Cláudia Lopes assume departamento de comunicação do Sporting

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Quando anunciaram achei uma solução estranha... Pessoas "populares" neste tipo de cargos é sempre estranho a meu ver, depois, sai de um canal com os vícios que tem, se bem, que fazia parte talvez do programa desportivo mais positivo da televisão portuguesa.

Após ouvir as palavras dela fiquei convencido, creio que as razões certas a levaram a aceitar este desafio no nosso clube e acho que ela tem uma atitude super positiva, quero realmente ver como vamos comunicar a partir de agora, já chega de amadorismo e do constante maldizer/ataques do passado. É sempre de saudar termos mulheres no desporto, em especial no futebol, que se f*** o patriarcado!
vamos comunicar como o presidente quer e a imagem do varandas vamos dar-nos bem com todos e ser amiguinhos de todos mas vamos ter elegância a falar

Tens saudades do Saraiva é?
Eu sinceramente espero que haja sempre um ambiente positivo no desporto, de respeito e competição séria, de circos e show of estou bastante farto.

Mas o circo e as aldrabices acabam se fingirmos que não existem?
para as pessoas com glamur e educadas e finas que sabem receber bem nada existe para além folclore. para outros que vem a podridão de futebol que temos a corrupção que temos é que amamos o clube já não somos educados nem temos glamour. Eu quero lá ser educado e receber bem os outros clubes. Eu quero e ganhar e se for preciso falar em nádegas na comunicação que falem que estou me a lixar para isso

Fingir que não existem também é deixar de ter princípios... Obvio que não isso que se pede, mas não é o Sporting nem nenhum clube que tem que julgar, investigar ou denunciar o comportamento dos outros. Há entidades que servem para esse efeito temos é que ter a certeza que funcionam e isso não é um trabalho da comunicação do clube, é um trabalho da direção e do departamento jurídico.
Não é o clube que tem de julgar ou investigar, mas tem o dever de denunciar o comportamento dos outros. Pergunto o que é que foi feito em relação às claques ilegais dos rabolhos pelas entidades competentes. Quantos jogos à porta fechada, quantas sanções por terem assassinado adeptos do Sporting. A comunicação do Clube serve e deve denunciar TUDO aquilo que prejudique o Clube. Nisso quem me dera a mim ter uma comunicação como a dos fruteiros, do que uma comunicação cheia de princípios e glamour, isso funcionaria num futebol onde se respeitassem as regras e onde todos os clubes fossem tratados por igual, não o sendo e sendo os rabolhos os principais beneficiados do sistema, nada como ter uns cornos mansos deste lado.  E não..não tenho saudades do Saraiva, pelo menos daquele respondia a tudo e a todos sem critério, porque quando iniciou funções foi assertivo em algumas intervenções, depois esvaziou ele próprio o seu cargo. SL

Eu percebo e respeito o teu ponto de vista, mas nenhum clube pode ter esse poder ou moral de ser mais que os outros ao ponto de se armar em autoritário. Podes denunciar situações às autoridades competentes mas não adianta nada mandar postas para se venderem jornais e incendiarem-se opiniões entre adeptos.
Se calhar a minha ideia é utópica, aceito isso, mas se o desporto em Portugal é um lugar podre espero sempre que eu e o meu clube tente contribuir para que seja menos. Acho que existe todo um patamar de competência desportiva/administrativa que temos que ultrapassar e melhorar, que é mais importante que essa comunicação de esgoto que ninguém que goste realmente do do jogo pode gostar e/ou aceitar.
Sim. Os males do futebol português são a comunicação e as postas de pescada. Com tudo o que se tem passado, o controlo da CS, da justiça, da Liga e Federação, isso já nem é utopia. É enterrar a cabeça na areia.

