Marcel Keizer - Treinador do Sporting Clube de Portugal

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

A defender os alas desciam para uma linha de 5! 5-3-2

 A maior parte do tempo tínhamos uma linha de cinco, uma linha de quatro e o Bas Dost. Ou seja, um género de 5x4x1. Que, para mim, é um exagero e afasta-nos da pressão alta. Sem pressa alta, sempre que recuperamos a bola, estamos muito longe para aproveitar o desposicionamento do adversário. A organização defensiva mais eficiente será um 4x4x2, que precisa de ser agressiva sobre o portador da bola, subir ou descer em bloco e ter a linha mais recuada a controlar bem a profundidade. Meter mais atletas atrás disfarça a pouca organização e alguma falta de agressividade, foi o que o Marcel Keizer fez. E nem é a primeira vez (vs porto fez o mesmo).
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
lol. Até podiam jogar em 118. O que interessa é as dinâmicas e as transições, e isso não vejo nada ainda. Até pode ser que ele consiga dois modelos e até dois modelos num só jogo ^-^, mas como disse vamos ver porque até agora "nada".

Exacto. Toca a trabalhar nisso.
“A lot of football success is in the mind. You must believe you are the best and then make sure that you are.” - Bill Shankly
A defender os alas desciam para uma linha de 5! 5-3-2

 A maior parte do tempo tínhamos uma linha de cinco, uma linha de quatro e o Bas Dost. Ou seja, um género de 5x4x1. Que, para mim, é um exagero e afasta-nos da pressão alta. Sem pressa alta, sempre que recuperamos a bola, estamos muito longe para aproveitar o desposicionamento do adversário. A organização defensiva mais eficiente será um 4x4x2, que precisa de ser agressiva sobre o portador da bola, subir ou descer em bloco e ter a linha mais recuada a controlar bem a profundidade. Meter mais atletas atrás disfarça a pouca organização e alguma falta de agressividade, foi o que o Marcel Keizer fez. E nem é a primeira vez (vs porto fez o mesmo).

Sim a defender acabávamos por ficar em 541, e a equipa atrapalhava-se imenso na transiçao defensiva...
A meu ver correu bem porque os jogadores do Braga ficaram sem saber o que fazer na nossa linha defensiva, e ofensivamente as subidas do Ristovski a combinar com o Diaby acabaram c eles (fisicamente) na primeira parte.
E essas subidas tanto do Risto como do Acuna so foram possiveis porque tinham Ilori e Borja, respectivamente, nas costas.

Eu gostei, defensivamente falta organizaçao i guess... Será para manter?
Na minha opinião um 3-5-2 para funcionar bem não convém ter avançados como o Dost ou Luiz Phellipe. Prefiro avançados rápidos e potentes e que pressionem muito a saída de bola do adversário. Essa pressão alta é quase essencial mesmo.

Num 3-4-3 ou 3-4-2-1, aqueles dois extremos(ou vagabundos como preferirem) também terão de ser bastante bons na pressão alta e na agressividade defensiva.

Depois obviamente em processo defensivo a equipa agrupa-se em 5 defesas, mas isso e normal e não vejo mal nenhum. Aliás até dá alguma segurança.

Em processo ofensivo, e aqui admito que vai muito pela minha simpatia por alguns jogadores e ódios em relação a outros, preferia um meio campo com Doumbia e Wendel, mais móvel e com melhor saída para o ataque, e em jogos fáceis até um Bruno Wendel(ou no decorrer de jogos onde precisemos de marcar ou virar um resultado). Na frente, se for para ter dois homens a apoiar nas alas(como falso alas), Diaby e Raphinha até podem ser interessantes, se for um 10 mais vagabundo, temos o Bruno, pena não termos avançados móveis de qualidade.

Ontem a equipa variava durante o jogo. Houve momentos em que o Bruno estava mais no meio no apoio ao Diaby e ao Dost que estavam nitidamente a avançados, mas houve também momentos em que o Diaby descaiu na direita e o Bruno apesar de mais móvel, pisou mais a esquerda. Não desgosto dessa versatilidade.
Não concordo que o 352 não funcione contra equipas mais fechadas, pois se ontem houve Acuña e Ristovski nas laterais, no futuro pode haver Raphinha e Diaby com Jovane à espreita.

