Joaquim Baltasar Pinto - Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Jubilado... diz o croquette RA...

Em Portugal a justiça está capturada pelo interesses dominantes, sejam eles políticos, financeiros, clubísticos ou religiosos.


#NasciLeãoNãoLampião
- "Basta que os homens de bem nada façam, para que o mal prevaleça"
- "Prefiro morrer de pé a viver ajoelhado"
https://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/comunicados/2019-05-13/comunicado-do-conselho-fiscal-e-disciplinar
O Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal considera necessário informar os Sócios do estado de desenvolvimento do processo disciplinar que foi aberto na sequência dos graves acontecimentos na Academia de Alcochete – processo n.º 6/18.

Este processo disciplinar foi iniciado pela Comissão de Fiscalização no dia 17 de Julho de 2018.

Na sequência da tomada de posse do actual Conselho Fiscal e Disciplinar iniciou-se a recolha de múltiplos elementos probatórios com vista ao apuramento completo de todas as responsabilidades.

Com a dedução da acusação e depois de terem sido realizadas outras diligências instrutórias foi possível complementar essa análise e circunscrever o grupo de Sócios que alegadamente estiveram envolvidos naquele incidente, estando o processo quase concluído.

Contudo, tendo presente que no âmbito de um processo disciplinar é imprescindível a alocação individual de responsabilidades de forma estrita e rigorosa e tendo em conta que, nesta altura, ainda estão a decorrer actos de instrução no âmbito do processo criminal em curso, julga-se prudente aguardar por posteriores desenvolvimentos, pelo que o CFD deliberou suspender o procedimento em curso até à conclusão da Instrução, nos termos do n.º 2 do artigo 8.º do Regulamento Disciplinar.

Lisboa, 13 de Maio de 2019



O CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

Joaquim Baltazar Pinto | Presidente

João Frederico de Freitas Teives Henriques | Vice-presidente

Frutuoso Pires Mateus | Vogal

José Pedro Albuquerque de Fezas Vital | Vogal

Bernardo Belo Catarino Foios Simões | Vogal

Pedro do Ó Barradas de Oliveira Ramos | Vogal

Pedro Jorge Cabral da Silva Nunes | Vogal
Isto é como apostar no Placard depois de saber os resultados dos jogos.
No Placard não dá, mas aqui vale tudo.
https://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/comunicados/2019-05-13/comunicado-do-conselho-fiscal-e-disciplinar
O Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal considera necessário informar os Sócios do estado de desenvolvimento do processo disciplinar que foi aberto na sequência dos graves acontecimentos na Academia de Alcochete – processo n.º 6/18.

Este processo disciplinar foi iniciado pela Comissão de Fiscalização no dia 17 de Julho de 2018.

Na sequência da tomada de posse do actual Conselho Fiscal e Disciplinar iniciou-se a recolha de múltiplos elementos probatórios com vista ao apuramento completo de todas as responsabilidades.

Com a dedução da acusação e depois de terem sido realizadas outras diligências instrutórias foi possível complementar essa análise e circunscrever o grupo de Sócios que alegadamente estiveram envolvidos naquele incidente, estando o processo quase concluído.

Contudo, tendo presente que no âmbito de um processo disciplinar é imprescindível a alocação individual de responsabilidades de forma estrita e rigorosa e tendo em conta que, nesta altura, ainda estão a decorrer actos de instrução no âmbito do processo criminal em curso, julga-se prudente aguardar por posteriores desenvolvimentos, pelo que o CFD deliberou suspender o procedimento em curso até à conclusão da Instrução, nos termos do n.º 2 do artigo 8.º do Regulamento Disciplinar.

Lisboa, 13 de Maio de 2019



O CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

Joaquim Baltazar Pinto | Presidente

João Frederico de Freitas Teives Henriques | Vice-presidente

Frutuoso Pires Mateus | Vogal

José Pedro Albuquerque de Fezas Vital | Vogal

Bernardo Belo Catarino Foios Simões | Vogal

Pedro do Ó Barradas de Oliveira Ramos | Vogal

Pedro Jorge Cabral da Silva Nunes | Vogal

Do ponto de vista jurídico, acho que isto faz muito pouco sentido.
No processo crime está em causa eventual responsabilidade criminal; neste processo eventual responsabilidade disciplinar, enquanto sócios do Sporting.
Uma coisa nada tem a ver com a outra, pelo que não faz sentido suspender um processo à espera do outro.
Mas enfim.
Outro assunto. O inquérito interno sobre o leak da auditoria vai ser feito pelo CFD ?
Outro assunto. O inquérito interno sobre o leak da auditoria vai ser feito pelo CFD ?

