Hóquei Patins Feminino 2019

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Acho o mesmo do que o basquetebol sénior. Tanta m**** com o rombo económico das rescisões e que é preciso arrumar a casa, mas depois metem mais carga no clube. Ou é irresponsabilidade, ou populismo.

Ao contrário do basquetebol só vai ver isto os familiares, e só se gostarem muito das filhas ou netas, ou quem tem uma vida que eu sinceramente tenho pena.

Quanto ao Basket, tem muitos seguidores no país, amantes da modalidade e que vão apoiar o Sporting sempre, eu incluído.
Fala por ti, eu vou acompanhar  :great:
E acho que falo por mais sportinguistas...

Entras naquele grupo que eu também mencionei

Acompanhar é uma coisa, mas sair de casa para ir ver um jogo é outra. Vou querer saber os resultados e quem são as jogadoras e assim. Mas dificilmente irei ao pavilhão ver um jogo, a verdade é esta. Tenho família/amigos/trabalho/outros jogos que prefiro ir

Então por favor não o comparem com Basket masculino, que tirando o futsal é o que poderá levar mais gente ao pavilhão, se não igual ou mais.

Por curiosidade, quais são as assistências dos rivais no basket vs outras modalidades?

Respondo-te assim. Porto não tem futsal, Benfica tem rugy que não temos, e Sportinguistas ligam mais às modalidades (e bem) que esses dois. Vês o pavilhão do Esgueira cheio todos os jogos, do Imortal também sempre bem composto. Falando de Basket apenas nesta última frase.

Não respondeste...  ;)

Então veremos. Mais que volleyball terá de certeza, andebol quase de certeza e tem tudo para rivalizar ou ultrapassar o Hóquei e potencial para ter mais que o futsal, pelo desporto que é a nível mundial e do que já foi a nível nacional.
Acho o mesmo do que o basquetebol sénior. Tanta m**** com o rombo económico das rescisões e que é preciso arrumar a casa, mas depois metem mais carga no clube. Ou é irresponsabilidade, ou populismo.

Ao contrário do basquetebol só vai ver isto os familiares, e só se gostarem muito das filhas ou netas, ou quem tem uma vida que eu sinceramente tenho pena.

Quanto ao Basket, tem muitos seguidores no país, amantes da modalidade e que vão apoiar o Sporting sempre, eu incluído.
Fala por ti, eu vou acompanhar  :great:
E acho que falo por mais sportinguistas...

Entras naquele grupo que eu também mencionei

Acompanhar é uma coisa, mas sair de casa para ir ver um jogo é outra. Vou querer saber os resultados e quem são as jogadoras e assim. Mas dificilmente irei ao pavilhão ver um jogo, a verdade é esta. Tenho família/amigos/trabalho/outros jogos que prefiro ir

Então por favor não o comparem com Basket masculino, que tirando o futsal é o que poderá levar mais gente ao pavilhão, se não igual ou mais.

Por curiosidade, quais são as assistências dos rivais no basket vs outras modalidades?

Respondo-te assim. Porto não tem futsal, Benfica tem rugy que não temos, e Sportinguistas ligam mais às modalidades (e bem) que esses dois. Vês o pavilhão do Esgueira cheio todos os jogos, do Imortal também sempre bem composto. Falando de Basket apenas nesta última frase.

Não respondeste...  ;)

Então veremos. Mais que volleyball terá de certeza, andebol quase de certeza e tem tudo para rivalizar ou ultrapassar o Hóquei e potencial para ter mais que o futsal, pelo desporto que é a nível mundial e do que já foi a nível nacional.


Que disparate.
Querem expulsar me. Mas não se importam de continuar a ca ter o tal user dakine, o tal que fazia parte da área de influência de pedro madeira rodrigues e depois virou para o ex presidente quando lhe cheirou a tacho e após levar chuto num jantar onde amigos meus da juventude popular estiveram, voltou a ficar contra ele. Eu não preciso disso. Tenho coluna.. Ah e ja agora fica a informação que ele chegou a ser militante da JP tambem, mas abandonou depois.

"A arbitragem até à 28ª jornada foi boa, bons árbitros e bom VAR" - Frederico Varandas
Acho o mesmo do que o basquetebol sénior. Tanta m**** com o rombo económico das rescisões e que é preciso arrumar a casa, mas depois metem mais carga no clube. Ou é irresponsabilidade, ou populismo.

Ao contrário do basquetebol só vai ver isto os familiares, e só se gostarem muito das filhas ou netas, ou quem tem uma vida que eu sinceramente tenho pena.

Quanto ao Basket, tem muitos seguidores no país, amantes da modalidade e que vão apoiar o Sporting sempre, eu incluído.
Fala por ti, eu vou acompanhar  :great:
E acho que falo por mais sportinguistas...

Entras naquele grupo que eu também mencionei

Acompanhar é uma coisa, mas sair de casa para ir ver um jogo é outra. Vou querer saber os resultados e quem são as jogadoras e assim. Mas dificilmente irei ao pavilhão ver um jogo, a verdade é esta. Tenho família/amigos/trabalho/outros jogos que prefiro ir

Então por favor não o comparem com Basket masculino, que tirando o futsal é o que poderá levar mais gente ao pavilhão, se não igual ou mais.

Por curiosidade, quais são as assistências dos rivais no basket vs outras modalidades?

Respondo-te assim. Porto não tem futsal, Benfica tem rugy que não temos, e Sportinguistas ligam mais às modalidades (e bem) que esses dois. Vês o pavilhão do Esgueira cheio todos os jogos, do Imortal também sempre bem composto. Falando de Basket apenas nesta última frase.

Não respondeste...  ;)

Então veremos. Mais que volleyball terá de certeza, andebol quase de certeza e tem tudo para rivalizar ou ultrapassar o Hóquei e potencial para ter mais que o futsal, pelo desporto que é a nível mundial e do que já foi a nível nacional.


Que disparate.

Bem sei. Se fosse com a antiga direcção, e estava previsto o basket, mas só na próxima época era aplaudido de pé, agora é encarado como a ovelha negra das modalidades.

Fuck it, pelo menos o meu apoio diário vai ter, mais que o futebol e outras modalidades, não pela competência das mesmas mas por gostar mais da modalidade e vai ter o meu apoio em todos os jogos em casa, garanto isso.