Por exemplo:

Ilori, Coates e Mathieu (Borja)

Raphinha, Wendel, Gudelj (Doumbia) Acuña e Diaby (Jovane)

Bruno Fernandes e Dost

Os alas são uma posição lixada, dessas alternativas que enumeras só Raphinha poderia funcionar como ala esquerdo. Diaby e Jovane seria impensável, os jogadores nessa posição precisam de ter algumas rotinas de lateral para a equipa não abrir uma via verde nessa zona, portanto esses dois só como avançados soltos na frente.

Uma solução que poderia ser engraçada era o Mama Baldé a fazer o papel de Ristovski ontem.
Eu estava a pensar no atual plantel e para o resto da época. O Diaby/Jovane na esquerda era obviamente para jogos contra as equipas mais fracas, onde Mathieu/Borja chegaria para as encomendas. Para os jogos mais difíceis estaria lá o Acuña.

Agora concordo que o Mama Balde poderia vir a ser uma excelente opção para o próximo ano :great:
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
 Um dia perceberão que o que vinga no Tugão são as dinâmicas que as equipas colocam em campo, a atitude de querer vencer a tudo o custo e a mentalidade de campeão. Até podemos jogar com três defesas e sete jogadores ofensivos, perante uma ausência de dinâmicas que proporcionem oportunidades de golo, que criem volume ofensivo, que sufoquem o adversário, de nada servirá. O 3x5x2 é tão eficiente por cá, como é o 4x3x3, o 5x3x2, o 4x4x2, o 3x4x3 ou o sistema que queiram numerar.

 O Marcel Keizer revelou o seu lado mais estratégico e saiu vencedor. Muito mérito na vitória. Agora, o jogo já passou, é bom para nós andarmos por cá a comentar e a esmiúça-lo, importante preparar a equipa para ganharmos o Villarreal e esse é o maior objectivo agora. Só um Sporting capaz, competitivo e crente conseguirá apurar-se para a próxima eliminatória da Liga Europa.

O que vinga no Tugão? O que vinga no futebol!
A defender os alas desciam para uma linha de 5! 5-3-2

 A maior parte do tempo tínhamos uma linha de cinco, uma linha de quatro e o Bas Dost. Ou seja, um género de 5x4x1. Que, para mim, é um exagero e afasta-nos da pressão alta. Sem pressa alta, sempre que recuperamos a bola, estamos muito longe para aproveitar o desposicionamento do adversário. A organização defensiva mais eficiente será um 4x4x2, que precisa de ser agressiva sobre o portador da bola, subir ou descer em bloco e ter a linha mais recuada a controlar bem a profundidade. Meter mais atletas atrás disfarça a pouca organização e alguma falta de agressividade, foi o que o Marcel Keizer fez. E nem é a primeira vez (vs porto fez o mesmo).

Sim a defender acabávamos por ficar em 541, e a equipa atrapalhava-se imenso na transiçao defensiva...
A meu ver correu bem porque os jogadores do Braga ficaram sem saber o que fazer na nossa linha defensiva, e ofensivamente as subidas do Ristovski a combinar com o Diaby acabaram c eles (fisicamente) na primeira parte.
E essas subidas tanto do Risto como do Acuna so foram possiveis porque tinham Ilori e Borja, respectivamente, nas costas.

Eu gostei, defensivamente falta organizaçao i guess... Será para manter?

Aconteceu várias vezes a linha de três ficar desposicionada e não haver segurança dos dois alas projectados. Podes ver isso muitas vezes mesmo.

Por acaso faltou acutilância e discernimento ao brega, mas a via rápida estava lá. Mesmo o Paulinho atrapalhou-se várias vezes quando podia ter jogado fácil. Nesse aspecto acabámos por ter sorte. O posicionamento e sobretudo a transição defensiva são um caos.
"A mim ninguém me descarta c******!No dia em que ele me descartar, é o dia em que ele cai, é o dia em que ele leva no focinho, ele como leva qualquer um"* by Pedro "Rabini" Silveira
*Ler com sotaque de mafioso de terceira dos arrabaldes de Lisboa.
Depois da vitória e EXIBIÇÃO de ontem foi buscar forças ao fundo do poço...