Tinha respondido que isso não era da competencia estatutária do CfD, mas apaguei a resposta, porque sinceramente teria que confirmar.

https://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/comunicados/2019-05-13/comunicado-do-conselho-fiscal-e-disciplinar
O Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal considera necessário informar os Sócios do estado de desenvolvimento do processo disciplinar que foi aberto na sequência dos graves acontecimentos na Academia de Alcochete – processo n.º 6/18.

Este processo disciplinar foi iniciado pela Comissão de Fiscalização no dia 17 de Julho de 2018.

Na sequência da tomada de posse do actual Conselho Fiscal e Disciplinar iniciou-se a recolha de múltiplos elementos probatórios com vista ao apuramento completo de todas as responsabilidades.

Com a dedução da acusação e depois de terem sido realizadas outras diligências instrutórias foi possível complementar essa análise e circunscrever o grupo de Sócios que alegadamente estiveram envolvidos naquele incidente, estando o processo quase concluído.

Contudo, tendo presente que no âmbito de um processo disciplinar é imprescindível a alocação individual de responsabilidades de forma estrita e rigorosa e tendo em conta que, nesta altura, ainda estão a decorrer actos de instrução no âmbito do processo criminal em curso, julga-se prudente aguardar por posteriores desenvolvimentos, pelo que o CFD deliberou suspender o procedimento em curso até à conclusão da Instrução, nos termos do n.º 2 do artigo 8.º do Regulamento Disciplinar.

Lisboa, 13 de Maio de 2019



O CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

Joaquim Baltazar Pinto | Presidente

João Frederico de Freitas Teives Henriques | Vice-presidente

Frutuoso Pires Mateus | Vogal

José Pedro Albuquerque de Fezas Vital | Vogal

Bernardo Belo Catarino Foios Simões | Vogal

Pedro do Ó Barradas de Oliveira Ramos | Vogal

Pedro Jorge Cabral da Silva Nunes | Vogal

Do ponto de vista jurídico, acho que isto faz muito pouco sentido.
No processo crime está em causa eventual responsabilidade criminal; neste processo eventual responsabilidade disciplinar, enquanto sócios do Sporting.
Uma coisa nada tem a ver com a outra, pelo que não faz sentido suspender um processo à espera do outro.
Mas enfim.

Imagina que o SCP ia propor a punição de alguns sócios que, daqui a uns meses, viriam a ser inocentados pela justiça. Não seria injusto?

Se não há a certeza de quem tem culpas no cartório, até que concordo que se aguarde por maiores esclarecimentos
https://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/comunicados/2019-05-13/comunicado-do-conselho-fiscal-e-disciplinar
O Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal considera necessário informar os Sócios do estado de desenvolvimento do processo disciplinar que foi aberto na sequência dos graves acontecimentos na Academia de Alcochete – processo n.º 6/18.

Este processo disciplinar foi iniciado pela Comissão de Fiscalização no dia 17 de Julho de 2018.

Na sequência da tomada de posse do actual Conselho Fiscal e Disciplinar iniciou-se a recolha de múltiplos elementos probatórios com vista ao apuramento completo de todas as responsabilidades.

Com a dedução da acusação e depois de terem sido realizadas outras diligências instrutórias foi possível complementar essa análise e circunscrever o grupo de Sócios que alegadamente estiveram envolvidos naquele incidente, estando o processo quase concluído.

Contudo, tendo presente que no âmbito de um processo disciplinar é imprescindível a alocação individual de responsabilidades de forma estrita e rigorosa e tendo em conta que, nesta altura, ainda estão a decorrer actos de instrução no âmbito do processo criminal em curso, julga-se prudente aguardar por posteriores desenvolvimentos, pelo que o CFD deliberou suspender o procedimento em curso até à conclusão da Instrução, nos termos do n.º 2 do artigo 8.º do Regulamento Disciplinar.

Lisboa, 13 de Maio de 2019



O CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

Joaquim Baltazar Pinto | Presidente

João Frederico de Freitas Teives Henriques | Vice-presidente

Frutuoso Pires Mateus | Vogal

José Pedro Albuquerque de Fezas Vital | Vogal

Bernardo Belo Catarino Foios Simões | Vogal

Pedro do Ó Barradas de Oliveira Ramos | Vogal

Pedro Jorge Cabral da Silva Nunes | Vogal

Do ponto de vista jurídico, acho que isto faz muito pouco sentido.
No processo crime está em causa eventual responsabilidade criminal; neste processo eventual responsabilidade disciplinar, enquanto sócios do Sporting.
Uma coisa nada tem a ver com a outra, pelo que não faz sentido suspender um processo à espera do outro.
Mas enfim.

