As nossas Finanças

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Mas na minha opinião faz sentido investir por blocos: acções mundiais, depois norte-americanas, europeias, japonesas, etc etc etc, diversificando as aplicações por todas as zonas do planeta.

Acções mundiais, depois norte-americanas é redundante visto que os USA representam 62% das acções mundiais.

Por outro lado faz mais sentido, para a generalidade dos "investidores" portugueses, apenas dois fundos:
acções mundiais e
obrigações zona euro.

Para começar num mix de 20% acções mundiais e 80% obrigações zona euro. Passados 12-18 meses "rebalançar" a estratégia
vendendo parte do fundo que mais valorizou e reinvestindo no que menos valorizou, para voltar ao equilíbrio percentual pretendido.

É um problema com o qual não me deparo visto que não tenho poupanças :lol:

 ;D

A sério, 100€ por mês a irem distribuídos num bom portfólio de fundos e é das melhores poupanças que pode haver a longo prazo. Eu tenho 300 mensais, em breve irei duplicar para 600 (saio de licença de paternidade), recomendo que quem tenha possibilidades não deixe um único cêntimo em depósitos a prazo nos bancos, apenas o equivalente a 1-2 ordenados em conta corrente para a gestão normal da economia caseira.

E não queres partilhar esse teu portefólio?  :mrgreen:

No problem... é é sueco. ;D

Então cá vai:

Obrigações/Juros:
AMF Fonder RäntefondLång - obrigações da dívida sueca, sobretudo estado sueco em diferentes estados de maturação. Tem comissões quase nulas.
Spiltan Fonder Högräntefond - este é um bocadinho especial, é um fundo gerido activamente e que investe nas obrigações de 0 a 10 anos mas de empresas escolhidas a dedo, quase todas nórdicas. Como é activamente gerido, tem uma comissão mais alta, mas só um nadinha, pelo que acho que compensa.

Acções - Suécia (geridos activamente, mas neste mercado não há passivos)
AMF Fonder AktiefondSverige - este segue tão fielmente quanto possível a Stockholm OMX. Foi o mais barato em comissão dos que tinha pra escolher dentro do mesmo género e com bons resultados (o meu banco não me oferece todos à escolha).
AMF Fonder AktiefondSmåbolag SEK - este é semelhante ao outro, também activo, e é dos melhores no "small cap" (empresas médias/pequenas) nos que tinha disponíveis à escolha.

Acções - Globais - Índices (são baratos em comissões, leia-se não são geridos activamente)
Handelsbanken Europafond Index SEK - segue o MSCI Europe Select Global Norms & Ex Controversial Businesses Index (o próprio nome explica tudo) e tem comissão baixa com bons resultados
Handelsbanken GlobalSmåbolag Indx   SEK - segue o MSCI World Small Cap Select Global Norms & Criteria (o próprio nome explica tudo) e tem comissão baixa e bons resultados
Länsförsäkringar Tillväxtmarknad Ind SEK - segue o MSCI Emerging Markets (mercados sobretudo asiáticos). Por causa da guerra comercial tem estado muito abaixo do que costuma dar, mas é muito barato nas comissões e acredito que daqui a uns tempos se torne novamente popular
SPP Fonder AktiefondUSA SEK - segue tão fielmente quanto possível o MSCI USA Index (o nome explica tudo) e é barato em comissões
Swedbank Robur Access Global SEK - segue fielmente o MSCI World Net (são as grandes empresas mundiais, algumas delas até fazem sobreposição noutros índices, como é lógico) e tem comissões muito baixas

Acções - Nichos (Globais e/ou Suecos) (geridos activamente, com comissões mais ou menos altas)
DNB Teknologi SEK - empresas tecnológicas escolhidas a dedo a nível mais mundial
Swedbank Robur Ny Teknik Robur SEK - parecido, mas com foco no mercado sueco (muitas startups)
Handelsbanken Hälsovård Tema SEK - empresas ligadas à saúde (muitas farmacêuticas) a nível mundial
Länsförsäkringar Fastighetsfonden SEK - empresas nórdicas ligadas à construção e gestão de propriedades
Spiltan Fonder Aktiefond Investmentb SEK - empresas de investimento no mercado sueco (empresas essas que investem muitas vezes nas outras todas que estão nos outros fundos todos)


Só para acrescentar que esta é uma estratégia como qualquer outra, cada um deve fazer a sua. As minhas prioridades foram:
a) diversificar
b) comissões tão baixas quanto possível para os que seguem fielmente os índices
c) fundos activos com comissões altas só com muito bom histórico e depois de investigar o conteúdo e a pessoa que gere o fundo
Obrigado!

