6 meses depois, o primeiro balanço

Seis meses depois de ter sido eleito para uma missão verdadeiramente hercúlea como é a de recuperar um Clube completamente dividido, e ainda por cima numa situação financeira aflitiva e a atravessar uma enorme crise de resultados desportivos, principalmente no Futebol, o balanço do trabalho conseguido por https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho não só não pode deixar de ser considerado muito positivo, como até devo dizer que superou largamente as minhas expectativas.

A área financeira era aquela que mais me preocupava, pois parecia-me evidente que https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho não tinha nem um único cêntimo para meter no Sporting, pelo que a sua entrada para a liderança de uma embarcação nas condições em que o Clube/SAD estavam, sem ter o necessário respaldo financeiro para pelo menos aguentar os primeiros balanços, era um enorme risco, que me fez pensar muitas vezes no que aconteceu ao Sporting no tempo de https://www.wikisporting.com/index.php?title=Jorge Gonçalves.

E de facto os meus temores confirmaram-se logo nos primeiros dias, quando a banca tentou fazer uma espécie de golpe de estado, fechando a torneira do dinheiro, valendo então a firmeza do Presidente e o apoio inequívoco que recebeu da maioria dos sportinguistas, que logo manifestaram a sua indignação perante a atitude intolerável daqueles que durante anos a fio tinham suportado gerências incompetentes e que agora se apressavam a retirar o tapete a uma Direcção que tinha acabado de ser eleita.

No fim o bom senso prevaleceu e foi obtido o desejado acordo para a reestruturação financeira do Clube/SAD, que seria aprovada de forma esmagadora pelos sócios do Sporting Clube de Portugal e pelos acionistas da Sporting SAD, o que permitiu que o Clube se mantivesse pelo menos à tona de água, mesmo que a situação continue a ser muito complicada, porque os milagres não existem e na prática esta reestruturação passa pelas habituais engenharias financeiras, pelo adiamento do problema das vmoc’s e pela inevitável austeridade, medidas que são apenas remédios para uma doença cuja cura ainda vem longe.

A redução de custos que se seguiu foi dolorosa, principalmente no que diz respeito a alguns funcionários menores, mas era inevitável, tendo naturalmente sacrificado também alguns dos que tinham estado com as direcções anteriores, com destaque para o caso de https://www.wikisporting.com/index.php?title=Manuel Fernandes que acabou por ser desnecessariamente mal tratado, para além de ter obrigado ao emagrecimento do Futebol e das restantes modalidades, que mesmo assim sofreram menos daquilo que eu esperava.

Por aparecer estão ainda os muito badalados investidores. A parceria com a Holdimo foi um negócio de ocasião, e foi na minha opinião um bom negócio, mas os outros 18 milhões que constam do plano aprovado, por enquanto ainda não apareceram, o que se compreende dada a conjuntura actual. No entanto acredito que se as coisas continuarem a correr como até agora, as Acções da SAD possam passar a ser mais atractivas e confio na habilidade negocial do Presidente na procura de bons parceiros.

Em suma, os problemas financeiros do Sporting não estão, nem poderiam estar resolvidos, mas pelo menos pôs-se um travão ao descontrolo das contas e começou a haver alguma racionalidade na gestão, esperando-se que a recuperação seja possível, mesmo que se perceba que este será um processo lento e que precisa da ajuda dos resultados do Futebol.

Por falar em Futebol, entramos noutra área onde se previam grandes dificuldades para https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho, sendo que aqui eu confesso que o que fui lendo e ouvindo durante a campanha eleitoral não me deixou muito entusiasmado, isto devido à falta de solidez de algumas ideias e à inexperiência da equipa que iria gerir este delicado importante sector da vida do Clube, havendo no entanto já que aplaudir a inteligência de se deixar cair algumas coisas que na minha opinião não faziam sentido, como o terceiro elemento para trabalhar na área do mercado, o plantel de 20+22 jogadores e até o treinador residente.

Logo à partida https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho herdou um complicado berbicacho com o nome de https://www.wikisporting.com/index.php?title=Jesualdo Ferreira, um treinador que nunca me entusiasmou muito, mas que cuja continuidade me parecia ser uma boa opção dadas as circunstâncias, isto desde que essa fosse uma decisão tomada por convicção. No entanto verificou-se que entre o Presidente e o treinador não havia aquela química fundamental para que as coisas pudessem funcionar bem, pelo que compreendi a decisão tomada.