O que é que o clube pode fazer ou fez com resultados práticos que possa mudar ou mudou alguma coisa nessas entidades pela comunicação?
Só assim de cabeça e graças à divulgação dos emails pela comunicação social :demissão de Horácio periquito do CF da federação, acusação a José Augusto Silva e Júlio Loureiro, oficiais de justiça e Paulo Gonçalves, assessor jurídico dos rabolhos além da própria SAD rabolha no âmbito do processo e-toupeira, caso Nuno Cabral, apoio encapotado às claques ilegais dos rabolhos, inação das entidades competentes em tudo aquilo que envolveu as claques dos rabolhos. E podia ficar aqui o dia todo. Isto hoje em dia está bom é para croquettes e lampiões infiltrados, pouco se distinguem uns dos outros. 
Quando anunciaram achei uma solução estranha... Pessoas "populares" neste tipo de cargos é sempre estranho a meu ver, depois, sai de um canal com os vícios que tem, se bem, que fazia parte talvez do programa desportivo mais positivo da televisão portuguesa.

Após ouvir as palavras dela fiquei convencido, creio que as razões certas a levaram a aceitar este desafio no nosso clube e acho que ela tem uma atitude super positiva, quero realmente ver como vamos comunicar a partir de agora, já chega de amadorismo e do constante maldizer/ataques do passado. É sempre de saudar termos mulheres no desporto, em especial no futebol, que se f*** o patriarcado!
vamos comunicar como o presidente quer e a imagem do varandas vamos dar-nos bem com todos e ser amiguinhos de todos mas vamos ter elegância a falar

Tens saudades do Saraiva é?
Eu sinceramente espero que haja sempre um ambiente positivo no desporto, de respeito e competição séria, de circos e show of estou bastante farto.

Mas o circo e as aldrabices acabam se fingirmos que não existem?
para as pessoas com glamur e educadas e finas que sabem receber bem nada existe para além folclore. para outros que vem a podridão de futebol que temos a corrupção que temos é que amamos o clube já não somos educados nem temos glamour. Eu quero lá ser educado e receber bem os outros clubes. Eu quero e ganhar e se for preciso falar em nádegas na comunicação que falem que estou me a lixar para isso

Fingir que não existem também é deixar de ter princípios... Obvio que não isso que se pede, mas não é o Sporting nem nenhum clube que tem que julgar, investigar ou denunciar o comportamento dos outros. Há entidades que servem para esse efeito temos é que ter a certeza que funcionam e isso não é um trabalho da comunicação do clube, é um trabalho da direção e do departamento jurídico.
Não é o clube que tem de julgar ou investigar, mas tem o dever de denunciar o comportamento dos outros. Pergunto o que é que foi feito em relação às claques ilegais dos rabolhos pelas entidades competentes. Quantos jogos à porta fechada, quantas sanções por terem assassinado adeptos do Sporting. A comunicação do Clube serve e deve denunciar TUDO aquilo que prejudique o Clube. Nisso quem me dera a mim ter uma comunicação como a dos fruteiros, do que uma comunicação cheia de princípios e glamour, isso funcionaria num futebol onde se respeitassem as regras e onde todos os clubes fossem tratados por igual, não o sendo e sendo os rabolhos os principais beneficiados do sistema, nada como ter uns cornos mansos deste lado.  E não..não tenho saudades do Saraiva, pelo menos daquele respondia a tudo e a todos sem critério, porque quando iniciou funções foi assertivo em algumas intervenções, depois esvaziou ele próprio o seu cargo. SL

Eu percebo e respeito o teu ponto de vista, mas nenhum clube pode ter esse poder ou moral de ser mais que os outros ao ponto de se armar em autoritário. Podes denunciar situações às autoridades competentes mas não adianta nada mandar postas para se venderem jornais e incendiarem-se opiniões entre adeptos.
Se calhar a minha ideia é utópica, aceito isso, mas se o desporto em Portugal é um lugar podre espero sempre que eu e o meu clube tente contribuir para que seja menos. Acho que existe todo um patamar de competência desportiva/administrativa que temos que ultrapassar e melhorar, que é mais importante que essa comunicação de esgoto que ninguém que goste realmente do do jogo pode gostar e/ou aceitar.
Sim. Os males do futebol português são a comunicação e as postas de pescada. Com tudo o que se tem passado, o controlo da CS, da justiça, da Liga e Federação, isso já nem é utopia. É enterrar a cabeça na areia.

