Relatório e contas Sporting SAD epoca 2018/19 prejuizo 7.9M

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Não podes retirar a Champions da equação. Porque o Sporting preparou-se para a época sabendo que a teria. Ou na esperança que passava o qualificador.

Esse argumento não me parece correcto porque pressupõe que o Bruno iria baixar 20 ou 30M€ de custos operacionais em 18/19 para compensar a ausência de LC... isto depois de 3 épocas seguidas de pesado aumento de custos operacionais (52M em 14/15 subiu para 110M em 17/18; total de  58M de aumento em 3 anos; média 19M/ano).


Todos sabemos que os custos operacionais iriam continuar descontrolados em 18/19 e a justificação para isso seria a de tentar garantir o acesso à LC da época seguinte, não perder o barco em relação aos rivais, etc... que é igualzinha à justificação que já é dada para o desequilíbrio operacional em 15/16, 16/17 e 17/18 (no caso de 15/16 houve a eliminação no play-off, nem chegámos à fase de grupos).
Pelo menos é essa justificação que o @Lion73 dá para o descontrolo operacional nessas épocas. Qual seria o justificação para 18/19?


É por isso que eu faço essa distinção, com LC e sem LC (que não é nem tem sido uma receita garantida), desde a 1ª página do tópico.
Precisar de LC para equilibrar as receitas/gastos operacionais? OK.
Precisar de 1-2 vendas avultadas (cerca de 20M no total) para equilibrar as receitas/gastos operacionais em anos sem LC? OK.
Precisar de LC e mais 1-2 vendas para obter esse equilíbrio? NÃO OK! Não é sustentável e vai dar m**** mais tarde ou mais cedo.

Nem sequer é teoria, deu mesmo m**** na prática, sempre. Deu m**** com o Dias da Cunha, deu m**** com o Godinho e voltou a dar m**** com o Bruno.
A seguir a esse período de descontrolo teve de vir um acerto brusco: o próprio DdC fez o seu próprio ajuste, Bruno ajustou o descontrolo do Godinho e agora o Varandas tem obrigatoriamente de acertar o descontrolo do Bruno. Não há volta a dar.
Não podes retirar a Champions da equação. Porque o Sporting preparou-se para a época sabendo que a teria. Ou na esperança que passava o qualificador.

Esse argumento não me parece correcto porque pressupõe que o Bruno iria baixar 20 ou 30M€ de custos operacionais em 18/19 para compensar a ausência de LC... isto depois de 3 épocas seguidas de pesado aumento de custos operacionais (52M em 14/15 subiu para 110M em 17/18; total de  58M de aumento em 3 anos; média 19M/ano).


Todos sabemos que os custos operacionais iriam continuar descontrolados em 18/19 e a justificação para isso seria a de tentar garantir o acesso à LC da época seguinte, não perder o barco em relação aos rivais, etc... que é igualzinha à justificação que já é dada para o desequilíbrio operacional em 15/16, 16/17 e 17/18 (no caso de 15/16 houve a eliminação no play-off, nem chegámos à fase de grupos).
Pelo menos é essa justificação que o @Lion73 dá para o descontrolo operacional nessas épocas. Qual seria o justificação para 18/19?


É por isso que eu faço essa distinção, com LC e sem LC (que não é nem tem sido uma receita garantida), desde a 1ª página do tópico.
Precisar de LC para equilibrar as receitas/gastos operacionais? OK.
Precisar de 1-2 vendas avultadas (cerca de 20M no total) para equilibrar as receitas/gastos operacionais em anos sem LC? OK.
Precisar de LC e mais 1-2 vendas para obter esse equilíbrio? NÃO OK! Não é sustentável e vai dar m**** mais tarde ou mais cedo.