E vai saber melhor quando o Basket do Sporting ganhar, e espero que ganhe coisas dentro de anos que nenhuma equipa portuguesa alguma vez conseguiu  ;D
Acho o mesmo do que o basquetebol sénior. Tanta m**** com o rombo económico das rescisões e que é preciso arrumar a casa, mas depois metem mais carga no clube. Ou é irresponsabilidade, ou populismo.

Ao contrário do basquetebol só vai ver isto os familiares, e só se gostarem muito das filhas ou netas, ou quem tem uma vida que eu sinceramente tenho pena.

Quanto ao Basket, tem muitos seguidores no país, amantes da modalidade e que vão apoiar o Sporting sempre, eu incluído.
Fala por ti, eu vou acompanhar  :great:
E acho que falo por mais sportinguistas...

Entras naquele grupo que eu também mencionei

Acompanhar é uma coisa, mas sair de casa para ir ver um jogo é outra. Vou querer saber os resultados e quem são as jogadoras e assim. Mas dificilmente irei ao pavilhão ver um jogo, a verdade é esta. Tenho família/amigos/trabalho/outros jogos que prefiro ir

Então por favor não o comparem com Basket masculino, que tirando o futsal é o que poderá levar mais gente ao pavilhão, se não igual ou mais.

Por curiosidade, quais são as assistências dos rivais no basket vs outras modalidades?

Respondo-te assim. Porto não tem futsal, Benfica tem rugy que não temos, e Sportinguistas ligam mais às modalidades (e bem) que esses dois. Vês o pavilhão do Esgueira cheio todos os jogos, do Imortal também sempre bem composto. Falando de Basket apenas nesta última frase.

Não respondeste...  ;)

Então veremos. Mais que volleyball terá de certeza, andebol quase de certeza e tem tudo para rivalizar ou ultrapassar o Hóquei e potencial para ter mais que o futsal, pelo desporto que é a nível mundial e do que já foi a nível nacional.
Pelo que me lembro à 20 e tal anos quando foi entre andebol e basquetebol, só 25% queriam manter o basquetebol.
"An army of sheep led by a lion can defeat an army of lions led by a sheep"
Acho o mesmo do que o basquetebol sénior. Tanta m**** com o rombo económico das rescisões e que é preciso arrumar a casa, mas depois metem mais carga no clube. Ou é irresponsabilidade, ou populismo.

Ao contrário do basquetebol só vai ver isto os familiares, e só se gostarem muito das filhas ou netas, ou quem tem uma vida que eu sinceramente tenho pena.

Quanto ao Basket, tem muitos seguidores no país, amantes da modalidade e que vão apoiar o Sporting sempre, eu incluído.
Fala por ti, eu vou acompanhar  :great:
E acho que falo por mais sportinguistas...

Entras naquele grupo que eu também mencionei

Acompanhar é uma coisa, mas sair de casa para ir ver um jogo é outra. Vou querer saber os resultados e quem são as jogadoras e assim. Mas dificilmente irei ao pavilhão ver um jogo, a verdade é esta. Tenho família/amigos/trabalho/outros jogos que prefiro ir

Então por favor não o comparem com Basket masculino, que tirando o futsal é o que poderá levar mais gente ao pavilhão, se não igual ou mais.

Por curiosidade, quais são as assistências dos rivais no basket vs outras modalidades?

Respondo-te assim. Porto não tem futsal, Benfica tem rugy que não temos, e Sportinguistas ligam mais às modalidades (e bem) que esses dois. Vês o pavilhão do Esgueira cheio todos os jogos, do Imortal também sempre bem composto. Falando de Basket apenas nesta última frase.

Não respondeste...  ;)

Então veremos. Mais que volleyball terá de certeza, andebol quase de certeza e tem tudo para rivalizar ou ultrapassar o Hóquei e potencial para ter mais que o futsal, pelo desporto que é a nível mundial e do que já foi a nível nacional.
Ok. Pensava que tinhas dados que suportassem melhor essa ideia. É, portanto, mais uma convicção.

Não esquecer que será a modalidade menos competitiva em Portugal ( qualidade jogadores e equipas).
Nota-se bem a má vontade dos integrantes de uma certa seita contra a reintrodução desta modalidade histórica no Sporting (mais uma promessa cumprida pela nova Direcção do Sporting), mas a verdade é que o basket é mais popular, espectacular, e mediático a nível europeu ou mundial do que o conjunto das nossas outras 4 modalidades de pavilhão (Futsal, Andebol, Hóquei, e Vólei), e essa popularidade, espectacularidade, e mediatismo também se reflectiam, reflectem, e vão obviamente reflectir no Gosto e no Acompanhamento da Nação Leonina (basta dizer que a modalidade já existe há uns bons anos mas apenas nos escalões jovens)... 

Eu gosto mais de Andebol (modalidade sem expressão fora da Europa) ou de Hóquei (modalidade sem expressão fora de Portugal), mas sei que a grande maioria dá preferência ao basket (modalidade famosa e jogada em todo o mundo), basta dizer, por exemplo, que é a segunda e única modalidade do Real Madrid além do futebol, ou que é a segunda mais cara e mais importante dos colossos desportivos FC Barcelona e CSKA de Mosvoco...

O resto são más vontades, azias, e indisposições, que apenas se explicam com irrevogáveis adesões a intragáveis seitas que nada de bom trazem ou vão trazer ao grande Sporting Clube de Portugal...
Nota-se bem a má vontade dos integrantes de uma certa seita contra a reintrodução desta modalidade histórica no Sporting (mais uma promessa cumprida pela nova Direcção do Sporting), mas a verdade é que o basket é mais popular, espectacular, e mediático a nível europeu ou mundial do que o conjunto das nossas outras 4 modalidades de pavilhão (Futsal, Andebol, Hóquei, e Vólei), e essa popularidade, espectacularidade, e mediatismo também se reflectiam, reflectem, e vão obviamente reflectir no Gosto e no Acompanhamento da Nação Leonina (basta dizer que a modalidade já existe há uns bons anos mas apenas nos escalões jovens)... 

Eu gosto mais de Andebol (modalidade sem expressão fora da Europa) ou de Hóquei (modalidade sem expressão fora de Portugal), mas sei que a grande maioria dá preferência ao basket (modalidade famosa e jogada em todo o mundo), basta dizer, por exemplo, que é a segunda e única modalidade do Real Madrid além do futebol, ou que é a segunda mais cara e mais importante dos colossos desportivos FC Barcelona e CSKA de Mosvoco...