O que é que o clube pode fazer ou fez com resultados práticos que possa mudar ou mudou alguma coisa nessas entidades pela comunicação?
Só assim de cabeça e graças à divulgação dos emails pela comunicação social :demissão de Horácio periquito do CF da federação, acusação a José Augusto Silva e Júlio Loureiro, oficiais de justiça e Paulo Gonçalves, assessor jurídico dos rabolhos além da própria SAD rabolha no âmbito do processo e-toupeira, caso Nuno Cabral, apoio encapotado às claques ilegais dos rabolhos, inação das entidades competentes em tudo aquilo que envolveu as claques dos rabolhos. E podia ficar aqui o dia todo. Isto hoje em dia está bom é para croquettes e lampiões infiltrados, pouco se distinguem uns dos outros.

Desses teus assuntos, quais deram em reais condenações? Não será mais importante garantir e pressionar os serviços para que funcionem que apenas denunciar questões que fazem correr muita tinta mas na pratica não dão em nada?
"há treino todos os dias"
Quando anunciaram achei uma solução estranha... Pessoas "populares" neste tipo de cargos é sempre estranho a meu ver, depois, sai de um canal com os vícios que tem, se bem, que fazia parte talvez do programa desportivo mais positivo da televisão portuguesa.

Após ouvir as palavras dela fiquei convencido, creio que as razões certas a levaram a aceitar este desafio no nosso clube e acho que ela tem uma atitude super positiva, quero realmente ver como vamos comunicar a partir de agora, já chega de amadorismo e do constante maldizer/ataques do passado. É sempre de saudar termos mulheres no desporto, em especial no futebol, que se f*** o patriarcado!
vamos comunicar como o presidente quer e a imagem do varandas vamos dar-nos bem com todos e ser amiguinhos de todos mas vamos ter elegância a falar

Tens saudades do Saraiva é?
Eu sinceramente espero que haja sempre um ambiente positivo no desporto, de respeito e competição séria, de circos e show of estou bastante farto.

Mas o circo e as aldrabices acabam se fingirmos que não existem?
para as pessoas com glamur e educadas e finas que sabem receber bem nada existe para além folclore. para outros que vem a podridão de futebol que temos a corrupção que temos é que amamos o clube já não somos educados nem temos glamour. Eu quero lá ser educado e receber bem os outros clubes. Eu quero e ganhar e se for preciso falar em nádegas na comunicação que falem que estou me a lixar para isso

Fingir que não existem também é deixar de ter princípios... Obvio que não isso que se pede, mas não é o Sporting nem nenhum clube que tem que julgar, investigar ou denunciar o comportamento dos outros. Há entidades que servem para esse efeito temos é que ter a certeza que funcionam e isso não é um trabalho da comunicação do clube, é um trabalho da direção e do departamento jurídico.
Não é o clube que tem de julgar ou investigar, mas tem o dever de denunciar o comportamento dos outros. Pergunto o que é que foi feito em relação às claques ilegais dos rabolhos pelas entidades competentes. Quantos jogos à porta fechada, quantas sanções por terem assassinado adeptos do Sporting. A comunicação do Clube serve e deve denunciar TUDO aquilo que prejudique o Clube. Nisso quem me dera a mim ter uma comunicação como a dos fruteiros, do que uma comunicação cheia de princípios e glamour, isso funcionaria num futebol onde se respeitassem as regras e onde todos os clubes fossem tratados por igual, não o sendo e sendo os rabolhos os principais beneficiados do sistema, nada como ter uns cornos mansos deste lado.  E não..não tenho saudades do Saraiva, pelo menos daquele respondia a tudo e a todos sem critério, porque quando iniciou funções foi assertivo em algumas intervenções, depois esvaziou ele próprio o seu cargo. SL

Eu percebo e respeito o teu ponto de vista, mas nenhum clube pode ter esse poder ou moral de ser mais que os outros ao ponto de se armar em autoritário. Podes denunciar situações às autoridades competentes mas não adianta nada mandar postas para se venderem jornais e incendiarem-se opiniões entre adeptos.
Se calhar a minha ideia é utópica, aceito isso, mas se o desporto em Portugal é um lugar podre espero sempre que eu e o meu clube tente contribuir para que seja menos. Acho que existe todo um patamar de competência desportiva/administrativa que temos que ultrapassar e melhorar, que é mais importante que essa comunicação de esgoto que ninguém que goste realmente do do jogo pode gostar e/ou aceitar.
Sim. Os males do futebol português são a comunicação e as postas de pescada. Com tudo o que se tem passado, o controlo da CS, da justiça, da Liga e Federação, isso já nem é utopia. É enterrar a cabeça na areia.