Imagina que o SCP ia propor a punição de alguns sócios que, daqui a uns meses, viriam a ser inocentados pela justiça. Não seria injusto?

Se não há a certeza de quem tem culpas no cartório, até que concordo que se aguarde por maiores esclarecimentos

Isso servirá para possíveis mandantes externos. Agora aqueles que foram apanhados em flagrante... Não vejo razão para se esperar pela suposta justiça...
https://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/comunicados/2019-05-13/comunicado-do-conselho-fiscal-e-disciplinar
O Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal considera necessário informar os Sócios do estado de desenvolvimento do processo disciplinar que foi aberto na sequência dos graves acontecimentos na Academia de Alcochete – processo n.º 6/18.

Este processo disciplinar foi iniciado pela Comissão de Fiscalização no dia 17 de Julho de 2018.

Na sequência da tomada de posse do actual Conselho Fiscal e Disciplinar iniciou-se a recolha de múltiplos elementos probatórios com vista ao apuramento completo de todas as responsabilidades.

Com a dedução da acusação e depois de terem sido realizadas outras diligências instrutórias foi possível complementar essa análise e circunscrever o grupo de Sócios que alegadamente estiveram envolvidos naquele incidente, estando o processo quase concluído.

Contudo, tendo presente que no âmbito de um processo disciplinar é imprescindível a alocação individual de responsabilidades de forma estrita e rigorosa e tendo em conta que, nesta altura, ainda estão a decorrer actos de instrução no âmbito do processo criminal em curso, julga-se prudente aguardar por posteriores desenvolvimentos, pelo que o CFD deliberou suspender o procedimento em curso até à conclusão da Instrução, nos termos do n.º 2 do artigo 8.º do Regulamento Disciplinar.

Lisboa, 13 de Maio de 2019



O CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

Joaquim Baltazar Pinto | Presidente

João Frederico de Freitas Teives Henriques | Vice-presidente

Frutuoso Pires Mateus | Vogal

José Pedro Albuquerque de Fezas Vital | Vogal

Bernardo Belo Catarino Foios Simões | Vogal

Pedro do Ó Barradas de Oliveira Ramos | Vogal

Pedro Jorge Cabral da Silva Nunes | Vogal

Do ponto de vista jurídico, acho que isto faz muito pouco sentido.
No processo crime está em causa eventual responsabilidade criminal; neste processo eventual responsabilidade disciplinar, enquanto sócios do Sporting.
Uma coisa nada tem a ver com a outra, pelo que não faz sentido suspender um processo à espera do outro.
Mas enfim.

Imagina que o SCP ia propor a punição de alguns sócios que, daqui a uns meses, viriam a ser inocentados pela justiça. Não seria injusto?

Se não há a certeza de quem tem culpas no cartório, até que concordo que se aguarde por maiores esclarecimentos

Não seria injusto, porque as realidades são diferentes.
Repara: em tese, é perfeitamente possível que um qualquer individuo que tenha praticado um comportamento, mesmo não tendo cometido qualquer crime,  tenha infringido normas estatutárias do Sporting.
Nesse caso, ainda que ilibado pela justiça comum, se esse indivíduo for sócio do Sporting, as infracções cometidas aos estatutos devem ser apreciadas pelo CFD.
Como disse são realidades e competências completamente diferentes. 
A lei de um país é soberana. Se os estatutos se sobrepõem à lei portuguesa, são ilegais. Isto é de comum bom senso, mas há gente que quer moldar a realidade e a verdade ao seu pensamento, o que mostra que são pessoas desprovidas de quaisquer valores morais e éticos, sem escrúpulos,  que disfarçam a sua natureza golpista e marginal com uma linguagem aparentemente sofisticada e técnica sob o ponto de vista jurídico.

Ps: comportamento? Isso não é atentatório de condenação. O que é passível de condenação são os actos, se violarem a lei e os estatutos, se estiverem de acordo com a letra da lei geral de um país.

« Última modificação: Maio 19, 2019, 17:24 pm por setaverde »
Meu amigo Sporting, nas boas e nas más horas, obrigado por me acompanhares ao longo da vida.
Caro Dr. Juiz, diga la ao seu patrão que marque la a ag e se deixe de engonhar