Mas melhor do que a decisão, foi a rapidez com que o problema do treinador foi resolvido com a contratação de https://www.wikisporting.com/index.php?title=Leonardo Jardim, que se não era a única opção válida, seria na minha opinião claramente a melhor, e que ainda por cima teve o mérito de valer também pela antecipação ao FC Porto, pois eu tenho poucas dúvidas de que se Jardim não tivesse assinado pelo Sporting, estaria agora no Dragão e só não foi para lá porque o Pinto da Costa adora brincar com o Vieira e portanto nunca ia anunciar o seu treinador enquanto a situação de https://www.wikisporting.com/index.php?title=Jesus não estivesse resolvida. Foi nesse jogo de sombras que https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho actuou com rapidez e eficiência, numa jogada perfeita.

Preocupante era sem dúvida o dossier das contratações, porque sem dinheiro não é fácil arranjar bons jogadores, ainda por cima com uma guerra declarada ao FC Porto e com o Benfica à espreita e sempre a provocar, ambos seguramente já de olho em https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruma. Foi assim que pelo caminho ficaram jogadores como Ghilas, Josué, Fariña ou Pizzi e até o Braga sempre em bicos de pés, nos ganhou a corrida por Rafa, mas nas condições actuais não era fácil que fosse o Sporting a marcar o terreno no mercado.

Assim os nomes apresentados não foram impressionantes, mas pelo menos até à data, https://www.wikisporting.com/index.php?title=Maurício, https://www.wikisporting.com/index.php?title=Jefferson e https://www.wikisporting.com/index.php?title=Fredy Montero estão a agradar, no caso do colombiano eu diria mesmo que a surpreender e muito, equilibrando as contas com os três tiros na água que parecem ter sido https://www.wikisporting.com/index.php?title=Welder, https://www.wikisporting.com/index.php?title=Gerson Magrão e https://www.wikisporting.com/index.php?title=Salim Cissé, havendo ainda outros três por avaliar, isto apesar das primeiras indicações de https://www.wikisporting.com/index.php?title=Islam Slimani serem deprimentes. Embora seja ainda muito cedo para fazer um balanço fundamentado, devo dizer que se o aproveitamento for de 50% já será bem melhor daquilo que o Freitas fazia e com muito dinheiro para esbanjar, até porque alguns dos jogadores que aparentemente podem ser fiascos, não representam grandes encargos, nem tem contratos de longa duração.

A agradar e muito está a política na área da formação, desde a postura adoptada nos casos https://www.wikisporting.com/index.php?title=Tiago Ilori e https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruma, que atendendo às circunstâncias foram dois bons negócios para o Sporting, e eu diria mesmo que no caso do avançado se tratou de uma grande vitória para https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho, até ás renovações com os jogadores mais prometedores da Equipa B, embora em alguns casos me parecesse mais avisado que tivessem sido feitos contratos menos longos.

Por resolver está ainda o problema de fundo da Academia, que continua a produzir excelentes jogadores, mas onde há um claro deficit de cultura sportinguista, que depois resulta em manifestações de grande ingratidão da parte destes miúdos, que desde muito novos que são cercados pelos abutres que gravitam à volta do Futebol. Sei que isso não se resolve de um dia para o outro e não conheço a receita mágica para evitar estes casos, portanto resta-me esperar pelos frutos do trabalho que https://www.wikisporting.com/index.php?title=Virgílio terá de fazer nesta área, onde até agora ninguém foi capaz de eliminar esse desvio na linha de produção de Alcochete, o que representa outro enorme desafio para esta Direcção.

Em relação ao entulho herdado da gestão anterior, foram resolvidos com êxito muitos casos, mas infelizmente ainda restam vários por solucionar, sendo de lamentar a situação em que ficou o guarda redes https://www.wikisporting.com/index.php?title=Vítor Golas e principalmente os casos de https://www.wikisporting.com/index.php?title=Labyad, https://www.wikisporting.com/index.php?title=Evaldo e https://www.wikisporting.com/index.php?title=Jeffren, que não dignificam o Clube, mesmo que resultem em grande parte da intransigência dos jogadores, que no entanto também não tem culpa de lhes terem oferecido contratos pornográficos. Há ainda o caso https://www.wikisporting.com/index.php?title=Elias que também é um problema bicudo. Enfim a herança era assustadora e os prejuízos são inevitáveis, agora há que tentar minimizá-los.

