Marcel Keizer - Treinador do Sporting Clube de Portugal

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

Marcel tem dois anos de contrato (este e mais um)?

2021. Mas todos sabemos que não chega ao fim caríssimo
"Infelizmente, o Sporting é o Clube mais divisionista, intriguista e falso-puritano que conheço. Por muito que doa aos sportinguistas, não há sentido de Corpo neste Clube. Somos todos sportinguistas, sim senhor, mas desde que o Sporting seja à medida de cada um e não à medida de todo o mundo leonino. Há quem exulte com as derrotas do clube, se isso significar estar um passo mais perto do lugar, do cargo, da posição ou, como se diz na gíria leonina, do "croquete" "
O jz já se desafivelou?  :xock:

Foi rápido
https://omeiocampo.wordpress.com/2019/01/20/se-queres-meter-entre-linhas-tens-de-criar-esse-espaco-sporting-e-como-as-equipas-portuguesas-tem-limitado-keizer/

É preciso tempo e concordo a 100% com esse post no teu blog.

Importante também era abordar o Sporting em momentos de pressão e organização defensiva. Bem como a exigência do Keizer relativamente à ocupação de espaços no momento de defender (Acuña, Gudelj, Nani e Diaby cumprem pouco).

Acho que a importância do Raphinha vai muito além dos momentos ofensivos. A defender o Raphinha é muito mais capaz, "solidário" e forte nos HxH. Além disso, ocupa muito melhor os espaços que o Diaby que ao nível da concentração competitiva é ZERO.

Risto ajuda a equilibrar a equipa, apesar do pouco critério com bola que aumenta as perdas em posse.

Gostei das melhorias em Santa Maria da Feira.

Ristovski é mais ponderado nas saídas para o ataque. Gudelj e os centrais estiveram fortíssimos e constantemente a anular as saídas para o ataque encostando na referência de saída do adversário. Raphinha ofereceu outro apoio ao Risto e ao meio-campo que o Diaby nunca deu ou dará.

Acho que a equipa pode melhorar com melhores individualidades mas existe muita coisa que é trabalhada de forma superficial e desleixada pelo Keizer. Os momentos defensivos é notório que estão ali algumas ideias mas com muito pouco trabalho/sistematização/rotina. Ofensivamente, a equipa valeu-se muito da entrada directa no Dost que nos últimos jogos foi inexistente (diga-se que é facilmente anulável pela baixa capacidade de decisão e definição do holandês).
"O Sporting tem os melhores adeptos do Mundo mas os piores sócios do Mundo porque são, constantemente, incapazes de decidir o melhor para o clube" PMR, 1/11/2018

CONTRA TUDO E CONTRA TODOS! SPORTING SEMPRE!
Depois destes próximos 4 jogos , pira-se para a Holanda e já não volta.
Vieira 04/04/2017

" Lentamente temos estado a colaborar em unir o Sporting. Vamos ignora lo " em relação a Bruno de Carvalho.

"Brunismo" expressão usada 1º por Pedro Guerra no Prolongamento.
Marcel, a cair que o faças fiel às tuas ideias.
Não tentes ser aquilo que nunca serás
https://omeiocampo.wordpress.com/2019/01/20/se-queres-meter-entre-linhas-tens-de-criar-esse-espaco-sporting-e-como-as-equipas-portuguesas-tem-limitado-keizer/

É preciso tempo e concordo a 100% com esse post no teu blog.

Importante também era abordar o Sporting em momentos de pressão e organização defensiva. Bem como a exigência do Keizer relativamente à ocupação de espaços no momento de defender (Acuña, Gudelj, Nani e Diaby cumprem pouco).

Acho que a importância do Raphinha vai muito além dos momentos ofensivos. A defender o Raphinha é muito mais capaz, "solidário" e forte nos HxH. Além disso, ocupa muito melhor os espaços que o Diaby que ao nível da concentração competitiva é ZERO.

Risto ajuda a equilibrar a equipa, apesar do pouco critério com bola que aumenta as perdas em posse.

Gostei das melhorias em Santa Maria da Feira.

Ristovski é mais ponderado nas saídas para o ataque. Gudelj e os centrais estiveram fortíssimos e constantemente a anular as saídas para o ataque encostando na referência de saída do adversário. Raphinha ofereceu outro apoio ao Risto e ao meio-campo que o Diaby nunca deu ou dará.