Nem sequer é teoria, deu mesmo m**** na prática, sempre. Deu m**** com o Dias da Cunha, deu m**** com o Godinho e voltou a dar m**** com o Bruno.
A seguir a esse período de descontrolo teve de vir um acerto brusco: o próprio DdC fez o seu próprio ajuste, Bruno ajustou o descontrolo do Godinho e agora o Varandas tem obrigatoriamente de acertar o descontrolo do Bruno. Não há volta a dar.

Incrivel como se reinventa a história.

O Sporting aumentou e muito os custos operacionais em 16/17 e 17/18 porque no biénio anterior facturou quase 300M e registou um Activo de muitas dezenas de milhões, com muita liquidez, que era a sua margem de segurança caso os objectivos desportivos falhassem.

Continuas a colar a coisa a mandatos anteriores ( que deram prejuizos que somaram 400M desde 1995 a 2013, que registaram a venda de património e a implosão do activo ), com um mandato que deu lucro ( Grupo Sporting )

E no processo, passas ao lado de e tenho que o repetir, de uma época como a que acabou em junho, com os mesmos Custos Operacionais da época 17/18 e com muito menos margem de segurança, devido às rescisões!!

PS

***. E sem a trampa da Champions!
Não podes retirar a Champions da equação. Porque o Sporting preparou-se para a época sabendo que a teria. Ou na esperança que passava o qualificador.

Esse argumento não me parece correcto porque pressupõe que o Bruno iria baixar 20 ou 30M€ de custos operacionais em 18/19 para compensar a ausência de LC... isto depois de 3 épocas seguidas de pesado aumento de custos operacionais (52M em 14/15 subiu para 110M em 17/18; total de  58M de aumento em 3 anos; média 19M/ano).


Todos sabemos que os custos operacionais iriam continuar descontrolados em 18/19 e a justificação para isso seria a de tentar garantir o acesso à LC da época seguinte, não perder o barco em relação aos rivais, etc... que é igualzinha à justificação que já é dada para o desequilíbrio operacional em 15/16, 16/17 e 17/18 (no caso de 15/16 houve a eliminação no play-off, nem chegámos à fase de grupos).
Pelo menos é essa justificação que o @Lion73 dá para o descontrolo operacional nessas épocas. Qual seria o justificação para 18/19?


É por isso que eu faço essa distinção, com LC e sem LC (que não é nem tem sido uma receita garantida), desde a 1ª página do tópico.
Precisar de LC para equilibrar as receitas/gastos operacionais? OK.
Precisar de 1-2 vendas avultadas (cerca de 20M no total) para equilibrar as receitas/gastos operacionais em anos sem LC? OK.
Precisar de LC e mais 1-2 vendas para obter esse equilíbrio? NÃO OK! Não é sustentável e vai dar m**** mais tarde ou mais cedo.

Nem sequer é teoria, deu mesmo m**** na prática, sempre. Deu m**** com o Dias da Cunha, deu m**** com o Godinho e voltou a dar m**** com o Bruno.
A seguir a esse período de descontrolo teve de vir um acerto brusco: o próprio DdC fez o seu próprio ajuste, Bruno ajustou o descontrolo do Godinho e agora o Varandas tem obrigatoriamente de acertar o descontrolo do Bruno. Não há volta a dar.

Eu já tinha dito que havia pouco a fazer nesta discussão. Tu acreditas nisso, força!

Agora a insistencia em alguns "chavões" é que já me parece mais uma tentativa de evangilização nas tuas teorias, e de dois em dois dias repetes as mesmas "certezas" só para garantir que ninguém se esquece(?).

