Votação

Quem foi para ti o melhor em campo?

Renan Ribeiro
7 (6%)
Bruno Gaspar
0 (0%)
Sebastián Coates
3 (2.6%)
Jérémy Mathieu
77 (66.4%)
Jefferson
6 (5.2%)
Nemanja Gudelj
0 (0%)
Wendel
1 (0.9%)
Bruno Fernandes
10 (8.6%)
Nani
1 (0.9%)
Abdoulay Diaby
2 (1.7%)
Bas Dost
0 (0%)
Stefan Ristovski
2 (1.7%)
Raphinha
2 (1.7%)
Radosav Petrović
5 (4.3%)

Votos totais: 116

Liga NOS 2018/19 [17ªJ] Sporting CP 0-0 Porto [12/01 | 15:30]

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Vi apenas o resumo alargado da Sport TV e face aos comentários que aqui li até fiquei surpreendido porque não me parece que tenhamos jogado assim tão mal. É certo que o FCP pouco fez e que o Keizer podia ter sido mais afoito.
Dizem muito mal do Jefferson e Diaby, mas vi bons pormenores destes dois. Boas recepções do Diaby (numa das jogadas é o Nani que não dá sequência) e boas tabelas e cruzamentos do Jefferson. Mesmo o Gudelj me pareceu uns furos acima.
Gostei do Wendel e do Ristovski.
Tens certamente noção que um resumo engana muito, sobretudo a nível de ritmo e intensidade.
Costumo ver jogos diferentes dos que os outros vêem, por isso a minha opinião não vai de encontro à dos outros... Insisto que foi o contrário duma «vitória moral» (que o foi, para o adversário), ou seja, foi uma «derrota moral», pois pouco ou nada fizemos para ganhar, sobretudo a quem ia e vai à frente.
Repara que o adversário até alinhou inicialmente em 4-3-3, por não ter medo. Depois houve uma mudança grande, quando Maxi saiu por lesão: Recuaram o extremo Corona para o lugar de Maxi e colocaram Marega mais sobre a direita (ou seja, não desistiram de explorar o elo fraco que Jefferson constituía), entrando Oliver para o meio-campo, passando por isso a 4-4-2 (vantagem numérica teórica no meio campo).
Seria então de esperar que saísse Nani ou Diaby, para a entrada de Raphinha ou Jovane, a cair em cima de Corona. Mas não... Pior ainda, Nani recuou imenso, para apoiar o elo fraco Jefferson (e responder à superioridade numérica teórica do adversário a meio campo). Conseguiu-se com isso evitar males maiores por esse lado, mas perdeu-se Nani (é o que dá ter 2 jogadores a fazer o papel de 1).
É claro que houve quem tivesse jogado bem, como os centrais e Gudelj, quem não tivesse dado uma para a caixa (B. Fernandes e Dost), quem se tenha perdido em inutilidades (Diaby) e quem se tenha sacrificado pelo colectivo (Nani).
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Vi apenas o resumo alargado da Sport TV e face aos comentários que aqui li até fiquei surpreendido porque não me parece que tenhamos jogado assim tão mal. É certo que o FCP pouco fez e que o Keizer podia ter sido mais afoito.
Dizem muito mal do Jefferson e Diaby, mas vi bons pormenores destes dois. Boas recepções do Diaby (numa das jogadas é o Nani que não dá sequência) e boas tabelas e cruzamentos do Jefferson. Mesmo o Gudelj me pareceu uns furos acima.
Gostei do Wendel e do Ristovski.
Tens certamente noção que um resumo engana muito, sobretudo a nível de ritmo e intensidade.
Costumo ver jogos diferentes dos que os outros vêem, por isso a minha opinião não vai de encontro à dos outros... Insisto que foi o contrário duma «vitória moral» (que o foi, para o adversário), ou seja, foi uma «derrota moral», pois pouco ou nada fizemos para ganhar, sobretudo a quem ia e vai à frente.
Repara que o adversário até alinhou inicialmente em 4-3-3, por não ter medo. Depois houve uma mudança grande, quando Maxi saiu por lesão: Recuaram o extremo Corona para o lugar de Maxi e colocaram Marega mais sobre a direita (ou seja, não desistiram de explorar o elo fraco que Jefferson constituía), entrando Oliver para o meio-campo, passando por isso a 4-4-2 (vantagem numérica teórica no meio campo).
Seria então de esperar que saísse Nani ou Diaby, para a entrada de Raphinha ou Jovane, a cair em cima de Corona. Mas não... Pior ainda, Nani recuou imenso, para apoiar o elo fraco Jefferson (e responder à superioridade numérica teórica do adversário a meio campo). Conseguiu-se com isso evitar males maiores por esse lado, mas perdeu-se Nani (é o que dá ter 2 jogadores a fazer o papel de 1).
É claro que houve quem tivesse jogado bem, como os centrais e Gudelj, quem não tivesse dado uma para a caixa (B. Fernandes e Dost), quem se tenha perdido em inutilidades (Diaby) e quem se tenha sacrificado pelo colectivo (Nani).


Claro que sim. Não posso tirar conclusões irrefutáveis sobre resumos, mesmo que alargados (embora, verdade verdadinha, com resumos de meia-hora pouco jogo útil do nosso campeonato fique de fora...)
E também eu não deixo de criticar o treinador. Preferiu o conforto do empate ao risco de uma vitória: é revoltante que o Raphinha só tenha entrado aos 80' e que ainda meta o Petrovic no final. Isto com Jovane e o Luís Philippe no banco.