O resto são más vontades, azias, e indisposições, que apenas se explicam com irrevogáveis adesões a intragáveis seitas que nada de bom trazem ou vão trazer ao grande Sporting Clube de Portugal...
Para quem fala em seitas, o comportamento não é diferente. Mas pior, um emaranhado de adjectivações com pouca base factual.

Pessoalmente, nada contra o basket. Pelo contrário.

Agora, lamento, quem potenciou as modalidades e duplicou as receitas do clube, torceu o nariz ao regresso a curto prazo exactamente pelo impacto que teria no orçamento e competitividade global. E com esse tipo, EU SEI ( todos sabemos) que a aposta foi feita de forma sustentável e crescentemente competitiva.

Quando se fala que "este não é o orçamento desta direção
" e depois da ladainha da megalomania e irresponsabilidade do orçamento, as cabecinhas pensadoras do sítio não se questionam que algo não bate certo.  Para cabecinhas pensadoras, questiona-se pouco.

Esqueçam lá a treta da relevância mundial e europeia que a realidade do basket em Portugal é a que é e é menos competitiva ( ou estou a mentir?) que as outras.

Acho o mesmo do que o basquetebol sénior. Tanta m**** com o rombo económico das rescisões e que é preciso arrumar a casa, mas depois metem mais carga no clube. Ou é irresponsabilidade, ou populismo.

Ao contrário do basquetebol só vai ver isto os familiares, e só se gostarem muito das filhas ou netas, ou quem tem uma vida que eu sinceramente tenho pena.

Quanto ao Basket, tem muitos seguidores no país, amantes da modalidade e que vão apoiar o Sporting sempre, eu incluído.
Fala por ti, eu vou acompanhar  :great:
E acho que falo por mais sportinguistas...

Entras naquele grupo que eu também mencionei

Acompanhar é uma coisa, mas sair de casa para ir ver um jogo é outra. Vou querer saber os resultados e quem são as jogadoras e assim. Mas dificilmente irei ao pavilhão ver um jogo, a verdade é esta. Tenho família/amigos/trabalho/outros jogos que prefiro ir

Então por favor não o comparem com Basket masculino, que tirando o futsal é o que poderá levar mais gente ao pavilhão, se não igual ou mais.

Por curiosidade, quais são as assistências dos rivais no basket vs outras modalidades?

Respondo-te assim. Porto não tem futsal, Benfica tem rugy que não temos, e Sportinguistas ligam mais às modalidades (e bem) que esses dois. Vês o pavilhão do Esgueira cheio todos os jogos, do Imortal também sempre bem composto. Falando de Basket apenas nesta última frase.

Não respondeste...  ;)

Então veremos. Mais que volleyball terá de certeza, andebol quase de certeza e tem tudo para rivalizar ou ultrapassar o Hóquei e potencial para ter mais que o futsal, pelo desporto que é a nível mundial e do que já foi a nível nacional.
Ok. Pensava que tinhas dados que suportassem melhor essa ideia. É, portanto, mais uma convicção.

Não esquecer que será a modalidade menos competitiva em Portugal ( qualidade jogadores e equipas).

Gosto dessas inside infos  :lol:
Acho o mesmo do que o basquetebol sénior. Tanta m**** com o rombo económico das rescisões e que é preciso arrumar a casa, mas depois metem mais carga no clube. Ou é irresponsabilidade, ou populismo.

Ao contrário do basquetebol só vai ver isto os familiares, e só se gostarem muito das filhas ou netas, ou quem tem uma vida que eu sinceramente tenho pena.

Quanto ao Basket, tem muitos seguidores no país, amantes da modalidade e que vão apoiar o Sporting sempre, eu incluído.
Fala por ti, eu vou acompanhar  :great:
E acho que falo por mais sportinguistas...

Entras naquele grupo que eu também mencionei

Acompanhar é uma coisa, mas sair de casa para ir ver um jogo é outra. Vou querer saber os resultados e quem são as jogadoras e assim. Mas dificilmente irei ao pavilhão ver um jogo, a verdade é esta. Tenho família/amigos/trabalho/outros jogos que prefiro ir

Então por favor não o comparem com Basket masculino, que tirando o futsal é o que poderá levar mais gente ao pavilhão, se não igual ou mais.

Por curiosidade, quais são as assistências dos rivais no basket vs outras modalidades?

Respondo-te assim. Porto não tem futsal, Benfica tem rugy que não temos, e Sportinguistas ligam mais às modalidades (e bem) que esses dois. Vês o pavilhão do Esgueira cheio todos os jogos, do Imortal também sempre bem composto. Falando de Basket apenas nesta última frase.

Não respondeste...  ;)

Então veremos. Mais que volleyball terá de certeza, andebol quase de certeza e tem tudo para rivalizar ou ultrapassar o Hóquei e potencial para ter mais que o futsal, pelo desporto que é a nível mundial e do que já foi a nível nacional.
Ok. Pensava que tinhas dados que suportassem melhor essa ideia. É, portanto, mais uma convicção.

Não esquecer que será a modalidade menos competitiva em Portugal ( qualidade jogadores e equipas).

Gosto dessas inside infos  :lol:

Que insides falas?
Nota-se bem a má vontade dos integrantes de uma certa seita contra a reintrodução desta modalidade histórica no Sporting (mais uma promessa cumprida pela nova Direcção do Sporting), mas a verdade é que o basket é mais popular, espectacular, e mediático a nível europeu ou mundial do que o conjunto das nossas outras 4 modalidades de pavilhão (Futsal, Andebol, Hóquei, e Vólei), e essa popularidade, espectacularidade, e mediatismo também se reflectiam, reflectem, e vão obviamente reflectir no Gosto e no Acompanhamento da Nação Leonina (basta dizer que a modalidade já existe há uns bons anos mas apenas nos escalões jovens)... 

Eu gosto mais de Andebol (modalidade sem expressão fora da Europa) ou de Hóquei (modalidade sem expressão fora de Portugal), mas sei que a grande maioria dá preferência ao basket (modalidade famosa e jogada em todo o mundo), basta dizer, por exemplo, que é a segunda e única modalidade do Real Madrid além do futebol, ou que é a segunda mais cara e mais importante dos colossos desportivos FC Barcelona e CSKA de Mosvoco...