Acho que a equipa pode melhorar com melhores individualidades mas existe muita coisa que é trabalhada de forma superficial e desleixada pelo Keizer. Os momentos defensivos é notório que estão ali algumas ideias mas com muito pouco trabalho/sistematização/rotina. Ofensivamente, a equipa valeu-se muito da entrada directa no Dost que nos últimos jogos foi inexistente (diga-se que é facilmente anulável pela baixa capacidade de decisão e definição do holandês).

SIm, há coisas que notas que ainda não passaram das primeiras intenções. Um modelo destes leva tempo a ser incorporado. Luis Castro teve sempre problemas no início da época. Quique Setién idem aspas. A pressão dos resultados é altíssima e nem todos sabem lidar com ela... Vamos ver o que acontecerá
SIm, há coisas que notas que ainda não passaram das primeiras intenções. Um modelo destes leva tempo a ser incorporado. Luis Castro teve sempre problemas no início da época. Quique Setién idem aspas. A pressão dos resultados é altíssima e nem todos sabem lidar com ela... Vamos ver o que acontecerá

 Por isso é que é fundamental manter-se fiel às suas ideias e continuar a insistir até tudo começar a ser muito mais fluído. A sensação que fica é que estamos a regredir imenso, seja por falta de rotação do plantel, seja por falta de tempo para o treino, seja por cansaço físico e mental, seja pela pressão dos resultados, seja pela crítica mediática. O Marcel Keizer se quer vingar no Sporting tem que se manter fiel a si próprio, fiel à sua identidade de jogo e tomar decisões nesse sentido, se tiver que deixar cair algum jogador, que deixe cair.

 Por mais injusto que possa ser, vejo o Marcel Keizer a se aproximar mais do futebol do José Peseiro, que a se aproximar do futebol que levou a contratá-lo e isso é muito perigoso. Que volte rapidamente aos seus princípios, que ignore todo o ruído em torno do seu trabalho, que certamente assim conseguirá vingar por cá. Caso contrário, acabará por ser mais um, num clube que sistematicamente anda de convulsão em convulsão.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
SIm, há coisas que notas que ainda não passaram das primeiras intenções. Um modelo destes leva tempo a ser incorporado. Luis Castro teve sempre problemas no início da época. Quique Setién idem aspas. A pressão dos resultados é altíssima e nem todos sabem lidar com ela... Vamos ver o que acontecerá

 Por isso é que é fundamental manter-se fiel às suas ideias e continuar a insistir até tudo começar a ser muito mais fluído. A sensação que fica é que estamos a regredir imenso, seja por falta de rotação do plantel, seja por falta de tempo para o treino, seja por cansaço físico e mental, seja pela pressão dos resultados, seja pela crítica mediática. O Marcel Keizer se quer vingar no Sporting tem que se manter fiel a si próprio, fiel à sua identidade de jogo e tomar decisões nesse sentido, se tiver que deixar cair algum jogador, que deixe cair.

 Por mais injusto que possa ser, vejo o Marcel Keizer a se aproximar mais do futebol do José Peseiro, que a se aproximar do futebol que levou a contratá-lo e isso é muito perigoso. Que volte rapidamente aos seus princípios, que ignore todo o ruído em torno do seu trabalho, que certamente assim conseguirá vingar por cá. Caso contrário, acabará por ser mais um, num clube que sistematicamente anda de convulsão em convulsão.
Sim, se leres o artigo é precisamente isso que escrevo.
Espero (e acredito) que a equipa vá melhorando aos poucos. E que entre novamente numa rota propícia
Sim, se leres o artigo é precisamente isso que escrevo.
Espero (e acredito) que a equipa vá melhorando aos poucos. E que entre novamente numa rota propícia

 Tem que mexer no XI. Falas na questão do Gudelj baixar para entre os centrais, é um movimento que raramente o faz, mas como já o fez, de quem será a culpa de se deixar ficar entre dois avançados? Creio que precisamos aqui de outro tipo de atletas, que espero que seja o Doumbia. Baixar para entre os centrais, abrir um bocado mais a primeira fase de construção, arriscar o passe para dentro do bloco do adversário, mais velocidade a ler os lances. O Bruno Fernandes houve uma fase que baixava imenso, por incapacidade do Gudelj, para pegar no jogo e ser ele próprio a iniciar a construção, sem ser o movimento ideal (concordamos, penso, que o Bruno é mais eficiente dentro do bloco, que a sair do mesmo) era uma solução, deixamos de usar a mesma. O Wendel tem que se mover bem mais, tanto na procura da profundidade, como a se mover dentro do bloco do adversário para arrastar marcações e abrir espaços, que depois são aproveitados pelos extremos para receber e rodar.