Mas continua na corda bamba... Mais depressa tropeça (tipo rui vitória) e cai do que dá continuidade a este resultado e EXIBIÇÃO e mantém-se por cá... Eu gosto da sua forma de estar, falar, encarar os problemas e "ser"... Mas importante é ganhar e se continuar a mostrar que não é comptetente para isso... infelizmente a vida é assim.

Que surpreenda, tire um coelho da cartola e ganhe os jogos todos até Maio que fica por cá na nova época :)
GUIMARÃES 2012 - A cultura do mundo numa só cidade...
www.sportingateamorte.blogspot.com
Foi uma boa tática para trancar o adversário.

Ofensivamente é que a coisa enfim.
Um remate mal amanhado do Dost de pé esquerdo e depois o 3o golo, esse sim que nasce de uma jogada.
De resto não me lembro de mais nada...

Enviado do meu SNE-LX1 através do Tapatalk

Sempre Sporting!
Os 352 não dá para o tugão, mas bem trabalhado dá para os jogos mais difíceis, que supostamente eram o problema que tinha o jogo vertigem. Vamos ver.

Raparaste que aquele mesmo onze a qualquer momento poderia jogar em 4231?

Em vários momentos do jogo foi o que aconteceu...jogamos num sistema híbrido e que se foi fixando num 352 a medida que íamos avolumando resultado
Avatar by GreenBlood

Σπόρτινγκ !
Mais que 352, 532, 541, 4231 ou outra coisa qualquer diria que se jogou com o autocarro: linhas recuadas e juntas contra adversário que vinha discutir o resultado. A diferença (gigante) de qualidade entre as unidades de um e outro lado fez o resto

Mesmo assim a 1ª ocasião de golo foi... do Esgaio.
Ok, foi uma bola parada, mas de um lançamento lateral na direita aparecer um tipo na esquerda a poder estoirar lá pra dentro (felizmente foi por cima)... é esclarecedor sobre a forma como (não) se defende.

Não por acaso a melhor ocasião que tivemos foi em transição, com boa abertura do suores frios, Ristowsky centrou bem e falha Dost... falhou bem
Tb não por acaso o 2º golo nasce de transição de um tipo que tem uma única arma: velocidade.
E tb não por acaso 1º e o 2º foram... de bola parada.

Por outro lado, o Braga e o Abel demonstraram, mais uma vez , toda a sua banalidade.
A meia-dúzia que encaixaram não foi só por serem os B's.
Nem a eliminação tão precoce quanto surpreendente da Europa foi um acaso.

Aquilo é uma equipa espremida, que colectivamente faz 120% dos pontos que estão ao alcance... com os mais fracos. Mais que isso ou brilharetes... népia.
Só um Spotinguezinho curto-circuitado, completamente desvalorizado por dentro ("de qualidade reduzida", diz o bronco), é que está a léguas na tabela destes tipos. Ou perde lá sem estrebuchar qualquer reacção ou defende, defende e defende na taça da cerveja.

Edit: uma nota final sobre o estádio, as moscas, as cadeiras vazias, os conflitos entre os adeptos (por mais de uma vez houve porrada na sul), os assobios das centrais, os silêncios da sul, as tentativas de suprir os silêncios da sul com croquetes+putos da primária, as tarjas de fora...
O clube está cada vez mais fracturado. Completamente a saque.
Ambiente de fim-de, festa quando o pessoal anda por cima dos restos a tentar sacar uma última bebida pró-caminho e deixa aquela merd* toda suja que o último apague a luz
« Última modificação: Fevereiro 19, 2019, 09:41 am por stick »
"Quem, ali do outro lado, tinha definido o ataque ao Benfica como principal instrumento da sua promoção individual, foi corrido pelos que achava serem seus. Espero que este gesto seja o princípio de uma regularização da vivência institucional que deve caracterizar os maiores clubes nacionais" (Luís Filipe Vieira, presidente de SAD acusada de vários crimes no E-Toupeira, explica, a 28-09-2018, o papel de Marta Soares, Henrique Monteiro, Torres Pereira, Sousa Cintra e G71).
Se não passa a eliminatória com o Villareal, por mim a sua passagem pelo Clube terminava logo ali.
"Para mim , o Sporting é como uma mulher que se ama logo à primeira vista. Um homem pode conhecer várias mulheres , mas há sempre ‘aquela’, a especial. Independentemente de ficarmos com ela ou não, lembramo-nos dela para sempre!" - Ivone De Franceschi
Mais que 352, 532, 541, 4231 ou outra coisa qualquer diria que se jogou com o autocarro: linhas recuadas e juntas contra adversário que vinha discutir o resultado. A diferença (gigante) de qualidade entre as unidades de um e outro lado fez o resto