Pois, sendo suecos teria que ter conta num banco sueco, certo?

Procura no AB/BIG/Best os fundos "index" da Amundi, Pictet e BNI. Segue as acções mundiais e esquece as escandinavas de loiros cabelos e olhos azuis, não justifica a maçada. Se queres investir nisso procuras um fundo de acções escandinavas e negoceia-lo através dos bancos que te falei, entre esses 3 tens uma oferta gigante de opções e acabas a fazer aquilo que o Celsus diz, só que por uma via mais simples e fácil, investindo lá a partir de cá.

Mas na minha opinião faz sentido investir por blocos: acções mundiais, depois norte-americanas, europeias, japonesas, etc etc etc, diversificando as aplicações por todas as zonas do planeta.

Exacto.

As americanas agora estão a dar-lhe bem, mas parte do efeito é o fortalecimento do dólar. Mas é sempre um mercado em que vale a pena investir. Depois um para as grandes europeias e um para os mercados dos países em desenvolvimento e/ou asiáticos. Cuidado com Russia ou Brasil devido à volatilidade, Japão não tenho opinião formada por aí e além. Se for possível um que cubra o small cap, mas aí tem de existir uma certa arte para encontrar os mercados certos.
Voltando aos Certificados de Aforro:

Tenho uns CA Série B e queria calcular a sua taxa de juro. Penso que a partir da tabela de reembolso é possível, não sei é se estarei a pensar bem, vejamos:

As tabelas de reembolso dão nos um fator pelo qual devemos multiplicar as unidades de participação consoante o mês e ano da sua aquisição. Ora esse fator é tanto maior quanto mais antigo é o CA, pelo que na minha ideia a sua taxa de crescimento (negativa) será no fundo correspondente à taxa de juro do CA mas com valor positivo. Estarei a raciocinar bem?  :think:

EDIT: esqueçam o que está acima, acho que não tem nada a ver, estava a fazer uma grande confusão... vou pesquisar melhor e depois coloco aqui a resposta.

EDIT 2:

"Taxa de Juro

A taxa de juro base calculada  através de 0,60*TBA é acrescida de um prémio de 1%, o qual manter-se-á em vigor para as capitalizações que ocorrerem até 31 de março de 2017, não podendo resultar deste mecanismo uma taxa de remuneração superior a 5%.

Prémios de Permanência

Os prémios de permanência, que acrescerão à taxa acima calculada,  foram fixados no n.º 3 da Portaria n.º 1219/1991, de 26 de Dezembro.

O prémio é de 0,25% no 2º semestre de capitalização e aumenta 0,25% em cada um dos semestres seguintes até atingir 2%.

Atualmente todos os certificados vivos apresentam o prémio máximo, ou seja, de 2%.
"


Ou seja, não percebo nada disto...
« Última modificação: Setembro 20, 2018, 09:46 am por LuisT_76 »
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Se não for indiscrição, quais os teus fornecedores?

A Endesa neste momento parece-me ser a que melhor tarifas oferece na Luz+Gás, e quanto à Net, a minha mulher trabalha lá, às vezes há umas campanhas para Família e Amigos que já tenho divulgado aqui... :mrgreen:

Quanto à saúde da tua namorada, porque não fazes umas contas a ver se um seguro de saúde te compensa?


Tenho a Galp para Luz e Gás (o consumo ronda os 70€-90€ mês, como trabalho em casa gasto um pouco mais e pelas simulações que fiz fica mais ou menos o mesmo seja qual for o operador) e a Vodafone (28.89 com TV/NET/VOZ é o mais barato de todos). O problema é a BeWater que é um ROUBO onde a conta média da água oscila entre os 40 e os 50€ com uma média de consumo de 9 a 10 m3 por mês!!

Eu tenho seguro de saúde da empresa para mim, se a quisesse adicionar ficava a 50€ por mês com as mesmas coberturas (o seguro de saúde que tenho cobre tudo e um par de botas). No entanto, o problema dela é essencialmente (para não dizer completamente) hipocondria. Daí que fazendo as contas, se ela tivesse seguro provavelmente teria também mais "doenças" e acabaria por gastar mais do que poupar. É algo que vou chegar ao final deste ano e fazer as contas.