O que é que o clube pode fazer ou fez com resultados práticos que possa mudar ou mudou alguma coisa nessas entidades pela comunicação?
Só assim de cabeça e graças à divulgação dos emails pela comunicação social :demissão de Horácio periquito do CF da federação, acusação a José Augusto Silva e Júlio Loureiro, oficiais de justiça e Paulo Gonçalves, assessor jurídico dos rabolhos além da própria SAD rabolha no âmbito do processo e-toupeira, caso Nuno Cabral, apoio encapotado às claques ilegais dos rabolhos, inação das entidades competentes em tudo aquilo que envolveu as claques dos rabolhos. E podia ficar aqui o dia todo. Isto hoje em dia está bom é para croquettes e lampiões infiltrados, pouco se distinguem uns dos outros.
Desses teus assuntos, quais deram em reais condenações? Não será mais importante garantir e pressionar os serviços para que funcionem que apenas denunciar questões que fazem correr muita tinta mas na pratica não dão em nada?
Presumo que a ingenuidade, talvez fruto da juventude, não dê para alcançar mais, até porque hoje em dia é difícil de distinguir, como já referi, um infiltrado de um croquette, porque ambos se cruzam na mesma linha de pensamento, se bem que os segundos gostam de ser sodomizados enquanto mostram boas maneiras. De qualquer forma com ou sem condenação, o que é factual é que os elementos acima descritos tiveram de interromper as suas práticas, o que por si só é bem melhor do que a situação anterior, mesmo não sendo significativa para mudar o estado das coisas. Aqueles que se dão ao trabalho de escrever mais de duas linhas para defender a inércia relativamente a assuntos criminosos dum clube que é o principal causador do lodo em que o futebol português e imprensa desportiva, por mim está mais do que apresentado. SL 
Quando anunciaram achei uma solução estranha... Pessoas "populares" neste tipo de cargos é sempre estranho a meu ver, depois, sai de um canal com os vícios que tem, se bem, que fazia parte talvez do programa desportivo mais positivo da televisão portuguesa.

Após ouvir as palavras dela fiquei convencido, creio que as razões certas a levaram a aceitar este desafio no nosso clube e acho que ela tem uma atitude super positiva, quero realmente ver como vamos comunicar a partir de agora, já chega de amadorismo e do constante maldizer/ataques do passado. É sempre de saudar termos mulheres no desporto, em especial no futebol, que se f*** o patriarcado!
vamos comunicar como o presidente quer e a imagem do varandas vamos dar-nos bem com todos e ser amiguinhos de todos mas vamos ter elegância a falar

Tens saudades do Saraiva é?
Eu sinceramente espero que haja sempre um ambiente positivo no desporto, de respeito e competição séria, de circos e show of estou bastante farto.

Mas o circo e as aldrabices acabam se fingirmos que não existem?
para as pessoas com glamur e educadas e finas que sabem receber bem nada existe para além folclore. para outros que vem a podridão de futebol que temos a corrupção que temos é que amamos o clube já não somos educados nem temos glamour. Eu quero lá ser educado e receber bem os outros clubes. Eu quero e ganhar e se for preciso falar em nádegas na comunicação que falem que estou me a lixar para isso

Fingir que não existem também é deixar de ter princípios... Obvio que não isso que se pede, mas não é o Sporting nem nenhum clube que tem que julgar, investigar ou denunciar o comportamento dos outros. Há entidades que servem para esse efeito temos é que ter a certeza que funcionam e isso não é um trabalho da comunicação do clube, é um trabalho da direção e do departamento jurídico.
Não é o clube que tem de julgar ou investigar, mas tem o dever de denunciar o comportamento dos outros. Pergunto o que é que foi feito em relação às claques ilegais dos rabolhos pelas entidades competentes. Quantos jogos à porta fechada, quantas sanções por terem assassinado adeptos do Sporting. A comunicação do Clube serve e deve denunciar TUDO aquilo que prejudique o Clube. Nisso quem me dera a mim ter uma comunicação como a dos fruteiros, do que uma comunicação cheia de princípios e glamour, isso funcionaria num futebol onde se respeitassem as regras e onde todos os clubes fossem tratados por igual, não o sendo e sendo os rabolhos os principais beneficiados do sistema, nada como ter uns cornos mansos deste lado.  E não..não tenho saudades do Saraiva, pelo menos daquele respondia a tudo e a todos sem critério, porque quando iniciou funções foi assertivo em algumas intervenções, depois esvaziou ele próprio o seu cargo. SL