Voltando ao Futebol propriamente dito, há que referir que https://www.wikisporting.com/index.php?title=Leonardo Jardim está a construir uma equipa jovem, mas que já apresenta uma ideia de jogo muito positiva, mesmo que ainda seja cedo para embandeirar em arco e eu esteja curioso para ver como se comporta esta rapaziada quando encontrarem aqueles adversários que se fecham lá atrás na defesa do zero a zero, só à espera que caia um golinho milagroso do céu. Nesse sentido o empate com o Rio Ave já foi uma amostra, mas os próximos jogos parecem-me muito interessantes e tanto podem fazer crescer a onda positiva que se vive em Alvalade, como esfriar este entusiasmo que alimenta a nação verde branca. Espero é que se e quando a coisa der para o torto, os sportinguistas e principalmente a estrutura do Futebol não caiam na tentação de destruir o que de bom está a ser feito e que sejam capazes de tirar as devidas ilacções dos erros recentemente cometidos. É nas alturas mais difíceis que é preciso apoiar a equipa e dar tempo ao treinador para fazer o seu trabalho.

Se o futebol e as finanças eram e continuam a ser duas enormes montanhas com que https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho se depara e que tem vindo a escalar de uma forma astuta, já a área do relacionamento com os sócios e adeptos, parecia-me ser aquela onde o novo Presidente do Sporting se sentiria mais à vontade. Logo à partida porque ele tinha em relação aos seus antecessores, a grande vantagem de ser um homem verdadeiramente dedicado à causa sportinguista e não alguém que se propunha apenas a desempenhar uma missão ao serviço de interesses de terceiros.

O Sporting já há muito tempo que vivia na orfandade de um grande líder, e https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho parece ter todas as características para ser o homem capaz de reerguer a nação verde branca. É jovem, tem pelo na venta e dedicou-se com grande entusiasmo e muita paixão a esta grande empreitada, onde se meteu de alma e coração. É visível a empatia que ele já tem com a generalidade dos sportinguistas, ao ponto de até ter conseguido juntar as claques, embora ainda haja muita gente desconfiada e outros tantos à espera dos primeiros abanões, para atirarem as pedras que tem atravessadas na garganta, mas isso é o resultado de muitos anos de interesses instalados, que agora foram finalmente postos em causa, prevendo-se que a badalada auditoria de gestão esteja prestes a avançar, num processo que seguramente vai dar muito que falar.

Nesta importante área da liderança o Sporting mudou para muito melhor, embora isso também tenha alguns danos colaterais resultantes do estilo do Presidente, que já resvalou algumas vezes para o disparate, quando lhe puseram os microfones à frente. No entanto espero que com o tempo ele aprenda a evitar esses excessos, embora o seu estilo seja mesmo assim, o que não é muito do meu agrado, mas que todos os males sejam esses, até porque infelizmente o mundo do Futebol é feito destas coisas.

Se a postura do Presidente tem sido fundamental para a desejada unificação da família sportinguista que está em curso, ainda falta o resto da estrutura mudar a sua atitude. A politica de comunicação do Clube precisa urgentemente de ser alterada, embora eu perceba a falta de meios para que essa mudança seja rápida e efectiva, pelo que teremos de dar mais algum tempo, antes de exigir resultados palpáveis nesta área muito carenciada.

Para o fim deixei aquele que na minha opinião foi até ao momento o grande erro de https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho. Refiro-me à clara diferença de postura em relação aos nossos dois grandes rivais, com uma entrada a matar sobre os portistas, ainda por cima a propósito de um caso onde a razão que nos assistia era muito relativa, em oposição a uma certa tolerância em relação aos benfiquistas, com um evidente assobiar para o lado às várias provocações que vieram daquela banda. Julgo que esta foi uma estratégia antecipadamente planeada, com a qual eu discordo totalmente, pois considero que não temos nada a ganhar com guerras despropositadas, principalmente numa altura em que estamos numa posição de grande fragilidade, em que seria fundamental arrumar primeiro a casa antes de abrir frentes de batalha, o que não quer dizer que eu defenda posições subservientes, até porque sempre fui frontalmente contra alianças e manifestos, donde saímos invariavelmente menorizados e prejudicados. O futuro encarregar-se-á de fazer balanço desta jogada, mas para já perdemos uma das maiores pérolas da Academia e ou muito me engano ou isto não vai ficar por aqui.