Livras-te do carro, cão, gato e namorada.
Assim poupas fácil.  :twisted: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

O cão e o gato já me afeiçoei a eles, agora a namorada e o carro há dias que bem vontade dá de me desfazer deles :D

Ainda ontem depois deste post a minha namorada ligou-me à noite para a ir buscar porque a embraiagem do carro f***-** de vez... ou seja, mais 200 a 300€ para esta porcaria. Não dá MESMO para poupar. O jeito que dava ter um pai rico que me tivesse deixado um pé de meia para eu começar a minha vida profissional lol
Voltando aos Certificados de Aforro:

Tenho uns CA Série B e queria calcular a sua taxa de juro. Penso que a partir da tabela de reembolso é possível, não sei é se estarei a pensar bem, vejamos:

As tabelas de reembolso dão nos um fator pelo qual devemos multiplicar as unidades de participação consoante o mês e ano da sua aquisição. Ora esse fator é tanto maior quanto mais antigo é o CA, pelo que na minha ideia a sua taxa de crescimento (negativa) será no fundo correspondente à taxa de juro do CA mas com valor positivo. Estarei a raciocinar bem?  :think:

EDIT: esqueçam o que está acima, acho que não tem nada a ver, estava a fazer uma grande confusão... vou pesquisar melhor e depois coloco aqui a resposta.

EDIT 2:

"Taxa de Juro

A taxa de juro base calculada  através de 0,60*TBA é acrescida de um prémio de 1%, o qual manter-se-á em vigor para as capitalizações que ocorrerem até 31 de março de 2017, não podendo resultar deste mecanismo uma taxa de remuneração superior a 5%.

Prémios de Permanência

Os prémios de permanência, que acrescerão à taxa acima calculada,  foram fixados no n.º 3 da Portaria n.º 1219/1991, de 26 de Dezembro.

O prémio é de 0,25% no 2º semestre de capitalização e aumenta 0,25% em cada um dos semestres seguintes até atingir 2%.

Atualmente todos os certificados vivos apresentam o prémio máximo, ou seja, de 2%.
"


Ou seja, não percebo nada disto...

Ó meu cromo do c******, tu andas a ver as condições de subscrição dos novos CA, em vigor desde Out/2017, isso não rende nada.

Vê as condições de subscrição dessa série (Série B) de CA, vê os talões que lá tens em casa... possivelmente estás a empochar 2 a 3% limpos ao ano e nem sabes, porque essas taxas na altura eram boas e tens ou prémios de permanência, ou bonificações em função do desempenho do PIB.

Esquece o que está no site hoje para as subscrições actuais, tu adquiriste títulos de dívida com outras condições, no teu caso bastante melhores. Esses CA deixa-os estar, não lhes mexas, rendem bem para o grau de risco associado.
- You're a real stone player, aren't you, Ma? You threatened to smother his children.
- What does that mean?
- You know, everyone thought Dad was the ruthless one. But I gotta hand it to you. If you'd been born after those feminists, you woulda been the real gangster.
- I don't know what you're talking about!
 Então se de 3 em 3 meses mudar de banco e aproveitar as taxas para novos clientes parece-me simpático.

 Banco Best             3 meses TANL 1.62%
 Banco Carregosa     3 meses TANL 1.44%
Big                          3 meses TANL 1.44%

 Se colocar 10.000€ no best fico com 10162€ ao fim de 3 meses
 Depois meto os 10162€ no Carregosa e fico com 10308.33€
 Depois coloco os 10308.33€ no Big e ao fim de 3 meses fico com 10456.77€

 Isto ao fim de 9 meses dá um lucro de 4.56%
 Dá algum trabalho mas parece-me uma boa ideia

 Alguem sabe se há taxas para fechar depois as contas ?
 Ou seja quando sacar o dinheiro do best não me interessa ficar com conta, o mesmo nos outros...


Nao tem tempo minimo em que o dinheiro tem que la estar?
Futebol & Cerveja
Voltando aos Certificados de Aforro:

Tenho uns CA Série B e queria calcular a sua taxa de juro. Penso que a partir da tabela de reembolso é possível, não sei é se estarei a pensar bem, vejamos:

As tabelas de reembolso dão nos um fator pelo qual devemos multiplicar as unidades de participação consoante o mês e ano da sua aquisição. Ora esse fator é tanto maior quanto mais antigo é o CA, pelo que na minha ideia a sua taxa de crescimento (negativa) será no fundo correspondente à taxa de juro do CA mas com valor positivo. Estarei a raciocinar bem?  :think:

EDIT: esqueçam o que está acima, acho que não tem nada a ver, estava a fazer uma grande confusão... vou pesquisar melhor e depois coloco aqui a resposta.