Eu percebo e respeito o teu ponto de vista, mas nenhum clube pode ter esse poder ou moral de ser mais que os outros ao ponto de se armar em autoritário. Podes denunciar situações às autoridades competentes mas não adianta nada mandar postas para se venderem jornais e incendiarem-se opiniões entre adeptos.
Se calhar a minha ideia é utópica, aceito isso, mas se o desporto em Portugal é um lugar podre espero sempre que eu e o meu clube tente contribuir para que seja menos. Acho que existe todo um patamar de competência desportiva/administrativa que temos que ultrapassar e melhorar, que é mais importante que essa comunicação de esgoto que ninguém que goste realmente do do jogo pode gostar e/ou aceitar.
Sim. Os males do futebol português são a comunicação e as postas de pescada. Com tudo o que se tem passado, o controlo da CS, da justiça, da Liga e Federação, isso já nem é utopia. É enterrar a cabeça na areia.

O que é que o clube pode fazer ou fez com resultados práticos que possa mudar ou mudou alguma coisa nessas entidades pela comunicação?
Só assim de cabeça e graças à divulgação dos emails pela comunicação social :demissão de Horácio periquito do CF da federação, acusação a José Augusto Silva e Júlio Loureiro, oficiais de justiça e Paulo Gonçalves, assessor jurídico dos rabolhos além da própria SAD rabolha no âmbito do processo e-toupeira, caso Nuno Cabral, apoio encapotado às claques ilegais dos rabolhos, inação das entidades competentes em tudo aquilo que envolveu as claques dos rabolhos. E podia ficar aqui o dia todo. Isto hoje em dia está bom é para croquettes e lampiões infiltrados, pouco se distinguem uns dos outros.
Desses teus assuntos, quais deram em reais condenações? Não será mais importante garantir e pressionar os serviços para que funcionem que apenas denunciar questões que fazem correr muita tinta mas na pratica não dão em nada?
Presumo que a ingenuidade, talvez fruto da juventude, não dê para alcançar mais, até porque hoje em dia é difícil de distinguir, como já referi, um infiltrado de um croquette, porque ambos se cruzam na mesma linha de pensamento, se bem que os segundos gostam de ser sodomizados enquanto mostram boas maneiras. De qualquer forma com ou sem condenação, o que é factual é que os elementos acima descritos tiveram de interromper as suas práticas, o que por si só é bem melhor do que a situação anterior, mesmo não sendo significativa para mudar o estado das coisas. Aqueles que se dão ao trabalho de escrever mais de duas linhas para defender a inércia relativamente a assuntos criminosos dum clube que é o principal causador do lodo em que o futebol português e imprensa desportiva, por mim está mais do que apresentado. SL

A sério que não podemos ter duas opiniões distintas? Tenho que ser croquete ou infiltrado? ::)

Como disse anteriormente, compreendo a posição de muitos Sportinguistas acerta das denuncias a rivais, etc. mas não partilho dessa ideia, acho uma m**** para o futebol português.
Acredito que uma boa comunicação da parte do clube se pode superiorizar a tudo isso e levar-nos a um patamar mais alto e espero que seja isso que a Cládia Lopes consiga fazer.
"há treino todos os dias"
Isto até tem uma certa piada. Porque não, não é?
Estou disposto a dar o meu tempo, vida e alma ao Sporting Clube de Portugal, mas têm de estar comigo. Nos últimos dois anos tive duas hipóteses: ou me juntava aos interesses ou a vocês. Escolhi juntar-me a vocês. Agora têm de estar comigo, caso contrário os interesses acabam comigo num instante. - BdC 02/2018
Citar

CLÁUDIA LOPES EM ALVALADE: «NÃO PUDE DIZER QUE NÃO AO DESAFIO DO SPORTING»
SPORTING

Cláudia Lopes é a nova diretora executiva da Sporting Comunicação e Plataformas, passando a liderar a comunicação do clube de Alvalade. 