Em suma https://www.wikisporting.com/index.php?title=Bruno de Carvalho pegou num Clube preso por arames e em 6 meses transformou-o num Sporting que já está com bom aspecto. Espero que a sorte não nos abandone e que esta Direcção possa dar seguimento ao seu trabalho, melhorando e solidificando o seu projecto, para que finalmente tenhamos o Clube e os seus adeptos unidos numa caminhada plena de Esforço, Dedicação, Devoção e Glória!

Muito bom texto e com o qual concordo na generalidade. A minha diferença de opinião vai no sentido que a “guerra” com o porto não foi provocada por nós, mas nascida de provocações dos de azul, com clara intenção de fazer o que faziam com a anterior direcção. Houve uma reacção do presidente e acho que seria a única possível, admito que não estamos na melhor posição para o fazer mas seria inevitável não acontecer.

Muito boa analize , na minha modesta opiniao a rocar a perfeicao!!

So nao gostei da parte em que te referistes ao Manuel fernandes, eu quando jogava futebol gostava de me intitular de Manuel Fernandes por ser uma referencia do clube, por ser um grande jogador, para mim era um idolo.

Mas, no meu entender nao foi mal tratado , e claro que ele nao teve a culpa de lhe pagarem 20 mil euros por mes , mas dadas as circunstancias , o rumo que o clube tomou ,o presidente fez o que deveria ter feito , para ser sincero ele ate me tem desiludido ultimamente , nao esperava estas ultimas e tantas declaracoes dele!!

De resto nunca na vida conseguiria fazer uma analize destas , dai que so me resta dar-te os parabens!!
Viva o Sporting!!

para ser sincero…

como nunca pensei que o mandato do Godinho iria ser tão Catastrófico…

exactamente do mesmo modo nunca pensei que o mandato do Bruno fosse tão Bom, pelo menos nestes primeiros tempos, isto até agora tem sido tudo um lar de rosas… :inde:

:offtopic:

Isso é um lar de 3ª idade onde só são admitidas velhas com o nome de Rosa :mrgreen:

[hr]

Eu tenho-me mantido “distante” de fazer apreciações sobre BdC , mas até agora estou a gostar de quase tudo , principalmente das suas declarações “bélicas” sobre aqueles que tentam espezinhar o nosso clube…

Em primeiro lugar obrigado pelas tuas simpáticas palavras.

Quanto ao Manuel Fernandes eu calculo que tu aí não tiveste acesso a toda a informação por isso vou explicar o meu ponto de vista.

Acho que este caso foi mal gerido por ambas as partes. Em primeiro lugar julgo que o Manuel Fernandes devia ter percebido que depois de ter apoiado o Godinho Lopes não tinha condições para continuar, mas pronto eu percebo que o sonho dele era “morrer” em Alvalade e isso fê-lo acreditar na sinceridade das propostas que lhe fizeram, mas na minha opinião o Bruno de Carvalho nunca quis verdadeiramente que ele continuasse, o que até compreendo e aceito, só acho que não havia necessidade de fazer o filme que fizeram com ele.

O resultado disso foi que passou a ideia de que o Manuel Fernandes ganhava no Sporting 20 mil € entre outras coisas que se disseram, o que acabou por motivá-lo a dar explicações aos sportinguistas e de acordo com o que ele agora contou, ganhava cerca de 9700 € divididos em dois contratos, tendo-lhe sido proposto que continuasse apenas com um deles, no valor de cerca de 1400 €, que ele não aceitou sendo incluído no lote dos funcionários do Sporting que foram alvo de um despedimento colectivo. Não vou discutir se era muito ou pouco, pois acho que isso não interessa, a realidade é que não havia condições para que ele continuasse.

Mas o que eu critico foi o que veio a seguir, depois de o Manuel Fernandes ter dito nesse esclarecimento que fez, que nem sabia o que era um despedimento colectivo e que tinha dito ao advogado que aceitaria aquilo que fosse determinado que tinha direito a receber, sem contestar, pois não queria problemas com o Sporting.

Foi então que na entrevista que deu à Sport TV o Presidente foi de uma enorme deselegância, para não dizer outra coisa, quando disse que não fazia sentido o Manuel Fernandes ter afirmado que não sabia o que era um despedimento colectivo, pois até a sua filha de 8 anos sabia que despedimento colectivo era a junção de duas palavras: despedimento+colectico e que significava o despedimento de várias pessoas.

