Joaquim Baltasar Pinto - Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

 :lol:

Finalmente. Finalmente revelou publicamente o que pensa. Não percebo, sinceramente, porque demorou tanto, tem total direito a ter a opinião que tem sobre o assunto e sobre o anterior CD.
Campo Grande paga a traidores.
Citar
Se o Governo do nosso país resolvesse substituir o Presidente da Assembleia da República e os deputados e este substituísse os juízes, acha que a situação era grave?

E já agora, senhor juiz hibernado numa qualquer caverna durante a primavera, quem substituiu aqui os "juízes" foi o PMAG um mês depois de se ter demitido.
Ainda por cima, nomeou como "juízes" indivíduos sem qualquer isenção para o cargo e com um agenda pré-definida, que fizeram gáudio de, previamente, á boca-cheia, sem qualquer pudor, a anunciar publicamente

A nova substituição de "juízes" que tanto escandaliza o novo presidente do CFD deveu-se tão só á necessidade de votar um orçamento, desprezado pelo PMAG à época e, curiosamente, em tudo idêntico ao que acabou aprovado 6 meses depois, após parecer favorável do novo presidente do CFD, um juíz hibernado.

Gravíssimo, portanto.
"Quem, ali do outro lado, tinha definido o ataque ao Benfica como principal instrumento da sua promoção individual, foi corrido pelos que achava serem seus. Espero que este gesto seja o princípio de uma regularização da vivência institucional que deve caracterizar os maiores clubes nacionais" (Luís Filipe Vieira, presidente de SAD acusada de vários crimes no E-Toupeira, explica, a 28-09-2018, o papel de Marta Soares, Henrique Monteiro, Torres Pereira, Sousa Cintra e G71).
Baltazar Pinto: «Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios»

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting fala sobre os castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-dirigentes

O presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Sporting, Joaquim Baltazar Pinto, considera que "a questão fulcral" a ponderar este sábado na Assembleia Geral do clube é "se o Sporting é ou não um clube de sócios."

"Se considerarmos que sim, este tipo de comportamento protagonizado pelos anteriores membros do Conselho Diretivo (CD) não pode deixar de ser sancionado", defende Baltazar Pinto, em entrevista à edição desta semana do jornal ‘Sporting’, hoje nas bancas, a propósito da deliberação sobre os recursos dos castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-membros não demissionários do CD.

O antigo presidente foi suspenso de sócio por um ano, enquanto Carlos Vieira, Rui Caeiro, Alexandre Godinho, José Quintela e Luís Gestas foram punidos com 10 meses (Luís Roque escapou com repreensão registada). Por sua vez, Elsa Judas e Trindade Barros acabaram expulsos. Os oito recorreram para a Assembleia Geral do Sporting, órgão máximo dos leões.

Baltazar Pinto entende que os factos que sustentam as decisões tomadas ao tempo da Comissão de Fiscalização, antecessora direta do CFD, são graves, desde logo a tentativa de bloquear a AG realizada a 23 de junho e que determinou a destituição do anterior Conselho Diretivo. "O que está em causa nestes processos é a conduta dos membros do anterior CD, de obstaculização da realização dessa AG de 23 de junho. Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios", afirma o juiz conselheiro.

"Tentações hegemónicas"

Baltazar Pinto lembra que BdC e parceiros de direção foram "destituídos pela vontade concludente dos sócios", ao passo que Elsa Judas e Trindade Barros "integraram um órgão ad hoc, contrário aos estatutos", no caso a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, tendo sido punidos por "usurpação de funções" que eram do presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG), à data Jaime Marta Soares, nomeadamente "convocatória de falsas assembleias."

"Se o Governo do nosso país resolvesse substituir o Presidente da Assembleia da República e os deputados e este substituísse os juízes, acha que a situação era grave? Para nós o que é essencial é o respeito da vontade dos sócios. As tentativas de hegemonia do poder executivo sobre os demais vêm de longe. Faz parte da natureza humana. Quem exerce o poder pode ter tentações hegemónicas, pretendendo que o poder está em si e não na soberania do povo. Noutra escala, é um pouco o que se passa aqui. Nunca nos podemos esquecer que acima de tudo está o Sporting. E o Sporting é um clube de sócios. Connosco os estatutos serão sempre respeitados, doa a quem doer", promete Baltazar Pinto.

O argumento, tantas vezes repetido, de que Marta Soares se demitiu e que, por isso, não teria legitimidade para convocar a AG de destituição, não se aplica. "Essa é uma questão totalmente irrelevante. O PMAG, mesmo que se tivesse demitido, continuaria na plenitude das suas funções até ser substituído. E essa substituição só pode ocorrer com novas eleições", explica.

RECORD

Evidentemente.
Por muito que tentem passar a ideia de que a destituição ocorreu por causa de Alcochete ou do Facebook, esses não são os factos mais graves que lhe são imputados.

Ninguém está acima das leis.
Tretas hipócritas. Caso contrário, haveria muitos mais suspensos.

E se calhar devia ter havido. Qual é a dúvida?
Agora não é por alguns terem passado pelos pingos da chuva que vamos escamotear tudo. O que o CD de BdC fez foi um gravíssimo atropelo aos estatutos e não deveria passar em claro.
Baltazar Pinto: «Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios»

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting fala sobre os castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-dirigentes

O presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Sporting, Joaquim Baltazar Pinto, considera que "a questão fulcral" a ponderar este sábado na Assembleia Geral do clube é "se o Sporting é ou não um clube de sócios."

"Se considerarmos que sim, este tipo de comportamento protagonizado pelos anteriores membros do Conselho Diretivo (CD) não pode deixar de ser sancionado", defende Baltazar Pinto, em entrevista à edição desta semana do jornal ‘Sporting’, hoje nas bancas, a propósito da deliberação sobre os recursos dos castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-membros não demissionários do CD.

O antigo presidente foi suspenso de sócio por um ano, enquanto Carlos Vieira, Rui Caeiro, Alexandre Godinho, José Quintela e Luís Gestas foram punidos com 10 meses (Luís Roque escapou com repreensão registada). Por sua vez, Elsa Judas e Trindade Barros acabaram expulsos. Os oito recorreram para a Assembleia Geral do Sporting, órgão máximo dos leões.

Baltazar Pinto entende que os factos que sustentam as decisões tomadas ao tempo da Comissão de Fiscalização, antecessora direta do CFD, são graves, desde logo a tentativa de bloquear a AG realizada a 23 de junho e que determinou a destituição do anterior Conselho Diretivo. "O que está em causa nestes processos é a conduta dos membros do anterior CD, de obstaculização da realização dessa AG de 23 de junho. Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios", afirma o juiz conselheiro.

"Tentações hegemónicas"

Baltazar Pinto lembra que BdC e parceiros de direção foram "destituídos pela vontade concludente dos sócios", ao passo que Elsa Judas e Trindade Barros "integraram um órgão ad hoc, contrário aos estatutos", no caso a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, tendo sido punidos por "usurpação de funções" que eram do presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG), à data Jaime Marta Soares, nomeadamente "convocatória de falsas assembleias."

"Se o Governo do nosso país resolvesse substituir o Presidente da Assembleia da República e os deputados e este substituísse os juízes, acha que a situação era grave? Para nós o que é essencial é o respeito da vontade dos sócios. As tentativas de hegemonia do poder executivo sobre os demais vêm de longe. Faz parte da natureza humana. Quem exerce o poder pode ter tentações hegemónicas, pretendendo que o poder está em si e não na soberania do povo. Noutra escala, é um pouco o que se passa aqui. Nunca nos podemos esquecer que acima de tudo está o Sporting. E o Sporting é um clube de sócios. Connosco os estatutos serão sempre respeitados, doa a quem doer", promete Baltazar Pinto.

O argumento, tantas vezes repetido, de que Marta Soares se demitiu e que, por isso, não teria legitimidade para convocar a AG de destituição, não se aplica. "Essa é uma questão totalmente irrelevante. O PMAG, mesmo que se tivesse demitido, continuaria na plenitude das suas funções até ser substituído. E essa substituição só pode ocorrer com novas eleições", explica.

RECORD

Evidentemente.
Por muito que tentem passar a ideia de que a destituição ocorreu por causa de Alcochete ou do Facebook, esses não são os factos mais graves que lhe são imputados.

Ninguém está acima das leis.
Tretas hipócritas. Caso contrário, haveria muitos mais suspensos.

E se calhar devia ter havido. Qual é a dúvida?
Agora não é por alguns terem passado pelos pingos da chuva que vamos escamotear tudo. O que o CD de BdC fez foi um gravíssimo atropelo aos estatutos e não deveria passar em claro.


Não há porque as participações aos membros da MAG foram chutadas para canto pela CF!
Baltazar Pinto: «Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios»

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting fala sobre os castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-dirigentes

O presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Sporting, Joaquim Baltazar Pinto, considera que "a questão fulcral" a ponderar este sábado na Assembleia Geral do clube é "se o Sporting é ou não um clube de sócios."

"Se considerarmos que sim, este tipo de comportamento protagonizado pelos anteriores membros do Conselho Diretivo (CD) não pode deixar de ser sancionado", defende Baltazar Pinto, em entrevista à edição desta semana do jornal ‘Sporting’, hoje nas bancas, a propósito da deliberação sobre os recursos dos castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-membros não demissionários do CD.

O antigo presidente foi suspenso de sócio por um ano, enquanto Carlos Vieira, Rui Caeiro, Alexandre Godinho, José Quintela e Luís Gestas foram punidos com 10 meses (Luís Roque escapou com repreensão registada). Por sua vez, Elsa Judas e Trindade Barros acabaram expulsos. Os oito recorreram para a Assembleia Geral do Sporting, órgão máximo dos leões.

Baltazar Pinto entende que os factos que sustentam as decisões tomadas ao tempo da Comissão de Fiscalização, antecessora direta do CFD, são graves, desde logo a tentativa de bloquear a AG realizada a 23 de junho e que determinou a destituição do anterior Conselho Diretivo. "O que está em causa nestes processos é a conduta dos membros do anterior CD, de obstaculização da realização dessa AG de 23 de junho. Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios", afirma o juiz conselheiro.

"Tentações hegemónicas"

Baltazar Pinto lembra que BdC e parceiros de direção foram "destituídos pela vontade concludente dos sócios", ao passo que Elsa Judas e Trindade Barros "integraram um órgão ad hoc, contrário aos estatutos", no caso a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, tendo sido punidos por "usurpação de funções" que eram do presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG), à data Jaime Marta Soares, nomeadamente "convocatória de falsas assembleias."

"Se o Governo do nosso país resolvesse substituir o Presidente da Assembleia da República e os deputados e este substituísse os juízes, acha que a situação era grave? Para nós o que é essencial é o respeito da vontade dos sócios. As tentativas de hegemonia do poder executivo sobre os demais vêm de longe. Faz parte da natureza humana. Quem exerce o poder pode ter tentações hegemónicas, pretendendo que o poder está em si e não na soberania do povo. Noutra escala, é um pouco o que se passa aqui. Nunca nos podemos esquecer que acima de tudo está o Sporting. E o Sporting é um clube de sócios. Connosco os estatutos serão sempre respeitados, doa a quem doer", promete Baltazar Pinto.

O argumento, tantas vezes repetido, de que Marta Soares se demitiu e que, por isso, não teria legitimidade para convocar a AG de destituição, não se aplica. "Essa é uma questão totalmente irrelevante. O PMAG, mesmo que se tivesse demitido, continuaria na plenitude das suas funções até ser substituído. E essa substituição só pode ocorrer com novas eleições", explica.

RECORD

Evidentemente.
Por muito que tentem passar a ideia de que a destituição ocorreu por causa de Alcochete ou do Facebook, esses não são os factos mais graves que lhe são imputados.

Ninguém está acima das leis.
Tretas hipócritas. Caso contrário, haveria muitos mais suspensos.

E se calhar devia ter havido. Qual é a dúvida?
Agora não é por alguns terem passado pelos pingos da chuva que vamos escamotear tudo. O que o CD de BdC fez foi um gravíssimo atropelo aos estatutos e não deveria passar em claro.

As participações contra a anterior MAG foi tudo abafado. Nem a luz do dia viram! Ah espera chamaram o marta para uma amena cavaqueira e depois arquivaram logo a coisa!
Em 1º sempre o grande Sporting!!
Tresanda a nafetalina !!!  :shifty:
green lion
Baltazar Pinto: «Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios»

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting fala sobre os castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-dirigentes

O presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Sporting, Joaquim Baltazar Pinto, considera que "a questão fulcral" a ponderar este sábado na Assembleia Geral do clube é "se o Sporting é ou não um clube de sócios."

"Se considerarmos que sim, este tipo de comportamento protagonizado pelos anteriores membros do Conselho Diretivo (CD) não pode deixar de ser sancionado", defende Baltazar Pinto, em entrevista à edição desta semana do jornal ‘Sporting’, hoje nas bancas, a propósito da deliberação sobre os recursos dos castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-membros não demissionários do CD.

O antigo presidente foi suspenso de sócio por um ano, enquanto Carlos Vieira, Rui Caeiro, Alexandre Godinho, José Quintela e Luís Gestas foram punidos com 10 meses (Luís Roque escapou com repreensão registada). Por sua vez, Elsa Judas e Trindade Barros acabaram expulsos. Os oito recorreram para a Assembleia Geral do Sporting, órgão máximo dos leões.

Baltazar Pinto entende que os factos que sustentam as decisões tomadas ao tempo da Comissão de Fiscalização, antecessora direta do CFD, são graves, desde logo a tentativa de bloquear a AG realizada a 23 de junho e que determinou a destituição do anterior Conselho Diretivo. "O que está em causa nestes processos é a conduta dos membros do anterior CD, de obstaculização da realização dessa AG de 23 de junho. Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios", afirma o juiz conselheiro.

"Tentações hegemónicas"

Baltazar Pinto lembra que BdC e parceiros de direção foram "destituídos pela vontade concludente dos sócios", ao passo que Elsa Judas e Trindade Barros "integraram um órgão ad hoc, contrário aos estatutos", no caso a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, tendo sido punidos por "usurpação de funções" que eram do presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG), à data Jaime Marta Soares, nomeadamente "convocatória de falsas assembleias."

"Se o Governo do nosso país resolvesse substituir o Presidente da Assembleia da República e os deputados e este substituísse os juízes, acha que a situação era grave? Para nós o que é essencial é o respeito da vontade dos sócios. As tentativas de hegemonia do poder executivo sobre os demais vêm de longe. Faz parte da natureza humana. Quem exerce o poder pode ter tentações hegemónicas, pretendendo que o poder está em si e não na soberania do povo. Noutra escala, é um pouco o que se passa aqui. Nunca nos podemos esquecer que acima de tudo está o Sporting. E o Sporting é um clube de sócios. Connosco os estatutos serão sempre respeitados, doa a quem doer", promete Baltazar Pinto.

O argumento, tantas vezes repetido, de que Marta Soares se demitiu e que, por isso, não teria legitimidade para convocar a AG de destituição, não se aplica. "Essa é uma questão totalmente irrelevante. O PMAG, mesmo que se tivesse demitido, continuaria na plenitude das suas funções até ser substituído. E essa substituição só pode ocorrer com novas eleições", explica.

RECORD

Evidentemente.
Por muito que tentem passar a ideia de que a destituição ocorreu por causa de Alcochete ou do Facebook, esses não são os factos mais graves que lhe são imputados.

Ninguém está acima das leis.
Tretas hipócritas. Caso contrário, haveria muitos mais suspensos.

E se calhar devia ter havido. Qual é a dúvida?
Agora não é por alguns terem passado pelos pingos da chuva que vamos escamotear tudo. O que o CD de BdC fez foi um gravíssimo atropelo aos estatutos e não deveria passar em claro.


Não há porque as participações aos membros da MAG foram chutadas para canto pela CF!

Lembro-me bem do JMS ser chamado a responder perante a CF. Se o processo foi arquivado é porque ele conseguiu apresentar uma defesa coesa e construiu um bom caso em prol dos seus interesses.
Temos de ser sérios e analisar imparcialmente os casos, independentemente dos intervenientes
Baltazar Pinto: «Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios»

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting fala sobre os castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-dirigentes

O presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Sporting, Joaquim Baltazar Pinto, considera que "a questão fulcral" a ponderar este sábado na Assembleia Geral do clube é "se o Sporting é ou não um clube de sócios."

"Se considerarmos que sim, este tipo de comportamento protagonizado pelos anteriores membros do Conselho Diretivo (CD) não pode deixar de ser sancionado", defende Baltazar Pinto, em entrevista à edição desta semana do jornal ‘Sporting’, hoje nas bancas, a propósito da deliberação sobre os recursos dos castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-membros não demissionários do CD.

O antigo presidente foi suspenso de sócio por um ano, enquanto Carlos Vieira, Rui Caeiro, Alexandre Godinho, José Quintela e Luís Gestas foram punidos com 10 meses (Luís Roque escapou com repreensão registada). Por sua vez, Elsa Judas e Trindade Barros acabaram expulsos. Os oito recorreram para a Assembleia Geral do Sporting, órgão máximo dos leões.

Baltazar Pinto entende que os factos que sustentam as decisões tomadas ao tempo da Comissão de Fiscalização, antecessora direta do CFD, são graves, desde logo a tentativa de bloquear a AG realizada a 23 de junho e que determinou a destituição do anterior Conselho Diretivo. "O que está em causa nestes processos é a conduta dos membros do anterior CD, de obstaculização da realização dessa AG de 23 de junho. Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios", afirma o juiz conselheiro.

"Tentações hegemónicas"

Baltazar Pinto lembra que BdC e parceiros de direção foram "destituídos pela vontade concludente dos sócios", ao passo que Elsa Judas e Trindade Barros "integraram um órgão ad hoc, contrário aos estatutos", no caso a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, tendo sido punidos por "usurpação de funções" que eram do presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG), à data Jaime Marta Soares, nomeadamente "convocatória de falsas assembleias."

"Se o Governo do nosso país resolvesse substituir o Presidente da Assembleia da República e os deputados e este substituísse os juízes, acha que a situação era grave? Para nós o que é essencial é o respeito da vontade dos sócios. As tentativas de hegemonia do poder executivo sobre os demais vêm de longe. Faz parte da natureza humana. Quem exerce o poder pode ter tentações hegemónicas, pretendendo que o poder está em si e não na soberania do povo. Noutra escala, é um pouco o que se passa aqui. Nunca nos podemos esquecer que acima de tudo está o Sporting. E o Sporting é um clube de sócios. Connosco os estatutos serão sempre respeitados, doa a quem doer", promete Baltazar Pinto.

O argumento, tantas vezes repetido, de que Marta Soares se demitiu e que, por isso, não teria legitimidade para convocar a AG de destituição, não se aplica. "Essa é uma questão totalmente irrelevante. O PMAG, mesmo que se tivesse demitido, continuaria na plenitude das suas funções até ser substituído. E essa substituição só pode ocorrer com novas eleições", explica.

RECORD

Evidentemente.
Por muito que tentem passar a ideia de que a destituição ocorreu por causa de Alcochete ou do Facebook, esses não são os factos mais graves que lhe são imputados.

Ninguém está acima das leis.
Tretas hipócritas. Caso contrário, haveria muitos mais suspensos.

E se calhar devia ter havido. Qual é a dúvida?
Agora não é por alguns terem passado pelos pingos da chuva que vamos escamotear tudo. O que o CD de BdC fez foi um gravíssimo atropelo aos estatutos e não deveria passar em claro.


Não há porque as participações aos membros da MAG foram chutadas para canto pela CF!

Lembro-me bem do JMS ser chamado a responder perante a CF. Se o processo foi arquivado é porque ele conseguiu apresentar uma defesa coesa e construiu um bom caso em prol dos seus interesses.
Temos de ser sérios e analisar imparcialmente os casos, independentemente dos intervenientes

Claro porque a comissao de fiscalização iria mesmo analisar imparcialmente processos contra aqueles que os tinham escolhido a dedo...
"An army of sheep led by a lion can defeat an army of lions led by a sheep"
Baltazar Pinto: «Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios»

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting fala sobre os castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-dirigentes

O presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Sporting, Joaquim Baltazar Pinto, considera que "a questão fulcral" a ponderar este sábado na Assembleia Geral do clube é "se o Sporting é ou não um clube de sócios."

"Se considerarmos que sim, este tipo de comportamento protagonizado pelos anteriores membros do Conselho Diretivo (CD) não pode deixar de ser sancionado", defende Baltazar Pinto, em entrevista à edição desta semana do jornal ‘Sporting’, hoje nas bancas, a propósito da deliberação sobre os recursos dos castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-membros não demissionários do CD.

O antigo presidente foi suspenso de sócio por um ano, enquanto Carlos Vieira, Rui Caeiro, Alexandre Godinho, José Quintela e Luís Gestas foram punidos com 10 meses (Luís Roque escapou com repreensão registada). Por sua vez, Elsa Judas e Trindade Barros acabaram expulsos. Os oito recorreram para a Assembleia Geral do Sporting, órgão máximo dos leões.

Baltazar Pinto entende que os factos que sustentam as decisões tomadas ao tempo da Comissão de Fiscalização, antecessora direta do CFD, são graves, desde logo a tentativa de bloquear a AG realizada a 23 de junho e que determinou a destituição do anterior Conselho Diretivo. "O que está em causa nestes processos é a conduta dos membros do anterior CD, de obstaculização da realização dessa AG de 23 de junho. Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios", afirma o juiz conselheiro.

"Tentações hegemónicas"

Baltazar Pinto lembra que BdC e parceiros de direção foram "destituídos pela vontade concludente dos sócios", ao passo que Elsa Judas e Trindade Barros "integraram um órgão ad hoc, contrário aos estatutos", no caso a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, tendo sido punidos por "usurpação de funções" que eram do presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG), à data Jaime Marta Soares, nomeadamente "convocatória de falsas assembleias."

"Se o Governo do nosso país resolvesse substituir o Presidente da Assembleia da República e os deputados e este substituísse os juízes, acha que a situação era grave? Para nós o que é essencial é o respeito da vontade dos sócios. As tentativas de hegemonia do poder executivo sobre os demais vêm de longe. Faz parte da natureza humana. Quem exerce o poder pode ter tentações hegemónicas, pretendendo que o poder está em si e não na soberania do povo. Noutra escala, é um pouco o que se passa aqui. Nunca nos podemos esquecer que acima de tudo está o Sporting. E o Sporting é um clube de sócios. Connosco os estatutos serão sempre respeitados, doa a quem doer", promete Baltazar Pinto.

O argumento, tantas vezes repetido, de que Marta Soares se demitiu e que, por isso, não teria legitimidade para convocar a AG de destituição, não se aplica. "Essa é uma questão totalmente irrelevante. O PMAG, mesmo que se tivesse demitido, continuaria na plenitude das suas funções até ser substituído. E essa substituição só pode ocorrer com novas eleições", explica.

RECORD

Evidentemente.
Por muito que tentem passar a ideia de que a destituição ocorreu por causa de Alcochete ou do Facebook, esses não são os factos mais graves que lhe são imputados.

Ninguém está acima das leis.
Tretas hipócritas. Caso contrário, haveria muitos mais suspensos.

E se calhar devia ter havido. Qual é a dúvida?
Agora não é por alguns terem passado pelos pingos da chuva que vamos escamotear tudo. O que o CD de BdC fez foi um gravíssimo atropelo aos estatutos e não deveria passar em claro.


Não há porque as participações aos membros da MAG foram chutadas para canto pela CF!

Lembro-me bem do JMS ser chamado a responder perante a CF. Se o processo foi arquivado é porque ele conseguiu apresentar uma defesa coesa e construiu um bom caso em prol dos seus interesses.
Temos de ser sérios e analisar imparcialmente os casos, independentemente dos intervenientes



Baltazar Pinto: «Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios»

Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting fala sobre os castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-dirigentes

O presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Sporting, Joaquim Baltazar Pinto, considera que "a questão fulcral" a ponderar este sábado na Assembleia Geral do clube é "se o Sporting é ou não um clube de sócios."

"Se considerarmos que sim, este tipo de comportamento protagonizado pelos anteriores membros do Conselho Diretivo (CD) não pode deixar de ser sancionado", defende Baltazar Pinto, em entrevista à edição desta semana do jornal ‘Sporting’, hoje nas bancas, a propósito da deliberação sobre os recursos dos castigos aplicados a Bruno de Carvalho e demais ex-membros não demissionários do CD.

O antigo presidente foi suspenso de sócio por um ano, enquanto Carlos Vieira, Rui Caeiro, Alexandre Godinho, José Quintela e Luís Gestas foram punidos com 10 meses (Luís Roque escapou com repreensão registada). Por sua vez, Elsa Judas e Trindade Barros acabaram expulsos. Os oito recorreram para a Assembleia Geral do Sporting, órgão máximo dos leões.

Baltazar Pinto entende que os factos que sustentam as decisões tomadas ao tempo da Comissão de Fiscalização, antecessora direta do CFD, são graves, desde logo a tentativa de bloquear a AG realizada a 23 de junho e que determinou a destituição do anterior Conselho Diretivo. "O que está em causa nestes processos é a conduta dos membros do anterior CD, de obstaculização da realização dessa AG de 23 de junho. Estamos perante um comportamento gravemente violador dos direitos dos sócios", afirma o juiz conselheiro.

"Tentações hegemónicas"

Baltazar Pinto lembra que BdC e parceiros de direção foram "destituídos pela vontade concludente dos sócios", ao passo que Elsa Judas e Trindade Barros "integraram um órgão ad hoc, contrário aos estatutos", no caso a Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, tendo sido punidos por "usurpação de funções" que eram do presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG), à data Jaime Marta Soares, nomeadamente "convocatória de falsas assembleias."

"Se o Governo do nosso país resolvesse substituir o Presidente da Assembleia da República e os deputados e este substituísse os juízes, acha que a situação era grave? Para nós o que é essencial é o respeito da vontade dos sócios. As tentativas de hegemonia do poder executivo sobre os demais vêm de longe. Faz parte da natureza humana. Quem exerce o poder pode ter tentações hegemónicas, pretendendo que o poder está em si e não na soberania do povo. Noutra escala, é um pouco o que se passa aqui. Nunca nos podemos esquecer que acima de tudo está o Sporting. E o Sporting é um clube de sócios. Connosco os estatutos serão sempre respeitados, doa a quem doer", promete Baltazar Pinto.

O argumento, tantas vezes repetido, de que Marta Soares se demitiu e que, por isso, não teria legitimidade para convocar a AG de destituição, não se aplica. "Essa é uma questão totalmente irrelevante. O PMAG, mesmo que se tivesse demitido, continuaria na plenitude das suas funções até ser substituído. E essa substituição só pode ocorrer com novas eleições", explica.

RECORD

Evidentemente.
Por muito que tentem passar a ideia de que a destituição ocorreu por causa de Alcochete ou do Facebook, esses não são os factos mais graves que lhe são imputados.

Ninguém está acima das leis.
Tretas hipócritas. Caso contrário, haveria muitos mais suspensos.

E se calhar devia ter havido. Qual é a dúvida?
Agora não é por alguns terem passado pelos pingos da chuva que vamos escamotear tudo. O que o CD de BdC fez foi um gravíssimo atropelo aos estatutos e não deveria passar em claro.


Não há porque as participações aos membros da MAG foram chutadas para canto pela CF!

Lembro-me bem do JMS ser chamado a responder perante a CF. Se o processo foi arquivado é porque ele conseguiu apresentar uma defesa coesa e construiu um bom caso em prol dos seus interesses.
Temos de ser sérios e analisar imparcialmente os casos, independentemente dos intervenientes

Claro porque a comissao de fiscalização iria mesmo analisar imparcialmente processos contra aqueles que os tinham escolhido a dedo...

Naturalmente.
Nós, sócios esperamos que em 2019 possamos encerrar o capítulo mais negro vivido nos 112 anos do clube, com a conclusão dos processos em curso neste órgão e respetiva expulsão de BdC
O futebol é fácil, fácil. | Com cabeça, membros e pernas.
Triuminutos. | A alma é o segredo do negócio.
Obrigado G71 e G68! Piores que lampiões!
Nós, sócios esperamos que em 2019 possamos encerrar o capítulo mais negro vivido nos 112 anos do clube, com a conclusão dos processos em curso neste órgão e respetiva expulsão de BdC
.

Nada como começar bem o dia com o tipico bom humor deste palhaço de serviço.

Falta muito até levar um "pontapé no rabo" daqui para fora?

Enviado do meu SM-J510FN através do Tapatalk

Veremos meu caro, veremos...

O estado de graça está a acabar.

Enviado do meu SM-J510FN através do Tapatalk

Nós, sócios esperamos que em 2019 possamos encerrar o capítulo mais negro vivido nos 112 anos do clube, com a conclusão dos processos em curso neste órgão e respetiva expulsão de BdC
.

Nada como começar bem o dia com o tipico bom humor deste palhaço de serviço.

Falta muito até levar um "pontapé no rabo" daqui para fora?

Enviado do meu SM-J510FN através do Tapatalk




Realmente é giro como todos esses nick que até pela net cheiram a lampião, tem todos os mesmos tiques de escrita e começam sempre com as afirmações de nós os sócios, ou nós os verdadeiros, e passado uns post ja chamam os outros de brunistas para aqui e para ali.
F.d.x. que atraso de vida, as vezes até tenho penas destas alminhas que tem de fazer estas figura para agradar o dono e sobreviver. São mesmo aquele tipo de pessoas que nascem burros e com o desenvolver da vida se tornam ainda mais burros e depois pensam que as pessoas que estão a volta delas papam da mesma cantiga de burros que estes levaram a vida inteira.
 


Melhor viver um dia de leão, do que cem anos de cordeiro.
Calma.. O dia da "ressurreição" dele vai ser a 31 de fevereiro..