EDIT 2:

"Taxa de Juro

A taxa de juro base calculada  através de 0,60*TBA é acrescida de um prémio de 1%, o qual manter-se-á em vigor para as capitalizações que ocorrerem até 31 de março de 2017, não podendo resultar deste mecanismo uma taxa de remuneração superior a 5%.

Prémios de Permanência

Os prémios de permanência, que acrescerão à taxa acima calculada,  foram fixados no n.º 3 da Portaria n.º 1219/1991, de 26 de Dezembro.

O prémio é de 0,25% no 2º semestre de capitalização e aumenta 0,25% em cada um dos semestres seguintes até atingir 2%.

Atualmente todos os certificados vivos apresentam o prémio máximo, ou seja, de 2%.
"


Ou seja, não percebo nada disto...

Ó meu cromo do c******, tu andas a ver as condições de subscrição dos novos CA, em vigor desde Out/2017, isso não rende nada.

Vê as condições de subscrição dessa série (Série B) de CA, vê os talões que lá tens em casa... possivelmente estás a empochar 2 a 3% limpos ao ano e nem sabes, porque essas taxas na altura eram boas e tens ou prémios de permanência, ou bonificações em função do desempenho do PIB.

Esquece o que está no site hoje para as subscrições actuais, tu adquiriste títulos de dívida com outras condições, no teu caso bastante melhores. Esses CA deixa-os estar, não lhes mexas, rendem bem para o grau de risco associado.
Ora abre lá os olhos ó meu autocolante do pénis!
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
 Então se de 3 em 3 meses mudar de banco e aproveitar as taxas para novos clientes parece-me simpático.

 Banco Best             3 meses TANL 1.62%
 Banco Carregosa     3 meses TANL 1.44%
Big                          3 meses TANL 1.44%

 Se colocar 10.000€ no best fico com 10162€ ao fim de 3 meses
 Depois meto os 10162€ no Carregosa e fico com 10308.33€
 Depois coloco os 10308.33€ no Big e ao fim de 3 meses fico com 10456.77€

 Isto ao fim de 9 meses dá um lucro de 4.56%
 Dá algum trabalho mas parece-me uma boa ideia

 Alguem sabe se há taxas para fechar depois as contas ?
 Ou seja quando sacar o dinheiro do best não me interessa ficar com conta, o mesmo nos outros...


Nao tem tempo minimo em que o dinheiro tem que la estar?
Era bom era...  :lol:

essas taxas são anuais, logo para calculares a taxa trimestral tens que dividir por 4  :mrgreen:
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
 Então se de 3 em 3 meses mudar de banco e aproveitar as taxas para novos clientes parece-me simpático.

 Banco Best             3 meses TANL 1.62%
 Banco Carregosa     3 meses TANL 1.44%
Big                          3 meses TANL 1.44%

 Se colocar 10.000€ no best fico com 10162€ ao fim de 3 meses
 Depois meto os 10162€ no Carregosa e fico com 10308.33€
 Depois coloco os 10308.33€ no Big e ao fim de 3 meses fico com 10456.77€

 Isto ao fim de 9 meses dá um lucro de 4.56%
 Dá algum trabalho mas parece-me uma boa ideia

 Alguem sabe se há taxas para fechar depois as contas ?
 Ou seja quando sacar o dinheiro do best não me interessa ficar com conta, o mesmo nos outros...


Nao tem tempo minimo em que o dinheiro tem que la estar?
Era bom era...  :lol:

essas taxas são anuais, logo para calculares a taxa trimestral tens que dividir por 4  :mrgreen:

Pois.... :D
Malta, o tema é interessante, mas convém reforçar que estão a falar de produtos complexos e estruturados não garantidos, em que pode ocorrer perda total.

Pessoas menos informadas podem interpretar mal as informações aqui colocadas, e alegar que foram induzidas a erro.

Não existem fórmulas mágicas, mas posso deixar a minha dica:

Muito ou pouco, mas poupem.
“There seems to be this snobbery around football that everyone has to play the most entertaining football" 
Gary Neville dixit
Malta, o tema é interessante, mas convém reforçar que estão a falar de produtos complexos e estruturados não garantidos, em que pode ocorrer perda total.