Não há nada de remotamente parecido entre a politica financeira (e outras...) de Godinho Lopes com a de BdC.
Não há nada de remotamente comparável entre os resultados financeiros de um e de outro.
Não há comparação possivel entre as estratégias defendidas pelas duas direcções.
E mais importante, não há absolutamente nenhuma semelhança entre aquilo que BdC tinha para trabalhar quando chegou, com todos os recursos que existem atualmente no Sporting.
...ou exisitiam, porque aos poucos alguém está a trabalhar "arduamente" para estes também desaparecerem...
De acordo com vocês, houve estratégias desportivas diferentes, estratégias financeiras diferentes, opções diferentes, contextos diferentes, competências diferentes... pelos vistos foi tudo diferente. (perfeito, até ajuda o meu argumento)

Ok, vamos assumir que sim, foi tudo diferente. Mas há algo que foi igual e que não há volta a dar: o prejuízo operacional sem LC são semelhantes com o Dias da Cunha (início do mandato), Godinho e Bruno (meio+final do mandato). Todos eles optaram por um caminho diferente e tomaram opções diferentes que levavam a buracos operacionais significativos e que não davam para tapar apenas com a presença na LC (mesmo em anos que nem sequer tiveram na LC).
No país das maravilhas, onde se gasta muito mais do que aquilo que se tem, porque o CD do momento se considera "mais competente e rigoroso do que todos os anteriores e desta vez vai haver critério que não houve anteriormente", que tudo vai correr lindamente, se vai entrar na LC e que é só vender um Slimani ou João Mário todos os anos para tapar o buraco operacional dessa época... enfim.


É portanto com imensa naturalidade que, sem excepção, a seguir a esses 3 períodos de descontrolo de custos operacionais, seguiu-se sempre um período de forte reajuste financeiro. Sem falha. Agora cabe ao Varandas fazer esse reajuste financeiro já este ano, não há outra alternativa... para o bem dele e de todos.
 

E apesar do descontrolo de custos (numa tentativa de recuperar competitividade face aos rivais e iniciar o tal ciclo de vitórias que iria resolver todos os problemas) a única vez que resultou em algum sucesso desportivo a sério foi em 2002, com a conquista do campeonato.
Dar tudo em 2-3 épocas para depois ficar afastado da luta durante várias épocas não pode ser o caminho e já era altura de todos terem aprendido os erros do passado.
« Última modificação: Setembro 13, 2019, 17:50 pm por Legraph »
De acordo com vocês, houve estratégias desportivas diferentes, estratégias financeiras diferentes, opções diferentes, contextos diferentes, competências diferentes... pelos vistos foi tudo diferente. (perfeito, até ajuda o meu argumento)

Ok, vamos assumir que sim, foi tudo diferente. Mas há algo que foi igual e que não há volta a dar: o prejuízo operacional sem LC são semelhantes com o Dias da Cunha (início do mandato), Godinho e Bruno (meio+final do mandato). Todos eles optaram por um caminho e tomaram opções que levavam a buracos operacionais significativos e que não davam para tapar apenas com a presença na LC (mesmo em anos que nem sequer tiveram na LC).

E, sem excepção, a seguir a esses 3 períodos de descontrolo de custos operacionais, seguiu-se sempre um período de forte reajuste financeiro. Sem falha. Agora cabe ao Varandas fazer esse reajuste financeiro já este ano, não há outra alternativa... para o bem dele e de todos.
 
E apesar do descontrolo de custos, numa tentativa de recuperar competitividade face aos rivais, a única vez que resultou em algum sucesso desportivo a sério foi em 2002, com a conquista do campeonato.
Dar tudo em 2-3 épocas para depois ficar afastado da luta durante várias épocas não pode ser o caminho e já era altura de todos terem aprendido os erros do passado.

O que tens é um clube que se afastou cada vez mais dos rivais, a 20, 30 e 40 pontos do 1º,  com prejuizos galopantes, com património esvaziado.

