre de errar e o Ricardo já tinha dado muito àquela equipa.

4)Stojo saiu mal na fotografia? Sim. Vamos crucificá-lo? Não. Nem é isso a que esta massa de adeptos tem habituado a equipa. Enquanto outros animais atiravam verylights ao carro do seu treinador, nós aplaudimos em massa um defesa (Hugo) que em 3 jogos deu 2 fífias que custaram pontos à equipa.

Por isso façam um estandarte ao Santo Stojo, gritem e cantem sempre que ele agarrar na bola e façam das nossas fraquezas as nossas fortalezas. Já dizia alguém: vou guardando todas as pedras que me atiram, no fim construirei um castelo.