O resto são más vontades, azias, e indisposições, que apenas se explicam com irrevogáveis adesões a intragáveis seitas que nada de bom trazem ou vão trazer ao grande Sporting Clube de Portugal...
Para quem fala em seitas, o comportamento não é diferente. Mas pior, um emaranhado de adjectivações com pouca base factual.

Pessoalmente, nada contra o basket. Pelo contrário.

Agora, lamento, quem potenciou as modalidades e duplicou as receitas do clube, torceu o nariz ao regresso a curto prazo exactamente pelo impacto que teria no orçamento e competitividade global. E com esse tipo, EU SEI ( todos sabemos) que a aposta foi feita de forma sustentável e crescentemente competitiva.

Quando se fala que "este não é o orçamento desta direção
" e depois da ladainha da megalomania e irresponsabilidade do orçamento, as cabecinhas pensadoras do sítio não se questionam que algo não bate certo.  Para cabecinhas pensadoras, questiona-se pouco.

Esqueçam lá a treta da relevância mundial e europeia que a realidade do basket em Portugal é a que é e é menos competitiva ( ou estou a mentir?) que as outras.
Concordo contigo na parte de estar algo reticente com os orçamentos, porque apesar de feliz pela aposta no basket, espero que o regresso do mesmo não prejudique as restantes e que continuemos competitivos.

Mas discordo, até porque tenho lido vários comentários nesse sentido, sobre a competitividade do basket português e de como isso possa ser prejudicial ou retire sentido à aposta. A verdade é que tirando o futsal e o hoquei, não há mais nenhuma modalidade "popular" onde somos candidatos.  Mas falando um pouco mais objectivamente, a última vez que tivemos presente numa grande competição de andebol foi no europeu de 2006, salvo erro. No voleibol a última vez que tivemos no europeu foi 2011 e num mundial foi em 2002. Só este ano conseguimos o feito de voltar à liga mundial principal depois de uma travessia menos boa pela liga europeia.
Felizmente temos melhorado na formação nestas duas modalidades e acredito e espero que o futuro seja melhor embora ainda estejamos longe de sermos candidatos ao que quer que seja e as qualificações para europeus vão continuar a ser tormentos difíceis de ultrapassar.

No basket curiosamente até conseguimos estar presente eu dois europeus neste século, 2011 e 2007. E temos tido resultados interessantes na formação. Ainda recentemente fizemos uma boa competição sub20 onde o Neemias foi o destaque e conseguiu um lugar na NCAA, o college basket dos USA. É talvez a nossa maior chance de ter um tuga na NBA embora eu não acredite muito. NCAA essa onde temos mais portugueses, algo impensável há anos atrás.
É verdade que o nosso nível não é grande coisa, e é uma modalidade bem mais difícil de ter sucesso internacional porque é a mais jogada em todo o mundo, muito popular, com uma escola de leste e dos Balcãs fortíssima e a nova vaga do sul da europa cada vez melhor, mas aquilo que Portugal tem de fazer é continuar a dar os seus passos, trazer gente competente, e mesmo com as nossas condicionantes físicas(somos um país de gente pequena), ir à luta. Espero que a entrada do Sporting ajude a isso.

E sinceramente até nem acho assim tão mau entrar neste timing, onde as coisas não estão a um nível muito elevado, e quiçá, elevá-lo.
Jaime Marta Soares, Eduarda Proença de Carvalho, Diogo Orvalho, Artur Torres Pereira, Sousa Cintra, Álvaro Sobrinho, Frederico Varandas, Vítor Espadinha, Rogério Alves, Pedro Silveira, Vítor Ferreira, Samuel Almeida, João Pedro Rodrigues, Ricciardi, Rita Garcia Pereira, Daniel Oliveira, João Duque, Henrique Monteiro, César Mourão, Miguel Castor, Manuel Moura dos Santos, Rita Ferro Rodrigues, Ferro Rodrigues, António Rebelo, Luís Loureiro, Jorge Sanches, Rita Matos, Bruno Fernandes, William Carvalho, Rui Patrício, Farinha Alves, Dias da Cunha, Soares Franco
Nota-se bem a má vontade dos integrantes de uma certa seita contra a reintrodução desta modalidade histórica no Sporting (mais uma promessa cumprida pela nova Direcção do Sporting), mas a verdade é que o basket é mais popular, espectacular, e mediático a nível europeu ou mundial do que o conjunto das nossas outras 4 modalidades de pavilhão (Futsal, Andebol, Hóquei, e Vólei), e essa popularidade, espectacularidade, e mediatismo também se reflectiam, reflectem, e vão obviamente reflectir no Gosto e no Acompanhamento da Nação Leonina (basta dizer que a modalidade já existe há uns bons anos mas apenas nos escalões jovens)... 

Eu gosto mais de Andebol (modalidade sem expressão fora da Europa) ou de Hóquei (modalidade sem expressão fora de Portugal), mas sei que a grande maioria dá preferência ao basket (modalidade famosa e jogada em todo o mundo), basta dizer, por exemplo, que é a segunda e única modalidade do Real Madrid além do futebol, ou que é a segunda mais cara e mais importante dos colossos desportivos FC Barcelona e CSKA de Mosvoco...

O resto são más vontades, azias, e indisposições, que apenas se explicam com irrevogáveis adesões a intragáveis seitas que nada de bom trazem ou vão trazer ao grande Sporting Clube de Portugal...
Para quem fala em seitas, o comportamento não é diferente. Mas pior, um emaranhado de adjectivações com pouca base factual.

Pessoalmente, nada contra o basket. Pelo contrário.

Agora, lamento, quem potenciou as modalidades e duplicou as receitas do clube, torceu o nariz ao regresso a curto prazo exactamente pelo impacto que teria no orçamento e competitividade global. E com esse tipo, EU SEI ( todos sabemos) que a aposta foi feita de forma sustentável e crescentemente competitiva.

Quando se fala que "este não é o orçamento desta direção
" e depois da ladainha da megalomania e irresponsabilidade do orçamento, as cabecinhas pensadoras do sítio não se questionam que algo não bate certo.  Para cabecinhas pensadoras, questiona-se pouco.

Esqueçam lá a treta da relevância mundial e europeia que a realidade do basket em Portugal é a que é e é menos competitiva ( ou estou a mentir?) que as outras.
Concordo contigo na parte de estar algo reticente com os orçamentos, porque apesar de feliz pela aposta no basket, espero que o regresso do mesmo não prejudique as restantes e que continuemos competitivos.