 «Sou licenciada em marketing e comunicação, pelo que o acidente de percurso na minha vida foi o jornalismo. Não pude dizer que não ao desafio que me foi proposto pelo Sporting Clube de Portugal. Primeiro, porque gosto do meio e o futebol não me é uma coisa estranha. Há um longo caminho a percorrer na comunicação dos clubes para que não seja uma coisa trauliteira ou arruaceira. Acho que se pode defender os interesses da instituição com um outro registo. As pessoas sabem qual é o meu registo, já o conhecem há muitos anos, e não é preciso usarmos armas de arremesso. Sou sempre a favor de um profundo respeito pelo adversário porque se não tivermos grandes adversários não temos grandes vitórias», salientou, citada pelo site dos leões.

 Cláudia Lopes explicou o que a levou a aceitar o desafio lançado pelo Sporting.

 «Para as mulheres, o futebol e o desporto, genericamente, não são muito favoráveis. Ter um convite destes, enquanto mulher, também pesou. Dentro do futebol, a carreira das mulheres é sempre um bocadinho a pulso. Com um convite destes, não dá para recusar porque a mesma oportunidade não volta a existir», referiu.

https://www.abola.pt/nnh/Noticias/Ver/791784

Tudo o que seja uma abordagem menos à J.Marques, Saraivas e afins, é progresso.
Dizer acidente de percurso é um bom eufemismo... Pelo menos começa bem.  :shifty:
Se fosse um nome para integrar a equipa da Sporting TV, apresentar uns programas e contribuir para a grelha ainda se percebia... Agora "assumir o Departamento de Comunicação"?

Menos, muito menos...
Uma diretora de comunicação do Sporting Clube de Portugal que, nas primeiras declarações sobre o cargo, sobre o Sporting Clube de Portugal diz... nada, zip, niente...  :think: :think: :think:
Citar

CLÁUDIA LOPES EM ALVALADE: «NÃO PUDE DIZER QUE NÃO AO DESAFIO DO SPORTING»
SPORTING

Cláudia Lopes é a nova diretora executiva da Sporting Comunicação e Plataformas, passando a liderar a comunicação do clube de Alvalade. 

 «Sou licenciada em marketing e comunicação, pelo que o acidente de percurso na minha vida foi o jornalismo. Não pude dizer que não ao desafio que me foi proposto pelo Sporting Clube de Portugal. Primeiro, porque gosto do meio e o futebol não me é uma coisa estranha. Há um longo caminho a percorrer na comunicação dos clubes para que não seja uma coisa trauliteira ou arruaceira. Acho que se pode defender os interesses da instituição com um outro registo. As pessoas sabem qual é o meu registo, já o conhecem há muitos anos, e não é preciso usarmos armas de arremesso. Sou sempre a favor de um profundo respeito pelo adversário porque se não tivermos grandes adversários não temos grandes vitórias», salientou, citada pelo site dos leões.

 Cláudia Lopes explicou o que a levou a aceitar o desafio lançado pelo Sporting.

 «Para as mulheres, o futebol e o desporto, genericamente, não são muito favoráveis. Ter um convite destes, enquanto mulher, também pesou. Dentro do futebol, a carreira das mulheres é sempre um bocadinho a pulso. Com um convite destes, não dá para recusar porque a mesma oportunidade não volta a existir», referiu.

https://www.abola.pt/nnh/Noticias/Ver/791784

Tudo o que seja uma abordagem menos à J.Marques, Saraivas e afins, é progresso.
Querias tu ter um j Marques.. aliás, infelizmente, os tripeiros tem defendido mais o Sporting que o próprio presidente, quanto mais uma ex tvi.

Ou isso ou este silêncio realmente dá jeito porque na realidade o varandas depois de fazer barulho e andar a dizer para as TVs que 2015 foi uma vergonha e que ia contar tudo só para ganhar pontos,  já contou o que sabe de 2015 e já temos  neste momento um campeonato a mais.