Mesmo assim a 1ª ocasião de golo foi... do Esgaio.
Ok, foi uma bola parada, mas de um lançamento lateral na direita aparecer um tipo na esquerda a poder estoirar lá pra dentro (felizmente foi por cima)... é esclarecedor sobre a forma como (não) se defende.

Não por acaso a melhor ocasião que tivemos foi em transição, com boa abertura do suores frios, Ristowsky centrou bem e falha Dost... falhou bem
Tb não por acaso o 2º golo nasce de transição de um tipo que tem uma única arma: velocidade.
E tb não por acaso 1º e o 2º foram... de bola parada.

Por outro lado, o Braga e o Abel demonstraram, mais uma vez , toda a sua banalidade.
A meia-dúzia que encaixaram não foi só por serem os B's.
Nem a eliminação tão precoce quanto surpreendente da Europa foi um acaso.

Aquilo é uma equipa espremida, que colectivamente faz 120% dos pontos que estão ao alcance... com os mais fracos. Mais que isso ou brilharetes... népia.
Só um Spotinguezinho curto-circuitado, completamente desvalorizado por dentro ("de qualidade reduzida", diz o bronco), é que está a léguas na tabela destes tipos. Ou perde lá sem estrebuchar qualquer reacção ou defende, defende e defende na taça da cerveja.

Edit: uma nota final sobre o estádio, as moscas, as cadeiras vazias, os conflitos entre os adeptos (por mais de uma vez houve porrada na sul), os assobios das centrais, os silêncios da sul, as tentativas de suprir os silêncios da sul com croquetes+putos da primária, as tarjas de fora...
O clube está cada vez mais fracturado. Completamente a saque.
Ambiente de fim-de, festa quando o pessoal anda por cima dos restos a tentar sacar uma última bebida pró-caminho e deixa aquela merd* toda suja que o último apague a luz


Moral da historia: O Sporting precisa de uma dupla de PL,s com outras valências...o BAS DOST não encaixa minimamente.
Para mim a exibição e o resultado na quinta feira e no fim de semana deveriam ser decisivos para sua continuidade ou não.
Tem de dar mais, mostrar mais e ser mais ambicioso no discurso
Vejo em alguma imprensa, talvez até toda, que keizer montou a equipa em 3x4x3, a meu ver é falso, jogamos em 3x5x2 o que é bem diferente. Essencialmente Keizer procurou povoar o meio campo e defender na zona central da defesa com mais um elemento. Na frente este esquema procura dar maior liberdade a B. Fernandes e Diaby no apoio a Bas Dost. Este esquema encaixa bem em Ilori, B. Fernandes, Acuña, Wendel e Diaby (goza de maior liberdade disfarçando os defeitos que tem e, fazer uso da sua velocidade para aparecer nas costas dos defesas ou entre o central e o lateral). Gostava de ver Mathieu no lugar de Borja (apesar de ter gostado da sua atuação) e Raphinha no lugar de Ristovski.
Até ver parece-me que este esquema tático tem pernas e "atores" para ser colocado em prática. 
Vejo em alguma imprensa, talvez até toda, que keizer montou a equipa em 3x4x3, a meu ver é falso, jogamos em 3x5x2 o que é bem diferente. Essencialmente Keizer procurou povoar o meio campo e defender na zona central da defesa com mais um elemento. Na frente este esquema procura dar maior liberdade a B. Fernandes e Diaby no apoio a Bas Dost. Este esquema encaixa bem em Ilori, B. Fernandes, Acuña, Wendel e Diaby (goza de maior liberdade disfarçando os defeitos que tem e, fazer uso da sua velocidade para aparecer nas costas dos defesas ou entre o central e o lateral). Gostava de ver Mathieu no lugar de Borja (apesar de ter gostado da sua atuação) e Raphinha no lugar de Ristovski.
Até ver parece-me que este esquema tático tem pernas e "atores" para ser colocado em prática.