 Há, para mim, três questões fundamentais para o retrocesso do Marcel Keizer. O Gudelj, o cansaço físico e a pressão mediática. Esperava outro tipo de blindagem por parte do holandês nas questões mediáticas, como alguém disse, o corporativismo está a resultar.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Sim, se leres o artigo é precisamente isso que escrevo.
Espero (e acredito) que a equipa vá melhorando aos poucos. E que entre novamente numa rota propícia

 Tem que mexer no XI. Falas na questão do Gudelj baixar para entre os centrais, é um movimento que raramente o faz, mas como já o fez, de quem será a culpa de se deixar ficar entre dois avançados? Creio que precisamos aqui de outro tipo de atletas, que espero que seja o Doumbia. Baixar para entre os centrais, abrir um bocado mais a primeira fase de construção, arriscar o passe para dentro do bloco do adversário, mais velocidade a ler os lances. O Bruno Fernandes houve uma fase que baixava imenso, por incapacidade do Gudelj, para pegar no jogo e ser ele próprio a iniciar a construção, sem ser o movimento ideal (concordamos, penso, que o Bruno é mais eficiente dentro do bloco, que a sair do mesmo) era uma solução, deixamos de usar a mesma. O Wendel tem que se mover bem mais, tanto na procura da profundidade, como a se mover dentro do bloco do adversário para arrastar marcações e abrir espaços, que depois são aproveitados pelos extremos para receber e rodar.

 Há, para mim, três questões fundamentais para o retrocesso do Marcel Keizer. O Gudelj, o cansaço físico e a pressão mediática. Esperava outro tipo de blindagem por parte do holandês nas questões mediáticas, como alguém disse, o corporativismo está a resultar.
Eu acho que consegues melhorar mesmo sem mexer no 11... Arranjar os tais mecanismos para poder entrar atrás da linha que vem na pressão quando alguém faz movimentos em apoio.  Agora no imediato sim, mexia no 11. Como acabei de dizer no Twitter, era capaz de entrar em Braga com Petrovic e Gudelj, não como questão defensiva, mas para promover uma circulação mais baixa e "enganar" o Braga que certamente irá preparado para juntar bem a linha média e a linha defensiva. Petrovic mais junto dos centrais, Gudelj com um posicionamento que até se aproxima do que faz actualmente e movimentos em apoio, de um lado de Nani, do outro de Wendel, para produzir jogadas deste tipo:


Construção a 3 para atrair os dois da frente da pressão do Braga e colocar Gudelj mais à vontade, permitindo também arriscar um pouco mais no passe para dentro do bloco. Movimentos em apoio de Nani do lado esquerdo e de Wendel ou bruno do lado direito para atrair o elemento da linha média do Braga e atravez de combinações rápidas entrar logo nas costas quando saltam na pressão. Entrando nesse espaço, apoio de Dost e Acuña e Raphinha a fazerem uma diagonal, partindo das costas do defesa lateral para o espaço que Dost ajudou a libertar. Seria isto que eu tentaria fazer...
Como acabei de dizer no Twitter, era capaz de entrar em Braga com Petrovic e Gudelj,

 Tentaria algo dentro dessa ideia com o Miguel Luís no lugar do Gudelj. É muito mais seguro, mais assertivo e posteriormente mais comprometido fisicamente com o jogo. E eu sentava o Nani, metia o Bruno Fernandes como interior esquerdo, o Raphinha como extremo do lado direito, que é alguém que descai imenso durante o jogo para esse corredor. Creio que vamos repetir o XI do último jogo, infelizmente.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Como acabei de dizer no Twitter, era capaz de entrar em Braga com Petrovic e Gudelj,

 Tentaria algo dentro dessa ideia com o Miguel Luís no lugar do Gudelj. É muito mais seguro, mais assertivo e posteriormente mais comprometido fisicamente com o jogo. E eu sentava o Nani, metia o Bruno Fernandes como interior esquerdo, o Raphinha como extremo do lado direito, que é alguém que descai imenso durante o jogo para esse corredor. Creio que vamos repetir o XI do último jogo, infelizmente.

Para ver se percebo, querem jogar com o Braga com o Miguel Luis a 6 e o Petrovic a 8?
Para ver se percebo, querem jogar com o Braga com o Miguel Luis a 6 e o Petrovic a 8?