Se for por isso que agora andamos sempre em silêncio, tudo bem estamos no bom caminho ;)
Por ti contra tudo e todos!
Não gosto do estilo, mas vai de encontro à estratégia adoptada por este CD "sermos amiguinhos de toda a gente".

É para continuar a sermos comidos de cebolada!
 
Nunca me esquece, por altura da divulgação dos vouchers, da censura que ela fazia ao tema no programa dela, enquanto moderadora.

Chegou a dizer, ipsis verbis, já não sei a que representante do Sporting, "mas vocês nunca mais se vão calar com isso?"

Quem fala assim não é gago. Bem ou mal, o lugar dela nunca mais poderia ser, obviamente, no Sporting. Não se trata de defender o clube A ou B, mas sim vetar o comentário a factos que eram e são imperativos do que condiciona aquilo que se passa dentro do campo, que por vezes chega a ser meramente acessório face ao que se decide fora das quatro linhas.

Entre a comunicação por vezes acéfala do período de BdC e a comunicação própria de quem não se quer chatear muito deste presidente, há um mar inteiro por explorar. É possível ser-se agressivo sem se ser palerma, é possível ser-se conservador sem ser conivente.

Cláudia Lopes por mim não, obviamente.
- You're a real stone player, aren't you, Ma? You threatened to smother his children.
- What does that mean?
- You know, everyone thought Dad was the ruthless one. But I gotta hand it to you. If you'd been born after those feminists, you woulda been the real gangster.
- I don't know what you're talking about!
Nunca me esquece, por altura da divulgação dos vouchers, da censura que ela fazia ao tema no programa dela, enquanto moderadora.

Chegou a dizer, ipsis verbis, já não sei a que representante do Sporting, "mas vocês nunca mais se vão calar com isso?"

Quem fala assim não é gago. Bem ou mal, o lugar dela nunca mais poderia ser, obviamente, no Sporting. Não se trata de defender o clube A ou B, mas sim vetar o comentário a factos que eram e são imperativos do que condiciona aquilo que se passa dentro do campo, que por vezes chega a ser meramente acessório face ao que se decide fora das quatro linhas.

Entre a comunicação por vezes acéfala do período de BdC e a comunicação própria de quem não se quer chatear muito deste presidente, há um mar inteiro por explorar. É possível ser-se agressivo sem se ser palerma, é possível ser-se conservador sem ser conivente.

Cláudia Lopes por mim não, obviamente.

Eu penso exatamente o oposto: um clube tem de ser atrativo a comunicar.

E isso não se faz com tipos como Saraiva, Dolbeth, João Gabriel, Pedro Guerra, Francisco Marques e outras aves dessa espécie.

Faz-se de pessoas que gostam de futebol. Que gostam do jogo em si e que o querem valorizar.

A bem ou a mal, por responsabilidade direta ou indireta da Cláudia Lopes, a verdade é que o programa dela era o único (para além da Grandiosa Enciclopédia do Ludopédio) em que se falava de futebol.

A esse propósito, quem me dera que o Sporting tivesse o Rui Miguel Tovar no seu Departamento de Comunicação.
A bem ou a mal, por responsabilidade direta ou indireta da Cláudia Lopes, a verdade é que o programa dela era o único (para além da Grandiosa Enciclopédia do Ludopédio) em que se falava de futebol.

Devo ter mesmo muito azar das 4 vezes que tentei ver (aguentei 10' de banalidades e "o que sente um profissional"?)
"Quem, ali do outro lado, tinha definido o ataque ao Benfica como principal instrumento da sua promoção individual, foi corrido pelos que achava serem seus. Espero que este gesto seja o princípio de uma regularização da vivência institucional que deve caracterizar os maiores clubes nacionais" (Luís Filipe Vieira, presidente de SAD acusada de vários crimes no E-Toupeira, explica, a 28-09-2018, o papel de Marta Soares, Henrique Monteiro, Torres Pereira, Sousa Cintra e G71).
... um clube tem de ser atrativo a comunicar.

E isso ... faz-se de pessoas que gostam de futebol. Que gostam do jogo em si e que o querem valorizar.

Um pequeno pipe dream provavelmente potenciado por alguma juventude irreverente. Nada que o tempo não cure.