Não. 3-4-2-1 ou, quando muito, 3-4-3.
Vejo em alguma imprensa, talvez até toda, que keizer montou a equipa em 3x4x3, a meu ver é falso, jogamos em 3x5x2 o que é bem diferente. Essencialmente Keizer procurou povoar o meio campo e defender na zona central da defesa com mais um elemento. Na frente este esquema procura dar maior liberdade a B. Fernandes e Diaby no apoio a Bas Dost. Este esquema encaixa bem em Ilori, B. Fernandes, Acuña, Wendel e Diaby (goza de maior liberdade disfarçando os defeitos que tem e, fazer uso da sua velocidade para aparecer nas costas dos defesas ou entre o central e o lateral). Gostava de ver Mathieu no lugar de Borja (apesar de ter gostado da sua atuação) e Raphinha no lugar de Ristovski.
Até ver parece-me que este esquema tático tem pernas e "atores" para ser colocado em prática.

Não. 3-4-2-1 ou, quando muito, 3-4-3.
Discordo, do 3-4-2-1 de que falas porque B. Fernandes não jogou a par de Diaby, este último jogou mais avançado, embora B. Fernandes tenha jogado à frente de  Gudelj e Wendel. Quanto ao 3-4-3 também discordo porque B. Fernandes não jogou a extremo esquerdo ou médio esquerdo.
 No momento defensivo: 5x4x1. O que é bom para dar cobertura ao Acuña que normalmente recua a passo. Ao metermos uma linha de cinco atrás, libertamos um médio (que cobria o lateral-esquerdo) para fechar o corredor central. Com dinâmica defensiva bem articulada, temos as coberturas bem feitas, logo tiramos mais espaço ao adversário.

 No momento ofensivo: 3x1x3x2x1. Ou seja, iniciamos a construção com uma linha a três, com um médio defensivo mais à frente. Na linha do médio 8, que funciona como médio de transporte e de apoios aos corredores laterais, joga dois alas bem abertos. À frente do médio 8 e alas, temos dois atletas que podem facilmente procurar a profundidade, a verticalidade, podem atacar zonas de finalização pois são dois jogadores móveis e livres de posições. Na frente, temos o ponta-de-lança.

 Isto é o que me parece em termos de organização numérica. As dinâmicas estão ainda muito verdes, são precisos muitos mais jogos com este modelo de jogo para podermos ter melhores dinâmicas, para começar está bom. Resta agora a dúvida, se vamos consolidar o modelo ou se vamos usar outras nuances / modelos. Temos que consolidar um modelo de jogo, para posteriormente consoante o adversário poder trabalhar esse modelo e contrariar o adversário. Andarmos a mudar todo o modelo, toda uma forma de jogar, consoante o adversário, vai originar péssimos resultados (é isso que temos visto!).

 Acredito que o Marcel Keizer sabe perfeitamente disto, tem é pouco tempo para trabalhar e a pressão dos resultados, a pressão dos adeptos e a exigência (?) de um clube que tem que lutar pelos lugares cimeiros e ambicionar títulos. Veremos como vão ser os próximos jogos e como acabará a época.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
@Chown

No "momento ofensivo", o que vimos neste último jogo era o Wendel ao lado do Gudelj. Por isso, se calhar diria mais um 3-4-2-1.
Mas como dizes, foi só um jogo, não posso ainda tirar conclusões.
De resto, tudo de acordo
Desculpem lá mas sinceramente não foi o 343 ou 351 ou 112 ou o raio que mudou. O que mudou foi, essencialmente, a atitude da equipa. E aqui o treinador não me parece que tenha grande influência. Até porque não vejo no k0 um motivador nato. Vejo mais um pacifista mole.

Alguma coisa mudou e não foi o sistema táctico.

O sporting fez uns jogos muito bons, à semelhança do de domingo, quando chegou. Depois a equipa foi abaixo. E quando digo foi abaixo, digo os jogadores deixaram de jogar. Andavam a pastar em campo. De repente, e logo contra o Braga, voltam a fazer uma exibição de luxo.

Não me f**** com o sistema táctico. Aqui há mais qualquer coisa...

Terá sido a saida do nani? Do montero não acredito muito.
Terá sido salário em atraso como já referiram por aqui? Não sei.
Sei que alguma coisa extra-futebol aconteceu.