O que ele fez foi em primeiro lugar chamar burro ao Manuel Fernandes, e depois tentou fazer-nos passar a todos por parvos, pois era evidente que o que o Manuel Fernandes queria dizer é que não sabia o que era um despedimento colectivo em termos dos seus direitos, ou seja em termos juridicos, coisa que eu e julgo que a maioria de vocês também não sabe, que não é igual a não se saber que era um despedimento de várias pessoas.

É este tipo de coisas que eu não gosto no Bruno de Carvalho, que frequentemente se dá àqueles ares de superioridade como se fosse ele o único inteligente e os outros fossem todos burros. De resto a sensação que me dá é que ele é uma pessoa que não lida muito bem com as criticas, mas quem se mete num mundo tão midiático como é o do futebol, tem de estar preparado para elas, principalmente nas horas em que as coisas correm mal, e esses momentos vão aparecer inevitavelmente, pois acontecem em todo o lado.

Bom post, to-mané. :great:

Não concordo com algumas coisas, mas ficará para próximos debates… :mrgreen:

Para já, considero como pontos positivos, num cenário de total desastre que o Sporting vivia há 6 meses atrás:

  • Criação de condições para laboração da SAD, que esteve em causa ( via reestruturação financeira ).
  • Coerência na tentativa de equilíbrio financeiro e económico, com redução de custos, em alguns casos de forma dramática, sem que tenha retirado competitividade às diferentes modalidades ou sem que esta tenha sido afectada na mesma ordem de grandeza que foi, a nível financeiro.
  • A mensagem passou. Por desinformação, má fé, ignorância, nem todos a aceitam, mas os Sportinguistas têm agora a consciência do estado actual do clube e sabem que há força, coragem e determinação em mudar as coisas. Têm consciência também e isso é muito importante, que não se muda um clube a caminhar para o abismo, do pé para a mão.
  • Recuperação do amor próprio. Uma das coisas que mais me enojaram nos últimos anos foi o estado de subserviência e subalternização a que o Sporting se votou e parece-me evidente o desconforto dos responsáveis com este Sporting pequenino que não se faz ouvir a não ser quando se queixa, choramingando, quando leva porrada dos bullys de serviço.
  • Uma clara estratégia que visa promover a responsabilização e exigência dentro do clube.
  • Contratação de um treinador jovem, competente, determinado e com carácter.
  • Aposta na formação, assegurando contratos de longa duração com os jovens mais capazes e com mais potencial.
  • Contratações de Jefferson e Montero, 2 mais valias claras para posições deficitárias e a de Maurico, jogador low cost que tem cumprido com a sua missão.

Como pontos negativos:

  • Demasiadas contratações. Ainda é algo cedo para conclusões definitivas relativamente ao acerto na escolha de alguns jogadores, mas penso que houve algumas acabarão por ser redundantes e desnecessárias, principalmente por falta de valor de alguns desses jogadores. Felizmente, nesses casos, os contratos são de curta duração. Com mais tempo de trabalho e planeamento, coisa que não houve neste defeso, o Sporting retirará mais dividendos das suas acções no mercado.
  • Fruto da inexperiência, das mudanças operadas em tão pouco tempo e da quantidade de fogos a acudir, penso, houve alguns erros de comunicação que deram alguns sinais de desorganização.

A avaliar:

  • Sendo de opinião que o bem maior, ou seja, a total focalização no trabalho e em servir o clube foi o mais significativo e importante, estaremos para concluir da opção de confronto com alguns excedentários da equipa de futebol.
  • Investimento externo. Foi garantido que existia, não sei se entretanto até já existe e já foi utilizado pelo clube, mas aguardo o aumento de capital social em que parte será subscrito por 18M de capital novo. Aumento de capital aprovado em AG do clube e da SAD, há poucos meses. Não espero que o Sporting procure parceiros. Espero que o Sporting formalize a sua entrada. É uma garantia dada pelo presidente e confio na sua palavra.

Há muito trabalho para fazer. De formatação de mentalidades, também. Para já, os sinais são muito positivos, conformando-se as boas expetativas de quem apostou em Bruno de Carvalho. Que até tem saído melhor que a encomenda.