 Ao contrário.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Para ver se percebo, querem jogar com o Braga com o Miguel Luis a 6 e o Petrovic a 8?

 Ao contrário.

Ufa.. Percebi mal.  :great:
Mas mesmo assim, um meio campo que nunca jogou junto, com um jogador que não assume jogo e um miudo timido. Eu acho suicidio.
Ufa.. Percebi mal. 
Mas mesmo assim, um meio campo que nunca jogou junto, com um jogador que não assume jogo e um miudo timido. Eu acho suicidio.

 Podes sempre testar o Gudelj a 6 e o Miguel Luís a 8. Nenhum dos nossos atletas que jogam a 6 assumem o jogo, por isso, tanto faz ser um, como o outro.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
A ideia actual tem pouco a ver com a ideia de há dois meses atrás.

Ele lá saberá o que pretende e se está a moldar-se ao estilo português ou a deixar-se contaminar. Limito-me a dizer que tenho pena que tenha abdicado, aparentemente, da ideia e estilo que trazia.
Campo Grande paga a traidores.
A ideia actual tem pouco a ver com a ideia de há dois meses atrás.

Ele lá saberá o que pretende e se está a moldar-se ao estilo português ou a deixar-se contaminar. Limito-me a dizer que tenho pena que tenha abdicado, aparentemente, da ideia e estilo que trazia.

Ele não abandonou rigorosamente nada, simplesmente os adversários ajustaram-se à sua maneira de jogar, bloqueando o sector central e encurtando as linhas. O que o Keizer precisa é de acrescentar mais noções tácticas de modo a reverter isso. Agora é preciso tempo e a jogar de 3 em 3 dias isso não é possível.

Até nisso o peseiro foi incompetente, não conseguiu nos deixar eliminados da taça da liga e que falta nos fazia esse tempo agora.     
A ideia actual tem pouco a ver com a ideia de há dois meses atrás.

Ele lá saberá o que pretende e se está a moldar-se ao estilo português ou a deixar-se contaminar. Limito-me a dizer que tenho pena que tenha abdicado, aparentemente, da ideia e estilo que trazia.

Ele não abandonou rigorosamente nada, simplesmente os adversários ajustaram-se à sua maneira de jogar, bloqueando o sector central e encurtando as linhas. O que o Keizer precisa é de acrescentar mais noções tácticas de modo a reverter isso. Agora é preciso tempo e a jogar de 3 em 3 dias isso não é possível.

Até nisso o peseiro foi incompetente, não conseguiu nos deixar eliminados da taça da liga e que falta nos fazia esse tempo agora.     

O único jogo em que abdicamos verdadeiramente foi contra o Porto.
De resto tentamos sempre jogar como desde início. As equipas é que estão cada vez mais preparadas para jogar contra nós. Cabe agora ir introduzindo variantes qu permitam tornar o nosso jogo mais imprevisível e que permitam encontrar caminhos alternativos. As equipas bloqueiam o acesso aos interiores? Temos de atrair a linha média, abrir o espaço entre-linhas, e deixar lá alguém enquadrado.
A ideia actual tem pouco a ver com a ideia de há dois meses atrás.

Ele lá saberá o que pretende e se está a moldar-se ao estilo português ou a deixar-se contaminar. Limito-me a dizer que tenho pena que tenha abdicado, aparentemente, da ideia e estilo que trazia.

Ele não abandonou rigorosamente nada, simplesmente os adversários ajustaram-se à sua maneira de jogar, bloqueando o sector central e encurtando as linhas. O que o Keizer precisa é de acrescentar mais noções tácticas de modo a reverter isso. Agora é preciso tempo e a jogar de 3 em 3 dias isso não é possível.

Até nisso o peseiro foi incompetente, não conseguiu nos deixar eliminados da taça da liga e que falta nos fazia esse tempo agora.     

O único jogo em que abdicamos verdadeiramente foi contra o Porto.
De resto tentamos sempre jogar como desde início. As equipas é que estão cada vez mais preparadas para jogar contra nós. Cabe agora ir introduzindo variantes qu permitam tornar o nosso jogo mais imprevisível e que permitam encontrar caminhos alternativos. As equipas bloqueiam o acesso aos interiores? Temos de atrair a linha média, abrir o espaço entre-linhas, e deixar lá alguém enquadrado.

 :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: :mais: