As nossas Finanças / Poupanças - O tópico do Forreta

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Ainda sobre o RPC (Certificados de Reforma):

Fiz uma simulação, e no meu caso, prevendo a reforma daqui por 25 anos, ficaria com aproximadamente mais 50% do valor investido. Sinceramente não consigo ter opinião se é bom, mau ou assim-assim...

Isto sem considerar aumentos salariais (coloquei 0% na taxa de crescimento) ou as deduções fiscais (350€/ano).

E ainda há a possível redução na coleta devido ao desconto, questão que ainda não consegui esclarecer...
« Última modificação: Novembro 12, 2018, 17:57 pm por LuisT_76 »
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Epah, desculpa mas... Não podes por isso em português?  :mrgreen:

Esse raciocínio, em função da legislação em vigor, não é aplicável.
Eu percebi que querias dizer isso, só não entendi o porquê, dado que disseste que o raciocínio era correto em abstrato...

Queria tentar perceber o que não está correto...

Não podes ganhar, por ex., €50.000/ ano e no IRS apenas declarar como rendimento do ano € 45.000 já que ao longo do mesmo ano fiscal aplicaste € 5.000 em Certificados de Reforma.
Esse tipo de abatimento é impossível.

Tens de declarar os €50.000/ ano como rendimento e no anexo e campo próprio mencionar que aplicaste € 5.000 em Certificados de Reforma.
os €50.000/ ano serão sempre alvo de IRS e SS.
Os € 5.000 em Certificados de Reforma terão 20% dos valores aplicados, ..., dedutíveis à coleta de IRS mas tendo como limite máximo de dedução o valor de €350|400.
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Agora que vem aí a Black Friday, não se deixem enganar!

https://www.deco.proteste.pt/comparar-precos

Através do URL do artigo é possível constatar a variação de preço nos últimos tempos.
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Só me apanhariam numa black friday se tivesse fritado a mioleira de vez.
Só me apanhariam numa black friday se tivesse fritado a mioleira de vez.
Eu já fiz bons negócios na Black Friday. Bem como já vi "ofertas" ridículas. É como tudo.

Esse dogmatismo é que não te deixa olhar para a janela promocional com tom crítico.
Só me apanhariam numa black friday se tivesse fritado a mioleira de vez.
Eu já fiz bons negócios na Black Friday. Bem como já vi "ofertas" ridículas. É como tudo.

Esse dogmatismo é que não te deixa olhar para a janela promocional com tom crítico.
Não falo na questão dos negócios. Há casos e casos e basta olhar para a evolução do preço de qualquer produto desejado.
Refiro-me mais à selvajaria que vai acontecendo por esse mundo fora na ânsia de poupar uns trocos.
Só me apanhariam numa black friday se tivesse fritado a mioleira de vez.
Eu já fiz bons negócios na Black Friday. Bem como já vi "ofertas" ridículas. É como tudo.

Esse dogmatismo é que não te deixa olhar para a janela promocional com tom crítico.
Não falo na questão dos negócios. Há casos e casos e basta olhar para a evolução do preço de qualquer produto desejado.
Refiro-me mais à selvajaria que vai acontecendo por esse mundo fora na ânsia de poupar uns trocos.
Isso também acontece em Portugal? Pergunto porque nunca fui às compras nesse dia. As compras que faço são online.

Enviado do meu Redmi Note 5 através do Tapatalk

Só me apanhariam numa black friday se tivesse fritado a mioleira de vez.
Eu já fiz bons negócios na Black Friday. Bem como já vi "ofertas" ridículas. É como tudo.

Esse dogmatismo é que não te deixa olhar para a janela promocional com tom crítico.
Não falo na questão dos negócios. Há casos e casos e basta olhar para a evolução do preço de qualquer produto desejado.
Refiro-me mais à selvajaria que vai acontecendo por esse mundo fora na ânsia de poupar uns trocos.
Isso também acontece em Portugal? Pergunto porque nunca fui às compras nesse dia. As compras que faço são online.

Enviado do meu Redmi Note 5 através do Tapatalk


Penso que ainda há dias naquela campanha de 10€ na Worten... era pessoal a ser esmagado contra a porta ainda antes de a loja abrir.
Para os interessados:

http://mkt.sporting.pt/vl/28134046e1885b-3--a8b6970f38875ba0a-b467-e8zZe7nlMeImoe9424bd6f-1

Taxa muito baixa * -  O Grupo Mota-Engil que é o maior grupo português e o líder em Volume de Negócios em Portugal oferece 4,5% .
A anterior emissão, que esta vinha substituir, tinha taxa de 6,25%.
Esta emissão pela anterior direcção vinha ao mercado com taxa de 6%.
Os financeiros do varandas acharam que, depois de todos os tumultos pelos quais os clube passou, não deviam premiar o pequeno aforrador e estabeleceram uma taxa de juro igual a 5,25%. Que lhe façam bom proveito!
 

* Custos associados muito elevados, caso não exista já uma carteira de títulos e o montante aplicado seja inferior a € 1000 o retorno liquido é negativo.
PRIIP - PFC MULTISECTOR EUROPA JAN-19 (Subscrição até 24 de Janeiro de 2019)

Prazo de 12 meses
Rendibilidade: Mínima -2,5%; Máxima 7,5%

PRIIP denominado em Euros, com 97,5% de capital aplicado garantido e remuneração indexada a cinco acções de empresas de vários sectores de actividade:

Allianz
Telefónica
Sanofi
Renault
ENI

O reembolso do produto, na Data de Maturidade, é efetuado pelo Montante de Reembolso que está indexado à variação do Cabaz e é calculado da seguinte forma:

Se a variação do Cabaz for igual ou superior a zero, o Valor de Reembolso será igual ao montante investido acrescido de um cupão bruto igual a essa variação, até um máximo de 7,50% (7,278% TANB).
Se a variação do Cabaz for inferior a zero, o Valor de Reembolso será igual ao montante investido deduzido dessa variação, até um máximo de 2,50%, e não haverá lugar ao pagamento de qualquer cupão. Ou seja, em caso de desvalorização do Cabaz existe o risco de perda de capital de até 2,50% do capital investido.
Data de Início: 25-Jan-19
Data de Vencimento: 31-Jan-20

Mínimo: 1.000 Eur

O período de subscrição termina no dia 24 de Janeiro de 2019.

Não dispensa a consulta do Documento de Informação Fundamental.
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Depósitos indexados? Credo.

Se fizer sol na eira E chuva na nabal E se o Ajax de Cordinhã for campeão distrital e o BE formar Governo e o Bruno de Carvalho voltar a ser presidente do Sporting ganhe 4.0%. Na não verificação de qualquer uma destas condições ganhe 0%. Produto de capital garantido, mas de retorno quase impossível.

 :twisted:
- You're a real stone player, aren't you, Ma? You threatened to smother his children.
- What does that mean?
- You know, everyone thought Dad was the ruthless one. But I gotta hand it to you. If you'd been born after those feminists, you woulda been the real gangster.
- I don't know what you're talking about!
Depósitos indexados? Credo.

Se fizer sol na eira E chuva na nabal E se o Ajax de Cordinhã for campeão distrital e o BE formar Governo e o Bruno de Carvalho voltar a ser presidente do Sporting ganhe 4.0%. Na não verificação de qualquer uma destas condições ganhe 0%. Produto de capital garantido, mas de retorno quase impossível.

 :twisted:
Ok já vi que nem leste...
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Depósitos indexados? Credo.

Se fizer sol na eira E chuva na nabal E se o Ajax de Cordinhã for campeão distrital e o BE formar Governo e o Bruno de Carvalho voltar a ser presidente do Sporting ganhe 4.0%. Na não verificação de qualquer uma destas condições ganhe 0%. Produto de capital garantido, mas de retorno quase impossível.

 :twisted:
Ok já vi que nem leste...

Eu sei, mas esse tipo de produtos nunca me agradou. Queres exposição ar mercado accionista, porque não comprar fundos de acções? Um fundo de acções com portfólio diversificado pode ser uma melhor opção de investimento, mas também não tem (admito) a mesma segurança perante perdas eventuais. Mas é assim o mercado de acções.
- You're a real stone player, aren't you, Ma? You threatened to smother his children.
- What does that mean?
- You know, everyone thought Dad was the ruthless one. But I gotta hand it to you. If you'd been born after those feminists, you woulda been the real gangster.
- I don't know what you're talking about!
Depósitos indexados? Credo.

Se fizer sol na eira E chuva na nabal E se o Ajax de Cordinhã for campeão distrital e o BE formar Governo e o Bruno de Carvalho voltar a ser presidente do Sporting ganhe 4.0%. Na não verificação de qualquer uma destas condições ganhe 0%. Produto de capital garantido, mas de retorno quase impossível.

 :twisted:
Ok já vi que nem leste...

Eu sei, mas esse tipo de produtos nunca me agradou. Queres exposição ar mercado accionista, porque não comprar fundos de acções? Um fundo de acções com portfólio diversificado pode ser uma melhor opção de investimento, mas também não tem (admito) a mesma segurança perante perdas eventuais. Mas é assim o mercado de acções.
Pois... Porque se tivesses lido tinhas percebido que o capital não é garantido!!   :mrgreen:
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Já é possível actualizar o Agregado Familiar, Habitação Própria Permanente e Consignação do IRS e IVA no portal das Finanças.

Só até 15 de Fevereiro!

Vejam o anexo
"Good judgment comes from experience, and experience comes from bad judgment." - Barry LePatner
Uma questão a ver se alguem me pode ajudar. A minha empresa tem um sistemas de pontos que podem ser atribuidos através de nomeações (por exemplo, se eu acho que um colega fez um bom trabalho, nomeio-o para um dos premios (pode ser 50,100 ou 150 pontos) e ele recebe esses pontos. Ora estes pontos só pode ser utilizados para fazer "compras" numa espécie de "showroomprive" interno. Tenho recebido alguns e este mês veio no recibo de vencimento como "rendimento em espécie" no valor de 111€ de 150 pontos que eu tinha recebido, apesar de eu não ter usado esses pontos para nenhuma compra. Alguem me pode validar se existe enquadramento juridico para isto? Para utilizar o valor "potencial" destes pontos como rendimento acrescido ao ordenado?

É que nesta brincadeira acabei por receber menos 60€ ao final do mês (subi de escalão de IRS e descontei sobre o ordenado base + 111€)
Uma questão a ver se alguem me pode ajudar. A minha empresa tem um sistemas de pontos que podem ser atribuidos através de nomeações (por exemplo, se eu acho que um colega fez um bom trabalho, nomeio-o para um dos premios (pode ser 50,100 ou 150 pontos) e ele recebe esses pontos. Ora estes pontos só pode ser utilizados para fazer "compras" numa espécie de "showroomprive" interno. Tenho recebido alguns e este mês veio no recibo de vencimento como "rendimento em espécie" no valor de 111€ de 150 pontos que eu tinha recebido, apesar de eu não ter usado esses pontos para nenhuma compra. Alguem me pode validar se existe enquadramento juridico para isto? Para utilizar o valor "potencial" destes pontos como rendimento acrescido ao ordenado?

É que nesta brincadeira acabei por receber menos 60€ ao final do mês (subi de escalão de IRS e descontei sobre o ordenado base + 111€)

ui!
posso estar a ser injusto, mas parece-me esquema da empresa pra pagarem menos impostos...
#NasciLeaoNaoNasciLampiao