Não percebo onde é que possa estar a dúvida. Se esse capital já tivesse entrado, teria sido obrigatoriamente anunciado, da mesma forma que o negócio com Holdimo foi. E até compreendo o compasso de espera, estas coisas tem de ser feitas com calma, quanto melhor a SAD estiver melhor será o negócio que se vai fazer e hoje as Acções valem seguramente mais do que há 2 ou 3 meses

:inde:

E não poderá ter sido o Manuel que nos tentou fazer passar por parvos?

Lembro um excerto do comunicado de BdC “Manuel Fernandes recusou e pediu para ser colocado no despedimento colectivo”.

Ao que MF respondeu: “Nunca pedi para ir para o despedimento coletivo. Nem sabia o que isso era”.

Se quisermos e a bem de um preconceito ( positivo ou negativo ) sobre uma determinada pessoa, sobre um acto ou declarações, tentar extrair um qualquer significado dos mesmos, por vezes incorrecto, de forma a tentarmos fazer valer um determinado ponto que defendemos, podemos fazê-lo. Nem sempre bem.

BdC é como é. Numa sessão de esclarecimento, registei as suas palavras… “não sou arrogante. Não tenho paciência é para a estupidez e mediocridade”. Não sei se gosto ou deixo de gostar deste tipo de postura, quero é que se defendam os interesses do Sporting, acima de tudo. Respeitando valores como a exigência e meritocracia e as pessoas que procuram servir o Sporting com o seu talento, a sua dedicação e o se empenho e não pelo seu passado, como se este, por si, fizesse a diferença.

Quando é que foi comunicado o aumento do capital social via Holdimo?

Andas distraído, já há muito tempo que o Sporting anunciou que tinha trocado uma dívida para com a Holdimo por 20 milhões de Acções da SAD, sendo até divulgada a percentagem que aquela empresa passava a deter na Sociedade, salvo erro com direito a um Administrador e tudo.

Não. O Sporting anunciou, propôs e viu aprovado um aumento de capital, de 38M, a realizar, sendo que 20M serão da Holdimo por conversão em capital, da divida existente.

@To-mane

Muito bom! Concordo com tudo o que foi escrito, com uma ou outra nuance. De resto, que o resto do mandato seja como estes primeiros 6 meses…

Em relação a contratações, pese o excesso das mesmas, este ano seria mesmo necessário. Acredito que na próxima época desportiva já seja aplicada a lógica de uma ou duas contatações de grande qualidade. Mas tendo em conta o desastre do ano anterior, seria necessária uma pequena revolução.

Aguardo com expectativa os próximos 6 meses, pois também serão determinantes na vida deste novo Sporting. O(s) investidor(es) que entrarão, a resolução dos casos Labyad e Elias, e a continuação do campeonato serão ainda bastante importantes, embora a reestruturação financeira esteja feita e já tenham sido resolvidos uma série de problemas com jogadores.

Gostaria de ouvir uma palavra sobre o Pavilhão (está em cima da mesa, ou posto de parte?)

SL

Sim. O Sporting anunciou, propôs e viu aprovado um aumento de capital, de 38M, 18 dos quais ainda a realizar, sendo que 20M são da Holdimo por conversão em capital, da divida que existia, o que permitiu ao Sporting receber a totalidade da venda do ilori e 90% da venda do Bruma. Quanto aos outros 18 milhões por enquanto não se sabe nada

O Pavilhão foi uma promessa com reservas para este mandato, e duvido que possa ser concretizada tão cedo, se o for será mais uma enorme vitória.

Gostava muito que a Sporting TV avançasse, acho que é um instrumento fundamental e espero que façam tudo o que puderem para o concretizarem o mais depressa possível

Excelente análise! :clap:

Se dúvidas houvessem, foi o próprio Presidente a reconhecer na entrevista ao Negócios, que o processo dos novos investidores está atrasado.

Que está atrasado, é de senso comum. A própria reestruturação o está, devido também a questões fiscais. O que é diferente de não haver investidores, quando o presidente garantiu que os havia.

Aliás, BdC afirma, na entrevista de hoje, que quando o processo estivesse concluído, apresentava os investidores.

EDIT

O Sporting está a tratar de assuntos que envolvem as finanças. Temos alguns pedidos relativamente a IMT e imposto de selo, por causa destes processos de fusão. Quando tivermos resposta, daremos andamento ao processo de fusão e aumento de capital. E eu apresentarei os investidores dos 18 milhões