O programa da Cláudia Lopes tinha alguma elevação porque estava vedada a entrada a trauliteiros da comunicação. Mas quando os trauliteiros são permitidos, os tipos polidinhos com medo de sujar a camisa branca normalmente levam nas ventas, por isso é que o Guerra foi o campeão da propaganda durante uns tempos jeitosos.

Isto é como levar uma faca para uma guerra de pistolas, tens que ir a jogo com as mesmas armas que os outros estão a usar contra ti, caso contrário levas que contar.
- You're a real stone player, aren't you, Ma? You threatened to smother his children.
- What does that mean?
- You know, everyone thought Dad was the ruthless one. But I gotta hand it to you. If you'd been born after those feminists, you woulda been the real gangster.
- I don't know what you're talking about!
Nunca me esquece, por altura da divulgação dos vouchers, da censura que ela fazia ao tema no programa dela, enquanto moderadora.

Chegou a dizer, ipsis verbis, já não sei a que representante do Sporting, "mas vocês nunca mais se vão calar com isso?"

Quem fala assim não é gago. Bem ou mal, o lugar dela nunca mais poderia ser, obviamente, no Sporting. Não se trata de defender o clube A ou B, mas sim vetar o comentário a factos que eram e são imperativos do que condiciona aquilo que se passa dentro do campo, que por vezes chega a ser meramente acessório face ao que se decide fora das quatro linhas.

Entre a comunicação por vezes acéfala do período de BdC e a comunicação própria de quem não se quer chatear muito deste presidente, há um mar inteiro por explorar. É possível ser-se agressivo sem se ser palerma, é possível ser-se conservador sem ser conivente.

Cláudia Lopes por mim não, obviamente.

Eu penso exatamente o oposto: um clube tem de ser atrativo a comunicar.

E isso não se faz com tipos como Saraiva, Dolbeth, João Gabriel, Pedro Guerra, Francisco Marques e outras aves dessa espécie.

Faz-se de pessoas que gostam de futebol. Que gostam do jogo em si e que o querem valorizar.

A bem ou a mal, por responsabilidade direta ou indireta da Cláudia Lopes, a verdade é que o programa dela era o único (para além da Grandiosa Enciclopédia do Ludopédio) em que se falava de futebol.

A esse propósito, quem me dera que o Sporting tivesse o Rui Miguel Tovar no seu Departamento de Comunicação.

Com todo o respeito que posso ter a Rui Miguel Tovar, no Sporting, não há lugar a alguém que não reconhece todos os títulos que nós temos.
Nunca me esquece, por altura da divulgação dos vouchers, da censura que ela fazia ao tema no programa dela, enquanto moderadora.

Chegou a dizer, ipsis verbis, já não sei a que representante do Sporting, "mas vocês nunca mais se vão calar com isso?"

Quem fala assim não é gago. Bem ou mal, o lugar dela nunca mais poderia ser, obviamente, no Sporting. Não se trata de defender o clube A ou B, mas sim vetar o comentário a factos que eram e são imperativos do que condiciona aquilo que se passa dentro do campo, que por vezes chega a ser meramente acessório face ao que se decide fora das quatro linhas.

Entre a comunicação por vezes acéfala do período de BdC e a comunicação própria de quem não se quer chatear muito deste presidente, há um mar inteiro por explorar. É possível ser-se agressivo sem se ser palerma, é possível ser-se conservador sem ser conivente.

Cláudia Lopes por mim não, obviamente.

Eu penso exatamente o oposto: um clube tem de ser atrativo a comunicar.

E isso não se faz com tipos como Saraiva, Dolbeth, João Gabriel, Pedro Guerra, Francisco Marques e outras aves dessa espécie.

Faz-se de pessoas que gostam de futebol. Que gostam do jogo em si e que o querem valorizar.

A bem ou a mal, por responsabilidade direta ou indireta da Cláudia Lopes, a verdade é que o programa dela era o único (para além da Grandiosa Enciclopédia do Ludopédio) em que se falava de futebol.

A esse propósito, quem me dera que o Sporting tivesse o Rui Miguel Tovar no seu Departamento de Comunicação.

Quem o Sporting devia trazer era o André Pipa...um desperdício andar pela bolatv...