Pessoas menos informadas podem interpretar mal as informações aqui colocadas, e alegar que foram induzidas a erro.

Não existem fórmulas mágicas, mas posso deixar a minha dica:

Muito ou pouco, mas poupem.

Parto do princípio que quem aqui participa percebe que estamos a falar de produtos com risco associado. Risco zero são os depósitos bancários normais até 100 000 euros (assumindo a não falência do sistema financeiro nacional/europeu).

Sobre as estratégias que temos vindo a discutir, quem não tiver intenções de mexer o dinheiro da poupança nos próximos 10 anos pode ir para um portfólio agressivo com muitas ações e poucas obrigações... quem estiver naquela de se calhar até pode aparecer algo no prazo de 5 anos que leve a que se mexa no dinheiro então que vá para uma abordagem onde pelo menos metade são obrigações, só para evitar surpresas.

(e logicamente que quem optar pela estratégia agressiva por deixar o dinheiro de lado uns bons 10 anos que esteja preparado para nessa altura, caso se aproxime um evento que faça uso do dinheiro - tipo, daqui a uns dois anos comprar casa ou fazer renovações - então que vá monitorizando para aproveitar uma altura em que as ações não estejam em baixa e mude quase tudo, ou o que é necessário para o objectivo proposto, de ações para obrigações)
« Última modificação: Setembro 20, 2018, 19:17 pm por Paracelsus »
Malta, o tema é interessante, mas convém reforçar que estão a falar de produtos complexos e estruturados não garantidos, em que pode ocorrer perda total.

Pessoas menos informadas podem interpretar mal as informações aqui colocadas, e alegar que foram induzidas a erro.

Não existem fórmulas mágicas, mas posso deixar a minha dica:

Muito ou pouco, mas poupem.

Parto do princípio que quem aqui participa percebe que estamos a falar de produtos com risco associado. Risco zero são os depósitos bancários normais até 100 000 euros (assumindo a não falência do sistema financeiro nacional/europeu).

Sobre as estratégias que temos vindo a discutir, quem não tiver intenções de mexer o dinheiro da poupança nos próximos 10 anos pode ir para um portfólio agressivo com muitas ações e poucas obrigações... quem estiver naquela de se calhar até pode aparecer algo no prazo de 5 anos que leve a que se mexa no dinheiro então que vá para uma abordagem onde pelo menos metade são obrigações, só para evitar surpresas.

(e logicamente que quem optar pela estratégia agressiva por deixar o dinheiro de lado uns bons 10 anos que esteja preparado para nessa altura, caso se aproxime um evento que faça uso do dinheiro - tipo, daqui a uns dois anos comprar casa ou fazer renovações - então que vá monitorizando para aproveitar uma altura em que as ações não estejam em baixa e mude quase tudo, ou o que é necessário para o objectivo proposto, de ações para obrigações)
Só queria acrescentar que embora perceba que se fale mais de instrumentos financeiros, a ideia também é utilizar o tópico para partilhar dicas de poupança sem ser propriamente investimento, como o exemplo que dei da Repsol.  :great:
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Vejam a plataforma raize.pt onde podem diversificar o vosso investimento por varios clientes com diferentes taxas de risco/tipo de negocio.
Ja tive alguns atrasos nos pagamentos por parte dos clientes, mas acabaram sempre por ser efectuados.

Tambem tenho nas obrigacoes de divida publica que em 2014 tinham taxa de 5% a 5 anos. Neste momento quer certificados e obrigacoes publicas nao aliciam nada.
Malta, o tema é interessante, mas convém reforçar que estão a falar de produtos complexos e estruturados não garantidos, em que pode ocorrer perda total.

Pessoas menos informadas podem interpretar mal as informações aqui colocadas, e alegar que foram induzidas a erro.

Não existem fórmulas mágicas, mas posso deixar a minha dica:

Muito ou pouco, mas poupem.

Parto do princípio que quem aqui participa percebe que estamos a falar de produtos com risco associado. Risco zero são os depósitos bancários normais até 100 000 euros (assumindo a não falência do sistema financeiro nacional/europeu).

Sobre as estratégias que temos vindo a discutir, quem não tiver intenções de mexer o dinheiro da poupança nos próximos 10 anos pode ir para um portfólio agressivo com muitas ações e poucas obrigações... quem estiver naquela de se calhar até pode aparecer algo no prazo de 5 anos que leve a que se mexa no dinheiro então que vá para uma abordagem onde pelo menos metade são obrigações, só para evitar surpresas.

(e logicamente que quem optar pela estratégia agressiva por deixar o dinheiro de lado uns bons 10 anos que esteja preparado para nessa altura, caso se aproxime um evento que faça uso do dinheiro - tipo, daqui a uns dois anos comprar casa ou fazer renovações - então que vá monitorizando para aproveitar uma altura em que as ações não estejam em baixa e mude quase tudo, ou o que é necessário para o objectivo proposto, de ações para obrigações)
Só queria acrescentar que embora perceba que se fale mais de instrumentos financeiros, a ideia também é utilizar o tópico para partilhar dicas de poupança sem ser propriamente investimento, como o exemplo que dei da Repsol.  :great:

:great:

Poupar é sempre interessante, mas se vamos falar de carros então a conclusão é sempre a mesma. Quem quer poupar livra-se do carro. ;D

Sobre os investimentos, estive a fazer alguns cálculos e mesmo com a indefinição do princípio do ano por causa do efeito Trump, o Agosto correu muito bem e em 2018 com o portfólio que vos mostrei (pese embora algumas alterações ao longo do ano bem como um conjunto de ações de algumas empresas que não fazem parte dos fundos) o resultado ao dia de hoje é uma valorização de 9,17%. Ou seja, desde que o ano iniciou até à data, o montante que tenho neste momento é 9,17% acima do que lá tinha de base a 1 de Janeiro de 2018 + os que fui colocando todos os meses.
Só pra desenvolver a parte do carro, vou dar o meu exemplo:
-> Dias de trabalho por ano: 235 (260 - 52 semanas * 5 dias - que inclui 25 dias de férias).-> Distância de casa-trabalho: 30 km (15km * 2, ie, ida e volta)-> Estacionamento trabalho: 3 euros/dia (preço funcionário)-> Portagem de entrada/saída na cidade: 7 euros (3,5 pra entrar e 3,5 pra sair)

Assumindo um preço combustível de 1,5 euros por litro e que o consumo do veívulo é de 8 litros por cada 100 km:-> aprox. 19,6 dias de trabalho por mês em média-> 71 euros de combustível por mês (8 litros por 100 km = 0,08 litros por km; * 30 km diários = 2,4 Litros diários; * 1,5 euros por litro = 3,6 euros diários; * 19,6 dias de trabalho)
-> 137 euros de portagens por mês (7 euros diários * 19,6 dias de trabalho)
-> 59 euros de estacionamento por mês (3 euros diários * 19,6 dias de trabalho)
Então quer dizer que num mês a despesa com o carro é de 267 euros.

Depois até podemos meter o valor do seguro + revisões e diluir por 12 (e se quisermos ainda a depreciação do valor do veículo) e chegamos a um valor ainda superior, mas aqueles 267 euros devem chegar para reflectirmos.

Comparar com o tempo que se demoraria com outro transporte. No meu caso fica ela por ela, mas quando se poupar por exemplo 30 mins numa viagem, então quer dizer que se ganha uma hora de trabalho por dia... isso dá pra quanto? 267 euros / 19,6 dias de trabalho dá 13,6 euros por dia. Quem ganhar mais de 13,6 euros à hora e poupar pelo menos uma hora por dia com o carro em relação a outro meio de transporte, então é duvidoso que lhe compense largar o carro.

No meu caso, comprei uma bicicleta eléctrica. 1100€. Faz o mesmo que o carro em pouco mais de 5-10 minutos por dia. Ao fim de 6-7 meses já compensou em relação ao carro. Como posso deixar o meu na garagem não tenho de pagar estacionamento mensal na rua (50€ por mês na minha), senão já demorava mais algum tempo a compensar.
Só pra desenvolver a parte do carro, vou dar o meu exemplo:
-> Dias de trabalho por ano: 235 (260 - 52 semanas * 5 dias - que inclui 25 dias de férias).-> Distância de casa-trabalho: 30 km (15km * 2, ie, ida e volta)-> Estacionamento trabalho: 3 euros/dia (preço funcionário)-> Portagem de entrada/saída na cidade: 7 euros (3,5 pra entrar e 3,5 pra sair)

Assumindo um preço combustível de 1,5 euros por litro e que o consumo do veívulo é de 8 litros por cada 100 km:-> aprox. 19,6 dias de trabalho por mês em média-> 71 euros de combustível por mês (8 litros por 100 km = 0,08 litros por km; * 30 km diários = 2,4 Litros diários; * 1,5 euros por litro = 3,6 euros diários; * 19,6 dias de trabalho)
-> 137 euros de portagens por mês (7 euros diários * 19,6 dias de trabalho)
-> 59 euros de estacionamento por mês (3 euros diários * 19,6 dias de trabalho)
Então quer dizer que num mês a despesa com o carro é de 267 euros.

Depois até podemos meter o valor do seguro + revisões e diluir por 12 (e se quisermos ainda a depreciação do valor do veículo) e chegamos a um valor ainda superior, mas aqueles 267 euros devem chegar para reflectirmos.

Comparar com o tempo que se demoraria com outro transporte. No meu caso fica ela por ela, mas quando se poupar por exemplo 30 mins numa viagem, então quer dizer que se ganha uma hora de trabalho por dia... isso dá pra quanto? 267 euros / 19,6 dias de trabalho dá 13,6 euros por dia. Quem ganhar mais de 13,6 euros à hora e poupar pelo menos uma hora por dia com o carro em relação a outro meio de transporte, então é duvidoso que lhe compense largar o carro.

No meu caso, comprei uma bicicleta eléctrica. 1100€. Faz o mesmo que o carro em pouco mais de 5-10 minutos por dia. Ao fim de 6-7 meses já compensou em relação ao carro. Como posso deixar o meu na garagem não tenho de pagar estacionamento mensal na rua (50€ por mês na minha), senão já demorava mais algum tempo a compensar.

E vais de bicicleta quando esta a nevar? Usas no Inverno?
Essa da portagem para entrar e sair da cidade e surreal.
Aqui no Canada nao existem portagens, foi das primeiras coisas que notei  :arrow:
"Recordo o que disse numa AG no mandato anterior. Estou disposto a dar o meu tempo, vida e alma ao Sporting, mas têm de estar comigo. Nos últimos dois anos tive duas hipóteses: ou me juntava aos interesses ou a vocês. Escolhi juntar-me a vocês."
Bruno de Carvalho, 17 de Fevereiro de 2018
Só pra desenvolver a parte do carro, vou dar o meu exemplo:
-> Dias de trabalho por ano: 235 (260 - 52 semanas * 5 dias - que inclui 25 dias de férias).-> Distância de casa-trabalho: 30 km (15km * 2, ie, ida e volta)-> Estacionamento trabalho: 3 euros/dia (preço funcionário)-> Portagem de entrada/saída na cidade: 7 euros (3,5 pra entrar e 3,5 pra sair)

Assumindo um preço combustível de 1,5 euros por litro e que o consumo do veívulo é de 8 litros por cada 100 km:-> aprox. 19,6 dias de trabalho por mês em média-> 71 euros de combustível por mês (8 litros por 100 km = 0,08 litros por km; * 30 km diários = 2,4 Litros diários; * 1,5 euros por litro = 3,6 euros diários; * 19,6 dias de trabalho)
-> 137 euros de portagens por mês (7 euros diários * 19,6 dias de trabalho)
-> 59 euros de estacionamento por mês (3 euros diários * 19,6 dias de trabalho)
Então quer dizer que num mês a despesa com o carro é de 267 euros.

Depois até podemos meter o valor do seguro + revisões e diluir por 12 (e se quisermos ainda a depreciação do valor do veículo) e chegamos a um valor ainda superior, mas aqueles 267 euros devem chegar para reflectirmos.

Comparar com o tempo que se demoraria com outro transporte. No meu caso fica ela por ela, mas quando se poupar por exemplo 30 mins numa viagem, então quer dizer que se ganha uma hora de trabalho por dia... isso dá pra quanto? 267 euros / 19,6 dias de trabalho dá 13,6 euros por dia. Quem ganhar mais de 13,6 euros à hora e poupar pelo menos uma hora por dia com o carro em relação a outro meio de transporte, então é duvidoso que lhe compense largar o carro.

No meu caso, comprei uma bicicleta eléctrica. 1100€. Faz o mesmo que o carro em pouco mais de 5-10 minutos por dia. Ao fim de 6-7 meses já compensou em relação ao carro. Como posso deixar o meu na garagem não tenho de pagar estacionamento mensal na rua (50€ por mês na minha), senão já demorava mais algum tempo a compensar.

E vais de bicicleta quando esta a nevar? Usas no Inverno?
Essa da portagem para entrar e sair da cidade e surreal.
Aqui no Canada nao existem portagens, foi das primeiras coisas que notei  :arrow:

Portagem cá é medida ambiental, existe na cintura de Estocolmo e Gotemburgo. 3,5 euros na hora de ponta até um mínimo de 1,5 euros, das 18.30-6.30 não se paga. Se fores pela circular à volta da cidade também pagas, mas em vez de 3,5 são 3 na hora de ponta. E querem aumentar de 3,5 para 4,5. Pagas para entrar e para sair, sendo que existe um tecto máximo de 10,5 euros num só dia. O dinheiro angariado vai financiar directamente o sistema de transportes da região.

Confesso que se no princípio me irritou agora não me faz confusão nenhuma. O sistema não implica qualquer atraso (é por câmara), recebes a factura em casa ao fim do mês ou no homebanking, e tem de facto contribuído para o desaparecimento de filas infindáveis sobretudo na circular (chamada Essingeleden), pelo que se for preciso levar o carro então é mais ou menos seguro que o trajecto do Sul ao Norte de Estocolmo não leva muito mais que 30 mins (sem trânsito são 15 no máximo).

Sobre a bicicleta, sim, há o problema da neve e gelo no Inverno. Eu diria que são 3-4 meses do ano em que não vou andar de bicla e usar os transportes públicos (passe custa 85€ por mês e inclui os transportes todos) ou o carro em alternativa. Há imensa gente que por cá usa pneus com pítons na bicicleta à semelhança dos carros, assim:


mas eu tenho na mesma um medo que me pelo de patinar no gelo com a bicicleta. :P
Nice.
Aqui era simplesmente impossivel usar bike no inverno, so hoje, ainda Verao (ultimo dia) ja cairam 15 cm de neve.
Nem com pitons, nem sem pitons, vais ao chao imediatamente  ;D

Quanto a portagem, la esta, quase que aposto que vcs nao teem Carbon Tax  ???

Desculpem o  :offtopic:
"Recordo o que disse numa AG no mandato anterior. Estou disposto a dar o meu tempo, vida e alma ao Sporting, mas têm de estar comigo. Nos últimos dois anos tive duas hipóteses: ou me juntava aos interesses ou a vocês. Escolhi juntar-me a vocês."
Bruno de Carvalho, 17 de Fevereiro de 2018
Nice.
Aqui era simplesmente impossivel usar bike no inverno, so hoje, ainda Verao (ultimo dia) ja cairam 15 cm de neve.
Nem com pitons, nem sem pitons, vais ao chao imediatamente  ;D

Quanto a portagem, la esta, quase que aposto que vcs nao teem Carbon Tax  ???

Desculpem o  :offtopic:

Também temos carbon tax :P... mas é só pra novos carros desde Julho deste ano... o meu iria pagar 690 euros por ano, por exemplo. Neste momento paga 300 e qualquer coisa por ano. ???

Achas que é só no Canadá que a malta é chulada? O pessoal em Portugal é que rabeia e rabeia porque o imposto automóvel é mais umas migalhas ou os condomínios aumentam uns 20 ou 30€ por ano e têm de pagar uns 200€ por ano, quando por cá os condomínios custam normalmente de 400€ pra cima... por mês!
Voltando à parte das poupanças, vejamos o exemplo que dei de se poupar 100€ por mês durante 10 anos, dinheiro esse colocado de imediato nas respectivas aplicações de poupança a cada mês. Vamos pôr um objectivo mais ou menos ambicioso que são 8% ao ano (que é possível usando portfolios que combinem bem fundos de acções com obrigações) e comparar com uns habituais 0,5% ao ano de depósitos a prazo:



A diferença é que o dinheiro a 8% ao ano vale 56% mais (6 775 euros) ao fim de 10 anos enquanto que num depósito a 0,5% vale 3% mais (335 euros) no final do mesmo período. Mesmo depois retirando o imposto sobre o capital (na Suécia é 30%, em Portugal deve ser perto disso), a diferença fica em 40% (4742€) para 2% (234€) de valorização (assumindo que o imposto só tem efeito quando se "resgata" o montante ao fim dos 10 anos).
« Última modificação: Setembro 21, 2018, 21:28 pm por Paracelsus »