Continuas a comparar coisas incomparáveis e bater na porcaria dos RO! O Sporting tinha que diminuir o fosso, de se deixar de comodismos e de discursos miserabilistas e fê-lo de forma responsável ( porque gerou receitas e porque desta vez tinha activos ).
De acordo com vocês, houve estratégias desportivas diferentes, estratégias financeiras diferentes, opções diferentes, contextos diferentes, competências diferentes... pelos vistos foi tudo diferente. (perfeito, até ajuda o meu argumento)

Ok, vamos assumir que sim, foi tudo diferente. Mas há algo que foi igual e que não há volta a dar: o prejuízo operacional sem LC são semelhantes com o Dias da Cunha (início do mandato), Godinho e Bruno (meio+final do mandato). Todos eles optaram por um caminho e tomaram opções que levavam a buracos operacionais significativos e que não davam para tapar apenas com a presença na LC (mesmo em anos que nem sequer tiveram na LC).

E, sem excepção, a seguir a esses 3 períodos de descontrolo de custos operacionais, seguiu-se sempre um período de forte reajuste financeiro. Sem falha. Agora cabe ao Varandas fazer esse reajuste financeiro já este ano, não há outra alternativa... para o bem dele e de todos.
 
E apesar do descontrolo de custos, numa tentativa de recuperar competitividade face aos rivais, a única vez que resultou em algum sucesso desportivo a sério foi em 2002, com a conquista do campeonato.
Dar tudo em 2-3 épocas para depois ficar afastado da luta durante várias épocas não pode ser o caminho e já era altura de todos terem aprendido os erros do passado.

O que tens é um clube que se afastou cada vez mais dos rivais, a 20, 30 e 40 pontos do 1º,  com prejuizos galopantes, com património esvaziado.

Continuas a comparar coisas incomparáveis e bater na porcaria dos RO! O Sporting tinha que diminuir o fosso, de se deixar de comodismos e de discursos miserabilistas e fê-lo de forma responsável ( porque gerou receitas e porque desta vez tinha activos ).

Não foi responsável em nenhum dos 3 casos que mencionei, que é desde que existe Sporting SAD e RC publicos para consulta. As evidências estão aí.

Repara que desde o início que eu disse compreender as justificações que levaram a essa estratégia de risco elevado de descontrolo de receitas/custos operacionais. É facílimo de compreender: é óbvio que esses 3 presidentes achavam que eles tinham a fórmula do sucesso financeiro e desportivo, em épocas com enormes prejuízos operacionais. Onde os antecessores tinham falhado, eles iriam suceder, porque iam fazer X, Y e Z de diferente... e também tinham de fazer isso porque os rivais estavam fortes/fracas e esse era o momento para agir. Isso é óbvio.

As estratégias com descontrolo operacional foram aplicadas e o resultado final está aí para análise:
- não resultou em sucesso desportivo estrutural (Dias da Cunha foi campeão 1 vez e depois teve de baixar custos);
- obrigou a anos seguintes de forte reequilíbrio financeiro que nos afastaram da disputa durante uns anos.


Portanto, aquilo que eu espero deste CD do Varandas, é que aprenda com os erros do passado e que quebre o ciclo. Faça as escolhas que bem entender e siga o caminho que quiser, mas que o faça com equilíbrio orçamental e que não gaste o que não tem!
É só isso que eu peço.

Se, além disso, o Varandas tiver sucesso desportivo, perfeito!
Se for só mais outro presidente sem sucesso desportivo, então que perca nas urnas e dê o lugar a outro e que o novo presidente entre no Sporting com um orçamento equilibrado sem necessidade de vários anos de reequilíbrio orçamental.
« Última modificação: Setembro 13, 2019, 18:09 pm por Legraph »
Tendo em conta o histórico recente (cortado da forma que quiseres) não vejo como provável (acima de 50%) que o Sporting chegue à LC em anos em que Portugal só coloca 2 equipas na LC.
Não é como eu quero, é para ter lógica e números finais levarem a conclusões válidas e úteis (fundamental em estatística). Recomendo-te leres o "How to lie with statistics" para perceberes do que falo.
De qualquer maneira, se estás à espera de 50% de 2os lugares depois de vires de um 7o lugar, estamos conversados.

No entanto, tendo acesso às pré-eliminatórias da LC 21/22 (através do 3º lugar em 20/21), tens um verão inteiro para investir na equipa à semelhança do que o Porto fez este ano (o erro do Porto foi ter finalizado as contratações muito tarde... se a pré-eliminatória fosse hoje acredito que teriam chegado à fase de grupos).

Investir antes de teres a passagem garantida? Isso parece-me uma estratégia arriscada, algo que tens criticado fortemente (diria que é O argumento). Para ti, isto já seria justificável porque com este investimento o Sporting teria óptimas chances de eliminar o 2o classificado de ligas periféricas/secundárias.
Mais uma vez vejo aqui 2 incongruências (que reforçam esta crença cega na competência da direção na área do futebol):
  • Sporting tem "obrigação" de vencer estes adversários devido à sua qualidade
  • Sporting consegue melhorar o plantel com o tal investimento de dinheiro que ainda nem recebemos

Relativamente ao ponto 1, historicamente Sporting tem tido muitas dificuldades em passar a pré-eliminatória da Champions (pasme-se, com equipas russas até!). O histórico recente (desde saída de JJ) mostra também incapacidade  para vencer equipas mais fortes: Arsenal e Villareal (forte entre muitas aspas) na LE, Liverpool e Brugge (ainda mais aspas) na pré-época. Portanto, aqui os teus 50% (dos 2os lugares) já não se aplicam.

No ponto 2 eu estaria muito relutante (e estou a ser simpático) em dar dinheiro para a mão dos artistas que nos brindaram com este último mercado de transferências. Achar que eles nos vão conseguir dotar de uma muito melhor equipa por terem mais dinheiro para investir (com o tal risco) é de uma crença tremenda, que mais uma vez choca com os requisitos dos 2os lugares. Aqui também não se pede um histórico de 50% de contratações, vendas e dispensas acertadas...
De acordo com vocês, houve estratégias desportivas diferentes, estratégias financeiras diferentes, opções diferentes, contextos diferentes, competências diferentes... pelos vistos foi tudo diferente. (perfeito, até ajuda o meu argumento)

Ok, vamos assumir que sim, foi tudo diferente. Mas há algo que foi igual e que não há volta a dar: o prejuízo operacional sem LC são semelhantes com o Dias da Cunha (início do mandato), Godinho e Bruno (meio+final do mandato). Todos eles optaram por um caminho e tomaram opções que levavam a buracos operacionais significativos e que não davam para tapar apenas com a presença na LC (mesmo em anos que nem sequer tiveram na LC).

E, sem excepção, a seguir a esses 3 períodos de descontrolo de custos operacionais, seguiu-se sempre um período de forte reajuste financeiro. Sem falha. Agora cabe ao Varandas fazer esse reajuste financeiro já este ano, não há outra alternativa... para o bem dele e de todos.
 
E apesar do descontrolo de custos, numa tentativa de recuperar competitividade face aos rivais, a única vez que resultou em algum sucesso desportivo a sério foi em 2002, com a conquista do campeonato.
Dar tudo em 2-3 épocas para depois ficar afastado da luta durante várias épocas não pode ser o caminho e já era altura de todos terem aprendido os erros do passado.

O que tens é um clube que se afastou cada vez mais dos rivais, a 20, 30 e 40 pontos do 1º,  com prejuizos galopantes, com património esvaziado.

Continuas a comparar coisas incomparáveis e bater na porcaria dos RO! O Sporting tinha que diminuir o fosso, de se deixar de comodismos e de discursos miserabilistas e fê-lo de forma responsável ( porque gerou receitas e porque desta vez tinha activos ).

Não foi responsável em nenhum dos 3 casos que mencionei, que é desde que existe Sporting SAD e RC publicos para consulta. As evidências estão aí.

Repara que desde o início que eu disse compreender as justificações que levaram a essa estratégia de risco elevado de descontrolo de receitas/custos operacionais. É facílimo de compreender: é óbvio que esses 3 presidentes achavam que eles tinham a fórmula do sucesso financeiro e desportivo, em épocas com enormes prejuízos operacionais. Onde os antecessores tinham falhado, eles iriam suceder, porque iam fazer X, Y e Z de diferente... e também tinham de fazer isso porque os rivais estavam fortes/fracas e esse era o momento para agir. Isso é óbvio.

As estratégias com descontrolo operacional foram aplicadas e o resultado final está aí para análise:
- não resultou em sucesso desportivo estrutural (Dias da Cunha foi campeão 1 vez e depois teve de baixar custos);
- obrigou a anos seguintes de forte reequilíbrio financeiro que nos afastaram da disputa durante uns anos.


Portanto, aquilo que eu espero deste CD do Varandas, é que aprenda com os erros do passado e que quebre o ciclo. Faça as escolhas que bem entender e siga o caminho que quiser, mas que o faça com equilíbrio orçamental e que não gaste o que não tem!
É só isso que eu peço.

Se, além disso, o Varandas tiver sucesso desportivo, perfeito!
Se for só mais outro presidente sem sucesso desportivo, então que o senhor que se segue entre no Sporting e tenha um orçamento equilibrado sem necessidade de vários anos de reequilíbrio orçamental.

Arre.

E continuas.

Portanto pegas num contexto de guerra institucional ( e não quero saber agora das culpas de x e y, que nada teve a ver coma gestão desportiva e financeira ), de um ataque à Academia, das rescisões, do bloqueio financeiro do clube e no processo a queda da renegociação financeira que permitia a recompra das VMOCs ( e o fim de alguns pressupostos como contas reserva, obrigatoriedade de entregar à banca x nas mais valias de atletas, etc ) para daí enquadrares a coisa num suposto paradigma.

Factos:

1- O Grupo Sporting deu prejuizo de 400M de 1995 a 2013.

2- De 2013 a 2018, deu lucro. Mesmo com o bloqueio e a ataque a activos no fim da época 2017/2018.

Era preciso reajustar após o falhanço da Champions ( e retiremos ALcochete da equação por ser um imponderável )? E? Qual o problema? Não tinhas que o fazer com base em receitas operacionais de 40M mas sim do dobro e não tinhas activos desvalorizados dos quais detinhas 30%, 40% e 50%.

Quanto a Varandas, já deu para ver e mediante as opções tomadas, na incapacidade de trazer valor para dentro do clube. Massa salarial quase o triplo face a 2013, dezenas de milhões gastos e nenhuma mais valia desportiva, até ver.

Realmente Alcochete deu muito jeito a muitas narrativas.
Tendo em conta o histórico recente (cortado da forma que quiseres) não vejo como provável (acima de 50%) que o Sporting chegue à LC em anos em que Portugal só coloca 2 equipas na LC.
Não é como eu quero, é para ter lógica e números finais levarem a conclusões válidas e úteis (fundamental em estatística). Recomendo-te leres o "How to lie with statistics" para perceberes do que falo.
De qualquer maneira, se estás à espera de 50% de 2os lugares depois de vires de um 7o lugar, estamos conversados.

Não entendo porque é que estás a confundir coisas.
- Falei em 10 anos e tu criticaste os 10 anos. Repito, escolhe outro número qualquer de últimos anos (ou mandatos), que vai dar ao mesmo e não muda absolutamente nada do que eu disse.
- deste um exemplo de anos (a retirar 1 ano lá do meio do histórico que não te convém) e mesmo assim chegas à conclusão que eu tinha dito, ou seja, que historicamente não é provavel que o Sporting consiga o acesso à LC em anos em que Portugal só tem 2 equipas portanto não é prudente estar a fazer contas que vai acontecer o contrário.
- 2º lugar depois de vir de 7º lugar? Eu não falei em nada disso, estás a viajar.

No entanto, tendo acesso às pré-eliminatórias da LC 21/22 (através do 3º lugar em 20/21), tens um verão inteiro para investir na equipa à semelhança do que o Porto fez este ano (o erro do Porto foi ter finalizado as contratações muito tarde... se a pré-eliminatória fosse hoje acredito que teriam chegado à fase de grupos).

Investir antes de teres a passagem garantida? Isso parece-me uma estratégia arriscada, algo que tens criticado fortemente (diria que é O argumento). Para ti, isto já seria justificável porque com este investimento o Sporting teria óptimas chances de eliminar o 2o classificado de ligas periféricas/secundárias.
Outra vez a confundir coisas. Para quê isso? Deixa-te disso.

- nunca disse aqui no tópico que sou contra reforçar a equipa;
- nunca disse aqui no tópico que sou contra prejuízos líquidos (ainda para mais quando é para aumentar a competitividade da equipa em anos de LC);
- também nunca disse aqui no tópico que sou contra aumento de custos operacionais seja em que ano for, na condição dos mesmos serem cobertos com presença na LC ou vendas de 1-2 jogadores, mas nunca ser necessário ambas as coisas;
- o que tenho dito aqui é que sou contra estas estratégias de grandes prejuízos operacionais.
- até dei o exemplo do Porto, que gastou 60M€ em jogadores neste verão para tentar garantir o acesso à fase de grupos e foi a estratégia correcta neste verão (o erro foi tê-lo feito tarde demais e equipa não teve tempo de se adaptar). A crítica que fiz ao Porto não está relacionada com isso, mas sim por andar há 10+ anos com avultados prejuízos operacionais.


Coerência constante, porque é esse o caminho em que acredito.
Até já fui atacado de estar a bater na tecla dos resultados operacionais por outros users e mesmo assim sais-te com essa confusão agora... enfim.
Não há mal em discordarmos, a vida é mesmo assim, mas não é preciso colocar palavras na boca dos outros. Relax.


Relativamente ao ponto 1, historicamente Sporting tem tido muitas dificuldades em passar a pré-eliminatória da Champions (pasme-se, com equipas russas até!). O histórico recente (desde saída de JJ) mostra também incapacidade  para vencer equipas mais fortes: Arsenal e Villareal (forte entre muitas aspas) na LE, Liverpool e Brugge (ainda mais aspas) na pré-época. Portanto, aqui os teus 50% (dos 2os lugares) já não se aplicam.
Mais confusão...
Eu falei em não ser provável (mais de 50%) o Sporting chegar ao 2º lugar em anos que Portugal só coloca 2 equipas na LC porque historicamente isso não costuma acontecer (e além disso o plantel actual é muito inferior ao dos rivais).
Não tem nada a ver com possíveis adversários do play-off na LC 21/22, muito menos equipas da Liga Europa ou de pré-época.
ainda vão vender a academia antes de acabarem com SAD.
Leram aqui primeiro.
adoro ver tudo a arder.
o Sporting pode acabar. Mas pelo menos eu posso dizer q sempre tive razao.

adoro ver o substituto do careca moderado a ser corrigido a cada post e a voltar com o mesmo discurso.

é mesmo a politico manhoso. nao importa o q lhe perguntam, nao importa o contexto.

Ele nao esta aqui pra discutir ou argumentar.
Esta a aqui pra disseminar a mentira.

Se o forum nao é representativo do Sporting porque é q se preocupam tanto com as opinioes expostas aqui? Ao ponto de passarem vergonha atras de vergonha.

Deixa arder!!
#NasciLeaoNaoNasciLampiao
Que obrigações financeiras tinha a Direção actual quando entrou? falou-se de uma valor de 40.000.000.00€ a entregar aos bancos, qual a sua veracidade e para quê?
Porque nunca apareceu nas cartas de rescisões atraso nos vencimentos?
Quantas vezes durante o ano o Clube tem de apresentar contas?
O adiatamento dos 65m€ da Appolo foi avante? Se sim, para quê?
E o contrato da Nos?