Mas discordo, até porque tenho lido vários comentários nesse sentido, sobre a competitividade do basket português e de como isso possa ser prejudicial ou retire sentido à aposta. A verdade é que tirando o futsal e o hoquei, não há mais nenhuma modalidade "popular" onde somos candidatos.  Mas falando um pouco mais objectivamente, a última vez que tivemos presente numa grande competição de andebol foi no europeu de 2006, salvo erro. No voleibol a última vez que tivemos no europeu foi 2011 e num mundial foi em 2002. Só este ano conseguimos o feito de voltar à liga mundial principal depois de uma travessia menos boa pela liga europeia.
Felizmente temos melhorado na formação nestas duas modalidades e acredito e espero que o futuro seja melhor embora ainda estejamos longe de sermos candidatos ao que quer que seja e as qualificações para europeus vão continuar a ser tormentos difíceis de ultrapassar.

No basket curiosamente até conseguimos estar presente eu dois europeus neste século, 2011 e 2007. E temos tido resultados interessantes na formação. Ainda recentemente fizemos uma boa competição sub20 onde o Neemias foi o destaque e conseguiu um lugar na NCAA, o college basket dos USA. É talvez a nossa maior chance de ter um tuga na NBA embora eu não acredite muito. NCAA essa onde temos mais portugueses, algo impensável há anos atrás.
É verdade que o nosso nível não é grande coisa, e é uma modalidade bem mais difícil de ter sucesso internacional porque é a mais jogada em todo o mundo, muito popular, com uma escola de leste e dos Balcãs fortíssima e a nova vaga do sul da europa cada vez melhor, mas aquilo que Portugal tem de fazer é continuar a dar os seus passos, trazer gente competente, e mesmo com as nossas condicionantes físicas(somos um país de gente pequena), ir à luta. Espero que a entrada do Sporting ajude a isso.

E sinceramente até nem acho assim tão mau entrar neste timing, onde as coisas não estão a um nível muito elevado, e quiçá, elevá-lo.
Meu caro.

Acabámos de passar a fase de grupos do equivalente à Champions, em Andebol. E no ano passado, foi por um fio.

No Volei temos excelentes praticantes, muitos internacionais de países com tradição ( embora a maior parte no ocaso da carreira).

Futsal e hóquei nem vale a pena mencionar.

Eu não estou a dizer que não faz sentido não ter basket, seja pela razão x ou y.

Eu quero o basket e parabenizo a opção.

Pessoalmente, esperaria até final do ano até saber com que linhas me cozo.

As receitas mantêm-se, no mínimo? Tenho dúvidas. Muitas.
Nota-se bem a má vontade dos integrantes de uma certa seita contra a reintrodução desta modalidade histórica no Sporting (mais uma promessa cumprida pela nova Direcção do Sporting), mas a verdade é que o basket é mais popular, espectacular, e mediático a nível europeu ou mundial do que o conjunto das nossas outras 4 modalidades de pavilhão (Futsal, Andebol, Hóquei, e Vólei), e essa popularidade, espectacularidade, e mediatismo também se reflectiam, reflectem, e vão obviamente reflectir no Gosto e no Acompanhamento da Nação Leonina (basta dizer que a modalidade já existe há uns bons anos mas apenas nos escalões jovens)... 

Eu gosto mais de Andebol (modalidade sem expressão fora da Europa) ou de Hóquei (modalidade sem expressão fora de Portugal), mas sei que a grande maioria dá preferência ao basket (modalidade famosa e jogada em todo o mundo), basta dizer, por exemplo, que é a segunda e única modalidade do Real Madrid além do futebol, ou que é a segunda mais cara e mais importante dos colossos desportivos FC Barcelona e CSKA de Mosvoco...

O resto são más vontades, azias, e indisposições, que apenas se explicam com irrevogáveis adesões a intragáveis seitas que nada de bom trazem ou vão trazer ao grande Sporting Clube de Portugal...
Para quem fala em seitas, o comportamento não é diferente. Mas pior, um emaranhado de adjectivações com pouca base factual.

Pessoalmente, nada contra o basket. Pelo contrário.

Agora, lamento, quem potenciou as modalidades e duplicou as receitas do clube, torceu o nariz ao regresso a curto prazo exactamente pelo impacto que teria no orçamento e competitividade global. E com esse tipo, EU SEI ( todos sabemos) que a aposta foi feita de forma sustentável e crescentemente competitiva.

Quando se fala que "este não é o orçamento desta direção
" e depois da ladainha da megalomania e irresponsabilidade do orçamento, as cabecinhas pensadoras do sítio não se questionam que algo não bate certo.  Para cabecinhas pensadoras, questiona-se pouco.

Esqueçam lá a treta da relevância mundial e europeia que a realidade do basket em Portugal é a que é e é menos competitiva ( ou estou a mentir?) que as outras.
Concordo contigo na parte de estar algo reticente com os orçamentos, porque apesar de feliz pela aposta no basket, espero que o regresso do mesmo não prejudique as restantes e que continuemos competitivos.

Mas discordo, até porque tenho lido vários comentários nesse sentido, sobre a competitividade do basket português e de como isso possa ser prejudicial ou retire sentido à aposta. A verdade é que tirando o futsal e o hoquei, não há mais nenhuma modalidade "popular" onde somos candidatos.  Mas falando um pouco mais objectivamente, a última vez que tivemos presente numa grande competição de andebol foi no europeu de 2006, salvo erro. No voleibol a última vez que tivemos no europeu foi 2011 e num mundial foi em 2002. Só este ano conseguimos o feito de voltar à liga mundial principal depois de uma travessia menos boa pela liga europeia.
Felizmente temos melhorado na formação nestas duas modalidades e acredito e espero que o futuro seja melhor embora ainda estejamos longe de sermos candidatos ao que quer que seja e as qualificações para europeus vão continuar a ser tormentos difíceis de ultrapassar.

No basket curiosamente até conseguimos estar presente eu dois europeus neste século, 2011 e 2007. E temos tido resultados interessantes na formação. Ainda recentemente fizemos uma boa competição sub20 onde o Neemias foi o destaque e conseguiu um lugar na NCAA, o college basket dos USA. É talvez a nossa maior chance de ter um tuga na NBA embora eu não acredite muito. NCAA essa onde temos mais portugueses, algo impensável há anos atrás.
É verdade que o nosso nível não é grande coisa, e é uma modalidade bem mais difícil de ter sucesso internacional porque é a mais jogada em todo o mundo, muito popular, com uma escola de leste e dos Balcãs fortíssima e a nova vaga do sul da europa cada vez melhor, mas aquilo que Portugal tem de fazer é continuar a dar os seus passos, trazer gente competente, e mesmo com as nossas condicionantes físicas(somos um país de gente pequena), ir à luta. Espero que a entrada do Sporting ajude a isso.

E sinceramente até nem acho assim tão mau entrar neste timing, onde as coisas não estão a um nível muito elevado, e quiçá, elevá-lo.
Meu caro.

Acabámos de passar a fase de grupos do equivalente à Champions, em Andebol. E no ano passado, foi por um fio.

No Volei temos excelentes praticantes, muitos internacionais de países com tradição ( embora a maior parte no ocaso da carreira).

Futsal e hóquei nem vale a pena mencionar.

Eu não estou a dizer que não faz sentido não ter basket, seja pela razão x ou y.

Eu quero o basket e parabenizo a opção.

Pessoalmente, esperaria até final do ano até saber com que linhas me cozo.

As receitas mantêm-se, no mínimo? Tenho dúvidas. Muitas.
Ah ok, mas isso são coisas diferentes. Uma coisa é a competitividade do campeonato, outra do país. Sim, é verdade que no andebol estamos historicamente a viver um momento incrível. Mas também é verdade que há bem pouco tempo estávamos na Challenge, a terceira competição.

Eu quero acreditar que o basket não vai retirar competitividade. E espero que se esteja a trabalhar em patrocínios, em namings, em aumentar receitas e que não estraguem o que de excelente foi deixado pela anterior direcção.

E acredito também que o nivel competitivo do nosso campeonato vá melhorar com a nossa entrada. No Hoquei demos passos pequenos mas firmes, no voleibol optamos e bem pela não entrada ma Champions porque não faria sentido entrar logo na maior das competições, no basket fará sentido começar com uma equipa competitiva e depois na europa ir dando passos concretos, começando obviamente pela menor das competições. A limitação de estrangeiros é um problema.
Jaime Marta Soares, Eduarda Proença de Carvalho, Diogo Orvalho, Artur Torres Pereira, Sousa Cintra, Álvaro Sobrinho, Frederico Varandas, Vítor Espadinha, Rogério Alves, Pedro Silveira, Vítor Ferreira, Samuel Almeida, João Pedro Rodrigues, Ricciardi, Rita Garcia Pereira, Daniel Oliveira, João Duque, Henrique Monteiro, César Mourão, Miguel Castor, Manuel Moura dos Santos, Rita Ferro Rodrigues, Ferro Rodrigues, António Rebelo, Luís Loureiro, Jorge Sanches, Rita Matos, Bruno Fernandes, William Carvalho, Rui Patrício, Farinha Alves, Dias da Cunha, Soares Franco
Nota-se bem a má vontade dos integrantes de uma certa seita contra a reintrodução desta modalidade histórica no Sporting (mais uma promessa cumprida pela nova Direcção do Sporting), mas a verdade é que o basket é mais popular, espectacular, e mediático a nível europeu ou mundial do que o conjunto das nossas outras 4 modalidades de pavilhão (Futsal, Andebol, Hóquei, e Vólei), e essa popularidade, espectacularidade, e mediatismo também se reflectiam, reflectem, e vão obviamente reflectir no Gosto e no Acompanhamento da Nação Leonina (basta dizer que a modalidade já existe há uns bons anos mas apenas nos escalões jovens)... 

Eu gosto mais de Andebol (modalidade sem expressão fora da Europa) ou de Hóquei (modalidade sem expressão fora de Portugal), mas sei que a grande maioria dá preferência ao basket (modalidade famosa e jogada em todo o mundo), basta dizer, por exemplo, que é a segunda e única modalidade do Real Madrid além do futebol, ou que é a segunda mais cara e mais importante dos colossos desportivos FC Barcelona e CSKA de Mosvoco...

O resto são más vontades, azias, e indisposições, que apenas se explicam com irrevogáveis adesões a intragáveis seitas que nada de bom trazem ou vão trazer ao grande Sporting Clube de Portugal...
Para quem fala em seitas, o comportamento não é diferente. Mas pior, um emaranhado de adjectivações com pouca base factual.

Pessoalmente, nada contra o basket. Pelo contrário.

Agora, lamento, quem potenciou as modalidades e duplicou as receitas do clube, torceu o nariz ao regresso a curto prazo exactamente pelo impacto que teria no orçamento e competitividade global. E com esse tipo, EU SEI ( todos sabemos) que a aposta foi feita de forma sustentável e crescentemente competitiva.

Quando se fala que "este não é o orçamento desta direção
" e depois da ladainha da megalomania e irresponsabilidade do orçamento, as cabecinhas pensadoras do sítio não se questionam que algo não bate certo.  Para cabecinhas pensadoras, questiona-se pouco.

Esqueçam lá a treta da relevância mundial e europeia que a realidade do basket em Portugal é a que é e é menos competitiva ( ou estou a mentir?) que as outras.
Concordo contigo na parte de estar algo reticente com os orçamentos, porque apesar de feliz pela aposta no basket, espero que o regresso do mesmo não prejudique as restantes e que continuemos competitivos.

Mas discordo, até porque tenho lido vários comentários nesse sentido, sobre a competitividade do basket português e de como isso possa ser prejudicial ou retire sentido à aposta. A verdade é que tirando o futsal e o hoquei, não há mais nenhuma modalidade "popular" onde somos candidatos.  Mas falando um pouco mais objectivamente, a última vez que tivemos presente numa grande competição de andebol foi no europeu de 2006, salvo erro. No voleibol a última vez que tivemos no europeu foi 2011 e num mundial foi em 2002. Só este ano conseguimos o feito de voltar à liga mundial principal depois de uma travessia menos boa pela liga europeia.
Felizmente temos melhorado na formação nestas duas modalidades e acredito e espero que o futuro seja melhor embora ainda estejamos longe de sermos candidatos ao que quer que seja e as qualificações para europeus vão continuar a ser tormentos difíceis de ultrapassar.

No basket curiosamente até conseguimos estar presente eu dois europeus neste século, 2011 e 2007. E temos tido resultados interessantes na formação. Ainda recentemente fizemos uma boa competição sub20 onde o Neemias foi o destaque e conseguiu um lugar na NCAA, o college basket dos USA. É talvez a nossa maior chance de ter um tuga na NBA embora eu não acredite muito. NCAA essa onde temos mais portugueses, algo impensável há anos atrás.
É verdade que o nosso nível não é grande coisa, e é uma modalidade bem mais difícil de ter sucesso internacional porque é a mais jogada em todo o mundo, muito popular, com uma escola de leste e dos Balcãs fortíssima e a nova vaga do sul da europa cada vez melhor, mas aquilo que Portugal tem de fazer é continuar a dar os seus passos, trazer gente competente, e mesmo com as nossas condicionantes físicas(somos um país de gente pequena), ir à luta. Espero que a entrada do Sporting ajude a isso.

E sinceramente até nem acho assim tão mau entrar neste timing, onde as coisas não estão a um nível muito elevado, e quiçá, elevá-lo.
Meu caro.

Acabámos de passar a fase de grupos do equivalente à Champions, em Andebol. E no ano passado, foi por um fio.

No Volei temos excelentes praticantes, muitos internacionais de países com tradição ( embora a maior parte no ocaso da carreira).

Futsal e hóquei nem vale a pena mencionar.

Eu não estou a dizer que não faz sentido não ter basket, seja pela razão x ou y.

Eu quero o basket e parabenizo a opção.

Pessoalmente, esperaria até final do ano até saber com que linhas me cozo.

As receitas mantêm-se, no mínimo? Tenho dúvidas. Muitas.
Ah ok, mas isso são coisas diferentes. Uma coisa é a competitividade do campeonato, outra do país. Sim, é verdade que no andebol estamos historicamente a viver um momento incrível. Mas também é verdade que há bem pouco tempo estávamos na Challenge, a terceira competição.

Eu quero acreditar que o basket não vai retirar competitividade. E espero que se esteja a trabalhar em patrocínios, em namings, em aumentar receitas e que não estraguem o que de excelente foi deixado pela anterior direcção.

E acredito também que o nivel competitivo do nosso campeonato vá melhorar com a nossa entrada. No Hoquei demos passos pequenos mas firmes, no voleibol optamos e bem pela não entrada ma Champions porque não faria sentido entrar logo na maior das competições, no basket fará sentido começar com uma equipa competitiva e depois na europa ir dando passos concretos, começando obviamente pela menor das competições. A limitação de estrangeiros é um problema.

Acredito que a limitação de estrangeiros será revista, para melhor na nossa perspectiva, mas não retirada totalmente

Acredito que nos próximos 2 anos as equipas portuguesas poderão ter mais estrangeiros nas suas fileiras o que logicamente trará maior qualidade e competitividade ao nosso campeonato.
Nota-se bem a má vontade dos integrantes de uma certa seita contra a reintrodução desta modalidade histórica no Sporting (mais uma promessa cumprida pela nova Direcção do Sporting), mas a verdade é que o basket é mais popular, espectacular, e mediático a nível europeu ou mundial do que o conjunto das nossas outras 4 modalidades de pavilhão (Futsal, Andebol, Hóquei, e Vólei), e essa popularidade, espectacularidade, e mediatismo também se reflectiam, reflectem, e vão obviamente reflectir no Gosto e no Acompanhamento da Nação Leonina (basta dizer que a modalidade já existe há uns bons anos mas apenas nos escalões jovens)... 

Eu gosto mais de Andebol (modalidade sem expressão fora da Europa) ou de Hóquei (modalidade sem expressão fora de Portugal), mas sei que a grande maioria dá preferência ao basket (modalidade famosa e jogada em todo o mundo), basta dizer, por exemplo, que é a segunda e única modalidade do Real Madrid além do futebol, ou que é a segunda mais cara e mais importante dos colossos desportivos FC Barcelona e CSKA de Mosvoco...

O resto são más vontades, azias, e indisposições, que apenas se explicam com irrevogáveis adesões a intragáveis seitas que nada de bom trazem ou vão trazer ao grande Sporting Clube de Portugal...
Para quem fala em seitas, o comportamento não é diferente. Mas pior, um emaranhado de adjectivações com pouca base factual.

Pessoalmente, nada contra o basket. Pelo contrário.

Agora, lamento, quem potenciou as modalidades e duplicou as receitas do clube, torceu o nariz ao regresso a curto prazo exactamente pelo impacto que teria no orçamento e competitividade global. E com esse tipo, EU SEI ( todos sabemos) que a aposta foi feita de forma sustentável e crescentemente competitiva.

Quando se fala que "este não é o orçamento desta direção
" e depois da ladainha da megalomania e irresponsabilidade do orçamento, as cabecinhas pensadoras do sítio não se questionam que algo não bate certo.  Para cabecinhas pensadoras, questiona-se pouco.

Esqueçam lá a treta da relevância mundial e europeia que a realidade do basket em Portugal é a que é e é menos competitiva ( ou estou a mentir?) que as outras.
Concordo contigo na parte de estar algo reticente com os orçamentos, porque apesar de feliz pela aposta no basket, espero que o regresso do mesmo não prejudique as restantes e que continuemos competitivos.

Mas discordo, até porque tenho lido vários comentários nesse sentido, sobre a competitividade do basket português e de como isso possa ser prejudicial ou retire sentido à aposta. A verdade é que tirando o futsal e o hoquei, não há mais nenhuma modalidade "popular" onde somos candidatos.  Mas falando um pouco mais objectivamente, a última vez que tivemos presente numa grande competição de andebol foi no europeu de 2006, salvo erro. No voleibol a última vez que tivemos no europeu foi 2011 e num mundial foi em 2002. Só este ano conseguimos o feito de voltar à liga mundial principal depois de uma travessia menos boa pela liga europeia.
Felizmente temos melhorado na formação nestas duas modalidades e acredito e espero que o futuro seja melhor embora ainda estejamos longe de sermos candidatos ao que quer que seja e as qualificações para europeus vão continuar a ser tormentos difíceis de ultrapassar.

No basket curiosamente até conseguimos estar presente eu dois europeus neste século, 2011 e 2007. E temos tido resultados interessantes na formação. Ainda recentemente fizemos uma boa competição sub20 onde o Neemias foi o destaque e conseguiu um lugar na NCAA, o college basket dos USA. É talvez a nossa maior chance de ter um tuga na NBA embora eu não acredite muito. NCAA essa onde temos mais portugueses, algo impensável há anos atrás.
É verdade que o nosso nível não é grande coisa, e é uma modalidade bem mais difícil de ter sucesso internacional porque é a mais jogada em todo o mundo, muito popular, com uma escola de leste e dos Balcãs fortíssima e a nova vaga do sul da europa cada vez melhor, mas aquilo que Portugal tem de fazer é continuar a dar os seus passos, trazer gente competente, e mesmo com as nossas condicionantes físicas(somos um país de gente pequena), ir à luta. Espero que a entrada do Sporting ajude a isso.

E sinceramente até nem acho assim tão mau entrar neste timing, onde as coisas não estão a um nível muito elevado, e quiçá, elevá-lo.
Meu caro.

Acabámos de passar a fase de grupos do equivalente à Champions, em Andebol. E no ano passado, foi por um fio.

No Volei temos excelentes praticantes, muitos internacionais de países com tradição ( embora a maior parte no ocaso da carreira).

Futsal e hóquei nem vale a pena mencionar.

Eu não estou a dizer que não faz sentido não ter basket, seja pela razão x ou y.

Eu quero o basket e parabenizo a opção.

Pessoalmente, esperaria até final do ano até saber com que linhas me cozo.

As receitas mantêm-se, no mínimo? Tenho dúvidas. Muitas.
Ah ok, mas isso são coisas diferentes. Uma coisa é a competitividade do campeonato, outra do país. Sim, é verdade que no andebol estamos historicamente a viver um momento incrível. Mas também é verdade que há bem pouco tempo estávamos na Challenge, a terceira competição.

Eu quero acreditar que o basket não vai retirar competitividade. E espero que se esteja a trabalhar em patrocínios, em namings, em aumentar receitas e que não estraguem o que de excelente foi deixado pela anterior direcção.

E acredito também que o nivel competitivo do nosso campeonato vá melhorar com a nossa entrada. No Hoquei demos passos pequenos mas firmes, no voleibol optamos e bem pela não entrada ma Champions porque não faria sentido entrar logo na maior das competições, no basket fará sentido começar com uma equipa competitiva e depois na europa ir dando passos concretos, começando obviamente pela menor das competições. A limitação de estrangeiros é um problema.
Olha, mesmo sem o basket estou preocupado com a competitividade futura das modalidades.
E porque razão andam a comparar o Basket ao hóquei feminino?
"O Sporting não é o clube do tass bem", Paulo Freitas
E porque razão andam a comparar o Basket ao hóquei feminino?

Não tem qualquer comparação.

"nisto", é que se devia poupar uns cobres para outras coisas mais importantes/interessantes.
Há espaço para todas modalidades: basquetebol, hóquei, andebol, voleibol, goalball, etc.
Não vale a pena colocarmos umas modalidades "contra as outras".
Obviamente que as modalidades dos escalões femininos trarão sempre, regra geral, menos gente aos pavilhões.
Mas isto por razões culturais e quem sabe talvez possa mudar, ou pontualmente termos grandes assistências nos seniores femininos de basquetebol ou hóquei.
Acho o mesmo do que o basquetebol sénior. Tanta m**** com o rombo económico das rescisões e que é preciso arrumar a casa, mas depois metem mais carga no clube. Ou é irresponsabilidade, ou populismo.

Ao contrário do basquetebol só vai ver isto os familiares, e só se gostarem muito das filhas ou netas, ou quem tem uma vida que eu sinceramente tenho pena.

Quanto ao Basket, tem muitos seguidores no país, amantes da modalidade e que vão apoiar o Sporting sempre, eu incluído.
Fala por ti, eu vou acompanhar  :great:
E acho que falo por mais sportinguistas...

Entras naquele grupo que eu também mencionei

Acompanhar é uma coisa, mas sair de casa para ir ver um jogo é outra. Vou querer saber os resultados e quem são as jogadoras e assim. Mas dificilmente irei ao pavilhão ver um jogo, a verdade é esta. Tenho família/amigos/trabalho/outros jogos que prefiro ir

Então por favor não o comparem com Basket masculino, que tirando o futsal é o que poderá levar mais gente ao pavilhão, se não igual ou mais.

Por curiosidade, quais são as assistências dos rivais no basket vs outras modalidades?

Respondo-te assim. Porto não tem futsal, Benfica tem rugy que não temos, e Sportinguistas ligam mais às modalidades (e bem) que esses dois. Vês o pavilhão do Esgueira cheio todos os jogos, do Imortal também sempre bem composto. Falando de Basket apenas nesta última frase.

Não respondeste...  ;)

Então veremos. Mais que volleyball terá de certeza, andebol quase de certeza e tem tudo para rivalizar ou ultrapassar o Hóquei e potencial para ter mais que o futsal, pelo desporto que é a nível mundial e do que já foi a nível nacional.


Que disparate.

Bem sei. Se fosse com a antiga direcção, e estava previsto o basket, mas só na próxima época era aplaudido de pé, agora é encarado como a ovelha negra das modalidades.

Fuck it, pelo menos o meu apoio diário vai ter, mais que o futebol e outras modalidades, não pela competência das mesmas mas por gostar mais da modalidade e vai ter o meu apoio em todos os jogos em casa, garanto isso.

E vai saber melhor quando o Basket do Sporting ganhar, e espero que ganhe coisas dentro de anos que nenhuma equipa portuguesa alguma vez conseguiu  ;D


Quem veio falar de direcções foste tu.
Querem expulsar me. Mas não se importam de continuar a ca ter o tal user dakine, o tal que fazia parte da área de influência de pedro madeira rodrigues e depois virou para o ex presidente quando lhe cheirou a tacho e após levar chuto num jantar onde amigos meus da juventude popular estiveram, voltou a ficar contra ele. Eu não preciso disso. Tenho coluna.. Ah e ja agora fica a informação que ele chegou a ser militante da JP tambem, mas abandonou depois.

"A arbitragem até à 28ª jornada foi boa, bons árbitros e bom VAR" - Frederico Varandas
Parem com o off topic. A única parte do fórum em que se pode discutir realmente alguma coisa, é aqui nas modalidades. Não estraguem isso.

SL

Isso. Falem de hockey com miudas.
DA RAÇA QUE NUNCA VERGA!

Apesar da croquetada e Varandetes.